PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

Descendentes de Bento da Costa Preto

(atualizado em 06-janeiro-2013)

 

Moacyr Villela

 

 

Dados colhidos nas dispensas matrimoniais de Pouso Alto-Livros de 1 a 12, da Freguesia de Santa Ana do Capivari.livro 1 , de Carmo de Minas Livros 1 a 3 e Livro de óbitos de Pouso Alto todos eles sob a guarda da Cúria Diocesana de Campanha

Censo de Capivari 1839, Pouso Alto 1839, Carmo de Baependi 1839 todos no Arquivo Publico Mineiro - APM

Inventários e Testamentos de São João Del Rei e Baependi no Museu Regional de São João Del Rei.

Passagens de tropeiros pelo Registro da Mantiqueira – 1776/1778 - 1787/1788 e Cobrança de Dízimos na Freguesia de Pouso Alto-1751 Encadernados da Casa de Contos – APM- Belo Horizonte

 

 

No início do século XVIII, Bento da Costa Preto morava no sul de Minas Gerais onde deixou grande geração, povoadores que foram de Pouso Alto e região.

 

Bento foi arrendatário do sítio do Pinheiro na Comarca do Rio das Mortes, onde morava com mulher e filhos. Por não ter terras próprias, pediu uma sesmaria no caminho velho ao Governador de Minas Lourenço de Almeida. Em 26 de outubro de 1727 foi concedido a ele,”meia légua de terra em quadra, na paragem chamada Capivari”, em Pouso Alto.

 

Revista do Arquivo Publico Mineiro-1904 ano IV pg. 413- trechos da transcrição integral da RAPM

Governador Lourenço de Almeida..... Bento da Costa Preto morador no sitio do Pinheiro, Comarca do Rio das Mortes onde vive com mulher e filhos me representaram sua petição, que vivendo em um sitio por arrendamento se acabou o tempo dele e não tem terras em que poder lavrar mantimentos de que pague dízimos a Deus e ao Rei Nosso Senhor.... Queria ele suplicante que atendendo eu ao referido e a que no Caminho Velho se acham terras devolutas nas sobre quadras dos sítios... as quais ditas terras ficam na paragem chamada Capivari principiando na sobre quadra do Capitão Jose Rodrigues Braga a entestar com as terras de Francisco Felix para a banda da Juruoca indo para a cidade de São Paulo, a mão esquerda....Uma légua de testada e outra de Sertão na dita paragem.....hei por bem fazer mercê em nome de Sua Majestade, fazer concessão de meia légua de terras em quadra na dita paragem na forma das novas ordens de Sua Majestade

Dada em Vila Rica a 26 de outubro de 1727

 

Bento da Costa Preto, ou seu filho homônimo, em 1751 pagou três oitavas de dízimos em Pouso Alto.

 

Foi casado três vezes, com geração dos três leitos.

 

Do primeiro Matrimonio com Leonor Rodrigues Cide:

Bento da Costa Preto, moço                              Cap. 1º

Rosa Maria da Costa                                          Cap. 2º

Apolônia Albernaz                                             Cap. 3º

 

Do segundo matrimônio com Ana Maria Torres

Vicente Gonçalves Preto                                    Cap. 4º

 

Do terceiro com Izabel Pedrosa

Maria Barbosa de Brito                                      Cap. 5º

Bernarda Francisca                                           Cap. 6º

Inácia Pedrosa de Brito                                     Cap. 7º

Apolônia Pedrosa de Brito                                 Cap. 8º

Felipe Rodrigues da Costa                                 Cap. 9º

Fradique da Costa (ou Manoel Fradique)           Cap. 10º

 

 

Sem comprovação de qual leito, Bento teve mais:

Jerônimo Rodrigues de Brito (ou da Costa)         Cap. 11º

 

 

 

Neto de Bento da Costa Preto, sem declaração por que via:

Luiz da Costa Preto, solteiro, morador em Pouso Alto, com 64 anos 1792. Por declaração sua, era primo irmão de Ana Ribeira casada com Brás João (Cap 4º) e de Inácia Rodrigues Albernaz (Cap 1º, 2)

1792 - Oradores - Antonio da Silva Ribeiro e Joana Maria de Conceição

Orador - filho legitimo de Brás João da Silva e Ana Ribeira, tem 21 anos, natural de Pouso Alto.

Oradora - Filha legitima de João Antonio Lima e Ana Maria

Testemunhas arroladas: -Luis da Costa Preto, branco, solteiro, natural de Pouso Alto, 64 anos, lavrador, diz ser primo irmão da mãe do orador e primo irmão da Avó da oradora.

 

 

 

 

Cap. 5º Maria Barbosa de Brito

(atualizado em 04-maio-2016)

 

Maria Barbosa, filha de Isabel Pedrosa. Casou com Francisco Martins Teixeira, filho de Antonio Martins e Leonor Rodrigues.

Francisco já era falecido em 1764, batismo da neta Maria:”padr.: Constantino Martins Teyxr. solt., e Maria Barbosa de Britto, viuva, avó da baptizada.”

 

Maria e Francisco tiveram, pelo menos:

Miguel da Costa Ribeiro

José Gonçalves Torres

Joaquim da Costa Ribeiro

 

 

1- Miguel da Costa Ribeiro, casou em Guaratinguetá-SP em 1763 com Maria Barbosa Leme, filha de José Barbosa Leme e sua primeira mulher Domingas Correa (de Brito ou Pedroso), neta paterna de Francisco Nunes da Costa e Lucrecia Leme e materna. de Antonio Pedroso de Alvarenga e Maria da Luz do Prado (S.L. 3º, 32, 2-6 e SL. 4, 529, 4-1)

Casamentos de Guaratingueta - 1763; Copia de Gastão de Meireles França; RGB nº 7: N.º 428 - Miguel da Costa Ribeiro, de Pouso Alto, filho de Francisco Martins Teixeira e Maria Barbosa de Brito, n.p. de Antonio Martins e Leonor Rodrigues e n.m. de Bento da Costa Preto e Isabel Pedroso, com Maria Barbosa Leme, desta, filha de José Barbosa Leme e Domingas Correia, n.p. de Francisco Nunes da Costa e Lucrecia Leme e n.m. de Antonio Pedroso de Alvarenga e Maria da Luz do Prado.

 

Casamentos de Guaratingueta - 1762; Copia de Gastão de Meireles França; RGB nº 7: N.º 382 - José Barbosa Leme, viuvo de Domingas Pedroso, com Vitória Maria, filha de Pascoal da Silva Leme e Maria da Silva.

 

Em 1801 como testemunha de processo matrimonial, se declara: branco, casado, natural de Pouso Alto com 67 anos de idade.

1801 - Oradores - Antonio Rodrigues Ribeiro e Maria Joana do Nascimento.

Testemunhas arroladas:

-Miguel da Costa Ribeiro, branco, casado, natural de Pouso Alto, vive de roça, 64 anos

 

Miguel passou três vezes pelo Registro da Mantiqueira em 1788 com cargas de sal e aguardente

 

Censo de Guaratinguetá. 1789, segunda companhia, Fogo 31:

Miguel da Costa Ribeiro ,  52 anos;

Maria Barbosa Leme, mulher, 47 anos;

Filhos:

Tomazia, 28 anos;

Maria Francisca, viúva, 25 anos,

Filhos dela: Maria, 5 anos; Antonio, 2 anos

Mora em terras foreiras e vive de andar pelo mundo

 

Miguel e Maria Barbosa Leme tiveram, e.o.:

1-1 Maria, batizada aos 19-02-1764, teve por madrinha a avó paterna.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos-  aos 19 fev 1764 Serranos, Maria, f.l. de Miguel da Costa Ribr. e s/m Maria Barbosa, padr.: Constantino Martins Teyxr. solt., e Maria Barbosa de Britto, viuva, avó da baptizada.

 

          Maria Francisca da Costa em 1782, com autos conclusos em 08-02-1783, requereu dispensa do impedimento de consanguinidade de 4º grau misto com 3º por linha colateral para se casar com Tomás Miguel Barbosa, filho de Ledoina Lemes Barbosa, neto materno de Maria Lemes Barbosa, por esta bisneto de Fabiana da Costa irmã de José Barbosa Lemes avô materno de Maria Francisca, aportes à GP: “Lucrecia Leme Barbosa - SL IIIº, 32, 2-6”.

LDS: Aiuruoca-MG - Dispensas matrimonias livro misto 1787- 1790

Petição 1782

Oradores Tomas Miguel Barbosa e Maria Francisca da Costa - 4º grau de consanguinindade misto com 3º por linha colateral

Testemunhas:

- Padre Andre Bernardes de Gusmão, presbitero, natural da freg. de Santo Antonio da vila de Guaratingueta do bispado de S. Paulo, q vive de ser assistente nesta freguesia, de idade de 46 anos. Disse que Jose Barbosa avô da oradora Maria Francisca e Fabiana da Costa bisavó do orador Tomes Miguel Barbosa são irmãos legitimos.

Disse q Jose Barbosa era irmão legitimo de Fabiana da Costa, desta procedeu Maria Leme Barbosa e desta nasceu Leduina Leme Barbosa e desta nasceu o orador Tomas Miguel Barbosa.

Que daquele Jose Barbosa nasceu Maria Barbosa Leme e desta nasceu Maria Francisca da Costa.

A oradora não foi raptada e vive em casa de seus pais (...) aa Pe. Andre Bernardes de Gusmão.

- Alf. João Peres de Gusmão, casado, n. freg. Sto Antonio da vila de Guaratingueta bispado de S. Paulo e assistente na freg. de Baependi deste mesmo bispado, parente dos oradores. Jose Barbosa e Fabiana da Costa são irmãos e irmão da M[danificado] dele testemunha

- Cabo de Esquadra Domingos Leme de Brito, casado, vive de sua lavoura, n. da freg. de Santo Antonio da vila de Guaratingueta bispado de S. Paulo, assistente nesta freguesia de Aiuruoca, 72 anos, aos costumes disse que sua mãe era irmã legitima de Jose Barbosa e Fabiana da Costa.

-Francisco Martins ---, solteiro, que vive de sua roça, n. desta freg. de Aiuruoca, assistente na capela dos Serranos, de idade 27 anos, aos costumes disse nada.

-Domingos Gonçalves, solteiro, q vive de sua roça, natural a freg. da Borda do Campo desta comarva, assistente na aplicação dos Serranos desta freguesia, de idade 31 anos, aos costumes disse nada.

 

Depoimento do orador aos 31-07-1782 Tomas Miguel Barbosa é natural e bat. na freguesia da Sra da Conceição do Viamão do bispado do Rio de Janeiro, de idade 27 anos

Depoimento da oradora Maria Francisca da Costa, f.l. Maria Barbosa Leme e seu avo materno era Jose Barbosa (...)

 

Autos conclusos Mariana 08-02-1783: 4º grau de consanguinindade misto com 3º por linha colateral pq de Francisco Nunes da Costa e s/m Lucrecia Leme Barbosa nasceram Jose Barbosa Lemes e sua irmã Fabiana da Costa, e desta nasceu Maria Lemes Barbosa de quem procedeu Ledoina Lemes Barbosa mãe do orador Tomas Miguel Barbosa; assim como daquele Jose Barbosa procedeu Maria Barbosa Lemes de quem nasceu a oradora Maria Francisca da Costa. 4º grau misto com 3º de consanguinidade por linha transversal.

 

        Em 1789 (censo de Guaratinguetá), Maria Francisca, já viúva e com dois filhos, morava com os pais:

1-1-1 Maria, com 5 anos em 1789.

1-1-2 Antonio, com dois anos.

1-2 João, batizado em 15-11-1768.

Aiuruoca, MG aos 15-11-1768 na capela dos Serranos bat a João, f.l. de Miguel da Costa Ribeiro e Maria Barbosa Leme, q nasceu em 22 de 8bro, foram padrinhos Cos[dobra] Damião Leme e Joana Ribeira Albernaz.

1-3 Ana em 27-02-1767.

Aiuruoca, MG aos 27-02-1767 na capela dos Serranos bat a Ana, f.l. de Miguel da Costa Ribeiro e Maria Barbosa Leme, q nasceu aos 22 de fevereiro do dito ano, foram padrinhos Salvador Ribeiro e sua filha Maria ----, solteira.

1-4 Tomasia, batizada em 31-12-1769.

Aiuruoca, MG aos 31-12-1769 na capela dos Serranos bat a Tomasia, f.l. de Miguel da Costa Ribeiro e Maria Barbosa Leme, q nasceu aos [dobra]6 do dito mes, foram padrinhos Francisco Barbosa, solteiro e Inacia de Siqueira.

 

Maria Barbosa de Brito, não sabemos se do mesmo leito, teve também o filho:

 

2- José Gonçalves Torres, “-Procedendo de Bento da Costa Porto e de Isabel Pedrosa, Maria Barbosa e Bernarda Francisca. Assim como daquela Maria Barbosa nasceu Jose Gonçalves Torres”

2-1 Vitória Gonçalves, com 21 anos em 1785 pediu licença para se casar com Domingos Rodrigues de Freitas, então com 25 anos, filho de Izabel Pedrosa ou Rodrigues, Cap. 6º, 1-1.

 

3- Joaquim da Costa Ribeiro, natural de Pouso Alto. Em Aiuruoca aos 17-05-1768 casou com Francisca Teresa, filha de Antonio Lopes dos Reis e Rosa Maria Barbosa, neta paterna de Antonio Lopes dos Reis e Maria Gomes, neta materna de João Barbosa Raposo e Angela Fernandes da Rocha - família João Barbosa Raposo inserida na família Pedro da Mota Paes, neste site.

Aiuruoca, MG aos 17-05-1768 nesta paroquial se receberam Joaquim da Costa Ribeiro, f.l. de Francisco Martins [dobra]xr.ª e Maria Barbosa, natural da freguesia do Pouso Alto = com Francisca Teresa, f.l. de Antonio Lopes dos Reis e Rosa Maria Barbosa, n. desta freguesia. Testemunhas (q. aa) Domingos João Marinho, Januario Pereira Dias

Tiveram os filhos batizados em Aiuruoca, q.d.:

3-1 Antonio em 24-08-1769.

Aiuruoca, MG aos 24-08-1769 nesta matriz bat a Antonio, f.l. de Joaquim da Costa Ribeiro e Francisca Teresa, que nasceu em 16 do mesmo mês; foram padrinhos Domingos Antunes e Rosa Maria Barbosa sua avó materna. Aiuruoca 24-08-1769.

3-2 Ana em 29-05-1777.

Aiuruoca, MG aos 29-05-1777 na capela de N. Sra do Bom Sucesso dos Serranos bat a Ana q. nasceu aos 20 do dito mes, f.l. de Joaquim da Costa Ribeiro e Francisca Teresa, foram padrinhos João Francisco da Silva, casado e Leonor Taveira mulher de Jose Lopes.

3-3 Teresa em 17-01-1779.

Aiuruoca, MG aos 17-01-1779 na capela de N. Sra do Bom Sucesso dos Serranos bat a Teresa, f.l. de Joaquim da Costa e Francisca Teresa, foram padrinhos Jose Domingues da Silva e Franicsca Maria, solteiros filhos de João Domingues da Silva.

3-4 Francisco em 05-07-1781.

Aiuruoca, MG aos 05-07-1781 na capela de N. Sra do Bom Sucesso dos Serranos bat a Francisco, f.l. de Joaquim da Costa Ribeiro e Francisca Teresa, foram padrinhos Manoel Jose de Moraes e Josefa Pires mulher de João Domingues.

3-5 Domingos em 10-04-1784.

Aiuruoca, MG aos 10-04-1784 na capela de N. Sra do Bom Sucesso dos Serranos bat a Domingos, f.l. de Joaquim da Costa Ribeiro e Francisca Teresa, foram padrinhos Manoel Pacheco de Araujo, e Teresa Maria.

3-6 Ana em 25-08-1786.

Aiuruoca, MG aos 25-08-1786 na capela de N. Sra do Bom Sucesso dos Serranos bat a Ana, f.l. de Joaquim da Costa Ribeiro e Francisca Teresa, foram padrinhos João Domingues da Silva e Antonia Maria da Silva.

3-7 Rosa em 23-11-1788.

Aiuruoca, MG aos 23-11-1788 nesta matriz bat a Rosa, f.l. de Joaquim da Costa e Francisca Teresa, foram padrinhos Jose Martins, solteiro e Joana Ribeira mulher de Bento dos Santos, todos desta freguesia.

 

 

 

Cap. 7º Inácia Pedrosa de Brito

(atualizado em 30-outubro-2014)

 

Inácia, filha de Isabel Pedrosa. Casou com Antonio Mendes da Silva, ambos já falecidos em 1816. Pais de:

Francisca Mendes da Silva

Manoel Mendes da Silva

Antonio Mendes da Silva

 

1- Francisca Mendes da Silva casou com Alferes Domingos Pinto da Silva, natural de Cima do Douro Bispado do Porto. Pais de, q.d.:

1-1 Capitão Domingos Pinto da Silva Guedes casou com Maria da Piedade de Jesus

          Domingos passou 8 vezes pelo registro da Mantiqueira com cargas de sal entre 1776 e 1788.

1-1-1 Francisca Antonia Guedes, com 15 anos em 1790, obteve licença para se casar com Antonio Ribeiro da Silva, filho de Antonio José Ribeiro de Carvalho e Maria Gonçalves Ribeira (ou Torres) Cap. 4º nesta e família “Antonio Ribeiro de Carvalho” Cap. 1º.

1-1-2 Manoel Pinto Guedes, natural do Pouso Alto. Aos 12-02-1822 em Delfim Moreira casou com Feliciana Joaquina de Toledo, filha do falecido Manoel Joaquim de Toledo e Maria Lemes Ribeira, família “João Bicudo do Espírito Santo”.

1-1-2-1 Manoel Jose Pinto aos 04-03-1851 casou com Leopoldina Januaria do Coito, dai natural, filha de de Jose Antonio do Couto e de Francisca Ignez de Paula.

Silvianopolis, Mg Igreja Santana matr aos 04-03-1851 nesta matriz Manoel Jose Pinto e Leopoldina Januaria do Coito. Aquele f.l.de Manoel Jose Pinto e de Feliciana Joaquina de Toledo, natural de Itajuba; esta f.l. de Jose Antonio do Couto e de Francisca Ignez de Paula, natural e batizada e moradora nesta freguesia. Test.: Luiz Mariano Teixeira e João Antonio de Almeida.

1-2 André Guedes da Silva, natural do Pouso Alto. Em Baependi aos 25-10-1785 casou com Maria Silverico de Castilhos, natural do Pouso Alto, filha do Ajudante Francisco Tomas Camillo e Rita Maria de Jesus.

B7: Diocese de Campanha, paroquia de Baependi-MG aos 25 outubro 1785 - matriz - Andre Guedes da Silva e Maria Silverico de Castilhos.

Ele f.l. do alf. Domingos Pinto da Silva e de Francisca Mendes da Silva, n. e b. na freg. de Pouso Alto.

Ela f.l. do Ajudante Francisco Thomaz e de Rita Maria de Jesus, n. e b. na mesma freg.

(aas) o vigario Domingos Lopes de Mattos; Domingos Pinto do Rego e Domingos Pinto da Silva Guedes.

1-3 José Pinto de Moraes, natural do Pouso Alto. Casou com Ana Marcelina de Castilho, filha do Ajudante Francisco Tomás Camilo e Rita Maria de Jesus, naturais de Taubaté-SP, supra citados.

          Pais de, q.d.:

1-3-1 Joaquim Pinto de Moraes, em Baependi aos 27-07-1803, casou com Mariana Ribeira de Jesus, filha de João Pinto Ribeiro e Maria Vieira de Jesus. Família “João Pinto Ribeiro”, de Baependi.

B7: Baependi-MG aos 27 julho 1803 na capela da Sra. Conceição do Rio Verde, filial desta, o revdo. Antonio Gonçalves Penha.

Joaquim Pinto de Moraes, f.l. do alf. Jose Pinto de Moraes e Anna Marcelina; cc. Marianna Ribeira de Jesus, f.l. de João Pinto Ribeiro e de Maria Vieira de Jesus. Ambos nascidos e batizados nesta freguesia.

1-3-2 José Pinto de Castilho, batizado em 30-06-1788. Casou com Inácia Francelina de Mendonça, filha de João de Mendonça Coelho e Cecilia Maria da Conceição. Geração na família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 5

(certidão disponibilizada por Edy Mendonça) – Livro 1 de Conceição do Rio Verde-MG de Batizados – 1786 -1859 – fls. 11

Aos trinta dias do mês de junho de mil settecentos oitenta e oito annos nesta capela de Nossa Senhora da Conceição do Rio Verde filial da Freguesia de Baependi, de licença do Reverendo Domingos Lopes Mattos, vigário da mesma, nella baptisei e pus os Santos Óleos ao innocente José, filho legítimo do Alferes José Pinto de Moraes e de Donna Anna Marcelina de Castilho, nepto pela parte paterna do Alferes Domingos Pinto da Silva n.al de Sima do Douro do Arcebispado do Porto e de Donna Francisca Mendes da Silva, natural da Freguesia de Pouso Alto, deste Bispado, e pela materna de Francisco Tomas Camilo já falecido e de Dona Ritta Maria Jesus naturais da freguesia de Sam Francisco das Chagas, de Villa de Taubaté, do bispado de São Paulo, forão padrinhos o Capitão Domingos Pinto da Silva Guedes, casado, e de Dona Francisca Mendes da Silva, mulher do Alferes Domingos Pinto da Silva, fregueses da Freguesia de Pouso Alto, de que para constar fiz este assento que assignei

 

2- Manoel Mendes da Silva casou com Bárbara Vieira da Silva. Manoel, viúvo, ditou seu testamento em 23-01-1816 na paragem das Pitangueiras do Pé do Morro, Freguesia de Pouso Alto. Declarou os oito filhos de seu casal (testamento neste site):

2-1 Antonio, já falecido em 1816

2-2 Ana, também falecida em 1816

2-3 Maria, ja falecida em 1816

2-4 José Vieira Mendes, 2º testamenteiro paterno. Teve de Ana Maria Francisca, mulher solteira, a filha:

2-4-1 Rosa Maria, batizada por 1798, em 1813 pediu licença para se casar com José Ribeiro da Silva, batizado no Capivari aos 13-06-1787, filho do Alferes Antonio José Fernandes, natural de San Martinho de Lordelo do Douro, Bispado do Porto  e de Jerônima Ribeira, natural de Pouso Alto, neto pela parte paterna de Manoel Gonçalves da Silva natural de (Sobeja), Bispado do Porto e de Catarina Maria do Rosario, natural de São Cosme, Bispado do Porto. E pela parte materna de Antonio José Ribeiro, natural de São Salvador de Bosas, Bispado de Braga e de Maria Gonçalves Ribeira natural de Pouso Alto. Geração na família “Antonio Ribeiro de Carvalho” Cap. 1º.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM -03 - 1813 a 1821

Licença para Casamento e Dispensa de Impedimentos

1813 - Oradores - Jose Ribeiro da Silva  e Rosa Maria

Orador - Filho legitimo do Alferes Antonio Jose Fernandes, natural de San Martinho de Lordelo do Douro, Bispado do Porto  e de Jerônima Ribeira, natural de Pouso Alto, neto pela parte paterna de Manoel Gonçalves da Silva natural de (Sobeja), Bispado do Porto e de Catarina Maria do Rosario, natural de São Cosme, Bispado do Porto. E pela parte materna de Antonio Jose Ribeiro, natural de São Salvador de Bosas, Bispado de Braga e de Maria Gonçalves Ribeira natural de Pouso Alto, batizado na Capela do Capivari a 13 de junho de 1787, sendo padrinhos Custodio Ribeiro Pereira Guimarães e Escolástica Ribeira,  solteiro. , 25 anos.

Oradora - Filha natural de Ana Maria Francisca , solteira, natural de Capivari, batizada em 1798 mais ou menos  sendo padrinho Manoel Antonio da Silva e cujo registro não se fez oportunamente e foi lançado em livro de suplementos conforme testemunho do Alferes Antonio Jose Fernandes. Que declarou ser ela filha natural de Jose Vieira.

-De Vicente Gonçalves irmão de Inacia Pedrosa procedeu Maria Gonçalves e desta procedeu Jerônima Ribeira e desta o orador.

-De Inácia Pedrosa procede Manoel Mendes e deste procedeu Jose Vieira e deste procede sua filha natural Rosa Maria.

 

2-5 Francisca, já falecida em 1816

2-6 João, já falecido em 1816

2-7 Joaquim, já falecido em 1816

2-8 Manoel, idem.

2-8-1 José Antonio da Silva, junto com seu tio José, era o único herdeiro ainda vivo de Manoel Mendes em 1816. Foi nomeado 3º testamenteiro do avô.

2-8-1-1 Maria recebeu legado do bisavô em 1816 “A minha neta Maria filha de meu neto Jose Antonio – 60.000”

 

3- Antonio Mendes da Silva, natural de Pouso Alto-MG. Em Sorocaba-SP aos 07-02-1774 casou com Rita Antunes Vieira, daí natural, filha do falecido Pedro Antunes Maciel e Francisca Xavier Vieira natural de S. Paulo (SL. 1, 137, 5-10).

Sorocaba-SP Igreja N Sra da Ponte aos 07-02-1774 nesta matriz e testemunhas Antonio de Godoy Diniz, casado e Joseph Joaquim de Siqueira, solteiro. Antonio Mendes da Silva, f.l. Antonio Mendes da Silva e Ignacia Pedrosa de Brito, naturais de Pouso Alto Bispado de Minas = cc Rita Antunes Vieira, natural desta vila, f.l. Pedro Antunes Maciel, já defunto e Francisca Xavier Vieira, natural de S. Paulo. Os contraentes são moradores desta vila e não souberam dizer quais foram seus avós.

          Rita testou na Fazenda do Rio Verde aos 29 de agosto de 1844. Foi casada segunda vez com Jose Joaquim de Siqueira, sem geração de ambos os matrimônios. Foi sepultada na matriz em 18 de dezembro do msmo ano:

Santana do Capivari-MG, Igreja Santana aos 18-12-1844 foi sepultada dentro da matriz Rita Antunes Vieira, viuva do finado Jose Joaquim de Siqueira.

Copia do Testamento com que faleceu Rita Antunes.

(...) eu Rita Antunes Vieira, f.l. Pedro Antunes Maciel e Francisca Xavier Vieira, natural da freguesia da vila de Sorocaba Prov. de S. Paulo e de presente moradora nesta freguesia de Santa Ana do Capivari termo a vila de Santa Maria de Baependi Pov. de Minas Grais (...)

Testamenteiros em 1º meu sobrinho e compadre Jose Antunes Vieira, em 2º meu afilhado Ignacio Theodoro da Fonseca, e em 3º meu sobrinho Pedro Antunes Maciel.

Fui cc primeira vez com Antonio Mendes da Silva de cujo matrimonio não tivemos filhos alguns. Casei segunda vez com Jose Joaquim de Siqueira e tenho vivido separada desde que nos casamos por ausentar-se o mesmo de minha companhia para Viamão, e depois para outros lugares e ultimamente para a vila de Santo Amaro Provincia de S. Paulo e ao presente ignoro se o mesmo ainda vive ou se já é alecido. A segunda vez que me casei tinha a idade maior de cincoenta anos.

Legados pios.

Deixo a minha sobrinha Maria, filha de Pedro Antunes Maciel 50$000 rs = deixo de esmola a Graciana, filha de Rita Maria de Jesus, 25$000 rs = a Antonio, filho de meu afihado João Antonio da Fonseca, 25$000 rs = a Rita, filha de meu afilhado Inacio Theodoro, 20$000 rs. E do restante dos meus bens instituo por meu universal herdeiro a meu compadre e primeiro testamenteiro Jose Antunes Vieira, e na falta deste a seus herdeiros.

Fazenda do Rio Verde 29 de agosto de 1844 a rogo da testadora Rita Antunes Vieira

 

 

 

Cap. 8º Apolônia Pedrosa de Brito

 

 

Apolônia, natural de Taubaté, filha de Izabel Pedrosa. Casou com Antonio Francisco Lisboa, natural de Lisboa-PT.

 

Antonio pagou 17 oitavas de dízimos em 1751 em Pouso Alto.

 

Apôlonia ditou seu testamento em 25-04-1758 onde declara sua ascendência e quatro filhos. Faleceu em 8 de maio e foi inventariada no mesmo ano pelo viúvo (inventário neste site).

Foram seus filhos, idades em 1758:

1- Lionardo, 13 anos

2- Antonio, 12 anos

3- José, que segue

4- Maria, 9 anos

 

1- José Francisco Lisboa, com 10 anos em 1758. Casou com Ana Leme filha do Capitão Francisco Leme da Silva e Maria Leme de Guaratinguetá (SL. 2º, 254, 4-1). Capitão Francisco Lemes passou duas vezes pelo registro com cargas de sal.

José Francisco faleceu antes de 1811.

1-1 José Francisco Leme, natural de Pouso Alto, pediu licença para se casar em 1804 com Francisca Ribeira da Luz, filha de Domingos Rodrigues Airão e Ana Antonia (Cap. 9º, 1-1).

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM - 02 - 1800 a 1812

Dispensa de Impedimento

1804 - Oradores - Jose Francisco Leme e Francisca Ribeira da Luz

Ambos naturais de Pouso Alto.

Consangüinidade em terceiro grau transversal igual

-Apolonia Pedrosa irmã inteira de Felipe Rodrigues da Costa casando-se com Antonio Francisco Lisboa, dele teve Jose Francisco Lisboa o qual casando-se com Ana Leme teve a Jose Francisco Leme, orador

-Felipe Rodrigues da Costa casou com Rita Cordeira e dela teve Ana Antonia a qual casando com Domingos Rodrigues Airão,teve a Francisca Ribeiro da Luz, oradora.

A oradora é órfã de mãe e vive separada do pai.

Testemunha arrolada:

-Miguel da Costa Ribeiro, branco, casado, 67 anos.

 

1-2 Josefa Maria de Jesus, batizada em Pouso Alto em março de 1786, foram seus padrinhos José Álvares Pereira de Melo solteiro e Ana Pereira de Melo, casada.

          Em 1811 pediu licença para se casar com Francisco Nunes da Rosa, batizado no Capivari en 1787, padrinhos Francisco Nunes da Rosa e Isabel Pedrosa, solteiros.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM - 02 - 1800 a 1812

Licença: 1811- Oradores - Francisco Nunes da Rosa e Josefa Maria de Jesus

Orador - Filho legitimo de Jose Nunes da Rosa e sua mulher Maria Antunes de Jesus, natural de Pouso Alto, Batizado na Capela do Capivari em 1787 (livro de suplementos) pelo padre coadjutor Luis Gonzaga Ribeiro, padrinhos Francisco Nunes da Rosa e Isabel Pedrosa, solteiros.

Oradora - Filha legitima de Jose Francisco Lisboa , já defunto e sua mulher Ana Lemes, natural de Pouso Alto, batizada na matriz em março de 1786, neta pela parte paterna de Antonio Francisco Lisboa natural da Cidade de Lisboa e de Apolônia natural desta Freguesia e pela parte materna do Capitão Francisco Leme da Silva natural desta Freguesia e de Maria Leme natural da Vila de Guaratinguetá. Padrinhos Jose Álvares Pereira de Melo, solteiro e Ana Pereira de Melo casada. Assina o vigário Fortunato Gomes Carneiro.

 

          Francisco Nunes da Rosa era filho de José Nunes da Rosa e Maria Antunes de Jesus, fam[ília “Sebastião Leme de Brito”, neste site.

          Josefa Maria de Jesus e Francisco Nunes da Rosa tiveram, q.d.:

1-2-1 Ana Nunes de Jesus, batizada em 29-09-1814. Em 1827 pediu dispensa de consanguinidade “em terceiro grau misto de segundo - Pai do orador é irmão do avô da oradora” para se casar com Januário Garcia Pontes, filho de Salvador Nunes da Rosa e Rita Pedrosa da Silva, fam[ília “Sebastião Leme de Brito”, neste site.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - MG

POA -LPM - 06 - 1826 a 1827

13. Dispensa de impedimentos e licença de matrimonio

1827 - Oradores - Januário Garcia de Pontes e Ana Nunes de Jesus

Orador - Filho legitimo de Salvador Nunes da Rosa e de Rita Pedrosa da Silva. Batizado em 8 de abril de 1798 na matriz de Pouso Alto. Padrinhos João da Silva de Siqueira e sua mulher Margarida Pedrosa da Silva.

Oradora - Filha legitima de Francisco Nunes da Rosa e de Josefa Maria de Jesus Batizada em 29 de setembro de 1814. Padrinhos Joaquim Jose e Maria Antunes.

Consangüinidade em terceiro grau misto de segundo - Pai do orador é irmão do avô da oradora

 

 

Cap. 9º Felipe Rodrigues da Costa

 

Felipe, filho de Isabel Pedrosa, casou com Rita Cordeira. Pagou 4 oitavas de dízimos em 1751, em Bom Sucesso-Pouso Alto.

Foram seus filhos:

 

Ana Antonia da Luz

Francisco Rodrigues de Brito

Felipa Rodrigues

Maria Antunes de Brito

Francisca Antonia da Luz

 

 

1- Ana Antonia da Luz casou com Domingos Rodrigues Airão. Ana já era falecida em 1804 :

1-1 Francisca Ribeira da Luz, pediu licença para se casar em 1804 com José Francisco Leme, filho de José Francisco Lisboa e Ana Leme, nesta família Cap. 8º.

1-2 Maria Antonia da Luz, batizada em 1785 em Pouso Alto. Em 1800 requereu dispensa do impedimento de afinidade ilícita para se casar com Francisco Nunes da Rosa, batizado em Pouso Alto aos 07-06-1785, filho de Gaspar Garcia de Pontes e Maria de Jesus, família “Sebastião Leme de Brito”, neste site.

          Segundo declaração de Francisco na dispensa em 1800 eram dez os filhos do casal de seus pais, entre eles: - Salvador Nunes da Rosa, tutor dos órfãos filhos do irmão Francisco.

Processo Matrimonial - Campanha-MG - Livro Misto 1791

www.familysearch.org (record search pilot)

Francisco Nunes da Rosa e Maria Antonia da Luz

Autuação aos 29-08-1800

Impedimento de afinidade por copula ilicita em 2º grau simples misto de 1º pq:

- Francisca Antonia da Luz e Ana Antonia da Luz foram legitimas irmãs. Que desta Ana e Domingos Roiz Airão nasceu a oradora Maria Antonia da Luz por cuja causa é sobrinha em 2º grau de consanguinidade misto de 1º.

-Q o orador por fragilidade humana teve copula ilicita com Francisca Antonia da Luz, tia da oradora.

 

Querem se casar Francisco Nunes da Rosa, f.l. Gaspar Gracia de Pontes e Maria Nunes de Jesus, nascido e batizado nesta freg. de N. Sra da Conceição do Pouso Alto = com Maria Antonia da Luz, f.l. Domingos Rodrigues Airão e Ana Antonia da Luz, n/b na mesma freguesia. -

Jose Dutra da Luz, vigario encomendado da paroquial igreja da Conceição da Sra de Pouso Alto, revendo os livros dos assentos dos natizados a fls 26 o seguinte: Aos 11-06-1785 bat e pus os santos oleos a Francisco, f.l. Gaspar Garcia de Pontes e Maria de Jesus, foram padr.: Miguel de Lima e Teresa de Jesus; de que fiz este assento o Vig. Domingos Nunes Ferreira.

No Livro de Suplementos: No ano de 1785 nesta matriz da Conceição de Pouso Alto bat. e pos os santos oleos a Maria, f.l. Domingos Rodrigues Airão e Ana Antonia da Luz, foram padr.: Manoel Antonio de Brito, solteiro e sua irmã Maria Antunes, que por não achar assento abri este no livro do suplemento 07-06-1785 depois de informado das testemunhas Manoel Rodrigues de Freitas e Domingos Rodrigues Pouso Alto 27-08-1800 o Vig. Jose Dutra da Luz.

Não se continha mais (162) nos assento, que copiei dos livros aos quais me reporto. Pouso Alto 27-08-1800 o Vig. Jose Dutra da Luz

 

Depoimento dos contraentes:

Francisco Nunes da Rosa, f.l. Gaspar Gracia de Pontes, n/b na freg. do Pouso Alto, solteiro, de idade 16 anos. Tivera copula ilicita com uma tia da mesma contraente

Maria Antonia da Luz, f.l. Domingos Rodrigues Airão e Ana Antonia da Luz, n/b na freg. de Pouso Alto que aí sempre morara, solteira;

 

Testemunhas --  aos 02-08-1800 no Arraial de S. Gonçalo

- Jose Luiz Correa, homem branco, solteiro, 31 anos, n. da vila de Guaratingueta-SP e morador em Pouso Alto, q vive de seu negocio, aos costumes disse nada.

Q Francisca Antonia da Luz e Ana Antonia da Luz eram legitimas e inteiras irmãs por serem filhas de Rita Cordeira que ele testemunha perfeitamente conhecera. Q de Ana Antonia da Luz nasceu a oradora Maria Antonia da Luz por cuja causa é esta sobrinha em segundo grau consanguineo misto de 1º daquela Francisca Antonia da Luz. O orador Francisco Nunes da Rosa por fragilidade humana teve copula ilicita com aquela Francisca Antonia da Luz, tia em segundo grau misto de 1º da oradora e que da qual tivera dois filhos a qual ele testemunha conhecera sempre por filhos do dito orador e de Francisca Antonia da Luz.

- Manoel Jacinto de Gouveia, homem branco, solteiro, idade 21 anos n. do Pouso Alto e ai mesmo morador, q vive do seu trabalho de roça,

 

Depoimento dos oradores

Na Visitação de S. Excia, Reverendissiama (...) perguntado pelo itens da Pedição sabia pelo ver, que Francisca Antonia da Luz e Ana Antonia da Luz eram inteiras e legitimas irmãs por serem ambas filhas de Felipe Rodrigues e Rita Cordeira. Ao 2º disse que desta Ana Antonia da Luz e de seu marido Domingos Rodrigues Airão nasceu a oradora Maria Antonia da Luz que vinha a ser sobrinha de Francisca Antonia da Luz com quem estava ligada em segundo grau de consanguinidade misdo de primeiro; ao terceiro disse que ele por sua fragilidade tivera copula ilicita com a mencionada Francisca Antonia da Luz tia da oradora; ao quarto disse que ele orador se contratara para casar com a dita oradora sem que soubessem ambos do impedimento que tinham; que entre ele e a oradora nunca houvera copula sendo a oradora pessoa de vida honrada e

 

Q ele orador possuia apenas dois cavalos q ainda devia e q muito pouco lhe poderia caber da legitima de seus pais que só possuiam umas poucas terras sendo eles dez irmãos.(sinal de) Francisco Nunes da Rosa

 

Julgo habilitados a Francisco Nunes da Rosa, f.l. Gaspar Garcia de Pontes e Maria Nunes de Jesus = e Maria Antonia da Luz, f.l. Domingos Roiz Airão e Ana Antonia a Luz. Nts e bts na freguesia de Pouso Alto, no impedimento de 2º grau misto de 1º de afinidade. Vila da Campanha da Princesa aos 08-09-1800 Jacintho Ferr.ª dos Santos

 

Dizem Francisco Nunes da Rosa e Maria Antonia da Luz, nts e moradores na freg. de N. Sra da Conceição do Pouso Alto que eles obtiveram dispensa do impedimento com que se achavam ligados.

Francisco faleceu em 10-05-1820 e teve seu inventário aberto pela viúva em 21 de Junho do mesmo ano. Durante a inventariança, Maria Antonia casou segunda vez com Joaquim de Souza da Silva. Os órfãos foram tutelados pelo tio Salvador Nunes.

         Compareceram no inventário (neste site), alem dos quatro filhos legítimos, quatro filhos naturais tido com três mulheres, todas solteiras:

Filhos naturais:

1n-1 Antonio Nunes da Rosa com 25 anos em 1820, filho de Francisca Antunes. Provavelmente 5 abaixo.

1n-2 Maria Nunes da Rosa solteira com 20 anos, irmã inteira de Antonio. Em 1827 morava em Bom Sucesso.

1n-3 João Alberto (ou Gualberto), filho de Ana Maria de Freitas.

1n-4 Maria Francisca da Conceição, filha de Maria Madalena. Em 1820 estava casada com José Ferreira Leite

 

2- Francisco Rodrigues de Brito.

2-1 Francisco Antunes de Brito, com 20 anos em 1806, pediu dispensa para se casar com Rita Maria Ribeira, filha de Manoel da Costa Gonçalves e Maria Pinta Ferreira (Cap. 11º, 1-2).

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM - 02 - 1800 a 1812

Dispensa de Impedimento

1806 - Oradores - Francisco Antunes de Brito e Rita Maria Ribeira

Orador - solteiro, 20 anos mais ou menos;

Oradora - Solteira, 19 anos, vive de sua costura

Impedimento por consangüinidade em terceiro grau.

-O orador é neto de Felipe Rodrigues Costa, irmão de Jerônimo Rodrigues de Brito. E filho de Francisco Rodrigues de Brito que procede de seu avô Felipe da Costa.

-A oradora é neta de Jerônimo Rodrigues de Brito e filha de Manoel da Costa Gonçalves que procede de seu avô Jerônimo .

A oradora esta pejada e fugiu para casa de parentes.

 

3- Felipa Rodrigues, teve uma filha exposta em casa de Perpétua Rodrigues.

3-1 Francisca Antunes, batizada em 1789 na matriz de Pouso Alto. Em 1812 pediu licença para se casar com Inácio Rodrigues Gonçalves, irmão inteiro de Rita Maria (Cap. 11º, 1-4)

4- Maria Antunes de Brito casou com José Nunes da Rosa. Maria já era falecida em 1821 (dispensa da filha Gertrudes).

Comparar com a sogra do Cap. 8º, 1-2 é provável que Maria Antunes de Brito seja a mesma DE JESUS.

4-1 Gertrudes Maria do Espírito Santo, batizada por 1799. Em 1821 pediu dispensa de impedimentos para se casar com Felipe Rodrigues Pereira, filho de José Pereira de Almeida e Maria Rosa de Faria Cap. 1º, 1-3-1. Felipe era viúvo de Maria Ribeira Pinta Cap. 11º, 1-3.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM -04 - 1822 a 1823

Licença de matrimonio

1821 - Oradores - Felipe Rodrigues Pereira e Gertrudes Maria do Espírito Santo

Impedimentos de consangüinidade e afinidade,

Orador - Filho legitimo de Jose Pereira de Almeida e Maria Rosa de Faria, viúvo de Maria Ribeira Pinta, falecida em 17 de janeiro de 1821 e sepultada (Maria da Costa - sic), no adro da matriz  de Pouso Alto com 25 anos de idade.

Oradora - Filha legitima de Jose Nunes da Rosa e Maria Antunes de Brito, já falecida batizada no ano de 1799 mais ou menos com acento registrado no livro de suplementos da matriz de Pouso Alto.

 

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM -03 - 1813 a 1821

Dispensa de Impedimentos

1821- Oradores - Felipe Rodrigues Pereira e Gertrudes Maria

Orador - Viúvo de Maria Ribeira

Consangüinidade em quarto grau (em outra passagem terceiro grau) transversal igual como também outros parentescos(?)

 

5- Francisca Antonia da Luz teve tratos ilícitos com Francisco Nunes da Rosa, de cujo resultou dois filhos e a dispensa deste, por afinidade ilícita, para se casar com 1-2-1 supra: “Francisca Antonia da Luz e Ana Antonia da Luz eram legitimas e inteiras irmãs por serem filhas de Rita Cordeira.

          Segundo declaração de testemunha no dito processo:”O orador Francisco Nunes da Rosa por fragilidade humana teve copula ilicita com aquela Francisca Antonia da Luz, tia em segundo grau misto de 1º da oradora e que da qual tivera dois filhos a qual ele testemunha conhecera sempre por filhos do dito orador e de Francisca Antonia da Luz.”

 

 

 Cap. 10º - Fradique da Costa

(atualizado em 28-outubro-2009)

 

Fradique da Costa ou Manoel Fradique da Costa, filho de Isabel Pedrosa. Como testemunha em processo matrimonial de 1792 se declara branco, casado, natural de Pouso Alto, vive de lavoura e é mestre de ensinar meninos, com 69 anos de idade.

1792 - Oradores - Antonio da Silva Ribeiro e Joana Maria de Conceição

Testemunhas arroladas: -Manoel Fradique da Costa, branco, casado, natural de Pouso Alto, lavrador e mestre de meninos, 69 anos;

 

Entre julho e novembro de 1776 foi registrada a passagem de “Manoel Fradique” pelo registro da Mantiqueira - “Morador no Rio Verde em Pouso Alto”.

Manoel Fradique casou primeiro com Maria Moreira, falecida antes de 23-11-1757, data em que ele casou em segundas com Izabel Maria de Torres, natural de Carrancas, filha de João Rodrigues do Prado e Ana Vaz Cardosa, família “João Rodrigues do Prado”, neste site.

B7: casamentos Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 23-11-1757 Manuel Fradique da Costa Leme, n. freg. Pouso Alto, f.l. Bento da Costa Preto e Izabel Pedrosa de Brito, e viuvo que ficou de Maria Moreira; = cc Isabel Maria de Torres, n. desta freguesia, f.l. João Rodrigues do Prado e Ana Vaz Cardosa, moradores e fregueses desta.

 

Manoel teve filhos dos dois leitos que se mudaram para Resende-RJ onde encontramos:

 

Filhos com Maria Moreira:

 

1- Vicente Ferreira da Costa, natural de Pouso Alto-MG, em Resende-RJ aos 10-07-1778 casou com Maria de Souza, natural de Aiuruoca, filha do falecido João de Souza e Leonor Fernandes.

10-07-1778 na matriz de Campo Alegre, pelo Vig. Henrique Jose de Carvalho. Vicente Ferreira, n/b na freg. de N.S. da Conc. Pouso Alto, f.l. de (Manoel) Fradique da Costa e de Maria Moreira; = cc. Maria de Souza, n/b freg. de N.S. da Conc. de Aiuruoca, f.l. de João de Souza, já defunto e de Leonor Fernandes (Acervo Itamar Bopp - ficha 0138v).

Entre seus filhos:

1-1 Joana Maria da Conceição (ou de Jesus), natural de Resende. Em Campanha em 1800 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 3º grau para se casar com Joaquim Caetano Maciel, filho do Capitão Caetano Ferreira da Costa e Josefa Maria da Fonseca. Nesta família Cap. 6º.

 

2- Bernarda Francisca de Jesus, natural de Pouso Alto, em Resende-RJ aos 21-10-1777 casou com Ângelo Alves de Almeida, filho de Antonio Alves de Almeida e Inácia Tavares.

21-10-1777 na freg. de N.S. da . do Campo Alegre, pelo padre Jose Lopes de Oliveira. Angelo Alves de Almeida, viúvo de Anna Gomes; = casou-se com Bernarda Francisca de Jesus (Costa), n. e bat. freg. de N.C. de Pouzo Alto, f.leg. de Manoel Fradique da Costa e Maria Moreira, já defunta, Test.: Manoel Alves Vidal e Antonio Teixeira da Fonseca. (Acervo Itamar Bopp - ficha 0014)

 

          Ângelo era viúvo de Ana da Silva Ribeiro, casados em Resende em 12-02-1774, filha de Bartolomeu Dias Sodre e Romana Gomes Barbosa.

12-02-1774 na matriz do Campo Alegre, pelo vig.º Henrique Jose de Carvalho. Angelo Alves de Almeida, n. e bat. na freg. de Baependi do Montesserat, f.leg. de Antonio Alves de Almeida e de Ignacia Tavares de Almada (?); = casou-se com Ana (Gomes) da Silva Ribeiro, n. e bat. freg. de N. S. das Congonhas do Campo, f.leg. de Bartholomeu Dias Sudré e de Romana Gomez Barboza. (Acervo Itamar Bopp - ficha 0010)

 

3- Izabel Pedrosa, natural de Pouso Alto, em Resende aos 04-01-1776 casou com Euzebio Ferreira (da Silva), filho de Mariano Ferreira e Joana Antunes de Oliveira

04-01-1776 matriz de Campo Alegre, pelo Vig. Henrique Jose de Carvalho.  Euzébio Ferreira (da Silva) n/b na freg. de N.S. da Piedade, SP, f.l. de Mariano Ferreira e de Joanna Antunes de Oliveira; = cc. Izabel Pedrosa, n/b freg. de N.S. do Pouso Alto, f.l. de Fradique da Costa (Manoel) e de Maria Moreira (Acervo Itamar Bopp - ficha 0133)

 

 

Filhos de Manoel Fradique com a segunda mulher Izabel Maria, q.d: 

 

4- José Maria “de Fradique da Costa irmão de Bernarda Francisca procedeu Jose Maria e deste Isabel Maria e desta Ana Teresa oradora”:

1-1 Isabel Maria

1-1-1 Ana Teresa, em 1814 com 15 anos mais ou menos, pediu dispensa para se casar com Inácio Rodrigues Pinto, natural de Sorocaba-SP, filho de Isabel Rodrigues (Cap. 6º, 4-1-1).

 

5- Vicente da Costa Preto casou com Maria Antonia. Tiveram q.d:

5-1 Antonio Rodrigues Silva, batizado em 1793. Com 21 anos em 1814 pediu licença para se casar com Iria Maria de Jesus, viúva de Manoel Rodrigues Pinto (ou Manoel da Costa) Cap. 11º, 1-1.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM -03 - 1813 a 1821

Dispensa de Impedimentos e licença de matrimonio

1814 e 1815 - Oradores - Antonio Rodrigues Silva e Iria Maria de Jesus

Impedimento de consangüinidade  em terceiro grau com o primeiro marido da oradora

Orador - Tem 21 anos. Foi batizado em 1793 mais ou menos, filho de Vicente da Costa Preto e de Maria Antonia , Vicente é primo irmão de Manoel da Costa que foi pai de Manoel Rodrigues Pinto, primeiro marido da oradora Iria.

Foram padrinhos do orador Manoel Fradique da Costa e Dona Josefa mulher do Alferes Domingos Martins.

-Jerônimo da Costa, pai de Manoel da Costa foi irmão de Manoel Fradiques pai de Vicente da Costa Preto.

Oradora -  tem 23 anos, ficou viúva de Manoel Rodrigues Pinto (em outra parte do processo Manoel da Costa). Vive de esmola em casa de uma irmã.

 

6- Bento Ribeiro (da Costa), natural de Pouso Alto, em Resende aos 20-05-1792 casou com Angélica Vaz da Silva, natural de Baependi, filha de Inácio Vaz da Silva e Maria Clara.

20-05-1792 na Matriz de Campo Alegre. Bento Ribeiro (da Costa) n/b na Vila de Pouso Alto, f.l. de Manoel Fradique da Costa e Izabel Maria; = cc. Angelica Vaz da Silva, n/b na freg. de Monteserrate do Baependi, f.l. de Ignacio Vaz da Silva e Maria Clara (acervo Itamar Bopp ficha 0548)

6-1 João, batizado aos 26-03-1797.

26-03-1797 Joam, n. 19-03, f.l. de Bento Ribeiro (da Costa), n. Pouso Alto e Angelica Vaz, n. Baependi; np Manoel Fradique da Costa, n. Pouso Alto e Izabel Maria, n. de Nazareth Bispado de Mariana-MG; nm Ignacio Vaz, n. Taubaté e Maria Clara (Vaz), n. Aiuruoca. Padr.: Tomaz Francisco e Teresa Maria. Bat. em Resende pelo Vig. Francisco Xavier de Tolledo (acervo Itamar Bopp ficha 0475)

 

 

 

Cap. 11º Jerônimo Rodrigues de Brito

Filho de Bento da Costa Preto, sem comprovação de qual leito

(atualizado em 11-janeiro-2015)

 

 

Jerônimo Rodrigues de Brito ou da Costa, em processo matrimonial de 1792 se declara: branco, casado, natural de Pindamonhangaba, morador em Pouso Alto há 50 anos, com idade de 66 anos

1792 - Oradores - Antonio da Silva Ribeiro e Joana Maria de Conceição

Testemunhas arroladas: -Jerônimo Rodrigues, branco, casado, natural de Pindamonhangaba mora em Pouso Alto a 50 anos. Lavrador, 66 anos de idade;

 

Jerônimo foi casado com Izabel da Costa Cardosa. Teve, pelo menos:

Manoel da Costa Gonçalves

Leandro José Rodrigues

Antonio Pedroso Ribeiro

Joana Maria Rodrigues

 

1- Manoel da Costa Gonçalves casou com Maria Pinta Ferreira (ou de Carvalho). Manoel já era falecido em 1811 (dispensa da filha Maria).

1-1 Manoel Rodrigues Pinto (ou Manoel da Costa) casou com Iria Maria de Jesus. Manoel faleceu com 30 anos em 01-01-1810 em Capivari, mordido por uma cobra.

-Acento - Livro de óbitos - a primeiro de janeiro de 1810 foi sepultado no adro da Capela do Capivari Manoel da Costa, marido de Iria Maria de Jesus, morreu mordido de uma cobra, tinha 30 anos de idade e foi encomendado pelo padre Custodio Ribeiro de Carvalho.

 

          Em 1814 Iria pediu dispensa para se casar com Antonio Rodrigues Silva, filho de Vicente da Costa Preto e Maria Antonia Cap. 10º, 2-1.

 

1-2 Rita Maria Ribeira, em 1806 com 19 anos, pediu licença para se casar com Francisco Antunes de Brito, filho de Francisco Rodrigues de Brito Cap. 9º, 2-1.

1-3 Maria Ribeira Pinta (ou da Costa), em 1811 pediu dispensa para se casar com Felipe Rodrigues de Almeida (ou Pereira), filho de José Pereira de Almeida e Maria Rosa de Faria. (Cap. 1º, 1-3-1). Maria faleceu em 17-01-1821 com 25 anos. Felipe viúvo pediu licença para se casar com Gertrudes Maria em 1821. Cap. 9º, 4-1.

1-4 Inácio Rodrigues Gonçalves, batizado em Capivari em 1789. Em 1812 pediu licença para se casar com Francisca Antunes, filha natural de Felipa Rodrigues Cap. 9º, 3-1.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM - 02 - 1800 a 1812

Dispensa de Impedimentos e Licença

1812- Oradores - Inácio Rodrigues Gonçalves e Francisca Antunes

Orador - Filho legitimo de Manoel da Costa, já falecido e de Maria Pinta, natural de Capivari, registrado seu batismo no livro de suplementos - no ano de 1789 , sendo padrinhos....Glz. Xavier e Rita Gonçalves. Assina o padre Luis Gonzaga Ribeiro.

Oradora - Exposta em casa de Perpétua Rodrigues Cid, viúva que ficou de Felix Pereira de Almeida, declarada filha natural de Felipa Rodrigues . Batizada na matriz de Pouso Alto em 1789 . Foram padrinhos Felipe....Almeida e Perpétua Rodrigues Cid.

Impedimento de consangüinidade em terceiro grau transversal igual.

-Os Avós dos oradores chamados Jerônimo Rodrigues e Felipe Rodrigues foram ambos filhos de Bento da Costa Preto, procedendo de Jerônimo Rodrigues avô do orador, Manoel da Costa assim como procede de Felipe Rodrigues irmão de Jerônimo Rodrigues , Felipa Rodrigues mãe da oradora.

 

1-5 Francisca Ribeira de Almeida, batizada por 1794, em 1817 pediu dispensa para se casar com Joaquim Pereira de Almeida, filho de José Pereira de Almeida e Maria da Rosa. (Cap. 1º, 1-3-2).

 

2- Leandro José Rodrigues, natural de Pouso Alto-MG. Em Carrancas aos 02-11-1780 casou com Josefa Maria da Conceição (ou Ribeira), natural de Congonhas do Campo-MG e filha de Francisco de Araújo e Francisca Ribeira do Amaral.

B7: Campanha-MG - casamentos - aos 02-11-1780 matriz, Leandro Jose Rodrigues, f.l. de Jeronimo Rodrigues de Brito e Izabel da Costa Cardoza, n/b na freguesia de Pouso Alto; = Josefa Maria da Conceição, f. de Francisco de Araujo e Francisca Ribeira do Amaral, n/b nas Congonhas do Campo deste bispado.

Pais de, q.d.:

2-1 Antonio, batizado em 25-03-1780.

Campanha, MG aos 25-03-1780 nesta matriz bat a Antonio nascido de dez dias, f.l. de Leandro Jose Rodrigues n. de Pouso Alto e de Josefa Maria da Conceição, avos patenos Jeronimo Rodrigues e Isabel da Costa, maternos Franciso de Araujo e Francisca Ribeira. A dita mãe natural das Lavras do Funil. Foram padrinhos Silvestre Jose Ramos e Ana Maria de Jesus, filhos do Furriel Manoel Jose Ramos.

2-2 Jerônimo Rodrigues de Brito, batizado no Capivari em 1783, em 1811 pediu licença para se casar com Isabel Antunes Vieira, nascida em Sorocaba-SP, filha de Antonio Pedroso Ribeiro e Maria Antunes Vieira 3-1 abaixo.

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - POA -LPM - 02 - 1800 a 1812

Dispensa de Impedimentos e Licença

1811- Oradores - Jerônimo Rodrigues de Brito e Isabel Antunes Vieira

Orador - Filho legitimo de Leandro Jose Rodrigues e Josefa Maria Ribeira, natural e batizado na Capela do Capivari em agosto de 1783, na matriz de Pouso Alto, padrinhos Jerônimo Rodrigues de Brito e Isabel da...Cardosa.

Oradora - Filha legitima de Antonio Pedroso Ribeiro e Maria Antunes Vieira, natural da Vila de Sorocaba-SP de onde veio para Pouso Alto com 3 anos e 5 meses.

Testemunha -

-Antonio Mendes da Silva - branco, casado, lavrador, 64 anos, natural de Pouso Alto. Diz que os pais da oradora tinham ido a Vila de Sorocaba a negocio e a menina foi batizada pelo vigário daquela Vila Antonio Teixeira, Foram padrinhos Jose Pedro da Fonseca seu primo irmão e Maria Antunes Vieira sua cunhada.

- Pedro Antunes Maciel, branco, casado, lavrador, 39 anos, natural de Sorocaba onde morou por 28 anos e depois se passou a Pouso Alto onde vive a 11 anos.

Impedimento - O orador é primo irmão da oradora, porquanto Leandro Jose Rodrigues é irmão do pai da oradora Antonio Pedroso Ribeiro procedendo ambos de Jerônimo Rodrigues de Brito.

 

3- Antonio Pedroso Ribeiro casou com Maria Antunes Vieira: Comparar com Maria Antunes Vieira do Cap. 6º, 1-2-2

3-1 Isabel Antunes Vieira, batizada em Sorocaba-SP onde seu pai estava a negocio. Em 1811 pediu licença para se casar com Jerônimo Rodrigues de Brito 2-2 acima.

 

4- Joana Maria Rodrigues, natural de Pouso Alto-MG, casou com Domingos Leme Cabral, natural da freguesia da Piedade-SP e filho de João de Souza Cabral e Maria da Luz de Jesus. Pais de, q.d.:

4-1 João, batizado em Campanha-MG em 12-07-1761.

B7 Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 12-07-1761 João, f.l. Domingos Leme Cabral n. da Piedade freguesia do Bispado de S.Paulo e Joana Maria n. da freg. de Pouso Alto deste bispado, npaterno(sic) Hieronimo Rodrigues e Izabel da Costa, materno(sic) de João de Souza Cabral e Maria da Luz de Jesus, padr.: Bernardo da Cunha Cobra, casado e Maria Nunes, solteira filha de Januaria Nunes de Gouvea.

4-2 Jerônimo, em 08-09-1763.

B7 Batismos - Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 08-09-1763 Jeronimo, f.l. Domingos Leme Cabral n/b da freg. da Piedade do bispado de S. Paulo e Joana Maria Rodrigues n/b na freg. de Pouso Alto deste bispado, np João de Souza Cabral, defunto e Maria da Luz de Jesus, maternos Jeronimo Rodrigues de Brito e Izabel da Costa. Padr.: L.do Antonio Pedroso de Brito Leme e Joana Maria filha de Jose Correa.