PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

Bento Pinto de Magalhães

(atualizado em 26-novembro-2012)

 

 

Regina Moraes Junqueira

 

 

Bento Pinto de Magalhães, tronco de muitas famílias sul mineiras, nasceu na freguesia de São Salvador do Moure, Concelho e Comarca de Felgueiras, no lugar de Argonda em 6 de setembro de 1716, filho legítimo de Bento Pinto e Senhorinha Ribeiro. Foi batizado no dia seguinte pelo Padre Manoel Dias de San Payo, tendo por padrinhos seus tios, Amador Pinto e Catarina Fonseca.

Livro de Batismos de São Salvador do Moure, 1707-1723

Bento filho legitimo de Bento Pinto de Magalhães e de sua molher Senhorinha da Fonseca, moradores no logar de Argonda desta freguesia de Salvador do Moure, nasceo a seis dias do mês de Setembro do ano de mil setesentos e dezeseis e foi batizado aos sete dias do mesmo anno e mes nesta Igreja por mim o Padre Manoel Dias e foram padrinhos Amador Pinto do logar de Moinhos e Catarina Fonseca solteira filha de Margarida Francisca veuva moradores do logar de Outeiro e ambos tios do batizando e desta freguesia e por verdade fiz este asento era ut supra.

+ de Amador Pinto            Pe Manoel Dias de San Payo

 

 

ASCENDÊNCIA de Bento Pinto de Magalhães

 

 

BENTO PINTO DE MAGALHÃES NO BRASIL

(atualizado em 29-outubro-2010)

 

 

Em data ignorada e ainda bastante moço, Bento Pinto de Magalhães deixou em Portugal a mãe, irmãos, tios, primos e sobrinhos e imigrou para o Brasil, dirigindo-se para as minas.

Com ele ou depois dele veio também seu irmão Antonio Pinto de Magalhães. Tinham cá outros parentes, como o Padre Antonio de Afonseca que aqui faleceu (em 24 de janeiro de 1751 chegava a Portugal a notícia de sua morte). Tinha deixado por herdeira sua irmã Maria de Afonseca, moradora no lugar de Argonda. (Livro de Óbitos da Matriz de São Salvador do Moure)

Aos 38 anos e ainda solteiro, Bento fez seu testamento em 21 de janeiro de 1754. (Testamento neste site). Já então corria o inventário de seu irmão Antonio que falecera no Brasil aos 33 anos em 10-05-1753, recomendando que se rezassem missas por sua alma na Matriz de Moure. Por esta razão mereceu um termo de óbito em sua terra natal. Faleceu sem geração, pelo que ficou por herdeira sua mãe, Senhorinha Ribeiro. (Livro de Óbitos da Matriz de São Salvador do Moure).

Em 22 de maio de 1755, aos 39 anos, Bento casou em São João del Rei, na Matriz do Pilar, com Maria do Rosário Accioli de Albuquerque.

Em 16-01-1758, na Capela de Carrancas, juntamente com Caetano Carvalho, foi testemunha do casamento de seu conterrâneo João Francisco Junqueira com Helena Maria do Espírito Santo, casal que deu início à família Junqueira. (Assento junto ao inv. de João Francisco Junqueira, neste site)

Caetano e Bento nasceram no mesmo Vale do Souza, em concelhos vizinhos e a poucos quilômetros de distância.

Bento faleceu aos 50 anos, em 21-03-1766 na vila de São João del Rei, com inventário aberto em 19 de abril de 1766. (Inventário neste site)

Morava na rua Direita, em casa assobradada em frente à Matriz do Pilar, avaliada em 3:200$000, vizinha a do Capitão Manoel Antunes Nogueira. Esta casa, pela avaliação que mereceu, parece ter sido a maior e melhor de seu tempo. Além desta possuía muitas outras, conforme constou de seu inventário, bem como sítios e terras minerais.

A fazenda principal ficava em São Gonçalo do Brumado (Caburu), avaliada em 2:700$000. Nesta fazenda tinha casa assobradada, assoalhada, engenho de cana, casas de farinha, senzala, paiol, moinhos e 31 escravos. Estas terras eram vizinhas às do Alferes Antonio Ribeiro da Silva.

Maria do Rosário foi a inventariante do marido e no processo aparece como Maria do Rosário Achiol ou Achior de Albuquerque. Também se grafou “Achior” no termo de casamento de sua filha Ana Josefa.

Casou segunda vez com Manoel Leite de Freitas, de quem não teve filhos. Manoel era natural da Freguesia de Margueride, distrito de Felgueiras, a cuja Padroeira Bento Pinto de Magalhães legou uma deixa, por ser vizinha e muito próxima a sua terra natal (menos de 3km).

Livro de Casamentos da Matriz do Pilar – filme 1285503

Aos dez dias de Junho de mil setecentos e noventa e dois nesta Capella ...nhora das Dores de Dona Josefa da Conceição do Rego pelas quatro para as cinco horas da tarde feitas as canônicas diligêrncias sem se descobrir impedimento algum como consta da Provisão do Reverendo Doutor Vigário da Vara desta Comarca em presensa ..... Capitão Gonçalo Ferreira de Freitas, o Capitão Luiz Cardoso ... o Reverendo Doutor Antonio Caetano de Almeida Villas Boas ... Apostólico de Sua Santidade, Vigário Collado nesta Freguesia administrou o Sacramento do Matrimonio que por palavras de prezente celebr... o Capitão Manoel Leite de Freitas filho legitimo de Manoel Leite ..... e de Joana de Freitas natural e batizado na Freguesia de Santa Eulália de Margueride do Arcebispado de Braga e Dona Maria do Rosário Achiolly de Albuquerque viúva que ficou de Bento Pinto de Magalhães, filha legítima do Sargento Mor Francisco do rego barros e de Dona Arcângela Furquim da Luz Pedroza natural e batizada na Freguesia de Aiuruoca e para constar fiz este assento.

O Coadr Joaquim Pinto da Silveira

 

Esse segundo casamento foi por contrato de arras. Nele os cônjuges não eram meeiros e era vedada a venda ou comprometimento dos bens da mulher pelo marido. Este deveria ainda separar uma terça de seus próprios bens para a mulher, em caso de falecimento, e também estes bens não podiam ser comprometidos.

Manoel fez seu testamento em 28-12-1818, no qual cita o Reverendo Manoel Leite de Carvalhais como seu sobrinho. Maria já era então falecida, conforme o mesmo testamento. Como seu sócio e enteado Francisco, não deixou muitos bens de raiz: apenas uma sorte de terras nas lavras de Goiazes. (inventário neste site)

 

Do inventário de Bento Pinto de Magalhães constam os seguintes filhos:

 

1- Maria Josefa de Magalhães, então com dez anos. Casou em 26 de janeiro de 1774 na Matriz do Pilar com o Furriel José Alves Magalhães, natural de Santo Antonio de Itaverava, filho de Caetano Alves de Magalhães e Izabel da Silva. Foram testemunhas Dr. Francisco Carneiro Pinto de Magalhães e o Alferes Caetano Alves de Magalhães. Família “Caetano Alves de Magalhães e Araújo”

          Maria Josefa faleceu aos 31-12-1809, com testamento redigido aos 28 do mesmo mês e ano, neste site, e nele fez a seguinte declaração:

“Declaro que sou natural e batizada na Matriz desta vila, filha legítima de Bento Pinto de Magalhães e de D. Maria do Rosário Alchior de Albuquerque e declaro que fui casada com o falecido Capitão José Alves de Magalhães...”

 

B7: Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, aos 26-01-1774 matriz, Furriel Jose Alves de Magalhães, f. Caetano Alves de Magalhães e D. Izabel da Silva, n/b na freg. Santo Antonio da Itaverava desta comarca; = cc. D. Maria Josefa de Magalhães, f.l. Bento Pinto de Magalhães e D. Maria do Rosario Achiol e Albuquerque, n/b nesta dita freguesia

 

          Deixou a terça e as casas em que morava para suas duas filhas solteiras, por viverem em sua companhia e “pelos bons serviços que tenho recebido....em minha prolongada moléstia”. Seu inventário foi aberto em São João del Rei aos 16-02-1810 por seu filho José Alves de Magalhães. Nele foram arrolados os seguintes filhos:

 

1-1 Maria Custódia de Avila, casada com o Quartel Mestre José Teixeira Coelho

1-2 Mecias, 32 anos, solteira

1-3 José Alves de Magalhães, alferes, solteiro com 30 anos. José Alves de Magalhães e Araújo casou com Bárbara Generosa das Virgens, natural de Prados, filha do Alferes Joaquim de Freitas Almada e Constantina Inácia de Jesus.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - Lagoa aos 12-05-1816(?) Alf. Jose Alves de Magalhaens e Araujo, f.l. do Cap. Joze Alves de Magalhaens e D. Maria Josepha de Magalhaens, n/b na freguesia de S. João del Rei = D. Barbara Generosa das Virgens, f.l. do Alf. Joaquim de Freitas Almada e D. Constantina Ignacia de Jesus, n/b na freguesia de Prados.

1-4 Ana Josefa de Magalhães casou aos 13-01-1804 com José Caetano de Paiva, ou Ribeiro da Gama como aparece em seu termo de casamento.

Capela de Nossa Senhora das Mercês desta Vila de São João de El Rey, aos 13-01-1804,: José Caetano Ribeiro da Gama, filho leg. de Manoel de Paiva Muniz e Luiza Ribeiro de Almeida, com Ana Josefa da Conceição, filha leg de José Alves de Magalhães e Maria Josefa de Magalhães.

 

          José era filho de Manoel de Paiva Moniz e Luiza Ribeiro de Almeida, casados em 12-06-1769 ele natural de Tiradentes e ela de São João del Rei, neto paterno Luiz de Almeida Ramos e Helena Josefa da Gama, neto materno de Lourenço Ribeiro de Brito e Quitéria Correa de Almeida.

RMJ - Capela de São Miguel do Cajuru - Aos 12-06-1769, Manoel de Paiva Moniz, nascido e batizado na Freguesia de Santo Antonio da Vila de São José, filho leg. de Luiz de Almeida Ramos e Helena Josefa da Gama, já defuntos = Luzia Ribeira de Almeida, natural da freguesia de Nossa Sra do Pilar da Vila de SJDR, filha leg de Lourenço Ribeiro de Brito, já defunto e Quitéria Correa de Almeida. Celebrante: Pe Gonçalo Ribeiro de Brito.

 

          Alferes José Caetano de Paiva faleceu aos 09-01-1814 na Aplicação do Cajuru onde o casal vivia  e onde possuiam a 6ª parte da fazenda de mesmo nome.

          A viúva viveu ainda muitos anos em companhia de seu filho João Evangelista, de quem foi usufrutuária e a quem sobreviveu.

          Ana Josefa foi inventariada em 1868 por seu neto Antonio Caetano de Magalhães. Como possuía apenas o usufruto da terça deixada por seu filho João Evangelista, foram seus herdeiros os filhos deste.(inventário neste site)

          No inventário de José Caetano (neste site) foram arrolados três filhos:

1-4-1 José, com pouco menos de 10 anos

1-4-2 João Evangelista de Magalhães, com 8 anos mais ou menos em 1816. Foi comerciante em São João del Rei, onde deixou grande quantidade de “fazendas secas (tecidos) que valeram mais de dezesseis mil réis, valor similar ao de quatro casas que deixou na mesma vila, duas delas assobradadas. Nunca se casou mas reconheceu seis filhos havidos de duas mulheres, cinco reconhecidos por escritura pública aos 11-08-1848, e o caçula em testamento.

         João Evangelista faleceu aos 15-10-1860 em Baependí deixando por herdeiros seus filhos e o usufruto da terça à sua mãe e à Ana Joaquina das Chagas, mãe de alguns de seus filhos.(inventário e testamento neste site)

1-4-2-1 Mecias Evangelista de Magalhães. Casou aos 28-01-1854 com Herculano José da Rocha Maia, inventariante do sogro. Fez sociedade com seu cunhado Antonio Caetano para dar continuidade ao comércio de secos, molhados e mais gêneros. Em 1875 o casal passou uma procuração na Cidade de Barbacena. Analisando os termos do testamento paterno e as certidões de batismo contidas no inventário, Mecias não seria filha de Ana Joaquina das Chagas.

RMMJ: Paroquia de SJDR - Casamentos - Aos 28-01-1854, Herculano José da Roxa Maia, filho legitimo de Luiz José da Roxa Maia e D. Thereza L--- da Silva = Mixias Evangelista de Magalhães filha legitima (sic) de João Evangelista de Magalhães. Nota: não consta o nome da mãe

 

1-4-2-2 Ana Izabel de Magalhães Lara, casada com Theófilo Gonçalves de Lara, provavemente irmã uterina de Mecias supra. Em 1861 moravam na Fazenda do Mosquito, termo da Vila de São João del Rei.

1-4-2-3 Antonio Caetano de Magalhães, filho de Ana Joaquina das Chagas, nascido aos 23-02-1843 e batizado aos 06-05 na Igreja Matriz do Pilar. Em 1877 era morador na Cidade do Turvo, onde passou uma procuração a seu irmão caçula.

1-4-2-4 Maria do Carmo de Magalhães, com 16 anos em 1860. Casou aos 15-11-1862 com Silvestre Avelino dos Santos, filho natural de Clara Custódia de Jesus, morador em São João del Rei. Em 1875 vivia em Resende.

RMMJ: Paróquia de São João Del Rei - Matrimônios, Silvestre Avelino dos Santos, filho natural de D. Clara Custodia de Jesus = Maria do Carmo Magalhães, filha de João Evangelista de Magalhães (não consta a mãe). Matriz - 15-11-1862

 

1-4-2-5 Virgínia Augusta de Magalhães, tutelada de Custódio Nogueira da Costa. Casou aos 14-05-1864 com José Cândido de Souza Pereira, negociante estabelecido em São João del Rei, filho de Manoel Pereira e Mecias Rosa do Sacramento.

RMMJ: Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, José Candido de Souza, natural de Santa Rita, f de Manoel Pereira e D. Micias Roza do Sacramento = Virginia Augusta de Magalhães, filha legítima (sic) do Major João Evangelista de Magalhães (não consta a mãe). Matriz - 14-05-1864

 

1-4-2-6 Paulo Augusto de Magalhães, rebatizado na Igreja de Nossa Senhora do Pilar de São João del Rei, filho de Ana Joaquina das Chagas. Havia antes sido batizado “em perigo” pelo Padre Bernardino de Souza Caldas. Foi tutelado de seu cunhado José Cândido para quem trabalhou em sua casa comercial recebendo 200$000 por ano.

 

1-4-3 Mecias com pouco menos de 5 anos

 

1-5 Caetano Alves de Magalhães, curador de seu cunhado José Teixeira Coelho. Casou aos 07-03-1803 ato julgado nulo e revalidado em 04-09 do mesmo ano, com Escolástica Joaquina Ludovina de Gouvea, natural da Campanha, filha do Ten. Paulo da Costa Teixeira e Maria Teresa Angélica de Gouvea.

Santana do Sapucaí, MG matr. aos 04/Set/1803, nesta Matriz, C aetano Alves de Magalhães, nat. de São João del Rei, f. do Capitão José Alves de Magalhães e de D. Maria Josefa da Conceição; c.c. Escolástica Joaquina Ludovina de Gouveia, nat. de Campanha, f. do Tenente Paulo da Costa Teixeira e de D. Maria Teresa Angélica de Gouveia. Por se julgar nulo o matrimônio que os mesmos tinham contraído a Sete de Março do mesmo ano, e alcançando-se a licença do Vigário de São João del Rei,  e do da Campanha, por terem nesta ainda pouca residência. TT: João Antônio Soares e Domingos Antônio Soares. O Vigr° João Alvares Botão.

Caetano, viúvo, faleceu com testamento aberto aos 25-07-1855. Sem geração instituiu herdeira a Blandina Carolina de Paula.

CAMARA MUNICIPAL DE CAMPANHA - MG

Centro de Memoria Cultural do Sul de Minas

CPA 04, Testamentos - Campanha da Princesa 1854-1871;

Registro do testamento com que faleceu o Advogado Caetano Alves de Magalhães a 25-07-1855 de quem é testamenteira Blandina Carolina de Paula.

Eu, Caetano Alves de Magalhães, f.l. de Jose Alves de Magalhães e Maria Josefa de Magalhães, n. de S. João del Rei. Fui cc. Escolastica Joaquina de cujo matrimonio não tivemos filhos alguns nem eu os tive até o estado presente e por isso não tenho até esta data herdeiros alguns forçados que direito tenha em meus bens por meus pais já terem falecido há muitos anos.

Testamenteiros: 1º a Sra. Balandina Carolina de Paula conjuntamente com seu filho Ignacio Alves Gomes Midones, 2º o Coronel Antonio Caetano Pereira em um só corpo, 3º o Sargento Mor Domingos Ferreira Lopes.

(...) meus livros, meu relogio, um par de pistolas (...) que tudo deixo a meu testamenteiro Ignacio Alves Gomes Midones. (...) todos os mais trastes em que durmo é de minha testamenteira, não possuo trastes alguns. Declaro que a casa em que moro pertence a minha testamenteira por sua vida e por sua morte passará a Casa da Misericórdia desta cidade.

Devo a Maria da Conceição da Senhora uma quantia que minha testamenteira pagara por uma quantia que tenho de receber de Antonio Caetano e de Domingos Ferreira Lopes e da casa em que mora Antonio Gomes da Costa, que tera preferencia a outro qualquer, o que dou a meu primeiro testamenteiro e no caso que chegue para meus credores estas tres dividas.

(...) se cobre a Domingos Moreira de Vasconcellos a divida que esta devendo de 500$000 réis cujos papeis estão com o Alferes João Percidonio que há de entregar os mesmos.

(...) possuo em S. João del Rei duas moradas de casas, uma pertencente a Maria Vecencia que lhe dei para morar, outra que foram de minha avó, de sobrado grande e boa, que nelas tenho quatro partes que foram uma minha por herança outra que comprei de meu cunhado Jose Caetano, outra de meu mano Estevão e que foi de meu mano Manoel as quais deixo para a mesma Santa Casa de Misericordia de S. João del Rei, e a mesma deixo a que Maria Vicencia esta desfrutando, porem depois de sua morte, passara a Casa de Misericordia desta cidade (...)

Deixo a minha testamenteira a parte que tenho na Fazenda e divida que me deve Manoel Antonio da Silva (...) na mesma Alagoa.

(...) deixo a minha testamenteira por minha universal herdeira de todos os meus bens (...).

Cidade da Campanha 29-05-1855 Caetano Alves de Magalhães

Aprovação: 29-05-1855

Abertura: 25-07-1855

Aceitação: 06-08-1855 Blandina Carolina de Paula

Codicilio: aos 23-06-1855 aprovado em 23-06-1855 Caetano Alves de Magalhães.

 

1-6 Mariana Josefa, 22 anos, solteira

1-7 Manoel Alves, solteiro, 20 anos. Manoel Alves de Magalhães faleceu solteiro em 1825, com testamento redigido na vila de SJDR, em casa de seu irmão Luiz Alves de Magalhães, transcrito no livro da Matriz da mesma vila. Nele declarou seu estado e filiação e nomeou por testamenteiros, pela ordem, os irmãos: João Alves de Magalhães, Caetano Alves de Magalhães e João Batista de Magalhães. Sem descendência declarada.

1-8 Luiz Alves de Magalhães, 19 anos, solteiro. Casou aos 06-07-1819 com sua prima Maria do Rosário, filha de Manoel Alves Franco e Ana Gertrudes de Magalhães, 4 abaixo.

B7: SJDRei, aos 06-07-1819 matriz, Luiz Alves de Magalhaens, f.l. do Cap. Jose Alves de Magalhaens e D. Maria Josefa de Magalhaens; = cc. D. Maria do Rosario, f.l. Alf. Manoel Alves Franco e D. Ana Gertrudes de Magalhaens. Nts/bts e moradores nesta.

          Maria do Rosário faleceu em São João Del Rei aos 01-11-1839 com 42 anos de idade. No ano seguinte Luiz compareceu no censo de São João Del Rei com 50 anos de idade.

RJ: SJDRei- Matriz- Óbitos: Aos 01-11-1839 nesta cidade de S. João del Rei fal. D. Maria do Rosario, branca, mulher do Cap. Luiz Alves de Magalhães, idade 42 anos.

 

Relação nominal dos habitantes do Distrito da Cidade de São João Del Rei - 1840

Primeiro quarteirão, fogo 61

LUIS ALVAREZ DE MAGALHAES; chefe do fogo; branca; 50; viúvo; negociante

JOAO ALVAREZ DE MAGALHAES; filho; branca; 20; solteiro; negociante

FRANCISCO ALVAREZ DE MAGALHAES; filho; branca; 17; solteiro;

MARIA; filho; branca; 14; solteiro;

HERCULANO; filho; branca; 7; solteiro;

 

1-9 Estevão Alves de Magalhães, 16 anos, solteiro. Formou-se na “Arte Farmacêutica”.

1-10 João Alves, 14 anos

 

 

2- Messia Joaquina de Pinto de Magalhães com 8 anos. Casou na Matriz do Pilar em 30-07-1780 com seu primo em quarto grau Pedro de Alcântara de Almeida.

Livro de Casamentos da Matriz do Pilar – filme 1285503

Aos trinta de Julho de mil setecentos e oitenta nesta Matriz de São João de El Rey pelas quatro para as cinco horas da tarde  feitas as diligencias na forma do Sagrado Concilio e Constituição e mostrando se  desimpedidos como constou da Privisao do Reverendo Vigário de Vara em presensa das testemunhas abaixo asignadas administrei o Sacramento do Matrimonio que por palavras prezentes celebrarao – Pedro de Alcântara de Almeida filho legitimo de Caetano Furquim de Campos e de Dona Izabel Sardinha (sic) de Almeida natural e batizado na frga de São Paulo  - Dona Mexias Joaquina de Magalhães filha legitima de Bento Pinto de Magalhães e de Dona Maria do Rosário Achior de Albuquerque natural e batizada nesta freguesia e logo lhes dei as bensaos na forma do Ritual Romano os quais se (acham ligados?) no quarto grau de consaguinidade de como consta da sentença ..... nos autos de habilitação no Juízo Eclesisatico....(ilegível)

 

          Antes de seu casamento, Pedro revendia nas minas produtos de São Paulo. Esse comércio era então proibido, quer para conter a carestia dos bens em São Paulo, quer para evitar o vai e vem de tropas o que facilitava a evasão dos quintos reais ou ainda para manter os paulistas longe das minas. Como não fizesse caso da proibição, Pedro teve prisão decretada pelo governador Martim Lobo de Saldanha em 24 de janeiro de 1777, quando se preparava para levar às minas um carregamento de farinha. O capitão-mor de Atibaia foi encarregado de confiscar as mercadorias e remete-las a São Paulo, com todos os custos pagos pelo infrator.

Ofícios do General Martim Lobo de Saldanha, 1776-1777, in Documentos Interessantes, Arquivo de Estado de São Paulo, vol LXXVII

P.ª o Cap.m da Atibaya

Logo q. Vm.ce receber esta faça notificar a Pedro de Alcantara, sobrinho de Fructuoso Forquim de Campos, p.a q. sem perda de tempo conduza a esta cidade a farinha q. tem comprado p.a levar p. as Minas Geraes, e a Joze Per.a de Lemos estanq.r de Guarahy, p.a fazer o mesmo ao trigo, q. tem em seu poder, advertindo a ambos, q. se continuarem em semelhantes monopólios com tanto discomodo desta Capital, os hey de castigar, como merecem. D.a g.de a Vm.ce S. Paulo a 18 de Janr.o de 1777//

Martim Lopes de Saldanha // Sr. Cap.m Lucas de Siqueira Franco

P.ª o Cap.m da Atibaya

Logo q. Vm.ce receber esta, faça prender, e conduzir a cadeya desta cidade a Pedro de Alcantara de Almeyda, q. esta promto a partir  p.a Minas com huma carregação de farinhas que lhe foi sustada por ordem minha, dirigida a Vm.ce em 18 do corrente. Também Vm.ce fará com brevidade conduzir a esta Cidade as ditas farinhas á custa do mesmo Pedro de Alcantara de Almeyda. Dou a Vm.ce por m.to recomendada esta diligencia. D.a g.de a Vm.ce S. Paulo a 24 de Janr.o de 1777//

Martim Lopes de Saldanha // Sr. Cap.m Lucas de Siqueira Franco.

 

Messia faleceu aos 15-08-1826 com testamento transcrito no livro de óbitos da Matriz de SJDR:

Declaro que sou filha legitima de Bento Pinto de Magalhães e Maria do Rozario Achior de Albuquerque, viúva do capitão Pedro de Alcântara Almeida. Declarou os filhos:

1- Aureliano que faleceu depois do pai

2- Anna c.c o tenente Thomaz Coelho

3- Constança que tão bem faleceu depois de seo pai da qual sou herdeira

4- Marianna que foi c.c. José Gonçalves Cortes faleceu antes de seo pai e deixou dois filhos: Maria e Anna

5- Francisco que vive

6- João que tão bem vive. .(João Batista Pinto de Magalhães em outra parte do test)

Testamenteiros pela ordem: meu filho Francisco de Paula de Almeida Magalhaens – Batista Caetano de Magalhaens, primo daquele – Luiz Alves de Magalhaens, tão bem primo do primeiro

A terça, dividiu em três partes iguais, uma para cada neta, Maria e Ana filha da falecida Mariana e uma para Francisco Messias, filho do meo finado filho Aureliano.

 

Messia e Pedro de Alcântara tiveram, segundo o testamento dela:

2-1 Aureliano, batizado em Tiradentes aos 26-04-1781.

B7: São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 26-04-1781 matriz, Aureliano, f.l. Pedro de Alcantara de Almeida e D. Mecias Joaquina de Magalhães, padr.: Manoel Leite de Freitas e D. Maria do Rosario, ambos moradores em S. João e os mais desta freguesia.

          Falecido depois do pai e antes de sua mãe. Solteiro, deixou um filho legatário da avó paterna:

2-1-1 Francisco Messias

2-2 Ana Rosa de Jesus, batizada em Tiradentes-MG aos 05-09-1783, casou duas vezes. Primeira vez aos 16-02-1800 com Capitão Antonio Barbosa de Lima (família “Os Barbosa Lima” II- Cap. 6”). Segunda vez aos 26-11-1806 com Tenente Thomas Coelho dos Santos, viuvo de D. Ana Zeferina de Paiva (família ”Os Ribeiro da Silva”). Ana faleceu aos 08-05-1848 com testamento (neste site), sem geração de ambas as núpcias.

B7: São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 05-09-1783 matriz, Ana Rosa, f.l. Cap. Pedro de Alvantara e Almeida e D. Messias Joaquina de Magalhães, desta freguesia, padr.: Padre Antonio Antunes Campos do bispado de S. Paulo morador, e Ana Maria Madalena recolhida no convento da dita cidade cujas procurações apresentou o Padre Bento Cortez de Toledo.

2-3 Contança, também falecida antes 1825, sem filhos, herdou sua mãe.

2-4 Mariana Querubina de Almeida Magalhães, batizada em Tiradentes aos 22-04-1787. Aos 26-11-1806 casou com o Capitão José Gonçalves Cortes, nascido em Prados, filho de Antonio Gonçalves Cortes, natural de S. Martinho Arc. Braga e Ana Gonçalves Rodrigues, natural de Barbacena, neto paterno de Manoel Cortes e Maria Gonçalves, neto materno de João Rodrigues Valle e Izabel Ribeira, naturais de Barbacena. Geração na família “João Pereira Themudo” Cap. 2º,

São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 22-04-1787 Lage, Mariana, f.l. Cap. Pedro de Alcantra e Almeida e D. Mecias Joaquina de Magalhães, padr.: Alf. Francisco Pinto de Magalhães e D. Mariana Joaquina da Silva.

 

B7: Casamentos - SJDRei, aos 26-11-1806 matriz, Jose Gonçalves Cortes, f.l. Antonio Gonçalves Cortes e Ana Gonçalves Rodrigues, n/b na freg. da Sra. da Conceição Prados; = cc. D. Mariana Querubina de Almeida Magalhaens, f.l. Cap. Pedro de Alcantra de Almeida e D. Mezias Joaquina de Magalhaens, n/b freguesia de S. Antonio da vila de S. Jose.

          Mariana faleceu antes de seu pai (segundo testamento materno). Deixou duas filhas, co-herdeiras da terça da avó materna.

2-4-1 Maria

2-4-2 Ana

2-5 Francisco de Paula de Almeida Magalhães, comendador, nascido por 1788, viveu solteiro até os 38 anos. Aos 02-10-1826 casou com sua prima Ana Custódia de Magalhães, filha de seu tio Francisco Pinto de Magalhães e Maria Custódia da Assunção Leite Ribeiro. Ana Custódia faleceu aos 08-09-1827, provavelmente de parto. Em primeiro de dezembro do mesmo ano Francisco casou com Maria Carolina de Magalhães, irmã inteira de Ana Custódia.

          Francisco viveu em São João Del Rei onde tinha negócios e casas. Possuía tambem as fazendas do Lenheiro e dos Matuzes, além de várias chácaras.

          Francisco faleceu aos 10-11-1848, com testamento redigido em São João Del Rei aos 14-09-1838 e inventário aberto pela viúva no ano seguinte.

          Segundo seu testamento e inventário (neste site), deixou um total de quinze filhos: um do primeiro casamento, dez do segundo, e quatro naturais havidos em solteiro de mais de uma mulher, provavelmente três.

 

Filho de Francisco e Ana Custódia

2-5-1 Custódio de Almeida Magalhães, batizado aos 14-09-1827 (certidão no inventário materno, neste site), casou duas vezes. Aos 03-02-1855 com Maria Carlota (ou Custódia) Batista Machado, filha do Comendador Carlos Batista Machado e Maria Thereza Batista. Aos 03-07-1857 casou com Ambrosina Carlota Batista Machado, batizada em 12-09-1841, tambem filha do Comendador Carlos Batista Machado e Maria Thereza Batista, família “José Vieira de Brito”.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 03-02-1855 Custodio de Almeida Magalhães, desta, f.l. Com. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Ana Custodia Magalhães, falecidos = cc Maria Carlota Batista Machado, desta, f.l. Com. Carlos Batista Machado e D. Teresa Batista Machado. Test.: Dr. Jose Rodrigues Lima Duarte e Ten. Cel. Francisco Jose Alges Santiago Jr.

 

RMJ: SJDR- Casamentos – Aos 03-07-1857 na chácara de D. Maria Thereza Batista Machado, Custódio de Almeida Magalhães, filho do Comendador Francisco de Paula de Almeida Magalhães e D. Ana Custódia de Magalhães = Ambrosina Carlota Batista Machado,  filha do Comendador Carlos Batista Machado e Maria Thereza Batista Machado.

 

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 12-09-1841 Ambrosina, f.l. Ten. Carlos Batista Machado e D. Maria Teresa Batista, padr.: Manoel Ferreira Pinho, solteio e d. Mariana Candida de Jesus, viuva.

 

Custódio teve, q.d.:

2-5-1-1 Maria Custódia Batista de Almeida. Aos 23-07-1879 casou com Dr Julio César de Queiroz Guimarães, filho de Manoel Antonio Pereira Guimarães e Maria Eufrazia de Queiroz

RMJ: SJDR- Casamentos – Aos 23-07-1879 na Igreja de São Francisco pelas 5:30h da tarde, Dr Julio César de Que—z Gui----ães natural de Jundiaí-SP, filho de Manoel Antonio Pereira Guimarães e D. Maria Eufrazia de Queiroz = Maria Custodia Batista de Almeida, filha de Custódio de Almeida Magalhães e Maria Custódia Batista de Almeida.

2-5-1-2 Ambrozina Euqueria de Almeida. Na Matriz do RJ casou aos 29-03-1882 com Eduardo de Almeida Magalhães, filho do Coronel Sabino de Almeida Magalhães e Delfina Leocádia de Magalhães, com dispensa de consangüinidade de 2º e 3º graus; 2-5-12-10.

RMJ: SJDR- Casamentos – Aos 29-03-1882 na Matriz da Corte do Rio de Janeiro, Eduardo de Almeida Magalhães, filho do Cel Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocádia de Magalhães = Ambrosina Euqueria d’Almeida, filha de Custódio d’Almeida Magalhães e Ambrosina Batista d”Almeida Magalhães. Dispensados de Consangüinidade de 2º grau e 3º grau mixto de 2º.

 

Filhos de Francisco de Paula com Mariana Carolina, todos ainda solteiros em 1849. Mariana e Emilia 1ª) não são citadas:

- Mariana, batizada em 04-09-1831.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 04-09-1831 Mariana, f.l. Alf. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Sabino de Almeida Magalhães e D. Maria Jesuina de Magalhães, solteiros.

- Emília, em 07-08-1842.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 07-08-1842 Emilia n. 12-04-1842, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Des. Manoel Machado Nunes e s/m D. Candida Erminia da Fonseca Machado

 

2-5-2 Aureliano de Almeida Magalhães, batizado em 01-03-1829.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 01-03-1829 Aureliano, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Floriano Leite Ribeiro, casado da freg. da Conceição da Barra e D. Mariana Custódia da Assunção, viuva desta freguesia.

2-5-3 João Evangelista de Almeida Magalhães, batizado em 06-07-1830. Em 1849 morava na rua dos Pescadores, Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 06-07-1830 João, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Francisco Leite Ribeiro, casado de mar de Espanha e D. Delfina Leocadia de Magalhães, solteira.

2-5-4 Caetano de Almeida Magalhães, batizado em 21-10-1832.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 21-10-1832 Caetano, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Martiniano Severo de Barros, casado e D. Luiza Noronha Almeida, casada.

2-5-5 Gabriel de Paula de Almeida Magalhães, 15 anos em 1849.

2-5-6 Ana Custódia, batizada em 09-10-1837.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 09-10-1837 Ana n. 29-05-1837, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães, negociante e D. Mariana Carolina de Magalhães Leite, padr.: Francisco Antonio Gonçalves e D. Ana Rosa de Jesus.

2-5-7 Maria da Gloria de Almeida, nasceu aos 08-09-1838 e foi batizada em 24-01-1839. Aos 04-09-1867 casou com Dr. José Moreira das Rocha, filho do Cap. José Moreira da Rocha e Maria Josefa da Conceição, família “Antonio Furquim”.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 24-01-1839 Maria n. 08-09-1838, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Dr. Domiciano Leite Ribeiro e D. Maria Venancia de Almeida Leite, solteiros.

 

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 04-09-1867 Dr. Jose Moreira da Rocha, f.l. do falecido Cap. Jose Moreira da Rocha e Maria Josefa da Conceição = cc Maria da Gloria de Almeida, f.l. Com. Francisco de Paula Almeida Magalhães. Test.: Dr. Domingos Jose da Cunha, Dr. Francisco Moreira da Rocha e Delfina Leite de Almeida

2-5-8 Eduardo Augusto de Almeida, nasceu em 20-09-1839 e foi batizado aos 22-12 do mesmo ano.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 22-12-1839 Eduardo n. 20-09-1839, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Com. Francisco Isidoro Batista da Silva, casado e D. Ana Firmina de Almeida Leite, solteira.

2-5-9 Francisco de Paula, nasceu aos 07-10-1840 e foi batizaed aos 26 do mesmo mês.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 26-10-1840 Francisco n. 07-10-1840, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Francisco Leite de Magalhães Pinto e D. Francisca Bernardina do Sacramento

2-5-10 Francisca, nasceu em 22-06-1843 e foi batizada em 13-08 do mesmo ano. Francisca de Paula de Almeida, casou aos 30-07-1859 pelas 5h da tarde na capela de Santa Clara com Antonio Leite Pinto, filho do Comendador Antonio Leite Pinto e Maria Jesuína Leite Pinto, moradores em Valença, RJ. Termo de casamento no livro da Matriz de SJDR, testemunhas: João Leite Ribeiro e Sabino de Almeida Magalhães. Família “Os Teixeira de Souza”, Cap 1º.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 13-08-1843 Francisca n. 22-06-1843, f.l. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Cap. Francisco Jose Dias e D. Francisca de Paula Magalhães Machado, viuva.

2-5-11 Emilia, nasceu em 05-09-1845 e foi batizada aos 16-11 do mesmo ano.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 16-11-1845 Emilia n. 05-09-1845, f.l. Com. Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carlolina de Magalhães Leite, padr.: Antonio Leite Pinto e D. Joana Bernardina Pacheco por pps a Custodio de Almeida Magalhães e D. Ana Gertrudes de Faria Braga, viuva.

 

Filhos naturais do Comendador Francisco de Paula, havidos em solteiro:

2-5-12 Sabino da Almeida Magalhães. Foi morador em São João Del Rei onde tinha casas de moradia e comércio. Aí mesmo redigiu seu testamento aos 30-08-1873, aberto aos 28-11-1876. Seu inventário foi aberto no ano seguinte pela viúva, hoje guardado no Museu de SJDR e resumido neste site. Dele foram perdidas ou retiradas as 3 primeiras páginas. Em seu testamento, transcrito no inventário, não consta sua naturalidade e filiação, talvez declaradas na página anterior, hoje desaparecida. Sabino foi casado com Delfina Leocádia de Magalhães, provável filha de Francisco Pinto de Magalhães e Maria Custodia da Assunção, família “Antonio Vieira de Moraes” Cap. 1º, § 3º.

         Tiveram doze filhos que em 1877 tinham a seguinte situação:

2-5-12-1 Francisco de Almeida Magalhães, casado com Maria Izabel de Siqueira Magalhães, filha de Herculano César de Siqueira e Maria Izabel Batista, família “Estevão José de Siqueira”. Negociante na Corte do Rio de Janeiro.

2-5-12-2 Guilherme de Almeida Magalhães, batizado em 24-01-1839. Doutor em ciências jurídicas, viúvo em 1877.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 24-01-1839 Guilherme n. 28-11-1838, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Antonio Leite Pinto e D. Ana Rosa de Jesus.

2-5-12-3 Constança Augusta de Almeida Guimarães, batizada em 26-04-1840. Casou com o Major José Bento Ferreira Leite Guimarães, major reformado da Guarda Nacional, residentes em Barra Mansa.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 26-04-1840 Constança, branca n. 28-01-1840, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Francisco Leite de Magalhães Pinto por pp a Francisco de Paula Almeida Magalhães e D. Mariana Carolina de Almeida, casada com Francisco de Paula Almeida Magalhães.

2-5-12-4 Tenene Sabino de Almeida Magalhães (Junior), nasceu aos 04-02-1841 e foi batizado aos 15-05 do mesmo ano. Aos 07-09-1867 casou com Amélia Augusta de Castro, filha de Manoel Gomes de Castro e Maria José da Glória, família “Antonio Furquim”.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 15-05-1841 Sabino n. 04-02-1841, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Cap. Francisco Jose Teixeira, casado e D. Francisca de Paula Magalhães, casada.

 

RMJ: Casamentos- SJDR - Matriz - aos 07-09-1867, sem impedimentos, Sabino de Almeida Magalhães Jr, natural desta freguesia de N Sra do Pilar, filho leg do Ten cel Sabino de Almeida Magalhães e Delfina Leocadia de Magalhães = Amelia Augusta de Castro, tambem desta, filha leg de Manoel Gomes de Castro e Maria --- da Gloria. test: Domingos da Silva Alves e João Batista de Almeida.

Tiveram ao menos a filha Alice, afilhada do avô paterno de quem recebeu uma apólice da dívida pública no valor de um conto de réis. Sabino era negociante no RJ.

 

2-5-12-5- Carlos de Almeida Magalhães, batizado em 28-08-1842. Casado com D. Claudina, tambem negociante no RJ.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 28-08-1842 Carlos n. 30-04-1842, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Carlos Joaquim Maximo Pereira, solteiro.

2-5-12-6 Delfina Eugenia de Almeida Lustosa, batizada em 15-06-1845. Casada com o Dr João Batista Pimentel Lustosa, procurador de seus cunhados residentes no RJ. Tiveram ao menos um filho homônimo do pai, advogado.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 15-06-1845 Delfina, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Jose Leite de Magalhães Pinto e D. Maria Jesuina de Souza Leite por pps a Custodio de Almeida Magalhães e D. Rita Guilhermina Mchado, casada.

2-5-12-7 Augusto de Almeida Magalhães, batizado em 16-05-1847. Solteiro em 1877, tambem negociante no RJ.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 16-05-1847 Augusto, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Floriano Leite Ribeiro, do Rio de Janeiro por pp a Custodio de Almeida Magalhães.

2-5-12-8 Pedro de Alcantara de Almeida Magalhães, batizado em 29-06-1848. Formado pela Faculdade de São Paulo, solteiro. Em 1877 exercia a profissão de advogado em Sapucaia-RJ

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 29-06-1848 Pedro, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Custodio de Almeida Magalhães, solteiro.

2-5-12-9 Maria Custódia de Almeida, batizada em 18-07-1849. Já falecida em 1873 “dez (missas) por alma de minha saudosa filha Dona Maria Custódia de Almeida”.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 18-07-1849 Maria, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Luciano Leite Ribeiro e s/m Ana Jesuina Teixeira Leite.

2-5-12-10 Eduardo de Almeida Magalhães, batizado em 08-06-1851. Doutor em direito. Aos 29-03-1882 casou no Rio de Janeiro com Ambrozina Euqueria de Almeida, filha de Custódio de Almeida Magalhães e sua segunda mulher, Ambrozina Batista, 2-5-1-2 supra.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 08-06-1851 Eduardo, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Emilio Jose Loureiro e s/m Helena Emilia Loureiro.

2-5-12-11 Eugenio de Almeida Magalhães, batizado em 23-10-1852. Solteiro em 1877.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas aos 23-10-1852 Eugenio n. 09-07-1852, f.l. Sabino de Almeida Magalhães e D. Delfina Leocadia de Magalhães, padr.: Francisco Jose Sales e s/m D. Maria Jesuina Sales por pps a Custodio de Almeida Magalhães e D. Ana Custodia de Almeida, solteiros.

2-5-12-12 Amelia Cristina de Almeida Magalhães, solteira, 21 anos completos. Casou depois com Carlos José da Cunha que se apresentou no inventário do sogro para arrecadar legados. Em 1914, Amélia era viúva, moradora na Rua Menna Barreto 97 no Rio de Janeiro.

2-5-12-13 Luiza Augusta de Almeida Magalhães, 18 anos

 

2-5-13 Francisco de Paula de Almeida, filho de Gertrudes Magna de Caria, nascido por 1814. Em 1877 estava casado.

2-5-14 Elisa Carolina de Almeida, irmã inteira de Francisco de Paula supra. Faleceu aos 10-05-1831 e não foi mencionada no testamento do pai:

Inserido inventário materno

Aos 10-05-1831 nesta Vila de São João Del Rei faleceu (....) Elisa de idade de 10 anos, filha natural do Alferes Francisco de Paula de Almeida Magalhães (...)

 

Gertrudes Magna de Caria, nascida por 1790, era filha de Sebastião Martins Coutinho Rangel e Maria Luiza de Souza Carias, neta paterna de Ventura da Costa Rangel e Rita Maria da Conceição, neta materna do Desembargador João de Souza Correa e D. Teresa. Gertrudes faleceu com testamento redigido aos 19-03-1830, aberto em quatro de maio do mesmo ano. Além dos dois filhos acima, teve mais um, segundo seu inventário (neste site) e o do Comendador Francisco de Paula:

- Martiniano Paulino de Almeida, com 2 anos em 1830, batizado aos 09-07-1829, exposto à Maria Josefa. Depois da morte de sua mãe, foi morar com o Comendador Francisco de Paula, que em testamento negou que fosse pai de Martiniano.

 

Sebastião Martins Coutinho Rangel, morador em São João Del Rei, foi casado duas vezes. Primeiro com Maria Luiza de Souza Caria e em segundas aos 19-02-1798 com Maria Bonifácia do Nascimento, filha do Cap. Manoel Simões Deniz e D. Rosa Maria da Assunção

Barbacena, MG matr. - aos 19-02-1798 na capela de Santa Ana do Barroso filial desta matriz, Sebastião Martins Coutinho Rangel, viuvo de D. Maria de Souza = cc D. Maria Bonifacia do Nascimento, f.l. Cap. Manoel Simões Deniz e D. Rosa Maria da Assunção, n/b na freg. de S. Jose, Test.: Domingos Frz Gomes e Manoel Simões Deniz.

Faleceu aos 14-09-1818. Segundo seu inventário, neste site, teve da primeira: (situação em 30-01-1819)

- Caetano Bernardo de Azevedo Coutinho, batizado em 28-09-1782, Solteiro,“ dizem achar-se na Inglaterra”

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 28-09-1782 Caetano, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa, padr.: General Rodrigo Jose de Meneses e s/m Maria Jose Ferreira Eça Bourbon por pps ao Dr. Felis Vital Noge e Rita Luisa Vitoria de Bustamante e Sa.

- João Capistrano Coutinho Rangel, batizado em 22-11-1783.Solteiro, ausente em Moçambique

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 22-11-1783 João n. 23-10-1783, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa, padr.: Padre Antonio Pinho Monteiro e D. Francisca Maria Esperança de Mendonça por pp a seu marido Dr. Francisco Vieira de Souza Ferraz.

- Francisca Libania de Souza Caria, batizada em 04-10-1785. Solteira

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 04-10-1785 Francisca, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa, madr.: Francisca Maria de Paula, casada.

- José Severiano Coutinho Rangel, batizado em 28-10-1786. Casado, morador em Vila Real de Sabará.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 28-10-1786 Jose, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa, padr.: Ten. João Gonçalves de Mello e D. Francisca Maria de Paula cc Cap. Inacio Antonio da Cunha por pp ao Padre Vicente Araujo Pereira.

- Joaquim de Azevedo Coutinho Rangel, batizado em 29-09-1787. Solteiro, 32 anos, morador na Bahia.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 29-09-1787 Joaquim, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa, np Ventura da Costa Rangel e Rita Maria da Conceição, nm Desembargador João de Souza Correa e D. Teresa ----, padr.: Alf. Bernardo Jose Gomes da Silva Flores e s/m D. Joaquina Bernarda da Silveira Souza

- Gertrudes Magna de Souza Caria, batizada em 26-12-1788. Solteira

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 26-12-1788 Gertrudes, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa,padr.: Cap. Domingos Rodrigues Barreiros, solteiro e D. Ana Rosa Aranha Vasconcellos, casada.

- Casemiro Lucio de Azevedo Coutinho, batizado em 03-04-1791. Solteiro, 28 anos. Aos 06-06-1819 casou com Maria Barbara de Paula, filha de João Bento da Costa e Ana Leocadia de Paula.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 03-04-1791 Casemiro, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luiza de Souza Correa, padr.: Revdo Francisco Xavier Moura e D. Teresa Maria de Jesus, casada da freg. das Lavras.

 

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 06-06-1819 Casemiro Lucio de Azevedo Coutinho, desta, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e D. Maria Luzia de Souza = cc D. Maria Barbara de Paula, desta, f.l. João Bento da Costa e D. Ana Leocadia de Paula. Test.: Antonio Gonçalves e Manoel Rodrigues Vianna.

 

Sebastião e Maria Bonifãcia tiveram quatro filhos, todos solteiros em 1819:

- Luiz Gonzaga de Azevedo Rangel, batizado em 07-07-1802.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 07-07-1802 Luiz, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e Maria Bonifacia do Nascimento, padr.: Alf. Jose Antonio Diniz por pp ao Alf. Manoel Jesus de Siqueira, e Floriana Eulalia da Conceição

- Maria, batizada em 08-04-1807. Maria Guilhermina de Jesus (tambem Maria Bonifáia do Nascimento) aos 30-04-1831 casou com Jacinto Eugenio Ferreira Fontes, filho do Ajudante Jacinto Ferreira Fontes e Maria Silvéria Leonarda Dias.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 08-04-1807 Maria, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e Maria Bonifacia do Nascimento, padr.: Padre Dr. Antonio Apolinario e D. Joana Brito Ozorio de Magalhães por pp a seu marido Dr. Antonio Jose Ozorio.

 

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 30-04-1831 Jacinto Eugenio Ferreira Fontes, desta, f.l. Ajudante Jacinto Ferreira Fontes e Maria Silveria Leonarda Dias = cc Maria Guilhermina de Jesus, desta, f.l. Sebastião Martins Coutinho Rangel e Maria Bonifacia do Nascimento, falecidos. Test.: Cap. Luiz Alves Magalhães e João Gonçalves Gomes, casados.

Entre seus filhos:

- Maria Guilhermina de Jesus Rangel, batizada em 02-07-1836. Aos 22-09-1855, dispensados do parentesco de consanguinidade, casou com José Severio de Azevedo Rangel, natural de Barbacena, filho de Luiz Gonzaga de Azevedo e Maria Inácia Campos.

             Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 02-07-1836 Maria, f.l Jacinto Eugenio Ferreira Fontes e Maria Bonifacia do Nascimento, padr.: Francisco Antonio Gonçalves e s/m Emerenciana Ludovina.

 

             Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 22-09-1855 Jose Severino de Azevedo Rangel, de Barbacena, f.l. Luiz Gonzaga de Azevedo e Maria Inacia Campos = cc Maria Guilhermina de Jesus Rangel, f.l. do falecido Jacinto Eugenio Ferreira Fontes e Maria Bonifacia. Test.: Cirurgião Mor Casamiro Lucio de Azevedo Coutino e D. Antonia cc Dr. Salatiel de Andrade Braga. Dispensados do parentesco de consanguinidade

- Maximiano, 9 anos

2-5-15 João Batista de Almeida. Em 1849 estava casado e era morador na Vila de Silveiras, Província de São Paulo. Herdou de sua mãe, juntamente com seu irmão Bernardo, umas casas na rua da Cachaça em São João Del Rei “que foram de Francisco Antonio Correia e seus herdeiros”.

2-5-16 Bernardo de Almeida Magalhães, irmão uterino de João Batista supra. Em 1849 era morador no termo da Vila de Valença, em 1852 estava casado com Raquel de Aguiar e Almeida, moradores na Vila de Vassouras-RJ, segundo procuração no inventário paterno

 

2-6 João Batista Pinto de Almeida, batizado aos 29-07-1782.

B7: São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 29-07-1782 matriz, João Baptista, f.l. Pedro de Alcantara e Almeida e D. Messias Joaquina de Magalhães, padr.: Ten. Jose Alvares de Magalhães e s/m D. Maria Josefa, da vila de S. João del Rei.

          Casou duas vezes. A primeira com Rita de Cássia de Paiva, filha de Thomas Coelho dos Santos e Ana Zeferina de Paiva descrita na família “Os Ribeiro da Silva de S Gonçalo do Brumado” Cap 5º, § 8º. Rita teve seu inventário aberto em 1828.

          Enquanto viúvo, João Batista teve dois filhos naturais, conforme declarou em testamento.

          Casou em segundas com Luiza Maria de Noronha, filha de  Domiciano José Monteiro de Noronha e Marianna Justina de Meirelles (Família “Meireles Freire”). João Batista e Luiza tiveram três filhos.

          Faleceu em Sorocaba aos 05-03-1836 e teve inventário aberto em S. João del Rei em 1837 (neste site). Luiza Maria casou em segundas com José de Souza Werneck e já era falecida em 07-10-1843:

 

          Em seu testamento João Batista citou os dois casamentos e nomeou os dez filhos que tinha vivos (idades em 1837).

Com Rita de Cássia

2-6-1 Aureliano Batista Pinto de Almeida, casado

2-6-2 Pedro de Alcântara Pinto de Almeida, com 21 anos no censo de 1838, já casado com sua prima Guilhermina Leopoldina de Paiva. (família supra citada  Cap 5º, § 8º.

2-6-3 Guilhermina Alaíde de Paiva e Almeida, casada com Antonio Marciano Nogueira

2-6-4 Elisa Leopoldina de Paiva, casou na Vila de S. João del Rei, em casa de seu pai, com Francisco José de Alvarenga, natural de Sabará, exposto.

RMJ: SJDR Casamentos – Aos 25-06-1834, nesta vila de São João Del Rei em casas de João Batista Pinto de Almeida, Francisco José de Alvarenga, natural de Sabará, exposto = Eliza Leopoldina de Paiva e Almeida, natural desta, filha legitima de João Batista Pinto de Almeida e D. Rita de Cassia Paiva Almeida Magalhães. Test: Francisco de Paula de Almeida e D. Anna Roza de Jesus, desta.

2-6-5 Rita de Cássia de Paiva e Almeida, casada com Francisco Coelho dos Santos, com geração na família supra Cap 5º, § 9º.

 

          Filhos naturais havidos enquanto viúvo e citados como tais no testamento:

2-6-6 Thomás Batista Pinto de Almeida, 8 anos em 1837, provavelmente o que foi criado em casa de Tomás Coelho dos Santos e Ana Rosa de Jesus. Foi inventariado em Baependi em 1875 por sua viúva e parente Beatriz Elisa Catão de Almeida, com testamento em que declarou ser filho legitimo do Coronel João Batista Pinto de Almeida e Dona Maria Honória da Conceição”.

         Thomas e Beatriz Elisa se casaram na Matriz de Aiuruoca aos 21-02-1857, constando ser ele filho de João Batista Pinto de “Miranda” e ela filha de Olimpio Carneiro Viriato Catão e Ana Carolina da Rocha. Estes por sua vez se casaram no mesmo lugar aos 04-05-1826, ele natural de Itabira do Campo, exposto a Tereza do Pinho, e ela natural de Serro Frio, filha de João Carlos da Rocha e Maria Joaquina de Jesus.

Casamentos na Matriz de Aiuruoca

Aos 21 fevereiro 1857, Dr. Thomaz Baptista Pinto e Beatriz Eliza da Rocha Catão. Ele f. do ten. Cel. João Baptista Pinto de Miranda(sic). Ela f.l. de Olimpio Carneiro Viriato Catão e D. Anna Carolina da Rocha Catão.tTestemunhas: ten. Cel. João Evangelista de Souza Guerra, Luiz Joaquim Nogueira de Meirelles Cobra, D. Guilhermina Adlaide (sic) de Almeida e D. Olimpia Cezarina da Rocha Catão.

 

Aos 04 maio 1826 Olimpio Carneiro Viriato Catão e D. Anna Carolina Beatriz Guilhermina da Rocha. Ele exposto a Theresa do Pinho, n. e b. na freg. de Itabira do Campo. Ela n. e b. na freg. do Tijuco do Serro Frio, f.l. do alf. João Carlos da Rocha e D. Maria Joaquina de Jesus. Ambos os contraentes moradores nesta freguesia. Testemunhas: Jose Alcebiades Carneiro e cap. Francisco de Paula Pereira.

 

         Thomás Batista, doutor em medicina, e Beatriz Elisa tiveram 18 filhos, dos quais apenas 5 eram vivos e foram herdeiros no inventário paterno (neste site):

2-6-6-1 Olímpio Carneiro de Almeida, 18 anos em 1875

2-6-6-2 João Batista Pinto de Almeida, 14 anos

2-6-6-3 Reinaldo, 13 anos

2-6-6-4 Maria, 7 anos

2-6-6-5 José, 4 anos

 

2-6-7 João Batista de Almeida, com 7 anos em 1837

 

          João Batista Pinto de Almeida teve com sua segunda esposa Luiza Maria de Noronha:

2-6-8 Mariana Guilhermina de Paiva e Almeida, 6 anos

2-6-9 Batista Pinto de Almeida, 4 anos

2-6-10 Mecias  Placidina de Noronha e Almeida, 2 anos

 

3- Bento Pinto de Magalhães, com 5 anos em 1766, casou em Guaratinguetá com Maria Pires de Araújo.

 

4- Ana Gertrudes de Magalhães, com 4 anos em 1766. Em 1794 casou com Manoel Alves Franco, filho do Cap. Antonio Alves Franco natural de Lisboa e falecido em Campanha aos 20-08-1756 e Maria Josefa de Gouvea, família Sargento Mor “Manoel Nunes de Gouvea”, neste site.

(RMJ) Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, (corroído) 1794, Manoel Alves Franco, f de Antonio Alves Franco e D. Maria Josefa de Gouvea, natural do Rio Verde; c.c. Dona Anna Rita de Magalhães, nasc e bat na Matriz de São João Del Rey, filha de Bento Pinto de Magalhães e Maria do Rozario Achioli de Albuquerque.

 

Campanha, MG Igreja Santo Antonio aos 20-08-1756 faleceu abintestado com morte repentina Antonio Alves Franco, natural da freguesia do Sacramento da cidade de Lisboa, cc Maria Josefa de Gouvea moradores neste Arraial da Campanha do Rio Verde. Sep. nesta matriz.

Pais de, q.d.:

4-1 Maria do Rosário, nascida por volta de 1797, casou com seu primo Luiz Alves de Magalhães 1-8 supra. Faleceu em 01-11-1839 com 42 anos de idade.

 

5- Rita Marcelina de Magalhães, 3 anos em 1766. Casou em 25-05-1785 com o Capitão Antonio Alves França, filho do Sargento Mor Antonio Alves França e Maria Josefa de Gouvea, família Sargento Mor “Manoel Nunes de Gouvea”, neste site.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, aos 25-05-1785 matriz, Capitão Antonio Alves França, f.l. do Sargento Mor Antonio Alves França e D. Maria Josefa de Gouvea, n/b na freg. da Campanha do Rio Verde; = cc. D. Rita Marcelina de Magalhães, f.l. de Bento Pintode Magalhães e D.Maria do Rosario Archior e Albuquerque, n/b nesta freguesia

 

Cap. Antonio e Rita tiveram os filhos batizados na Campanha, q.d.:

5-1 Floriano, batizado em 11-04-17886.

(pesq. Moacyr Villela) Campanha, MG "Aos 11 de Abril de 1786  nesta Matris da Campanha batizei e pus os santos óleos ao inocente Floriano , de vinte e seis dias , filho legitimo do Capitão Antonio Alves França natural desta Freguesia e de D. Rita Marcelina de Magalhães natural da Vila de São João Del Rei . Avós paternos Antonio Alves Franca e Maria Josefa de Gouveia . Maternos, Bento Pinto de Magalhães e D. Maria do Rosario Alcior Albuquerque. Foram padrinos o juiz ordinario G.M. Manoel Ferreira da Costa Neves casado e D. Maria Buena do Prado mulher do Capitão Manoel de Paiva e Silva"

5-2 Amarilis em 04-02-1788.

(pesq. Moacyr Villela) Campanha, MG bat Campanha "Aos 4 de Fevereiro de 1788 nesta Matriz o revendo Jose Gonçalves de licença batizou a inocente Amarilis nascida de 11 Dezembro filha legitima do Capitão Antonio Alves França natural desta Campanha e de Dona Rita Marcelina de Magalhães natural da Vila de São João Del Rei . Avós paternos Antonio Alvares Franca e Maria Josefa. Maternos, Bento Pinto de Magalhães e D. Maria do Rosario Achiol. Foram padrinos o Sargento Mor Luiz Antonio da Silva por procuração que dele apresentou o reverendo Domingos da Silva Lobo e Dona Violante Eufrazia Maria da Roxa por procuração.

 

6- Francisco Pinto de Magalhães, tinha dois anos quando perdeu o pai e foi criado pelo padrasto Manoel Leite de Freitas. Casou em 15-06-1794 com Maria Custódia da Assunção Leite Ribeiro. Fez sociedade com seu padrasto e outras pessoas nas “Lavras de Goiazes” no Ribeirão do Elvas. Faleceu aos 56 anos aos 10-5-1820, sem testamento e sem bens de raiz, segundo declaração da viúva. Estava falido, razão pela qual os herdeiros fizeram abstenção dos bens, que não cobriam as dívidas. Os pertences do casal foram todos a leilão. O testamento de sua sogra, Escolástica Maria de Jesus redigido em 1811, sugere que já nesse ano Francisco estava bastante endividado. É que Escolástica reserva à filha e ao genro apenas o “uso e fructo” da doação, sendo vedada a sua entrega para cobrir dívidas, condição sine qua non do legado. Francisco deixou nove filhos, a mais nova com quatro anos. Destes filhos descendem os Leite de Magalhães, Leite Pinto, Magalhães Pinto, Sobral Pinto e outras familias. (Inventários neste site).

          Geração na família “Antonio Vieira de Moraes” Cap. 1º, § 3º.

 

7- Isabel, com cinco meses em março de 1766

 

_______________________________________________________________________________________________________________________________

 

Transcrições

 

Os Inventários e Testamentos arquivados no Museu Regional de São João Del Rei foram transcritos por Flavio Marcos Passos a pedido da autora e estão disponíveis neste site

 

As pesquisas nos livros paroquiais de São Salvador do Moure e Nossa Senhora do Pilar foram feitas pela autora no Centro de História da Família da Igreja dos Santos dos Ultimos Dias, nos seguintes filmes:

 

1333710 – Freguesia de São Salvador do Moure

 Batismos : 1599, 1626-1636, 1636-1647, 1645-1648, 1649-1663, 1678-1696, 1696- 1706, 1706-1707, 1707-1723,  1723-1730, 1730-1844

 Casamentos: 1597-1599, 1631-1635, 1636-1637, 1645-1648, 1646-1663, 1664-1688, 1690-1812

Óbitos: 1621-1635, 1636-1647, 1647-1663, 1664-1707, 1707-1727, 1728-1857


1285502 – 1285503 - Casamentos na Matriz de Nossa Senhora do Pilar


NOTA
: Existem vários trabalhos publicados sobre Bento Pinto de Magalhães e/ou sua descendência. Aqui está apenas aquilo que foi levantado por mim diretamente dos documentos, que coloco à disposição de todos os interessados neste personagem, conforme o espírito deste site.