PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

SL. 5º, 94, 3-6 Mécia da Cunha Lobo, f.a de outra de igual nome n.o 2-6 e 2.o marido João de Mattos, foi C.c. Francisco Tavares, f.o do Capitão Diogo da Costa Tavares e 2.a mulher Catarina de Lemos. Faleceu Mécia da Cunha em 1715 com testamento e seu marido Francisco Tavares em 1719 em Itu. Teve pelo inventário (C. O. de S. Paulo) 8 f.os: 4-1 a 4-8

 

Subsídios à Genealogia Paulistana (Bartyra Sette)

 

Faleceu, Messia da Cunha, em 1705, casada com Francisco Tavares.

Suas filhas, Maria e Francisca, já estavam casadas em abril de 1705.

 

MESSIA DA CUNHA

Testamento

 

Vol 25, fls. 201 a 207

 

TESTAMENTO

 

Em nome da Santíssima (...)

no ano de mil e setecentos e cinco em os dois dias do mês de abril,  eu Messia da Cunha faço este testamento.

Encomenda a alma.

Peço e rogo a meu genro Estevão Fernandes Porto, e ao Capitão Antonio Vieira Tavares queiram ser meus testamenteiros.

Meu corpo será sepultado em a capela dos irmãos terceiros da na igreja de São Luiz, visto meu marido ser irmão da dita ordem, acompanhamentos e missas.

--- sou natural da vila de São Paulo filho legitimo de João de Mattos, e Maria da Cunha e declaro que sou casada com Francisco Tavares do qual matrimonio tivemos oito filhos a saber seis filhas e dois filhos, das quais tenho casado duas filhas a saber Maria Vieira com Estevão Fernandes Porto e Francisca Tavares com Francisco Rodrigues ----mão, os quais estão inteirados de seu dote.

Declaro que possuímos umas moradas de casas em as quais vivemos em esta vila de Nossa Senhora da Candelária de Utú, e assim mais um sitio na borda do rio .

Declara bens, almas do gentio, e animais.

Deixa o remanescente da terça as quatro filhas solteiras que tenho para que repartam entre si igualmente.

(...) rogo ao escrivão assine por mim, em a vila de Nossa Senhora da Candelária era e mês acima dito; assino a roga da testadora Messia da Cunha, eu que o escrevi; Domingos Fernandes Porto.

Aprovação: aos dois dias do mês de --- de 1705  nesta vila de Utú em pousadas de Messia da Cunha, presentes por testemunhas Miguel Rodrigues Monteiro, Antonio Fernandes Porto, João Vaz Cardoso, Antonio Machado do Passo e José Cardoso pessoas livres e maiores de quatorze anos, que todos assinaram nesta aprovação e eu João Gomes Adorno tabelião publico de notas que o escrevi e assinei.

Cumpra-se. Candelária três de abril de ----

Que se cumpra e guarde como nele se contem 3-4-1705 - Falcão.

 

Recebi do Capitão Antonio Vieira Tavares testamenteiro da defunta Messia da Cunha 28$200 rs, que importam os legados que deixou ------ com os gastos de seu enterro de que tudo fui entregue para satisfazer ao mestre da capela. Em fé do que passei esta por mim feita, e assinada onze de março de mil e setecentos e cinco. - Felix Nabor.

 

Recebi do Capitão Antonio Vieira Tavares uma pataca de aprovação do testamento com que faleceu Messia da Cunha. hoje 11 de abril de 1705 - João Gomes Adorno.

 

Autos conclusos em Utú maio 12 de 1715. - Toledo.