PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

Souto Maior

(atualizado em 17-junho-2017)

 

Felgueiras Gayo vol. 27, título Souto Mayor(fls. 120) na fls. 124 § 2º N 16 D. Duarte de Macedo Sotomayor, f. D. Pedro Taveira Sotomayor N15 do § 1º fls. 123) nasceu em Vila Real a 27-7bro-1654 e batizado em S. Dionisio. Cc na cidade do Porto com D. Mariana Pessoa de Vasconcellos fa. de Mel Pessoa de Souza e s/m D. Izabel de Vasconcellos. Filhos:

- D. Alexandre M.el de Macedo - muito nobre

- D. João de Macedo M.e de Campo no Brasil, casou sem ger.

- D. Caetano Joze mor. demente

- D. Joze Caetano de Macedo

- D. Antonio Luiz de Macedo cc D. Teresa Pinto de Magalhães f. B. de Manoel Pinto de Magalhães, teve fos mor. sem ger.

- D. Manoela

- D. Josefa de Macedo

- D. Lourença de Macedo, moradora em vila Flor, solteira

 

 

Moacyr Urbano Villela

 

Segundo Felgueiras Gayo em seu Nobiliário das Familias de Portugal, no ano de 1638 Dom Pedro Taveira de Sotomayor, fidalgo da casa real, veio para o Brasil como Capitão de Mar e Guerra. Com a Bahia restaurada, ele voltou a Portugal e serviu em outras guerras, alcançando o título de Cavaleiro da Ordem de Cristo.

 

Ele era Fidalgo da Casa Real, filho de João de Macedo Sotomayor e Felipa Correa de Mesquita, neto paterno de Dom Pedro de Macedo Sotomayor, também fidalgo e Ines de Souza, neto materno de Gonsalo Leitão de Mesquita e Violante Guedes Botelho. Por ser 4º neto do Conde de Caminha tinha o direito ao título de “Dom”.

 

Dom Pedro Taveira Souto Maior casou em Madri com Felipa da Silva Castro, filha do fidalgo da casa real Duarte Vaz de Castelo Branco e Joana da Silva de Castro. Dentre os filhos do casal, sempre segundo Felgueiras Gayo:

 

Duarte de Macedo Souto Maior, nasceu aos 7-09-1654 na Vila Real onde foi batizado na Igreja de Santo Dionisio (São Dinis), Casou na cidade do Porto com Mariana Pessoa de Vasconcelos, filha de Manoel Pessoa de Souza e Izabel de Vasconcelos.

 

Além de João de Macedo citado por F. Gayo, encontramos no Brasil:

 

1- José Caetano Souto Maior e Castro. Morador nas margens do Rio das Mortes termo de São João del Rei-MG.

José Caetano faleceu na paragem Tabatinga  com inventário aberto em 1769. Em seu testamento  declarou sua filiação e disse ter sido batizado na Freguesia de São Martinho do Douro. Faleceu relativamente pobre, solteiro e sem filhos.

Arquivo : IPHAN – São João Del Rei

Tipo de Documento: Inventário

Ano: 1769 - Caixa: 559

Inventariado: Dom Jose Caetano Souto Maior e Castro

Inventariante: Jose Moreira da Fonseca

Local: Paragem da Tabatinga na Comarca do Rio das Mortes

Anotado por: Moacyr Villela 

 

Faleceu na paragem da Tabatinga margem do Rio das Mortes com seu solene testamento onde declara ser natural e batizado na Freguesia de São Martinho do Douro, Bispado do Porto filho de Dom Duarte de Macedo Souto Maior “muito nobre” e de Dona Mariana Pessoa de Vasconcelos, de legitimo matrimonio. Solteiro e sem herdeiros ascendentes ou descendentes

Nomeia para testamenteiros

Jose Moreira da Fonseca, Tomas Ferreira, Luis Jose Pinto Coelho, Francisco Pinto Coelho ..(rasgado) ... Vila de Pitangui morador no arraial do Onça.

Institue como herdeira sua alma.

Bens:

- 4 escravos “ ja velhos”;

- Uma canoa no rio das Mortes com suas ferramentas de minerar no valor de 4.400 reis

- 2 cavalos e uma sela “muito velha”;

- Um lençol, Uma camisa de linho usada, duas toalhas de aniagem usadas e uma coberta de Serafina lavrada forrada de Saeta azul tudo no valor de 4.200 reis;

- Ouro em pó 10 oitavas e meia.

- Um tacho de cobre e um prato de estanho;

- Uma espada velha com punho de prata no valor de 1.200 reis

Soma dos bens inventariados : 225.337 reis

 

1n Pedro de Macedo Souto Maior, na dúvida mas muito provavelmente, filho natural do mesmo Duarte de Macedo Souto Mayor porque nasceu  na mesma Vila Real, em época compatível com a vida adulta de Dom Duarte. Em termos paroquiais consta ser filho natural de Duarte de Macedo Souto Maior e Catarina Lourenço.

 

Pedro também se mudou para o Brasil, mas se fixou em Santana de Parnaiba, onde casou em 1701 com Maria Paes Ribeiro, filha de Antonio Fernandes de Barros e Joana Ribeiro.

ruz, Rodnei Brunete da, “Resumo do 1º livro de Casamentos de Santana de Parnaiba, colhidos por Silva Leme”, in Revista ASBRAP 2, Fl 120:

Pedro de Macedo Souto Maior filho natural de Macedo Souto Maior e Catarina Lourenço (Vila Real) com Maria Ribeiro, f. de Antonio Fernandes Barros e de Joana Ribeiro, ambos fal. (ano de 1701)

 

Pedro e Maria tiveram ao menos q.d:

1n-1 Antonio de Macedo Souto Maior, natural da Parnaiba. Em Sorocaba aos 18-06-1743 casou com Joana Garcia, daí natural, filha do falecido Sargento-mor Estevão Sanches Paes e Maria Antunes. Geranção em SL. 1º, 140, 4-1

(pesq. Fabricio Gerim) Sorocaba, SP Igreja N Sra da Ponte matr - aos 18/06/1743 Antonio de Macedo Souto Maior, natural e morador da vila da Parnaíba, filho do Alferes Pedro de Macedo Souto Maior, já defunto, e Maria Ribeiro, casou com Joana Garcia, natural e moradora desta vila, filha do Sargento-mor Estevão Sanches Paes, já defunto, e Maria Antunes; testemunhas Luiz Teixeira da Silva, Jose de Godoy Moreira, Maria de Almeida Leite e Maria Paes de Jesus.

 

1n-2 Josefa Ribeiro de Macedo na Parnaiba em 30-08-1740 casou com José de Roxas Moreira, filho de Joaquim de Roxas Moreira e Grácia Mendes de Siqueira (SL. 8º, 395, 3-3)

(pesq. Fabricio Gerim) Santana de Parnaiba, SP Igreja de Santa Ana matr. - aos 30/08/1740 no oratório das casas que tem em seu sítio o Alferes Pedro de Macedo Soutto Mayor, nesta freguesia da vila da Parnaíba: José de Roxas Moreira, f.l. de Joaquim de Roxas Moreira e Grácia Mendes de Siqueira, moradores e fregueses da freguesia de Santo Amaro, e Josefa Ribeiro de Macedo, f.l. do Alferes Pedro de Macedo Soutomayor e Maria Ribeiro, moradores nesta vila da Parnaíba. Testemunhas: Joam Moreira Garcia, homem casado e fregues de Santo Amaro, Ana Maria Garcia, filha solteira de Manoel Alvares, já defunto, moradora na freguesia de Santo Amaro, o Cap. Jose de Macedo Castro e s/m Ignez Pinta do Rego moradores nesta dita vila da Parnaiba.

 

1n-3 João de Macedo Souto Maior, nascido em Santana de Parnaiba, casou em Santo Amaro aos 06-05-1749 com Maria Paes Ribeiro, filha de João de Borba Gato e Josefa Ribeiro (SL. 5º, 397, 5-1).

ACMSP- Matriz de Santo Amaro – Casamentos - Aos 06-05-1749 se receberam por marido e mulher João de Macedo Souto Maior natural e baptizado na Parnaiba filho legitimo do Alferes Pedro de Macedo Souto Mayor já defunto e sua mulher Josepha Ribrª já defunta com Maria Paes Riberª natural e baptizada nesta freguesia filha legitima de João de Borba Gatto e sua mer Josefa Ribrª já defunta. Forão testemunhas Mel de Arzão e o Alferes Martinho Roiz, Elena de Moraes mulher de Manoel de Pontes e Roza Maria de Jesus mer de João Paes.

 

SL. 5, 397, 5-1 5-1 Maria Paes Ribeiro, que casou 1.º em 1748 em Santo Amaro com João de Macedo Souto-Mayor, f.º do alferes Pedro de Macedo Souto-Mayor e de Maria Ribeiro, † em 1755 em Parnaíba, n. p. de Duarte de Macedo Souto-Mayor e de Catharina ..., n. m. de Antonio Fernandes de Barros e de Joanna Ribeiro.

 

1n-4 José de Macedo casou com Maria José, ambos naturais da Parnaiba, ela filha de Andre Felipe Mexia e Ana Ribeira casados em 1704, neta paterna de Bras Pires Antunes e Izabel Ferreira, neta materna de Domingos Paes da Silva e Ana Ribeiro (SL. 8º, 240, 3-2 sem a geração).

ASBRAP 2, Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Andre Felipe, f. Bras Pires e Izabel Ferreira, fal. (de Itu) , com Ana Ribeiro, f. Domingos Paes da Silva e Ana Ribeiro (ano de 1704)

Izabel Ferreira, falecida em Itu com testamento com cumpra-se de 27-04-1704, filha de Andre Felipe Mexia e Izabel (Ferreira ou Pereira), declarou cinco filhos de seu casal: Andre - Antonio - Joao = Barbara e Maria

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Izabel Ferreira 1702

Testamento: aos 13-02-17?? nesta vila de N Sra da Candelaria de Itu eu Izabel Ferreira (...) testamenteiros meu marido Braz Pires Antunes, meu compadre Dionisio Fernandes Bicudo.

Sou f.l. de Andre Felipe Mexia e Izabel Ferreira (ou Pereira). Sou cc Braz Pires Antunes e temos cinco filhos: Andre - Antonio - Joao = Barbara e Maria.

Cumpra-se Candelaria 27-04-1702.

Pais de, pelo menos:

1n-4-1 Escolástica Ribeira, natural da Parnaiba. Aos 16-07-1765 em Itu-SP casou com Manoel José de Pontes, natural de Mogi das Cruzes, filho de Salvador de Pontes e Maria de Lima, neto paterno de Antonio de Pontes Sutil e Izabel da Fonseca, neto materno de Domingos Vaz de Lima e Luzia Pedroso da Cunha, família “Sebastião da Fonseca Pinto” neste site.

SL. 8, 116, 6-1, Manoel José de Pontes, casou em 1765 em Itú com Escolástica Ribeiro, de Santana do Parnaíba, f.a de José de Macedo e de Maria José, n.p. de Pedro de Macedo Sotto-Mayor e de Maria Ribeiro.

 

1n-5 Maria Teresa de Jesus aos 17-07-1752 na Parnaiba casou com José Paes de Almeida, filho de José Fernandes Paes e Isabel de Lara e Moraes casados em 1716, neto paterno de João Fernandes Porto e Maria Paes, neto materno de José de Almeida Lara e Mariana de Siqueira.

SL. 4, 556, 3-3 José Paes de Almeida casou em 1752 em Parnaíba com Maria Theresa de Jesus, f.ª de Pedro de Macedo Souto Mayor, natural da Villa Real, falecido em 1748 em Parnaíba, e de Maria Ribeiro, n. p. de Duarte de Macedo Souto Mayor e de Catharina Lourença.

(pesq. Fabricio Gerim) Santana de Parnaiba, SP Igreja de Santana aos 17/07/1752 na Matriz da vila de Santana de Parnaíba se casaram José Paes de Almeida, f.l. de José Fernandes Paes e Isabel de Lara e Moraes, com Maria Teresa de Jesus, f.l. do Alferes Pedro de Macedo Soutomayor e Maria Ribeiro, naturais e moradores nesta freguesia. Foram testemunhas Antonio da Silva Figueiro, homem casado da cidade de S. Paulo, Cosme Ferreira de Meirelles, homem casado, Maria da Rocha, viuva, e Ignez Pinta do Rego, viuva, moradora nesta freguesia )(pesq. Fabricio Gerin).

 

Cruz, Rodnei Brunete da, “Resumo do 1º livro de Casamentos de Santana de Parnaiba, colhidos por Silva Leme”, in Revista ASBRAP 2, Fl 114: José Fernandes, filho de João Fernandes Porto e Maria Paes, ambos fal., com Isabel de Lara, filha de José de Almeida Lara e Mariana de Siqueira (ano de 1716).

 

          José Paes de Almeida e Maria Teresa de Jesus comparecem em 1776 no Mapa de População de Mogi Mirim, no bairro Pirapitingui ele com 56 anos declarados, Maria Teresa com 50 anos e vários filho:

[Mapa de População de vila de Mogi Mirim, 1775, bairro Pirapitingui, fogo 247: José Paes de Almeida, soldado de cavalos, de 56 anos / Maria Teresa, mulher, de 50 anos / f.os: / José, granadeiro, ausente com licença, de 21 anos; João, granadeiro, de 18 anos; Felisberto, soldado de pé, de 13 anos; Isabel, de 12 anos; Mariana, de 11 anos / agregado: / Domingos, de 10 anos / um sítio por carta de venda que rendeu: de milho, alqueires 200; de arroz, alqueires 18; de amendoim, alqueires 40; porcos 30 – nestas 6 de ventre, crias 12; éguas 5 – nestas 4 de ventre, crias 2; cavalos 4] (pesq. Fabricio Gerim)

 

Foram filhos do casal, nascidos em Mogi Mirim-SP, q.d.:

1n-5-1 José, granadeiro, de 21 anos (em 1775), ausente com licença

1n-5-2 João Francisco Tavares, batizado aos 25-10-1756 em S. José do Mogi Mirim-SP.  Na ermida de N. Sra da Ajuda filial da matriz de N. Sra da Conceição das Carrancas-MG aos 14-02-1789, casou com Ana Joaquina de Oliveira, filha de Antonio Coelho de Oliveira e Ana Maria de Jesus.

 (pesq. Fabricio Gerim) Mogi Mirim, SP Igreja de S. Jose - batizado aos 25/10/1756 em São José de Mogi Mirim: João, f.l. de José [danificado] de Almeida e Maria Tere[danificado] Jesus – padrinhos: o Capitão Salvador Jorge de Moraes, casado, e Mariana Paes de Siqueira, mulher do Capitão Manoel de Pinho

 

Casamentos - Freguesia de N.S. da Conceição das Carrancas e Sta Ana das Lavras do Funil, aos 14-02-1789 Ermida N. Sra. da Ajuda filial desta, João Francisco Tavares, f.l. José Paes de Almeida e Maria Theresa de Jesus, n/b na freg. de S. Jose de Mogi Mirim Bispado de S. Paulo; = cc. Anna Joaquina de Oliveira, f.l. Antonio Coelho de Oliveyra e Anna Maria de Jesus, n/b freg. Aiuruoca.

 

(pesq. Fabricio Gerin) aos 08/11/1810, Antonio Coelho de Oliveira foi testemunha em uma justificação acostada ao inventário de Francisco Antonio de Souza, aberto na paragem do Quilombo, na aplicação de Nossa Senhora da Ajuda das Três Pontas, onde se diz: Antonio Coelho de Oliveira, homem branco, casado, natural de Bastos, e de presente morador no Quilombo da freguesia das Lavras do Funil, de 88 anos]

 

Casado segunda vez com Julia Maria do Nascimento, João Francisco testou na Campanha aos 15 de Julho de 1820 e faleceu aos 06-09-1821. Declarou os filhos de ambos os matrimonios (testamento neste site, colaboração de Fabricio Gerin).

 

Julia Maria do Nascimento, na capela de São José e Dores de Cabo Verde aos 22-03-1823, casou com Francisco Marques Leão, viúvo de Jacinta Maria.

 (pesq. Fabricio Gerin) Lavras, MG aos 22/03/1823 na capela de São José e Dores de Cabo Verde – testemunhas: João Antonio de Oliveira Tavares e Joaquim Antonio Martins – Francisco Marques Leão, viúvo de Jacinta Maria, morador nas Lavras, e Júlia Maria do Nascimento, viúva de João Francisco Tavares, moradora nesta aplicação de São José e Dores.

 

João Francisco e Ana Joaquina tiveram cinco filhos:

1n5-2-1 João, batizado em 19-03-1790.

(pesq. Fabricio Gerin) aos 19/03/1790 batizaram na ermida das Três Pontas JOÃO f.l. de João Francisco Tavares e Ana Joaquina de Oliveira – padrinhos: Antonio Coelho de Oliveira e Marta Antonia Ferreira.

1n5-2-2 Maria, em 31-08-1800. Estava casada em 1820.

 (pesq. Fabricio Gerin) aos 31/08/1800 foi batizada na capela das Três Pontas Maria, f.l. de Francisco Tavares e Ana Joaquina – padrinhos: José Paes de Almeida e Mariana Francisca, mulher de Ambrósio da Silva Bueno;

1n5-2-3 Ana Tavares, batizada cerca de 1801. Estava casada em 1820.

 (pesq. Fabricio Gerin) aos 16/03/1817 foi registrada tardiamente Ana Tavares – aparecerão Joaquim Gomes da Silva, casado, e roceiro, branco, e Manoel Pereira dos Santos, pardo, solteiro, sapateiro, ambos moradores nas Três Pontas, e por eles me foi dito que Ana Tavares, f.l. de Francisco Tavares e Ana Maria, fora batizada na capela das Três Pontas há 16 anos, sendo padrinhos Joaquim Gomes e Mariana Inácia]

1n5-2-4 Antonia, tambem estava casada em 1820.

1n5-2-5 Felisberto Antonio de Oliveira, batizado em 09-12-1804. Aos 20-11-1822 casou com Joana Antonia da Luz, filha de José Bento Nogueira e Ana Maria do Nascimento,

Lavras, MG Igreja Santana bat - aos 09-12-1804 na capela da Sra da Ajuda das Tres Pontas bat a Felisberto, f.l. João Francisco Tavares e Ana Joaquina de Oliveira, padrinhos Joaquin Antonio de Oliveira e Brigida Maria, todos desta freguesia.

 

(pesq. Fabricio Gerin) Lavras, MG  aos 20/11/1822 na capela de São José e Dores de Cabo Verde – testemunhas: Joaquim Antonio Martins e João Antonio de Oliveira – Felisberto Antonio de Oliveira, f.l. de João Francisco Tavares e Ana Joaquina de Oliveira, nascido e batizado nas Três Pontas, e Joana Antonia da Luz, f.l. de José Bento Nogueira e Ana Maria do Nascimento, nascida e batizada nas Lavras, moradores nesta aplicação de São José.

 

João Francisco e Julia Maria tiveram três filhos:

1n5-2-6 Ludovina

1n5-2-7 Joaquim Antonio de Oliveira aos 19-08-1833 casou com Maria Luciana, filha de Rodrigo Antonio e Pulqueria Carolina.

(pesq. Fabricio Gerin) aos 19/08/1833 na Matriz de São José – Joaquim Antonio de Oliveira, filho de João Francisco Tavares e Júlia Maria, natural desta freguesia, e Maria Luciana, filha de Rodrigo Antonio e Pulquéria Carolina, natural do Bom Sucesso.

1n5-2-8 Francisco.

 

1n-5-3 Felisberto, batizado em 17-12-1758.

(pesq. Fabricio Gerim) Mogi Mirim, SP Igreja de S. Jose– aos 17/12/1758 batizaram em São José de Mogi Mirim Felisberto, nascido aos 07 do dito mês e ano, f.l. de José Paes de Almeida e Maria Teresa de Jesus, n.p. de José Fernandes Paes e Isabel de Lara e Moraes, n.m. de Pedro de Macedo Sotto Mayor, natural de Portugal, cuja freguesia se ignora, e Maria Ribeiro, todos naturais e batizados na freguesia de Santana da vila de Parnaíba – padrinhos: Manoel Rodrigues de Araújo Belém, por sua procuração cometida ao Capitão Domingos Nunes Paes, e Maria de Siqueira ...

 

1n-5-4 Izabel Maria de Jesus, batizada em 18-02-1784.Em Itapetininga, SP, aos 18-02-1784 casou com Nicolao de Oliveira Pedroso, natural de Sorocaba, filho de Manoel de Oliveira Pedroso natural de Parnaiba e Andreza Nunes natural de Sorocaba, neto paterno do portugues Duarte de Tavora Gamboa e Maria de Serqueira natural de Itu-SP, neto materno de Lourenço Nunes Bicudo natural da cidade de S. Paulo e Maria Ribeira natural de Sorocaba.

(pesq. Fabricio Gerim) Mogi Mirim, SP Igreja de S. Jose– aos 10/08/1760 batizaram em São José de Mogi Mirim Isabel, nascida ao 1º do dito mês e ano, f.l. de José Paes de Almeida e Maria Teresa de Jesus, n.p. de José Fernandes Paes e Isabel de Lara e Moraes, n.m. de Pedro de Macedo Soto Mayor e Maria Ribeiro, todos naturais e batizados na freguesia de Santana da vila da Parnaíba, exceto o avô materno, de quem só se sabe que é natural de Portugal – padrinhos: o Capitão Domingos Nunes Paes e sua mulher Maria de Godoy]

 

 

Itapetininga, SP Igreja N Sra dos Prazeres matr. Aos 18-02-1784 nesta igreja matriz Nicolao de Oliveira Pedroso, fregues desta freguesia e n. de Sorocaba , f.l. Manoel de Oliveira Pedroso natural de Parnaiba e Teresa Nunes, digo Andreza Nunes natural de Sorocaba, np Duarte de Tavora Gamboa natural das partes de Portugal e s/m Maria de Serqueira n. da vila de Itu, nmaterno de Lourenço Nunes Bicudo n. da cidade de S. Paulo e s/m Maria Ribeira n. Sorocaba = cc Izabel Maria de Jesus natural de Mogi Mirim, f.l. Jose Paes de Almeida e Maria Helena naturais de Parnaiba, npaterna de José de Almeida e s/m Izabel de Lara de Moraes naturais da mesma vila, neta materna de Pedro de Macedo Souto Mayor natural das partes de Portugal e s/m Maria Ribeira n. da Parnaibas.

Test.: Jose Moreira da Silva e Jose Nunes Maciel.

         Nicolau e Izabel se estabeleceram nas Minas Gerais onde tiveram, pelo menos, os filhos:

1n-5-4-1 Antonio Francisco de Oliveira, natural de Lavras do Funil. Em S. João del Rei aos 17-02-1817 casou com Balbina Leocadia da Silva, filha de Manoel José Ribeiro Bastos e Antonia Bernardina de Sene, neta materna do Dr Gomes da Silva Pereira e Maria Caetana Rosa da Anunciação, família “Silva Pereira”, neste site.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar de S. João del Rei-MG e Capelas Filiadas aos 17-02-1817 Antonio Francisco de Oliveira, da freg. Lavras do Funil, f.l. Nicolau de Oliveira Pedroso e Izabel Maria de Jesus = cc Balbina Leocadia da Silva, desta, f.l. Manoel Jose Ribeiro Bastos e D. Antonia Bernardina de Sene. Test.: Francisco Xavier de Castro e Francisco Pinto Magalhães.

1n-5-4-2 Manoela, batizada em 05-05-1793

Lavras, MG Igreja Santana Lv Suplementos aos 05-05-1793 nesta matriz bat a Manoela, f.l. Nicolau de Oliveira Pedroso e Izabel Maria de Jesus, padr.: Antonio Jose A---- e Maria do Carmo..

 

1n-5-5 Mariana Paes, com 11 anos em 1775 |(mapa de população). Em Itapetininga aos 01-05-1786 casou com Ambrosio da Silva, filho de Antonio da Silva Portes e Teresa Buena de Brito, naturais da Parnaiba (SL. 4, 300, 4-3).

Itapetininga, SP Igreja N Sra dos Prazeres matr. Aos 01-05-1786 nesta igreja matriz Ambrosio da Silva, n. da freg. de Mogy Guaçu, f.l. Antonio da Silva Portes natural de Parnaiba e Teresa Buena de Brito natural de Parnaiba, avós ignora = cc Mariana Paes de Almeida natural de Mogi Mirim, f.l. Jose Paes de Almeida natural de Parnaiba e Maria Helena natural de Parnaiba, avós maternos ignora. Test.: Francisco Lopes Siebra e Inacio Vaz de Godoy

Ambrosio e Mariana tiveram, q.d.:

1n-5-5-1 Joaquim José de Moraes, aos 20-11-1808 Capela N.Sra. Ajuda das Três Pontas, filial desta matriz de Sta Ana das Lavras do Funil, casou com Maria Rodrigues da Silva Chaves, filha Francisco José Rodrigues e Maia Pires da Costa. Geração na familia “João Pires da Costa”.

 

1n-6 Ignez Ribeira de Macedo com 24 anos em 1744 tirou provisão para se casar, como casou aos 18 do mês seguinte, com Antonio Pereira de Azevedo, natural da Ilha Terceira, filho dos falecidos João Pereira de Azevedo e de Maria da Luz.

ACMSP Dispensas Matrimoniais ano 1744

Antonio Pereira de Azevedo e Ignez Ribeira de Macedo 14-abril-1744 anos

Antonio Pereira de Azevedo, f.l. de João Pereira de Azevedo e de Maria da Luz, ambos defuntos, natural da ilha Terceira, Bispado da cidade de Angra e batizado na Sé da mesma freguesia da cidade de Angra e agora morador na vila da Parnaiba.

Ignez Ribeira de Macedo, f.l. do Alf. Pedro de Macedo Souto Maior, ja defunto e de s/m Maria Ribeira, natural da vila de Parnaiba termo da cidade de S. Paulo Bispado do Rio de Janeiro e batizada na freguesia da mesma vila da Parnaiba da Sta. Ana, e de presente moradora na mesma vila.

Depoimento da contraente Ignez Ribeira de Macedo: (...) tinha de idade 24 anos,

 

Santana de Parnaiba, SP matr 1722-1759 im 117 aos 18-maio-1744 nesta matriz se receberam Antonio Pereira de Azevedo, n. da Ilha Terceira Bispado de Angra, f.l. de João Pereira de Azevedo e Maria da Luz sua mulher = com Ignez Ribeira de Macedo, n. desta vila, f.l. do Alf. Pedro de Macedo Souto Maior . Ambos os contraentes moradores nesta vila. Testemunhas Sebastião de Lima, casado e Jose Ribeiro de Araujo, casado, Margarida da Silva mulher de João Bicudo de Brito e Joana do Prado mulher de Luiz --- Ribeiro de Siqueira, todos moradores nesta vila.

Pais de, pelo menos:

1n-6-1 Maria da Luz de Jesus, batizada na Parnaiba em 16-12-1745, casou duas vezes. Primeira vez aos 07-01-1774 casou com João da Rosa Franco, batizado aos 24-07-1716 na igreja de S. Miguel do lugar das Lajes termo da vila da Praia Bispado de Angra, filho de Manoel Pereira Goularte e de s/m Domingas de Faria naturais da ilha do Faial, neto paterno de João Pereira Gularte e de s/m Ana de Faria naturais da freguesia do Espirito Santo lugar da Feteira da ilha do Faial, neto materno de Francisco Dutra e de s/m Beatriz de Lemos naturais da dita freguesia do Espirito Santo lugar da Feteira. Sem geração deste matrimônio.

ACMSP Dispensas Matrimoniais ano 1774 Autos de Casamento de João da Rosa Franco e Maria da Luz de Jesus - 04-janeiro-1774

Banhos:

Faço saber que na paroquial igreja de S. Miguel o Anjo do lugar das Lagens termo da vila da Praia desta ilha, foi denunciado em tres dias festivos (...) Joam da Rosa Franco, f.l. de Manoel Pereira Goularte e de s/m Domingas de Faria, n/b na dita paroquial igreja de S. Miguel o anjo do dito lugar das Lagens, e por ora assistente em a vila de Santa Ana da Parnaiba Bispado de S. Paulo (...).  O denunciado Joam da Rosa Franco nela fora batizado em os 24 dias do mes de julho de 1716 em fé do que mandei passar a presente.

 

Certidão: aos 16-dezembro-1745 bat Maria, f.l. de Antonio Pereira de Azevedo e Ignez Ribeira de Macedo, foram padrinhos Guilherme do Amaral Silva, casado e Maria Ribeira, viuva, moradores nesta vila da Parnaiba. Parnaiba 2 de janeiro de 1774.

 

Depoimento do Justificante: (...) tem de idade 58 anos pouco mais ou menos; que teria 32 anos, pouco mais ou menos, quando saiu de sua patria, e que dela veio à cidade do Rio de Janeiro onde assistiu pouco mais de mes e meio, e que dai logo passara a vila de Santo onde esteve dez ou doze dias e que subindo a cidade de S. Paulo por onde passou sem demora alguma, viera a esta freguesia da Parnaiba em a qual tem assistido ate o presente a mais e vinte e dois anos. Tambem declarou que seu estado é de solteiro livre, e desempedido e que nunca fizera voto de castidade (...).

 

Santana de Parnaiba, SP aos 07-janeiro-1774 nesta matriz se receberam João da Rosa Franco, n. da ilha Terceira Bispado de Angra, f.l. de Manoel Pereira Gularte e de Domingas de Faria naturais da ilha do Faial, neto paterno de Joam Pereira Gularte e de s/m Ana de Faria nts da freguesia do Espirito Santo lugar da Feteyra da ilha do Faial, neto materno de Francisco Dutra e de s/m Beatriz de Lemos nts da dita freguesia do Espirito Santo lugar da Feteyra = com Maria da Luz de Jesus, n. desta freguesia, f.l. de Antonio Pereira de Azevedo n. da Ilha Terceira Bispado de Angra e de Ignez Ribeira de Macedo, n. desta freguesia, neta paterna de Joam Pereira de Azevedo e de s/m Maria da Luz nts da ilha Terceira, e neta materna do Alf. Pedro de Macedo Souto Mayor, n. da Vila Real e de s/m Maria Ribeira, natural desta freguesia. Test.: Francisco Pereira de Azevedo, solterio, Antonio de Abreu e S.ª, homem casado, Escolastica Ribeira mulher de Manoel Jose de Pontes, e Catarina da Silva mulher de Felipe de Abreu, moradores nesta freguesia.

Segunda vez aos 25-09-1781, Maria da Luz de Jesus casou com José Maurício Rocha Campos, batizado na Parnaiba em 18-07-1736, filho de Mauricio da Rocha Campos, n. da freguesia de S. Bartolomeu de São Gens Comarca de Guimarães Arc. de Braga e de s/m Josefa de Cubas n. desta freguesia, neto paterno de Bartolomeu da Rocha do Canto e de Catarina Rodrigues, ambos naturais da freguesia de S. Bartolomeu de São Gens, neto materno de João Rodrigues da Costa, n. de Torres Vedras Arc. de Lisboa e de s/m Ana dos Reis n. desta freguesia (SL. 7º, 186, 6-5).

ACMSP Dispensas Matrimoniais ano 1781

Autos de Casamento de Jose Mauricio da Rocha Campos e Maria da Luz de Jesus - 13-setembro-1781.

Ele f.l. de Mauricio da Rocha Campos e de Josefa de Cubas, n/b nesta freguesia de S. Ana de Parnaiba,

Maria da Luz de Jesus, viúva de João da Rosa Franco, todos moradores nesta mesma freguesia.

Certidão: aos 18-julho-1736  bat a Jose, f. de Mauricio da Rocha Campos e de s/m Josefa de Cubas, foram padrinhos o Cap. Simão Francisco Serra e Izabel dos Reis mulher de Pedro de Medeiros da Costa. (bat 1722-1764 im 105)

- aos seis dias do mes de [danificado] de mil setecentos e -------- anos faleceu João da Rosa Franco, de idade de sincoenta e sete anos, pouco mais ou menos, natural da Ilha Terceira, f.l. de Manoel Pereira Gularte e de Domingas de Faria, casado com Maria da Luz de Jesus. Sepultado na igreja matriz desta freguesia. Não deichou filhos. Parnaiba 05 de dezembro de 1780.

 

Certidão de Impedimentos (...) Denunciados os contraentes acima nomeados em três dias festivos na forma da Santa Igreja e saiu a Ignacia do Amarante, mulher solteira, moradora nesta freguesia, e me disse que a contraente é sua prima irmã, e que ela impediente teve tratos ilícitos com o contraente prometendo --- casar-se com ela; e me disse mais que a contraente fora madrinha de um filho que o contraente teve de uma escrava de ---- Alvares, morador nesta freguesia. 

 

(...) foram vindos perante mim, e foram inquiridos os mesmos impedido José Maurício, e impediente Ignacia do Amarante segundo os seus depoimentos, depois por meu despacho foram os autos ao --- promotor --- requereu na forma seguinte: Procede o impedimento -----ao contraente a impediente Ignacia do Amarante não só pelo que depoe a mesma, mas também pela ----- do mesmo impedido a folhas quatro verso como do primeiro depoimento se vê; e pela --- cita a promessa que diz a impediente lhe fazia o impedido --- (...)

 

 (...) Diz José Maurício da Rocha Campos, da vila de Parnaiba, que fazendo se proclamar com Maria da Luz de Jesus para se casarem lhe sairam a impedir o seu casamento por falsas informações, e procedendo-se as diligencias perante Vossa Mercê se julgaram procedentes os ditos impedimentos dos quais quer o suplicante haver vistas para seus meios de embargos mostrar --- sub-reptícia, e falsidade deles, por isso pede a Vossa Mercê se digne mandar-lhe dar vista na forma do estilo E Receberá Mercê. 

 

 (...) Embargos do teor seguinte: José Maurício da Rocha Campos, da vila de Parnaíba, com legítimos embargos de nulidade para senão com Maria da Luz de Jesus, e a fim de que se julguem improcedentes os ditos impedimentos diz na melhor forma de Direito, e sendo necessário provará que fazendo-se proclamar o Embargante na vila de Parnaíba para se casar com Maria da Luz de Jesus, lhe saiu Ignacia do Amarante arguir do que o Embargante lhe prometera casamento para haver de conseguir o trato, e comércio ilícito, que com ela teve, e não obstante esta falsidade de promessa pretende o suplicante apresentar quitação da mesma para [danificado] Ignacia do Amarante --- a fim de impedir o casamento do Embargante que era prima irmã da contraente Maria da Luz, por consanguinidade; e que por isto estava o Embargante impedido para se poder casar depois de haver tratado, carnalmente, a dita Impediente; o que --- provará que ainda que na verdade o Embargante conhece carnalmente a dita Impediente, não está impedido para se casar com Maria da Luz de Jesus, porque o parentesco que procede de cópula ilícita se estende somente até o segundo grau inclusive, e a impediente era em terceiro grau de consanguinidade com a contraente Maria da Luz, que não é prima irmã desta; porque provará que João de Barros foi irmão de Maria Ribeira, e que desta Maria Ribeira nasceu Ignacia Ribeira de quem é filha a impedida Maria da Luz. Provará que de João Fernandes Barros nasceu Escolástica Ribeira, e de Escolástica Ribeira nasceu a Impediente Ignacia do Amarante, e nestes termos é a Impediente prima segunda da contraente Maria da Luz de Jesus, com quem está em terceiro grau de consanguinidade, e fora do impedimento como saído pelo trato ilícito do Embargante com a Impediente, como melhor se mostra na Árvore que apresenta. Provará que suposto a contraente Maria da Luz fosse madrinha da filha de Bárbara, escrava de Laureano Alvares, e que algumas pessoas se persuadam que fosse filha do Embargante pelo comércio que com ela teve; este impedimento também se deve julgar improcedente, não só porque o Embargante não comunicou com a mãe desta criança no tempo em que ela a concebeu; como porque a mesma confessa e conhece que o pai dela é outro sujeito, e não o Embargante. Provará que nestes termos, e os de Direito se devem julgar improcedentes os ditos impedimentos, havendo-se os embargos por provados, e o Embargante por livre, e desimpedido para o Matrimônio que pretende; e de forma pública Pede recebimento, e cumprimento de Justiça omni meliori juris modo.

 

Autos Conclusos aos -- de setembro de 1781

 

Santana de Parnaiba, SP aos 25-setembro-1781 nesta matriz, com provisão passada aos 13 de julho do presente ano se receberam Jose Mauricio da Rocha Campos, n. desta freguesia, f.l. de Mauricio da Rocha Campos, n. da freguesia de S. Bartolomeu de Sam Gens Comarca de Guimarães Arc. de Braga e de s/m Josefa de Cubas n. desta freguesia, neto paterno de Bartolomeu da Rocha do Canto e de Catarina Rodrigues, ambos naturais da freguesia de S. Bartolomeu de Sam Gens, neto materno de João Rodrigues da Costa, n. de Torres Vedras Arc. de Lisboa e de s/m Ana dos Reis n. desta freguesia = com Maria da Luz de Jesus, viuva de João da Rosa Franco, e ela natural desta freguesia, f.l. de Antonio Pereira de Azevedo n. da ilha Terceira Bispado de Angra e de Ignez Ribeira de Macedo, n. desta freguesia, neta paterna de Joam Pereira de Macedo e de s/m Maria da Luz, naturais da Ilha Terceira, e neta materna do Alferes Pedro de Macedo Souto Mayor, n. de Vila Real e de s/m Maria Ribeira n. desta freguesia onde ambos os contraentes são moradores. Test.: Antonio Joaquim de Athaide, filho solteiro de Jose da Costa Ferreira, Joam Rodrigues de Campos, Gertrudes Rodrigues, e Rosa Rodrigues filhos solteiros de Mauricio a Rocha Campos, moradores nesta freguesia.

Maria da Luz faleceu em 30 de agosto de 1803, com 55 anos, deixou três filhos e uma filha. José Mauricio, dispensados do impedimento de afinidade lícita em 2º grau, aos 28-04-1808 casou com Maria de Jesus, natural de Lorena-SP com 60 anos, filha de Manoel Ferreira de Jesus e Helena Barbosa e viúva de José Rodrigues da Costa falecido aos 31-05-1806 (SL. 7º, 185, 6-4). José Mauricio faleceu aos 25-10-1829 na Parnaíba.

ACMSP Dispensas Matrimoniais ano 1808

Dispensa da Parnaiba

Autos de Dispensa a favor de Jose Mauricio da Rocha Campos e Maria de Jesus 27-abril-1808

Dispensa do 2º grau de afinidade por copula licita.

PP o orador foi primo irmão de Jose Roiz da Costa com quem foi casada a oradora.

Testemunhas:

1- Cap. Manoel Joaquim Jardim, homem branco, casado, morador nesta vila, vive de seu oficio de tabelião, de idade de 52 anos. Primo irmão dos oradores.

Q é verdade que os oradores são primos irmãos em razão da oradora ter sido casada com Jose Rodrigues da Costa, primo irmão do orador.

2- Manoel dos Anjos de Oliveira, homem branco, solteiro, morador nesta vila de idade 54 anos.

 

Depoimento dos oradores

Dizem os oradores Jose Mauricio da Rocha Campos e Maria de Jesus, da vila da Parnaiba, ambos viúvos - 2º grau de afinidade por cópula licita

Autos de casamento - 27-abril-1808

Quer casar Jose Mauricio da Rocha Campos, viuvo de Maria Luz e filho de Mauricio da Rocha Campos e Josefa Cubas = com Maria de Jesus, viuva de Jose Rodrigues e Brito e filha de Manoel Ferr.ª de Jesus e Elena Barbosa, ambos fregueses desta vila de Parnaiba - parentesco de 2º grau de afinidade.

Certidões:

- aos 30-agosto-1803 nesta vila de Santa Ana da Parnaiba , na idade de 55 anos mais ou menos, de enfermidade de inflamação no estomago faleceu Maria da Luz casada que era com Jose Mauricio da Rocha, f.l. de Antonio Pereira de Azevedo e Ignez Ribeira, ja falecidos. Sepultada dentro desta matriz, não fez testamento, era pobre. Deixou tres filhos e uma filha. (ob 1797-1830 im 41).

- aos 31-maio-1806 nesta vila de Santa Ana da Parnaiba, na idade de setenta anos com pouca diferença, de enfermidade de hidropcia, faleceu Jose Rodrigues da Costa, casado que era com Maria de Jesus, natural e fregues da Igreja desta vila, f.l. dos falecidos João Rodrigues da Costa e Ignez de Lima, e morador que era no seu sitio no bairro de Yutuparim. Foi sepultado no dia primeiro de junho na igreja matriz. Fez testamento, determinou o seu enterro e pediu missas por sua alma. Freguesia de Sta. Ana da Parnaiba 25 de abril de 1808. (ob 1797-1830 im 62).

 

Santana de Parnaiba, SP Jose Mauricio da Rocha Campos e Maria de Jesus - aos 28-abril-1808 nesta matriz dispensados do parentesco em 2º grau por afinidade se casaram Jose Mauricio da Rocha Campos, viuvo de Maria da Luz, de idade de 70 e tantos anos, natural desta vila = com Maria de Jesus, viuva de Jose Rodrigues da Costa, de idade de 60 anos pouco mais ou menos, ambos fregueses desta vila. Ele f.l. de Mauricio da Rocha Campos e Josefa Cubas, defuntos, Ela f.l. de Manoel Ferreira de Jesus e Helena Barbosa, natural penso da freguesia de Santo Amaro. Test.: Antonio Joaquim de Oliveira e João Lourenço da Encarnação.

 

Santana de Parnaiba, SP aos 25-10-1829 nesta matriz na idade de noventa e quatro anos, de infermidade de velhice, faleceu José Mauricio da Rocha Campos, casado que era com Maria de Jesus, e filho de Mauricio da Rocha Campos e de Josefa de Cubas. Sepultado dentro desta matriz no dia 26. Não fez testamento, era pobre e deixou família.