PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

QUADROS

 

Teve começo esta família em S. Paulo em Bernardo de Quadros, natural de Sevilha, reino de Espanha, de nobre ascendência, que ocupou em S. Paulo os cargos de provedor e administrador das minas e o de juiz de órfãos em 1599. Casou em S. Paulo com Cecilia Ribeiro, natural do Porto, falecida com testamento em S. Paulo em 1667, f.ª de Estevão Ribeiro Bayão Parente, natural da cidade de Beja, e de Magdalena Fernandes Feijó de Madureira, natural do Porto. Faleceu Bernardo de Quadros com testamento em 1642 e teve (C. O. de S. Paulo) os 6 f.ºs.:

 

 

Bartyra Sette

Fabricio Gerin

 

Bernardo de Quadros e Cecilia Ribeiro formam o casal tronco do “Titulo Quadros” da GP. Segundo Processo de Genere et Moribus do neto Bernardo, Bernardo de Quadros era natural da cidade de Sevilha e Cecília natural da cidade do Porto.

O casal fez testamento conjunto em 08-10-1642 e Bernardo foi inventariado em 07-04-1643. Cecilia testou em 26-05-1662 com Codicilio de 04-10-1662. Foi inventariada em 1664. Ambos declararam seis filhos de seu casal, três machos e três femeas:

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventario de Bernardo de Quadros

Autos aos 07 de Abril de 1643 vila S. Paulo

Declarante Cecilia Ribeira, dona viuva. Assina a seu rogo Bernardo de Souza.

Titulo dos Filhos:

--------ia de Quadros mulher de ------------cio de Castilho,

----------- Ramires de quadros mulher de Bernardo de Souza

-------------- das Neves mulher de ----------- Benavides.

----------- de Quadros casa--

Bartolomeu de Quadros, casado

Bernardo Ribeiro, solteiro, desassisado.

 

Testamento: aos 08-10-1642 estando nós Bernardo de Quadros e Cecilia Ribeira, mulher, (...).

Declaramos que temos seis filhos, tres machos e tres femeas. As filhas foram dotadas.

Nossos filhos ---------------- e Bartolomeu de Quadros não tem cousa --------.

Curadoria de nosso filho Bernardo Ribeiro homem de idade que passa de quarenta anos.

(.....)

 

Inventariada Cecilia Ribeira

Autos aos 11  de ---- de 1664 vila S. Paulo no sitio em casas de morada da defunta [-------------]

Titulo dos filhos [danificado]

Ascenco de Quadros

Bernardo Ribeiro

Bartolomeu de Quadros

Maria de Quadros

Benta das Neves

Estefania Ramires

Testamento aos 26-05-1662 eu Cecilia Ribeira (...).

Testamenteiros o Revdo Padre Sebastião de Freitas e o Re--------------------.

Fui cc Bernardo de ----------------- e tivemos tres filhos e tres filhas:---------- = ----------- de Quadros, ja defunto = Bartolomeu de ------- = --------------- = -------evania Ramires, ja defunta = Benta das Neves ----------- =

Minha neta Cecilia Ribeira filha de ------------ de Quadros.

Remanescente de minha terça deixo a minha filha Maria de -------------- para dote de sua filha Rozalia de Castilho.

Rogo a Antonio Ribeiro de Moraes e a Bernardo de Souza queiram ser ---------------- de meu filho Bernardo Ribeiro por não ser capaz para fazer testamento.

Declaro que meus filhos ja defuntos Ascenço de Quadros e Bartolomeu de ------------ coisa com que deva entrar ----------------.

Codicilo aos 04-10-1662 eu Cecilia Ribeira. Afligindo-me a pouca capacidade que meu filho Bernardo Ribeiro tem por ser mentecapto e incapaz de se governar (...) instituo para seu tutor o Padre João de Souza, meu neto.

 

1- Capitão Ascenço de Quadros faleceu com testamento e foi inventariado em sua fazenda na paragem Juqueri, termo da vila de S. Paulo aos 25-10-1659 por sua viúva Ana Pereira. Sua única filha, já falecida, foi representada por seus dois filhos:

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Autos do inventario do Cap. Ascenso de Quadros

aos 25-10-1659 nesta vila de S. Paulo na paragem chamada Juqueri na fazenda.

Declarante a viuva Ana Pereira mulher do dito defunto assinou a seu rogo Miguel Nunes, o moço

Titulo dos Herdeiros:

Ana, de dois anos

João -------, de nove meses

 

Testamento

(...) 1659

Declara dividas e negocios.

Declaro que tenho dois netinhos Ana e João, filhos que ficaram de filha minha, mulher de Antonio Pires.

Cumpra-se 17-07-1659

Ascenso de Quadros nomeou por seu testamenteiro ao Pe. João de Souza, o Cap. Antonio Ribeiro de Moraes e s/m Ana Pereira.

1-1 Cecilia Ribeiro, inventariada em abril de 1659, foi casada com Antonio Pires, filho de João Pires, inventariado em 1670 e Messia Rodrigues em 31-10-1668 (SAESP vol. 17 neste site).

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariada Cecilia Ribeiro

Autos aos 2- de abril de 1659 nesta vila de S. Paulo.

Titulo dos filhos:

--- de 2 anos

---- de seis meses.

Quinhão do viuvo

 

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

João Pires 1670

[muito danificado]

Diz Manoel Dias da Silva, morador nesta vila de S. Paulo que lhe é necessaria uma certidão que declare que na verba do testamento de seu sogro João Pires, consta falar de uma rapariga por nome Rufina - 30-03-1672.

 

          Os dois filhos do casal comparecem nos inventários do avô materno e da avó paterna:.

1-1-1 Ana com dois anos em 1659

1-1-2 João, nascido em 1658.

 

2- Bartolomeu de Quadros casou com Izabel Bicuda de Mendonça, filha de Manoel Pires e Maria Bicudo, naturais da cidade de S. Paulo (processo de Genere et Moribus do neto Bernardo). Maria Bicudo, viúva, testou em 27-6-1659 e foi inventariada em 21-01-1660 (SAESP vol. 16, neste site).

          Bartolomeu foi inventariado por Izabel em 12-11-1649.

Nota: Baltazar de Quadros, citado em 1-9 na GP, não foi filho de Bartolomeu e Izabel. O Bernardo citado é filho de 2-4 abaixo.

1-9 Balthazar de Quadros, foi casado com... Teve q. d.: 2-1 Bernardo de Quadros, casado em 1703 (C. Ec. de S. Paulo) com sua parenta em 4.º grau de consangüinidade Francisca Cubas de Brito,

 

Segundo o inventário de Bartolomeu (SAESP vol. 39 neste site), foram oito os filhos do casal, todos menores (idades em 12-11-1649):

2-1 Antonio, 14 anos. Antonio de Quadros foi o primeiro marido de Sebastiana Diniz.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariado Antonio de Quadros

Testamento no ano de 1664 eu Antonio de Quadros (...).

(...) em que esta enterrada minha avo Maria Bicuda.

Sou f.l. de Bartolomeu de Quadros e Izabel Bicuda, Sou cc Sebastiana Diniz da qual ate o presente não temos filhos e está a dita pejada. Vindo a lume é meu herdeiro e não minha mae Izabel Bicuda fica sendo minha legitima herdeira.

Testamenteiros meu cunhado Francisco de Arruda de Sa.

(...) meu cunhado Gaspar de Brito.

22-06-1664 - Antonio de Quadros

 

Termo de Curadoria aos 07 de marco de 166? Izabel Bicuda, dona viuva e por ela foi dito que lhe tocava a curadoria de seu neto, filho de seu filho Antonio de Quadros, porquanto estava casada sua nora Sebatiana Diniz mãe do menino. Fez o dito juiz curadora de seu neto Bartolomeu. Assinou a seu rogo seu filho Padre Bernardo de Quadros.

Antonio testou em 22-06-1664, deixou filho único de seu casal

2-1-3 Bartolomeu, tutelado da avo paterna após o segundo casamento da mãe.

 

2-2 Maria de Quadros, 12 anos em 1649. Aos 02-09-1651 já estava casada com Francisco de Arruda de Sá.

2-3 Cecilia, com 10 anos.

2-4 Bartolomeu, com 9 anos. Em Santana de Parnaiba-SP em 1670, Bartolomeu de Quadros casou com Ana Correa, filha do falecido Serafino Correa e Izabel de Anhaya.

Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Bartolomeu de Quadros, filho de Bartolomeu de Quadros e de Isabel Bicudo, com Ana Correa, filha de Serafino Correa, fal., e de Isabel de Anhaya (ano de 1670)

          Bartolomeu testou em 29-07-1722 e Codicilio de 18-10-1728, com cumpra-se na Vila de Itu em 14-11-1729 (SAESP vol. 26º, neste site). Declarou sete filhos que existiam em1722, entre eles:

2-4-1 José Correa de Quadros, testamenteiro paterno.

2-4-2 Bernardo de Quadros tambem testamenteiro paterno, nomeado no Codicilio. Em 01-10-1703 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 4º grau para se casar com Francisca Cubas de Brito, filha de Maria Ribeira, neta materna de João Bicudo, este filho de Antonio Bicudo irmão de Maria Bicuda mãe de Izabel Bicuda de Mendonça, esta avó de Bernardo de Quadros.

RMJ ACMSP V 3- Est 4 Gav 1

Bernardo de Quadros e Francisca Cubas de Brito - 01-10-1703, moradores na Parnaiba parentes no 4º grau por consanguinidade.

Maria Bicuda e Antonio Bicudo eram irmãos

De Maria Bicuda nasceu Izabel Bicuda que era mãe de Bartolomeu de Quadros pai do orador.

Antonio Bicudo gerou João Bicudo e este gerou Maria Ribeira mãe da oradora

Descendem de neófitos, posto que em grau remoto

Entre as testemunhas:

Luiz Soares, 46 anos, parente da oradora por consaguinidade em 4 grau.

Entre os filhos de Bernardo, já falecido em 1742 (casamento do filho Antonio) citados em SL. 4, 520, 2-1:

2-4-2-1 Maria, legatária do avô paterno:”e sendo reste alguma coisa deixo se dê a minha neta Maria filha de meu filho Bernardo”.

          Em Itu-SP em março de 1729, Maria de Quadros casou com João Anselmo de Oliveira, filho dos falecidos Baltazar da Costa Vilera e Maria Diniz de Lima.

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria matr. Joam Anselmo de Oliveira, f. de Baltazar da Costa Vilera e de s/m Maria Diniz de Lima, ja defuntos = cc Maria de Quadros, f. de Bernardo de Quadros e s/m Francisca Cubas, nts ambos e moradores nesta propria vila. Test.: Antonio Martini da Cunha e ---- março de 1730.

2-4-2-2 Antonio de Quadros, em Itu aos 29-12-1742, casou com Antonia Pereira, natural de Curitiba-PR, filha do falecido João Baptista natural da vila de Santos e Catarina Dias Cortes, natural de Curitiba.

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria. matr = aos 29-12-1742 nesta matriz se casaram Antonio de Quadros, natural e morador desta vila, f. de Bernardo de Quadros, ja defunto natural da vila de Parnaiba e de s/m Francisca Cubas natural da mesma vila, todos moradores desta vila = cc Antonia Pereira, natural e moradora da vila de N Sra da Luz de Coritiba filha de João Baptista natural da vila de Santos e s/m Catarina Dias natural da dita vila de Coritiba de onde são todos moradores e o dito João Baptista já defunto. Test.: João da Costa de Oliveira, casado e João Baptista Pereira, casado e ambos moradores desta vila.

2-4-2-3 Ana de Meira natural de Itu onde aos 03-12-1742 casou com João Batista Pereira, natural de Curitiba-PR, irmão inteiro de Antonia Pereira, supra citada.

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria matr = aos 03-12-1742 nesta matriz se casaram João Bauptista  Pereira, f.l. João Bauptista Pereira e de s/m Catherina Dias Cortes, todos naturais da vila de Curitiba = cc e Ana de Meira, f. de Bernardo de Quadros, já defunto e de s/m Francisca Cubas, natural e moradora nesta vila. Testemunhas Cel. João de Mello Rego, Xisto de Quadros, homens casados e moradores desta vila.

2-5 Izabel de Quadros, com 7 anos em 1649. Em 5-10-1658 já estava casada com Sebastião de Arruda Botelho. Viúva, Izabel faleceu em Itu em maio de 1721.

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria obitos = Izabel de Quadros, mulher do defunto Sebastião de Arruda faleceu com todos os sacramentos, fez seu testamento em que instituiu por testamenteiros a seus filhos Pe. Jeronimo Botelho, Francisco de Arruda, Pascoal de Arruda. Aos -- de Maio de 1721.

 

2-6 Ana de Quadros, com 5 anos em 1649. Casou em 1665 em Santana de Parnaiba com Andre de Sampaio falecido em Itu aos 05-04-1719.

Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Andre de Sampaio, f. de ---- e ----, com Ana de Quadros, f. ---- e ---- Test.: Felipe de Campos, Francisco de Arruda, Ana de Lima e Maria de Quadros - ano de 1665)

 

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria obitos - aos 05-04-1719 faleceu Andre de Sampaio, homem reinol, casado nesta vila. Deixou como testamenteiros cusa mulher Ana de Quadros com seus filhos Joseph de Sampaio e Andre de Sampaio

 

2-7 Estefania de Quadros, 3 ano. Em 10-6-1669 casou com Manoel Velho, filho de Baltazar de Godoy e Maria Jorge (SL. 6, 46, 1-5)

Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Manoel Velho, f. de Baltazar de Godoy e Maria Jorge = com Estefania de Quadros, f. de Bartolomeu de Quadros e Izabel Bicudo (ano de 1669)

 

2-8 Bernardo, batizado aos 24-12-1647, filho de Bartolomeu de Quadros e Isabel Bicudo, neto paterno de Bernardo de Quadros, natural da cidade de Sevilha, e Cecília Ribeiro, natural da cidade do Porto, neto materno de Manoel Pires e Maria Bicudo, naturais da cidade de São Paulo

(pesq. Fabricio Gerin) batizado aos 24/12/1647 na Sé de São Paulo (certidão acostada ao Processo de genere et moribus: Bernardo, f. de Bartolomeu de Quadros e Isabel Bicudo - padrinhos: João Paes Ferreira e Jerônima de Mendonça), e habilitado de genere et moribus em 1670 (diz Bernardo de Quadros, morador na vila de Santana de Parnaíba, f.l. de Bartolomeu de Quadros e Isabel Bicudo; avós paternos: Bernardo de Quadros, natural da cidade de Sevilha, e Cecília Ribeiro, natural da cidade do Porto; avós maternos: Manoel Pires e Maria Bicudo, naturais da cidade de São Paulo - dizem as testemunhas: seu avô paterno Bernardo de Quadros era natural da cidade de Sevilha, espanhol de nação, tido e havido por homem nobre, e como tal serviu os cargos honrosos da República, como capitão e ouvidor desta capitania).

 

3- Maria de Quadros em 1642 já estava casada com Mauricio de Castilho. No rol de quatro filhos descritos na GP acrescente-se a filha Rosália:

3-1 Maria de Quadros foi casada com Antonio Correa de Lemos, filho de José Correa de Lemos e sua mulher Francisca de Lira, família “José Correa de Lemoss” neste site.

Antonio faleceu no sertão com apontamento que recebeu o cumpra-se em 12-10-1664. Declarou cinco fihos de seu casal:

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariado Antonio Correa de Lemos

Autos nesta vila de S. Paulo 25-10-1664

Declarante Maria de Quadros, viuva do defunto. Assina a seu rogo Manoel de Lemos

Titulo dos Filhos: Antonio de 13 = Jose 11 = Salvador 9 = Maria 7 p/8. = Francisca de 4 p/5

 

Apontamento: Neste sertão (...) deixo a minha mulher Maria de Quadros por minha herdeira e testamentiera. E meu irmão Francisco Correa para me correr com meus legados.

Minha terça ser reparta por minhas filhas Maria e Francisca.

Cumpra-se 12-10-1664

 

Diz Antonio Correa e seus irmãos Salvador Corea, Maria e Francisca, filhos que ficaram de Antonio Correa defunto, pedem ganhos de suas legitimas.

Respondendo digo q meus filhos necessitam do que pedem. Pedi a meu irmão e procurador assinasse por mim - Mauricio de Castilho. S. Paulo 07-08-1673.

3-1-1 Antonio, batizado em 24-12-1651. Com 13 anos em 1664.

SP, SP Igreja N Sra da Assunção aos 24-12-1651 bat a Antonio, f.l. Antonio Correa de Lemos e Maria de Quadros.

3-1-2 José, com 11 anos.

3-1-3 Salvador com 9.

3-1-4 Maria, com 7 para 8 anos, co-herdeira da terça paterna.

3-1-5 Francisca de 4 para 5 anos, idem.

 

3-3 Mauricio de Castilho, citado no testamento do cunhado abaixo.

3-4 Cecilia Ribeiro casou com Manoel Machado Barreto, portugues, filho de Antonio Machado e Maria. Manoel faleceu com testamento e foi inventariado pela viúva em 12-05-1663. Com geração.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariado Manoel Machado Barreto

Autos 12-05-1663 vila de S. Paulo em casas do defunto.

Declarante a viuva Cecilia Ribeira assina a seu rogo Mauricio de Castilho

Titulo dos Filhos

------ de 11 anos

----- de 9

-----

Testamento [danificado] em 1662 eu Manoel Machado Barreto rogo a minha mulher Cecilia Ribeira seja minha testamenteira.

Sou natural da V----- ,Antonio Machado e de Maria ------------------. Cecilia Ribeira de que temos ------------ ----------------- ----------------.

Meu cunhado Mauricio de Castilho.

Declaro que na vila Dangisa(?) tenho uma herança que me ficou de meus avos, de terras e gado, do que sabe um irmão meu por nome João Machado morador na -------------- de Setubal.

Cumpra-se 15-03-1663.

 

3-5 Rozalia de Castilho, herdeira do remanescente da terça da avó materna. Não consta no rol de seus irmãos na GP.

 

4- Estefania Ramires foi casada com Bernardo de Souza. Foi inventariada pelo viúvo em 17-1-1649 (SAESP vol. 40, neste site). Compareceram quatro filhos, idades pouco mais ou menos.

4-1 Bernardo de Souza, de 26 anos.

4-2 João de Souza Ribeiro, de 23 anos.

4-3 Antonio de Souza, de 20 anos

4-4 Vicente Bernardes de Souza, de 11 anos

 

5- Benta das Neves em 1642 estava casada com Fulano Benavides.

 

6- Bernardo Ribeiro, desassisado. Foi tutelado pelo Padre João de Souza Neto, seu sobrinho.