PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

MARIA MOREIRA DE ALVARENGA

 

SL.6, 466, 3-4 Maria Bicudo, fal. em 1728 em Taubaté, foi casada com Manoel Rodrigues Moreira, fal. em 1715, de Francisco Alvares Correa e de Guiomar de Alvarenga. Com geração.

SL. 5, 437, Cap. 6, Manoel Rodrigues Moreira foi C.c. Maria Bicudo, fal. em 1728, f.a de Gaspar Vaz Madeira e de Catarina Bicudo. Faleceu em 1715 e teve (C. O. Taubaté) os 8 f.os

1-8 Maria Moreira de Alvarenga foi casada com Domingos Gonçalves Cardoso.

 

 

Moacyr Villela

 

 

Maria Moreira de Alvarenga, natural de Taubaté, era filha de Manoel Rodrigues Moreira, falecido em 1715 e de Maria Bicudo, batizada na Sé de S. Paulo em 30-05-1644 e falecida em 1728 em Taubaté, neta paterna de Francisco Alvares Correa e de Guiomar de Alvarenga batizada na Igreja do Santíssimo Sacramento da cidade do Rio de Janeiro em 22-01-1617, neta materna de Gaspar Vaz Madeira e de Catarina Bicudo.

SP, SP Igreja N Sra da Assunção aos 30-05-1644 bat a Maria, f.l. Gaspar Vaz Madeira e Catarina Bicuda, padr.: ---- de Oliveira, o moço e Catarina de ----

 

Rio de Janeiro, RJ Igreja do Santissimo Sacramento - ao dito dia acima (22 de janeiro de 1617) bat a Guiumar, filha de Manoel Roiz dalvarenga e de s/m Guiumar de Castilho, foi padrinho Niculao Barroso e Maria de Maris mulher de João Gomes da Silva.

Em 1716 Maria, viúva de seu primeiro marido Domingos Gonçalves Cardido (e não Cardoso como consta na GP), era moradora nos Pousos Altos nas Minas Gerais:

Arquivo Público Mineiro, coleção Casa de Contos; Livro de registro do Quinto do ouro e da capitação São João Del Rei CC1012/ CC1019 – Ano 1716 - Nos Pousos Altos “assiste Maria Moreira de Alvarenga – viúva, paulista”. ”Com oito escravos e grande roça”.

Já falecida em 1732, Maria Moreira de Alvarenga também foi casada com Manoel Rodrigues de Carvalho, natural de Ponte do Louro termo de Gondefelos Província de Entre Douro e Minho (testamento do genro João Antonio Rodrigues).

 

Encontramos em documentos dois filhos do casal Maria Moreira e Domingos Gonçalves Cardido, em Minas Gerais:

 

1- Manoel de Pinho Cardido, padre. Morou em Cuiabá, no Rio de Janeiro e foi Vigário na freguesia do Sumidouro do termo da Vila do Carmo (depois cidade Mariana) onde estava em 1749 e na freguesia de Guarapiranga no mesmo termo aonde assistia no ano de 1751.

 

2- Maria Gonçalves Moreira ou Cardido, natural de Taubaté-SP. Casou com o sargento mor João Antonio Rodrigues, batizado na freguesia de Santa Helena de Ledesma Bispado de Salamanca Reino de Castela, filho de Francisco Sanches Quadrado e de sua mulher Isabel Rodrigues naturais da Vila de Lumbrales Bispado de Cidade Rodrigo do mesmo Reino de Castela.

          O casal batizou um filho na capela de Pouso Alto do Caminho Velho das Minas então na freguesia de Pindamonhangaba por volta de 1707 e pouco tempo depois se mudou para a Vila do Carmo onde batizaram outros filhos nas freguesias de Furquim e São Caetano.

          João Antonio Rodrigues faleceu em S. Caetano aos 16-06-1732 com testamento onde declara sua filiação, casamento com Maria Gonçalves Moreira, a filiação da mulher bem como nove filhos que foram seus herdeiros:

Monsenhor Horta, S. Caetano-MG aos 16-06-1732 faleceu o Sargento Mor João Antônio Rodrigues, fez seu testamento em o qual declarou ser natural da vila de Ledesma Bispado de Salamanca do Reino de Castela filho legitimo de Francisco Sanches Quadrado e de sua mulher Isabel Rodrigues, já defuntos. Casado com Maria Gonçalves Moreira filha legitima de Domingos Gonçalves Cardido e de sua mulher Maria Moreira já defuntos. (...) idem, idem o abaixo.

 

Casa Setecentista de Mariana - inventário de João Antonio Rodrigues 1732.

Inventariante a viúva Maria Gonçalves Moreira moradores na freguesia de São Caetano termo da Vila do Carmo –

Dados do testamento – a data em que foi ditado o testamento não esta disponível (parte rasgada).

Aprovação aos -- dias do mes de junho de 1732 neste lugar chamado Ressaca. Termo de Abertura aos 16-06-1732. Cumpra-se e registre-se junho 18 de 1732. Abertura Judicial 18-06-1732

Testamenteiros indicados – Lourenço de Amorim Costa em primeiro lugar. Em segundo o filho capitão João Rodrigues Moreira. Terceiro o sargento mor Andre Gonçalves Chaves. No Rio de Janeiro Manoel da Costa Negreiros, alferes Gervasio Barbosa, Jose Cardoso de Almeida. Em Lisboa reverendo Jose Rodrigues da Fonseca e Pedro Correa da Silva. Doutor Dom Manoel Gonçalves de Mendonça Eredia e na cidade do Porto Francisco Martins Braga, Manoel Lopes Vilas Boas. Na cidade de São Paulo Manoel Mendes de Almeida e sargento mor Roque Soares Medela.

Declara ser natural da Vila de Ledesma Bispado de Salamanca do Reino de Castela filho legitimo de Francisco Sanches Quadrado e de sua mulher Isabel Rodrigues, já defuntos. Casado com Maria Gonçalves Moreira filha legitima de Domingos Gonçalves Cardido e de sua mulher Maria Moreira já defuntos. Ela natural da Vila de São Francisco das Chagas de Taubaté Bispado do Rio de Janeiro. Declara nove filhos de seu casamento: João, Teresa, Gaspar, Caetana, Josefa, Rosa, Isabel, Manoel e Mateus.

Teresa casada com o capitão Domingos da Silva Lobo levou em dote 6.000 cruzados em dinheiro mais algumas peças em ouro lavrado e uma escrava do gentio da terra. O filho Gaspar esta em Coimbra na Universidade.

Declara ter bens no valor aproximado de 50.000 cruzados mais oito escravos do gentio da terra

Entre as dividas ativas- “declaro que meu cunhado Manoel de Pinho me deve a parte da herança deixada por meu sogro na Ilha Grande”. “Declaro que Manoel Rodrigues de Carvalho da Ponte de Lima termo de Gondefelos, província de entre Douro e Minho que foi casado com minha sogra Maria Moreira já defunta me deve a quantia que constar em mãos de meus procuradores”. “Nas mãos de meu cunhado Manoel de Pinho Cardido, assistente em Cuiabá de São Paulo se encontram créditos que levou para cobrança mais a parte do gado que vendeu na Ilha Grande do Rio de Janeiro que me coube por morte do pai de minha mulher Domingos Gonçalves Cardido.”

Declara ser testamenteiro do defunto coronel Salvador Fernandes Furtado.

Deixa legado a sobrinha Ana Quadrada filha do irmão Francisco Sanches Quadrado na Vila de Lumbrales, Bispado da Cidade Rodrigo.

 

Titulo dos Herdeiros:

1- João Jose Moreira, de idade 25 anos.

2- Teresa Gonçalves de Jesus, de idade 22 anos, casada com Cap. Domingos da Silva Lobo.

3- Gaspar Gonçalves dos Reis, de idade 20 anos, se acha na Universidade de Coimbra.

4- Caetaqna Rodrigues, de idade 13 anos pouco mais ou menos.

5- Josefa Gonçalves, de idade 10 anos pouco mais ou menos.

6- Rosa Maria, de idade 8 anos pouco mais ou menos.

7- Izabel, de idade 6 anos pouco mais ou menos.

8- Manoel Caetanno, de idade de 4 anos

9- Mateus, de idade de 2 anos pouco mais ou menos..

 

Inseridos no inventario

A herdeira Teresa Gonçalves de Jesus não “entrou em colação” com seu dote no valor de 3.272.016 reis desistindo de participar da partilha

Monte Mor líquido – 19.824.700 reis

Diz Caetano Marques de Andrade por cabeça de sua mulher Dona Josefa Caetana da Trindade que ela se encontra emancipada pelo casamento e pede quitação de sua legitima paterna -12-06-1736

Diz Teodósio Rodrigues de Mendanha por cabeça de sua mulher Isabel Teresa de Jesus filha de João Antonio Rodrigues que ela esta emancipada pelo casamento e pede sua legitima paterna

Doutor Gaspar Gonçalves Rodrigues Bacharel formado pela Universidade de Coimbra pede quitação de sua legitima paterna

Diz o capitão João Rodrigues Moreira que pela escritura de doação e transpasse da legitima paterna de seu irmão Frei Mateus de São Caetano religioso noviço do convento do Carmo Rio de Janeiro feita em 01-04-1746 no dito convento.

Manoel de Pinho Cardido apresenta gastos que fez com seu “primo” Manoel Caetano Rodrigues no seminário do Rio de Janeiro no valor de 1.098.998 reis ate o dia em que aquele saiu do seminário aos 09-04-1749

 

Filhos (idades constantes no inventario paterno de 1732);

2-1 João Rodrigues Moreira

2-2 Teresa Gonçalves de Jesus

2-3 Gaspar Gonçalves dos Reis

2-4 Caetana Josefa da Trindade

2-5 Josefa Caetana da Trindade

2-6 Rosa Maria de Jesus

2-7 Isabel Teresa de Jesus

2-8 Manoel Caetano Rodriggues

2-9 Mateus de São Caetano

 

2-1 João Rodrigues Moreira, com 25 anos em 1732, nasceu em Pouso Alto no Caminho Velho das Minas. Foi para São Caetano com seus pais com um ano e meio de idade.

          Capitão João Rodrigues Moreira casou aos 20-07-1745 com Joana Teodora do Monte, batizada aos 28-07-1732 na freguesia de São Caetano, filha do alferes João do Monte de Medeiros, natural da Ilha de São Miguel Açores batizado na freguesia de São Pedro da cidade de Ponta Delgada e sua mulher Maria da Costa de Camargo natural da cidade de São Paulo, neta paterna do falecido Manoel de Medeiros e Ana Correa de Santiago, neta materna do capitão José Gonçalves de Carvalho e Catarina de Camargo - aportes à GP: Izabel da Costa cc Domingos Gonçalves da Cruz - SL VIIIº, 214, 2-1, neste site.

Livro de Casamentos São Caetano - Aos vinte de julho de 1745 se receberam em matrimonio o capitão João Rodrigues Moreira filho legitimo do sargento mor João Antonio Rodrigues já defunto e de sua mulher D. Maria Gonçalves Cardido com D. Joana do Monte filha do alferes João do Monte de Medeiros e sua mulher Maria da Costa de Camargos.

 

Processo Matrimonial - AEAM número 4112. Orador - Capitão João Rodrigues Moreira filho legitimo do sargento mor João Antonio Rodrigues...natural de batizado na capela dos Pousos Altos do Caminho Velho das Minas e morador em São Caetano para onde veio com seus pais tinha um ano e meio....Oradora Joana Teodora do Monte filha do alferes João do Monte de Medeiros já defunto ....batizada em São Caetano.

Testemunhas: Lourenço de Amorim Costa natural de Ponte de Lima, vive de minerar, 63 anos de idade/ João Vieira Aranha tesoureiro da Intendência do Ouro da Vila do Carmo morador nas Minas a mais de 30 anos/ Manoel Monteiro da Veiga natural da freguesia de Souro Pires, Bispado de Vizeu, vive de roça, 50 anos morador em São Caetano há 30 anos diz ter conhecido o orador naquele tempo com quatro para cinco anos de idade.

Alegando dificuldade de encontrar o registro de batismo o orador anexa ao processo a carta de sentença de seu De Genere processo conduzido no Rio de Janeiro. Firmado com data de 03-09-1730 onde entre outros temas se declara: João Rodrigues Moreira batizado na capela dos Pousos Altos do Caminho Velho das Minas filho legitimo de João Antonio Rodrigues e sua mulher Maria Gonçalves Cardido neto paterno de Francisco Sanches Quadrado e Isabel Rodrigues naturais da Vila de Lumbrales, bispado de Ciudad Rodrigo, Reino de Castela e pela materna de Domingos Gonçalves Cardido natural da freguesia de São Tome de Gião, arcebispado de Braga e de sua mulher Maria Moreira natural da Vila de São Francisco das Chagas de Taubaté. O pai natural da Vila de Santa Elena de Ledesma, bispado de Salamanca, Reino de Castela.

Os habilitandos são João e Gaspar Gonçalves o primeiro natural de Pouso Alto e o segundo da freguesia do Furquim da Vila do Carmo.

 

Livro de batismos São Caetano - Aos 28-07-1732 batismo de Joana filha legitima do alferes João do Monte de Medeiros e sua mulher Maria da Costa Camargo foram padrinhos o capitão mor Maximiano de Oliveira e Dona Francisca de Oliveira mulher do coronel Caetano Alves moradores na freguesia de São Sebastião.

 

          Em 1783 Joana Teodora do Monte, viúva, em Campanha do Rio Verde foi madrinha de José Maximiano Varela abaixo citado.

 

Cap. João Rodrigues Moreira teve a filha natural:

2-1-1n Vitoria Maria Rodrigues, batizada em São Caetano, parda forra. Filha natural do Capitão João Rodrigues Moreira e uma ex escrava,

         Casou aos 12-09-1786 na capela de Santa Catarina freguesia de Campanha do Rio Verde com João da Cunha, forro, filho de pai incógnito e Maria Francisca batizado na freguesia de Antonio Dias de Ouro Preto.

Campanha, MG aos 12-09-1786 na Ermida de Santa Catarina, filial desta matriz, e testemunhas o Sarg. Mor Fernando Afonso Correa de Lacerda e o alferes Roque de Souza se receberam João da Cunha, filho natural de Maria Francisca e de pai incognito, natural e batizado na freguesia de Antonio Dias de Vila Rica = e Vitoria Maria Rodrigues, parda forra, escrava que foi do C. João Rodrigues Moreira, natural e batizada na freguesia de S. Caetano.

Vitória Maria e João da Cunha tiveram os filhos batizados na Campanha, q.d.:

2-1-1n-1 Joaquim batizado em 10-04-1788.

Campanha, MG aos 10-04-1788 nesta matriz bat a Joaquim, f.l.. de João da Cunha e de Vitoria Maria, pardos forros, nascido aos 7 de fevereiro. Foram padrinhos Antonio Bernardo dos Reis Ledesma, e D. Maria Crescencia, sua mãe casada com Sargento Mor Fernando Afonso, por pp que dela apresentou sua irmã Dona Monica.

 

Campanha, MG no ano de 1789 nesta matriz bat a Joaquim, f.l. de João da Cunha e Vitoria Maria Rodrigues. Foram padrinhos Antonio Bernardo e Monica de Jesus. E por não aparecer este assento, informado dele, mande lançar aqui para todo o tempo constar.

2-1-1n-2 Maria Francisca do Nascimento, batizada em 04-03-1790. Em 1816 solicitou dispensa dos impedimentos de consanguinidade em 4º grau misto de 3º e de afinidade ilicita em 1º grau de linha transversal, para se casar com José Maximiano Varela 2-2-1-1-2 abaixo.

2-1-1n-3 Joana em 27-12-1791.

Campanha, MG aos 27-12-1791 na capela de Santa Catarina bat a Joana, f. de João da Cunha e Vitoria Rodrigues; foram padrinhos Jose Soares  de Souza e Angelica de Faria.

2-1-1n-4 Inacia em 12-01-1794.

Campanha, MG aos 12-01-1794 na capela de Santa Catarina bat a Inacia, f. de João da Cunha e Vitoria Rodrigues; foram padrinhos Caetano Ferreira Godinho e D. Francisca de Paula.

2-1-1n-5 José falecido com 12 anos e sepultado aos 02-06-1811.

Campanha, MG aos 02-06-1811 foi sepultado dentro da capela de Santa Catarina Jose, f. de João da Cunha. Faleceu repentinamente, de idade de doze anos.

2-1-1n-4 Joaquim em 08-04-1802.

Campanha, MG aos 08-04-1802 na Ermida de Santa Catarina bat a Joaquim, f.l. de João da Cunha e Vitoria Rodrigues, foram padrinhos o Cap. Roque de Souza Magalhães e Ana Ferreira de Oliveira.

 

Filhos do do Cap. João Rodrigues e Joana Teodora, batizados na freguesia de São Caetano q/d:

2-1-1 João nasceu aos 21 de maio de 1746 e foi batizado aos 06-06-1746, foram seus padrinhos Lourenço de Amorim Costa e Ana Maria mulher de Antonio Coelho da freguesia do Sumidouro. Solteiro em 1761, João Rodrigues Moreira (filho) foi padrinho em São Caetano.

2-1-2 Crescência, nasceu aos 15-06-1747 e foi batizada aos 05-07-1747. Padrinhos sargento mor Domingos Dias Veloso e dona Rosa Maria de Jesus mulher do capitão Francisco Pereira da freguesia de São Sebastião.

         Maria Crescência Angélica, viúva de Antonio Bernardo dos Reis natural do arcebispado de Braga, casou aos 04-08-1784 na capela de Santa Catarina da freguesia de Campanha do Rio Verde com Fernando Afonso Correa e Lacerda filho de Antonio Correa de Lacerda e Ana Josefa da Guarda. Geração dos dois casamentos na família Antonio Correa de Lacerda, neste site.

2-1-3 José batizado na matriz aos 24-06-1749, padrinhos Manoel de Pinho Cardido vigário do Sumidouro e dona Maria Correa mulher do tenente Andre Correa Lima. José Joaquim dos Reis foi padrinho de escravos de seu pai em 1761

2-1-4 Ana foi batizada aos 06-08-1759, nascida aos 19 dias do mes de Julho do dito ano, no oratório do capitão pai da criança, na fazenda da Ressaca. Padrinhos o sargento mor Domingos Dias Veloso da freguesia do Furquim e dona Maria Tomazia da Encarnação sobrinha do capitão João Rodrigues pai da criança.

Livro de Batismos de São Caetano - Aos 06-08-1759 batismo de Ana nascida aos 19 de Julho filha legitima do capitão João Rodrigues Moreira e de Dona Joana Teodora do Monte moradores na sua fazenda da Ressaca desta freguesia e a batizei no oratório do sobredito capitão com licença...Neta pela linha paterna  do sargento mor João Antonio Rodrigues  natural da Vila de Lumbrales Bispado da cidade de Rodrigo do Reino de Castela  e de sua mulher Maria Gonçalves Moreira natural da Vila de Taubaté Bispado de São Paulo e pela materna do alferes João do Monte de Medeiros natural da Ilha de São Miguel  freguesia de São Paulo Cidade de Ponta Delgada Bispado de Angra e de Maria da Costa de Camargos  natural da Cidade de São Paulo .Foram padrinhos o sargento mor Domingos Dias Veloso da freguesia do Furquim e Dona Maria Tomazia da Encarnação sobrinha e moradora em casa do dito capitão João Rodrigues Moreira

         Dona Ana Josefa Cândida casou na Campanha aos 14-12-1791 com o alferes Roque de Sousa Magalhães, natural de Aiuruoca, filho de outro já defunto e sua mulher Ana Inácia Xavier. Ana Josefa faleceu aos 03-01-1802 e foi sepultada na capela de Santa Catarina. Geração do casal na família Antonio Rabelo Cap.2º, neste site.

 

2-2 Teresa Gonçalves de Jesus, natural da freguesia do Furquim, com 22 anos. Casada em São Caetano aos 08-05-1730 com o capitão Domingos da Silva Lobo natural da freguesia de São João Batista de Rochas, Bispado de Vizeu, filho dos falecidos Manoel Silva Lobo e de sua mulher Francisca Rodrigues.

Livro de Casamentos São Caetano - aos 08-05-1730 nesta matriz de São Caetano se receberam o Capitão Domingos da Silva Lobo, f.l. de Manoel da Silva Lobo e de Francisca Rodrigues, naturais da freguesia de S. João Batista de Roxas Bispado de Viseu = com D. Teresa Gonçalves de Jesus, natural destas minas, f.l. do Sargento Mor João Antonio Rodrigues e de Maria Gonçalves Moreira. Testemunhas Revdo Pe. Francisco Gonçalves Lopes e Manoel Carvalho da Silva assistentes neste arraial.

 

AEAM processo de licença de casamento - Aos 17-04-1730 pedido de licença para se casar formulado pelo Capitão Domingos da Silva Lobo morador no Inficionado natural da freguesia de São João Batista de Rochas Bispado de Vizeu filho legitimo de Manoel Silva Lobo e sua mulher Francisca Rodrigues já defuntos com Teresa Gonçalves de Jesus filha legitima do sargento mor João Antonio Rodrigues da Vila de Lumbrales, bispado de cidade Rodrigo, reino de Castela e de Maria Gonçalves Moreira natural da Vila de São Francisco das Chagas de Taubaté  Bispado do Rio de Janeiro, batizada na freguesia do Furquim do termo da Vila do Carmo.

 Foram testemunhas entre outros o coronel Bento Fernandes Furtado que declara ter sido a oradora batizada a 19 ou 20 anos sendo padrinho o coronel Salvador Fernandes Furtado já defunto. Andresa de Castilho mulher solteira, carijó de 60 anos de idade que declara ter sido a oradora batizada em casa pelo Frei Manoel dos Anjos já defunto por comissão do vigário do Furquim Miguel Rabelo. O mesmo declara Jose de Sousa Taveira solteiro estudante de 24 anos filho família.

 

Filhos do casal q/d:

2-2-1 Domingos aos 22-12-1731 na matriz de São Caetano o reverendo João Soares pôs os santos óleos e fez os exorcismos ao inocente Domingos que tinha sido batizado pelo mesmo padre, em casa, por necessidade aos seis de outubro.

         Domingos da Silva Lobo (filho) teve pelo menos uma filha com Clara Maria, escrava do capitão João Rodrigues Moreira:

2-2-1-1 Ana Maria Teodora do Monte casou na freguesia da Campanha do Rio Verde aos 19-05-1779 com José Gonçalves Varela natural do sertão do Rio de São Francisco, filho natural de Antonio Gonçalves Varela e de Mariana preta.

Campanha, MG - Sto Antonio aos 19-05-1779 na Ermida de Santa Catarina e testemunhas Miguel de Faria Sodre e Jose de Souza se receberam Jose Gonçalves Varella, filho natural de Antonio Gonçalves Varella, ja defunto, e de Mariana preta, natural do sertão do Rio São Francisco do Arcebispado da Bahia, batizado sub conditione nesta freguesia da Campanha = e Ana Maria do Monte, preta forra, filha natural de Clara Maria, ja defunta, escravos que foram do C. João Rodrigues Moreira,

José e Ana Maria tiveram q.d:

2-2-1-1-1 Joana Teodora da Luz (ou Joana Teodora da Silva), batizada na Campanha aos 07-02-1780. Aos 25-01-1795 casou com Antonio Garcia do Amaral, batizado na capela da Contagem freguesia de Curral del Rei, filho de Francisco Garcia do Amaral e Teresa Maria da Costa

Campanha, MG aos 07-02-1780 na Ermida de S. Catarina bat a Joana de sete dias, filha leg. de Jose Gonçalves e Ana Maria, pardos forros. Foi padrinho o Rdo. Jose de Mattos.

 

Campanha, MG aos 25-01-1795 nesta matriz se receberam Antonio Garcia do Amaral, f.l. de Francisco Garcia do Amaral e Teresa Maria da Costa, n/b na capela da Contagem filial da freguesia do Curral del Rei deste bispado de Mariana = e Joana Teodora da Luz, f.l. de Jose Gonçalves Varella e de Ana Maria Teodora do Monte, n/b nesta freguesia.

          Joana faleceu de pós parto aos 26-12-1805, com a idade de 25 anos. Com geração na Campanha.

Campanha, MG aos 26-12-1805 foi sepultada dentro desta matriz Joana Teodora da Silva, parda, casada com Antonio Garcia do Amaral. Faleceu de um parto tendo de idade 25 anos.

2-2-1-1-2 José Maximiano Varela, batizado em Campanha aos 12-02-1783. Em 1816 pediu dispensa para se casar com sua parenta materna Maria Francisca do Nascimento 2-1-1n-2 supra, batizada na Capela de São Gonçalo aos 04-03-1790, filha de João da Cunha e Vitoria Maria Rodrigues, esta filha natural do Capitão João Rodrigues Moreira.

Processo Matrimonial - Campanha-MG -

Jose Maximiano Varela e Maria Francisca do Nascimento - 1816

Os oradores estão ligados com impedimento de consanguinidade em 4º grau misto de 3º pq a mãe do orador era 2ª prima da mãe do orador(sic) e assim mais com o impedimento de afinidade ilicita em 1º grau de linha transwversal p q o orador conheceu carnalmente a uma irmã da oradora

Itens:

- Q o Cap. João Rodrigues Moreira e D. Teresa de Jesus eram irmãos, desta nasceu Domingos da Silva Lobo e deste procedeu Ana Maria e desta nasceu o orador.

- Q. do Cap. João Rodrigues Moreira procedeu Vitoria Roiz e desta nasceu a oradora.

- Q o orador teve atos criminosos e incestuosos com uma inteira e legitima irma da oradora

 

Em o L.º 4º f. 22 : aos 12-02-1783 nesta freg. da Campanha pos os santos oleos a Jose, que tinha sido batizado em casa, f.l. Jose Gonçalves Varela e Ana Maria, pardos. Foram padrinhos Luiz Antonio de Almeida e D. Joana Teodora do Monte, viuva.

Em o L. 6º f. 43: Aos 04-03-1790 na capela de S. Gonçalo o Padre Jose Gonçalves bat. e pos os santos oleos a Maria, f.l. João da Cunha e Vitoria Maria Rodrigues. Foram padr.: Luiz Antonio de Almeida e D. Maria Juliana, solteira filha de D. Maria Crescencia por pp que apresentou D. Maria Bernarda de Gusmão. Vig. Antonio de Souza Monteiro Galvão.

Vila da Campanha 13-11-1816 Vig. Jose de Souza Lima.

 

Depoimento da contraente aos 20-7-1816 - Disse ser a propria Maria Francisca do Nascimento, f.l. João da Cunha e Vitoria Maria Rodrigues, n/b na freg. da Campanha, de idade 25 anos, solteira.

Depoimento do contraente: Jose Maximiano Varela, f.l. de Jose Gonçalves Varela e Ana Maria Teodora, n/b na freg. da Campanha, de idade 32 anos, solteiro, vive de sua agencia, orador da presente inquirição Jose Maximiano Varela, nascido de Ana Maria Teodora, filha de Domingos da Silva Lobo este de D. Teresa de Jesus esta inteira irmã do Cap. João Rodrigues Moreira do qual procedeu Vitoria Rodrigues esta procriou a oradora Maria Francisca. É verdade que por fragilidade teve ajuntamento carnal com a irmã da oradora e que vive em atual afero com a oradora a tres para quatro anos.

 

Testemunhas:

- Cap. Manoel Ezidoro de Magalhães, homem branco, casado, morador nsta aplicação e natural da mes, de idade 30 anos, q vive de sua lavoura, disse ter relações de parentesco entre os oradores e ele testemunha. Os oradores estão ligados em parentesco de consanguinidade em 4º grau misto do 3º por ser o orador Jose Maximiano filho de Ana Maria esta filha de Domingos da Silva Lobo este de D. Teresa de Jesus esta irmã legitima do Cap. João Rodrigues Moreira e este pai de Vitoria Rodrigues e esta mãe da oradora Maria Francisca. Sabe que o orador teve acessos criminos com uma irmã da oradora. (aa) Manoel Izidoro de Mag.es

- Fernando Antonio Rodrigues, homem pardo casado, morador nesta aplicação, natural da freguesia de S. Caetano deste mesmo bispado, vive de sua roça, tem 62 anos. Disse ser irmão de Vitoria Rodrigues mãe da oradora.

- Cap. Roque de Souza Magalhães, homem branco, casado, morador nesta aplicação, n. da freg. da Aiuruoca deste mesmo bispado, vive de sua roça, de idade de 44 anos, disse que é publico que os oradores Jose Maximiano Varela é neto de Domingos da Silva Lobo, este filho de D. Teresa de Jesus esta irmã legitima do Cap. João Moreira Rodrigues e deste procedeu Vitoria Rodrigues, desta procedeu a oradora Maria Francisca. (Roque de Souza Magalhães - comandante do distrito em que residem os oradores)

 

2-2-1-1-3 Clara Maria da Visitação, batizada em Campanha aos 14-07-1784. Casou aos 14-02-1804 com Manoel Jacó, natural de Itajuba, filho natural de Ana do Rosário.

Campanha, MG aos 14-07-1784 nesta freguesia bat a Clara, f.l. de Jose Gonçalves e Ana Maria, pardos forros. Foram padrinhos Francisco de Paula, solteiro e D. Ana, solteira filha de D. Joana Teodora do Monte.

 

Campanha, MG aos 14-02-1804 se receberam Manoel Jaco, filho natural de Ana do Rosario, batizado na freguesia de Itajuba = e Clara Maria da Visitação, f.l. de Jose Gonçalves Varella e Ana Maria Teodora do Monte, batizada nesta freguesia,

 

2-2-2 Carlos batizado aos 04-01-1734. Padrinhos, sargento mor Domingos Dias Veloso e dona Ana mulher de Paulo Rodrigues Durão moradora no rio Piracicaba, freguesia do Inficionado.

2-2-3 Bernardo batizado aos 13-12-1734 com um mês e cinco dias de idade. Padrinhos o capitão João Rodrigues Moreira e o sargento mor João Vieira Aranha, com procuração de sua mulher dona Caetana Josefa da Trindade, morador na Vila do Ribeirão do Carmo.

         Bernardo da Silva Lobo padrinho junto com sua mãe em 1752.

Livro de Batismos de São Caetano - Aos 17-10-1752 batismo de José filho de Geraldo de Oliveira natural de São Martinho de Lago e de sua mulher Francisca Correa da Silva. Padrinhos, Bernardo da Silva Lobo filho do capitão Domingos da Silva Lobo e Teresa de Jesus mulher do dito capitão.

2-2-4 José batizado aos 04-03-1737. Padrinhos, alferes Sebastião de Matos Carvalho e dona Josefa Caetana da Trindade mulher de Caetano Marques de Andrade.

         José da Silva Lobo casou aos 08-02-1759 com Ana Maria da Silveira natural do Furquim filha de Francisco Soares de Araujo da freguesia de São Vitor da cidade de Braga e sua mulher Francisca da Silveira natural da Vila de São Jose do Rio das Mortes - MG.

Livro de Casamentos São Caetano aos 08-02-1759 na capela N. Sra dos Remedios, filial desta freguesia e com provisão, se receberam Jose da Silva Lobo, f.l. do Cap. Domingos da Silva Lobo e de D. Teresa de Jesus, n/b nesta freguesia de S. Caetano = e Ana Maria da Silveira, f.l. de Francisco Soares de Araujo e de Francisca da Silveira, n/b na freguesia do Forquim e moradora na da Barra. Testemunhas o Sargento Mor Domingos Dias Veloso, da freguesia do Forquim, o Cap. João Rodrigues Moreira, desta freguesia, e o Reverendo Doutor João de Carvalho e Abreu da cidade de Mariana.

Filhos do casal, batizados em São Caetano-MG, q/d:

2-2-4-1 Maria batizada aos 07-07-1760. Padrinhos o reverendo Domingos da Silva Lobo e Teresa Maria de Jesus filha de Francisco Soares de Araujo.

2-2-4-2 Ana batizada aos 19-03-1762. Padrinhos, o padre Bernardo da Silva Lobo por procuração que apresentou João Soares de Araujo e a avó Francisca da Silveira

Aos 19-03-1762 na capela de N. Sra do Amparo bat a Ana, nascida aos nove dias do dito mes, f.l. de Jose da Silva Lobo natural desta freguesia e de Ana Maria da Silveira, natural da freguesia de S. Jose da Barra, neta paterna do Cap. Domingos da Silva Lobo natural da freguesia de S. João Batista de Rocas Bispado de Viseu e de Teresa de Jesus, natural desta freguesia, neta materna de Francisco Soares de Araujo natural da freguesia de S. Vitor da cidade de Braga e de Francisca da Silveira, natural da vila de S. José do Rio das Mortes deste bispado. Foram padrinhos R. Bernardo da Silva Lobo por pp que apresentou João Soares de Araujo, e a sobredita Francisca da Silveira.

2-2-4-3 Teresa batizada aos 27-06-1764. Padrinhos, João Gomes da Silva e dona Ana Joaquina de Godoy mulher do licenciado Joaquim Francisco Ferreira.

2-2-4-4 Leocádia Genoveva batizada a 01-11-1767. Padrinhos Francisco Soares de Araujo por procuração apresentada por seu filho padre Francisco Soares de Araujo, e dona Rosa Francisca de Jesus filha do mesmo padrinho.

2-2-4-5 José batizado aos 28-07-1771. Padrinhos, Antonio Gonçalves Torres, viúvo e dona Catarina Clara de Jesus, solteira.

2-2-4-6 João batizado aos 08-07-1776. Padrinho o capitão José Pinto da Silva.

2-2-4-7 Joaquim batizado aos 06-10-1780. Padrinhos o vigário Jose Manoel da Costa e dona Gertrudes Francisca de Toledo.

 

2-3 Gaspar Gonçalves dos Reis com 20 anos “se acha na Universidade de Coimbra”. Doutor Gaspar Gonçalves dos Reis, natural da freguesia do Furquim ( de acordo com a sentença de De Genere sua e de seu irmão João), bacharel, pede quitação de sua legitima paterna.

 

2-4 Caetana Rodrigues com 13 anos pouco mais ou menos. Caetana Josefa da Trindade, natural da freguesia de São Caetano onde foi batizada aos 20-04-1716, pediu licença em 1733, com 16 anos de idade, para se casar com o sargento mor João Vieira Aranha tesoureiro da Intendência do ouro da Vila do Carmo natural da freguesia de Santo Ildefonso extramuros da cidade do Porto filho natural de João Guedes da Silva e Serafina Vieira. Casaram aos 06-03-1733.

AEAM processo de licença de casamento .

- Aos 20-04-1733 pedido de licença para se casar formulado pelo sargento mor João Vieira Aranha morador na Vila do Carmo filho natural de João Guedes da Silva e Serafina Vieira natural da freguesia de Santo Ildefonso extramuros da cidade do Porto e Caetana Josefa da Trindade filha legitima do sargento mor João Antonio Rodrigues já defunto e de sua mulher Maria Gonçalves Cardido natural da freguesia de São Caetano.

Assento de batismo- Aos 20-04-1716 batismo de Caetana filha de João Antonio Rodrigues e Maria Gonçalves Moreira. Padrinhos João Rodrigues Azevedo e Luzia Pereira

Testemunhas: Domingos Moreira solteiro natural do Porto/Salvador da Cunha Carvalho solteiro natural do Porto/ Manoel Gonçalves Valente oficial de escultor diz que veio da cidade do Porto há 9 anos.

(nota- O escultor Manoel Gonçalves Valente é o artista que executou os altares da matriz de Catas Altas e provavelmente estaria em 1733, quando testemunhou neste processo, trabalhando na talha dos altares da matriz de São Caetano)

 

Livro de Casamentos São Caetano– Aos 06-06-1733 se receberam o sargento mor João Vieira Aranha natural de Santo Ildefonso extra-muros da cidade do Porto com Caetana Josefa da Trindade natural da freguesia de São Caetano filha legitima do sargento mor João Antonio Rodrigues já defunto e de sua mulher Maria Gonçalves Cardida

          Foram moradores na Vila do Ribeirão do Carmo onde João Vieira faleceu e foi inventariado em 1746 deixando duas filhas de seu casal. Durante a inventariança, a viúva Caetana Josefa casou com José Alvares Ripado.

Inventario do sargento mor João Vieira Aranha.  Casa Setecentista de Mariana. 

Mariana - Termo da Vila de Nossa Senhora do Carmo

Inventariante: Caetana Josefa da Trindade

Inventariado: João Vieira Aranha – Sargento Mor.

Monte-Mor: Não possui

Ano de 1746 .O defunto era tesoureiro da Intendência do Ouro da Vila do Carmo.

Diz o alferes Jose Alvares Ripado por cabeça de sua mulher Dona Caetana Josefa da Trindade viúva que ficou do inventariado que os bens do casal estão em mãos do capitão João Rodrigues Moreira.

João Rodrigues Moreira e o capitão Domingos da Silva Lobo cunhados do falecido entregaram  a quantia de 8.742 oitavas de ouro que o falecido declarou pertencer aos cofres da Intendência. Os bens inventariados não foram suficientes para cobrir o restante da divida no valor de 15.760 oitavas e não sobraram bens a serem partilhados pelos herdeiros

João Rodrigues Moreira é tutor de suas sobrinhas Joana e Maria filhas do casal.

2-4-1 Joana Maria Josefina batizada a 01-01-1735 na matriz da Vila do Carmo. Padrinhos João Pereira da Costa, e Ana Maria de Almeida mulher do Capitão Manoel Pereira de Sousa.

         Casou aos 21-02-1751 em São Caetano com Manoel Dias da Silva, natural de São Cristovão de Carvos, arcebispado de Braga morador em São Sebastião MG, filho de Afonso Dias e Inês Gonçalves.

Livro de casamentos São Caetano Aos 21-02-1751 nesta matriz de São Caetano se receberam Manoel Dias da Silva, f.l. de Afonso Dias e de Ignez Gonçalves, natural da freguesia de S. Cristovão de Carvos Arc. Braga e morador na freguesia de S. Sebastião = com D. Joana Maria Josefina, f.l. do Sarg. Mor João Vieira Aranha e D. Caetana Josefa da Trindade, natural da freguesia da Sé da cidade de Mariana e moradora nesta freguesia. Testemunhas Caetano Pinto de Castro e Rdo. Pedro Antonio Ferreira Mendes.

 

2-4-2 Maria Tomazia batizada na matriz da Vila do Carmo aos 25-03-1738. Padrinhos o sargento mor Manoel Ferraz de Abreu e dona Teresa Gonçalves de Jesus mulher do capitão Luis da Silva Lobo.

         Maria Tomazia da Encarnação casou aos 28-11-1759 com Manoel Monteiro Chassim batizado na freguesia de Nossa Senhora do Rosário do Sumidouro MG filho de Manoel Monteiro Chassim e dona Catarina de Godoy Moreira. Geração de 11 filhos em Silva Leme Vol. VI pg.532

SL Vol VI pg 532/1-8 Manoel Monteiro Chassim, último f.º do Capitulo 4.º, casou na freguesia de S. Caetano com Maria Thomazia, natural de Mariana, f.ª de João Vieira Aranha, natural de S. Romão de Paredes, sargento-mor de milícias em Mariana, e de Caetana Josepha da Trindade, por esta neta do capitão João Antonio Rodrigues, espanhol, e de Maria Moreira Candida, que foram pais também do padre Manoel Caetano, vigário da Campanha do Rio Verde, do capitão João Rodrigues Moreira, do carmelita frei Matheus, e do desembargador do Porto, Gaspar Gonçalves dos Reis. Teve naturais da freguesia de S. Miguel 2-1 a 2-11

Livro de casamentos de São Caetano - aos 28-11-1759 na capela de N. Sra da Conceição das Lavras Velhas, filial desta freguesia, de minha licença assistiu o Reverendo Domingos da Silva Lobo, natural e morador nesta freguesia, ao matrimonio que contrairam Manoel Monteiro Chacim, f.l. de Manoel Monteiro Chacim e de D. Catarina de Godoy Moreira, n/b na freguesia de N. Sra do Rosario do Sumidouro deste bispado = e D. Maria Tomasia da Encarnação, f.l. do Sargento Mor João Vieira Aranha e de D. Caetana Josefa da Trindade, n/b na Sé deste bispado.  Testemunhas o Revdo Jose de Souza Teixeira, o Reverendo Carlos da Silva Lobo e outras pessoas mais.

2-5 Josefa Gonçalves, batizada em São Caetano 03-12-1719, foi padrinho Domingos Fernandes. Com 10 anos no inventário paterno. Josefa Caetana da Trindade casou aos 16-04-1736 com Caetano Marques de Andrade natural de S. Martinho de Palmas Bispado de Coimbra filho de Jose Marques e Custodia Marques.

Livro de casamentos de São Caetano aos 16-04-1736 nesta matriz de S. Caetano se receberam Caetano Marques de Andrade, n. da freguesia de S. Martinho de Palmas Bispado de Coimbra, f.l. de Jose Marques e de Custodia Marques = com D. Josefa Caetana da Trindade, f.l. do Sarg. Mor João Antonio Rodrigues, ja defunto, e de Maria Gonçalves Cardida, n. desta freguesia de S. Casetano. Testemunhas o Cap. Domingos da Silva Lobo e Lourenço de Amorim Costa.

          Josefa faleceu sem testamento aos 26-07-1739 e foi inventariada pelo viúvo. Deixou filho único:

(Inventario de Josefa Caetana Casa Setecentista de Mariana - segundo oficio)

Inventario de Josefa Caetana mulher de Caetano Marques morador em seu sitio junto ao arraial de São Caetano. Faleceu aos 26-07-1739 deixa como herdeiro filho único.

Titulo de herdeiro: Jose com dois anos de idade

Bens – 24 escravos/ sitio com 20 alqueires de planta, mas dois outros sítios  e Teerã minerais com roda de Rosario. Aos bens se agregam a legitima paterna que ainda não foi quitada

 

2-5-1 Jose Batizado aos 10-06-1737. Padrinhos o capitão João Rodrigues Moreira e dona Teresa de Jesus mulher do capitão Domingos Silva Lobo. Com dois anos no inventario materno.

 

2-6 Rosa Maria, oito anos; Rosa Maria de Jesus casou aos 06-03-1741 com Francisco Pereira Lobo natural de Santiago do Couto, termo de Barcelos arcebispado de Braga filho de Domingos Gonçalves Lobo e Luiza Francisca Pereira.

Livro de casamentos de São Caetano - aos 06-03-1741 na capela de N. Sra da Conceição da Lavra Velha, filial desta matriz de São Caetano se receberam Francisco Pereira Lobo, f.l. de Domingos Gonçalves Lobo e Luiza Francisca Pereira, batizado na freguesia de Santiago do Couto, termo de Barcelos arcebispado de Braga = e Rosa Maria de Jesus, f.l. do sargento mor João Antonio Rodrigues já defunto e de sua mulher Maria Gonçalves Cardida

          Foram moradores na freguesia de São Sebastião onde Capitão Francisco faleceu aos 09-07-1771 com testamento ditado aos 08-07-1771 e aprovado no mesmo dia. Declarou oito filhos de seu casamento, todos vivos.

Casa Setecentista de Mariana

Freguesia de São Sebastião – Termo da Cidade de Mariana

Ano: 1771

Inventario do capitão Francisco Pereira Lobo

Inventariante sua viúva Rosa Maria de Jesus –

Faleceu aos 09-07-1771.

Testamento - aos 08-07-1771.

Testamenteiros: a mulher Rosa Maria, segundo o irmão Manoel Francisco Pereira. Terceiro a filha Dona Maria Angélica Rosa de Jesus.. Declara sua naturalidade e filiação bem como o casamento e os filhos: Maria/Ana/Francisca/Luiza/Firmiano/Francisco/Clara e Rosa.

Aceitação da Testamentaria aos 05-08-1771 Rosa Maria de Jesus

Entre os bens inventariados 41 escravos, Casa no arraial de São Sebastião com terras e serviço de mineração com sua “roda de rosário”. Monte Mor – 4.530.500 reis

Filhos herdeiros, idades declaradas no inventario de 1771:

2-6-1 Maria com 26 anos; Maria Angélica Rosa de Jesus terceira testamenteira de seu pai

2-6-2 Ana com 24 anos;

2-6-3 Firmiano com 21 anos;

2-6-4 Francisca com 18 anos;

2-6-5 Luiza com 16 anos;

2-6-6 Clara com 13 anos;

2-6-7 Rosa com 11 anos;

2-6-8 Francisco com 8 anos.

 

2-7 Isabel, seis anos; Isabel Teresa de Jesus natural de São Caetano casou aos 14-01-1741 com Teodósio Rodrigues de Mendanha natural Nossa Senhora da Conceição de Veride, Bispado de Coimbra filho de Antonio Rodrigues Mendanha e Maria de Brito.

Livro de casamentos de São Caetano - aos 14-01-1741 nesta matriz se receberam Teodósio Rodrigues de Mendanha, natural de Veride Bispado de Coimbra, f.l. de Antonio Rodrigues Mendanha e Maria de Brito = com Isabel Teresa de Jesus, n. desta freguesia de S. Caetan9o, f.l. do sargento mor João Antonio Rodrigues já defunto e de sua mulher Maria Gonçalves Cardida. Testemunhas Frutuoso da Costa e Antonio Ribeiro de Oliveira.

          Isabel faleceu aos 24-07-1763 em São Caetano:

Livro de óbitos São Caetano - Aos 24-07-1763 faleceu Isabel Teresa,  filha legitima do sargento mor João Antonio Rodrigues e sua mulher Maria Gonçalves Cardido, natural da freguesia de São Caetano Bispaddo de Mariana. Casada com Teodósio Rodrigues de Mendanha, morador nesta dita freguesia e natural da cidade de Coimbra. Foi sepultada dentro da matriz.

          Foram filhos do casal q/d:

2-7-1 João; nasceu aos 14-03-1743 e foi batizado aos 27 do mesmo mês na capela de São Francisco Xavier filial de São Caetano. Padrinhos Jose Carvalho Nogueira e Joana Maria do Nascimento irmã de Teodósio pai da criança

2-7-2 Angélica nasceu aos 17-07-1744 e foi batizada aos 26 do mesmo mês. Padrinhos Simão Moreira e Maria Pereira todos da freguesia.

         Angélica Teresa de Jesus casou no ano de 1766 com João Francisco Mascarenhas, filho de outro e de Madalena Antonia naturais da freguesia de Santo Isidoro, Vila de Eixó, Comarca de Esgueira, Bispado de Coimbra.

Processo matrimonial AEAM - ano 1766 freguesia de São Jose da Barra Longa – Orador filho de João Francisco Mascarenhas e Madalena Antonia da freguesia de Santo Isidoro, Vila de Eixó, Bispado de Coimbra, morador em São Caetano para onde veio em 1755. Passou por Lisboa, Bahia e Rio de Janeiro não se demorando nesses locais

Oradora Angélica Pereira(sic) de Jesus filha do alferes Teodósio Rodrigues de Mendanha e sua mulher Isabel Teresa de Jesus já defunta. Natural de São Caetano.

Diz Angélica Teresa de Jesus que ela desposou por palavras de futuro a João Francisco Mascarenhas e Caetana Josefa da Trindade com Manoel do Vale Guimarães. As suplicantes vivem com um tio no sertão do Rio do Peixe a dez léguas da matriz e pede autorização para se receberem no oratório do capitão Antonio Lourenço Correa

Encontramos os filhos batizados em São Caetano:

2-7-2-1 João; Batizado aos 28-01-1768. Padrinhos o cônego Francisco Ribeiro da Silva por procuração que apresentou Manoel do Vale Guimarães e Joana Maria do Nascimento mulher do capitão Antonio Lourenço Correa

2-7-2-2 Joaquim, batizado aos 12-08-1772. Padrinhos Luis Lopes da Costa e Caetana Josefa da Trindade.

2-7-3 Manoel nasceu aos 10-04-1746 e foi batizado aos 17 do mesmo mês. Padrinhos João Rodrigues Moreira com procuração do cônego magistral Manoel do Pinho Cardido, do Rio de Janeiro e Dona Joana Teodora do Monte desta freguesia.

2-7-4 Teodósio nasceu aos 11-06-1748 e foi batizado aos 20 do mesmo mês. Padrinho Domingos João Terroso.

2-7-5 Caetana batizada aos 29-06-1750. Padrinhos, Frutuoso da Costa e dona Caetana Josefa de Andrade(sic) mulher do alferes José Alvares Rigado(sic) moradora na cidade de Mariana.

         Muito provavelmente a Caetana Josefa da Trindade contratada para se casar com Manoel do Vale Guimarães, conforme Processo Matrimonial de 1766 citado em 2-7-2 supra, sem outras informações.

2-7-6 Teresa batizada aos 24-07-1753. Padrinhos, alferes João da Silva Tavares e Dona Teresa de Jesus mulher do capitão Domingos da Silva Lobo todos desta freguesia.

2-7-7 Ana Barbara de Jesus foi madrinha na capela de Nossa Senhora das Neves filial de São Caetano em 30-12-1771

São Caetano-MG - Aos 30-12-1771 na capela filial de Nossa Senhora das Neves batismo de Ana filha legitima de Bernardo de Castro Ribeiro e sua mulher Lourença Maria da Costa. Padrinhos, Manoel Nunes dos Santos e Ana Barbara de Jesus filha de Teodósio Rodrigues de Mendanha todos desta.

 

2-8 Manoel Caetano Rodriggues, quatro anos. Estudou no seminário no Rio de Janeiro de onde saiu aos 09-04-1749 de acordo com prestação de contas de seu tio Manoel de Pinho Cardido inserida no inventario do pai sargento mor João Antonio Rodrigues.

 

2-9 Mateus, dois anos em 1732. Frei Mateus de São Caetano religioso noviço no convento de Nossa Senhora do Monte do Carmo do Rio de Janeiro antes de professar fez doação de sua legitima paterna ao irmão o capitão João Rodrigues Moreira em escritura assinada no Rio de Janeiro a 01-04-1746.