PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

João Ribeiro da Silva

Aportes à Genealogia Paulistana

(atualizado em 09-novembro-2016)

 

 

SL. 6º,433, 6-1, Maria Leme da Silva que casou em 1745 em Baependy com João Ribeiro da Silva, de Portugal, S. Salvador do Monte, bisp. Do Porto, f.º de Francisco Ribeiro e de Joanna da Silva.

 

 

Bartyra Sette

Colaboração: Paola Dias

 

Ao longo de nossas pesquisas nos documentos do sul de Minas Gerais, encontramos várias famílias “Ribeiro da Silva” com origens completamente diferentes e sem ligação entre si, ao menos na sua formação. Isso, aliado ao fato de alguns de seus membros viverem no mesmo lugar e adotarem nomes iguais, como “Dâmaso” por exemplo, tem gerado confusões, só resolvíveis pela análise criteriosa dos documentos.

Muitas vezes são necessários vários documentos para se saber com certeza quem é quem, como já dissemos na abertura do estudo “Os Ribeiro da Silva de São Gonçalo do Brumado”, freqüentemente confundidos com a descendência dos “Ribeiro da Silva de Baependí” e a deste João Ribeiro da Silva, entre outros.

 

 

Este João Ribeiro da Silva aqui estudado, foi batizado aos 25-03-1714 na Freguesia de São Salvador do Monte (no lugar de Mozelos), Bispado do Porto, filho legítimo de Francisco Ribeiro e Joana da Silva.

Arquivo Distrital do Porto. Paróquia de Salvador do Monte – Amarante. Registos de baptismos 1591-10/26/1891. E/9/10/4 – 229.1.

João, filho de Francisco Ribeiro e de sua mulher Joana da Silva, do lugar de Mozelos, desta Freguesia. Foi batizado por mim, Cura, em vinte e cinco de março de mil e setecentos e catorze. E teve os santos (óleos). Foram padrinhos: João Barbosa e sua irmã Teresa, do dito lugar de Mozelos. Testemunhas: o Reverendo Abade Manuel da Costa de Almeida e Miguel, familiar do dito João Barbosa. E para constar fiz este assento. Dia, era ut supra. O Cura Antônio João de Oliveira. (Seguem assinaturas) (pesq. Sílvio de Almeida Toledo Neto)

Casou em Baependi aos 11-01-1746 com Maria Branca Leme da Silva, filha de Pedro da Silva Góes e Catarina Leme do Prado, família “Nunes de Pontes” Cap. 1º § 1º.

Baependi, MG Igreja N. Sra de Monserrate. Aos 11-01-1746 nesta igreja de N. Sra de Monserrate de Baependi, testemunhas Luiz Pereira Dias e Nicolau Antonio Nogueira. João Ribeiro da Silva natural e batizado na freguesia de Sam Salvador do Monte Bispado do Porto e morador nesta freguesia, f.l. de Francisco Ribeiro e Joana da Silva, já defunta = cc Maria Leme da Silva, natural e batizada nesta freguesia e nela moradora, f.l. Pedro da Silva Goes e Caterina Leme do Prado, ja defunta.

 

Foram moradores na Freguesia de Baependí, onde formaram a Fazenda Campo Grande.

 

João faleceu com testamento aprovado em Aiuruoca aos 05-06-1786, aberto aos 14-10-1787, quando Maria já era falecida. Nele declarou sua naturalidade e filiação, disse ter tido treze filhos com sua mulher mas menciona apenas doze (testamento neste site).

 

Foram quatorze os filhos de João e Maria, que documentamos:

- Antonio, falecido em 27-09-1752 recem nascido, não foi mencionado no testamento.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 27/09/1752 faleceo Antonio recem nascido filho de João Ribeiro da Silva e Maria Branca da Silva.

 

1- José Ribeiro, casado. José Ribeiro da Silva, casou com Francisca Teresa Nogueira, filha de Pedro Vaz de Souza e Maria de Souza Nogueira, família “Antonio de Souza Ferreira”, neste site.

          José faleceu em Baependi aos 25-09-1790 (inventário neste site) e deixou filho único.

B7: Baependi-MG - Óbitos, aos 26-09-1790 fal. abintestado Jose Ribeiro da Silva, cc. Francisca Nogueira, sepultado dentro da matriz.

 

Teresa convolou segundas núpcias com o Capitão Joaquim do Rego Barros, geração na família “Os Barbosa Lima” I-Cap. 1º, § 2º, neste site.

José e Teresa tiveram:

1-1 Antonio, batizado aos 25-08-1782. Com 8 anos em 1791 era tutelado do tio paterno João Ribeiro da Silva.

 (pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG – Aos 25/08/1782 annos nesta matriz de N.S. do Monserrate de Baependi batizou (...) com licença minha o P Manoel Frr Fialho a Antonio f.l. de Jose Ribeiro da S.a e Fran.ca Thereza de Souza.

 

2- Felix Ribeiro da Silva aos 10-06-1802 em Baependi, casou com Teresa Mendes do Nascimento (pesquisa Aguinaldo Ribeiro da Cunha Filho in Revista ASBRAP 9, fls. 198. Capitão Felix faleceu em Baependi aos 27-12-1829.

(pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 27/12/1829 falesceu (...) o capitão Feles Ribeiro da Silva cazado.

 

          Teresa, natural de Baependi, irmã inteira de Maria Theresa do Nascimento, ambas filhas de Bento Manoel do Nascimento e Theresa Maria de Jesus, família “Gaspar João Barreto, o filho”, neste site.

          Teresa faleceu aos 25-07-1834, com testamento redigido na fazenda do Campo Grande da Freguesia, 03-07-1834. Nomeou o filho Dâmaso Ribeiro da Silva Tutor de seus irmãos menores.

B7: Baependi-MG - Óbitos, aos 25-07-1834 sep. nesta matriz de Baependi D. Theresa Mendes do Nascimento, viuva do Cap. Felis Ribeiro da Silva.

Eu, D. Theresa Mendes do Nascimento, f.l. Bento Manoel do Nascimento e D. Theresa Maria de Jesus, já falecidos, n/b e moradora nesta freguesia do Mont Serrat de Baependi.

Testamenteiros: 1º m/filho Damaso Ribeiro da Silva, 2º m/genro Antonio Maxado da Silva, 3º m/filho Bento Ribeiro da Silva.

Fui cc. Cap. Felis Ribeiro da Silva de cujo matrimonio tivemos os filhos: Bento = Damaso = Venerando = João = Gabriella, cc. o sobredito Maxado = Francelina = Francisca = Carolina, os quais são meus unicos e legitimos herdeiros.

Instituo e nomeio tutor de meus filhos menores ao dito meu filho Damaso.

fazenda do Campo Grande da Freguesia, 03-07-1834 D. Theresa Mendes do Nascimento

 

          Félix e Teresa tiveram, segundo o testamento oito filhos:

2-1 Dâmaso Ribeiro da Silva, 1º testamenteiro materno e nomeado tutor de seus irmãos menores. Segundo pesquisa de Aguinaldo Ribeiro da Cunha Filho, in Revista ASBRAP nº 9, fls. 199, Dâmaso casou com Cândida de Oliveira Castro, batizada em Baependi em 12-11-1810.

          Cândida faleceu em Baependi com 27 anos aos 21-01-1842. Era filha de José de Oliveira Castro, natural da vila de Guimarães e Mariana Antonia de Jesus, neta paterna de Francisco de Oliveira e Josepha de Oliveira

Baependi, MG  - Candida - Inocente - Branca. Aos doze de Novembro de mil oito centos e des nesta Mattris de Baependi batizei e pus os Santos Oleos a inocente Candida, filha legitima do Capitam Joze de Oliveira Castro e de D. Marianna Antonia de Jesus: forão padrinhos o Alferes Miguel Pereira, de Pouso Alto e Dona Isabel mulher de Antonio Jose (...) Rodrigues, desta freguesia de que fis este (...). O Vigario Domingos Rodrigues Afonso (pesq. Joaquim dos Santos Neto)

 

B7: Baependi-MG - Óbitos, fls. 84v. 84v. (a margem: D. Candida de Olivr.ª - 27) aos 21-01-1842 faleceu D. Candida de Oliveira e Castro, cc. Damaso Ribeiro da Silva

 

José de Oliveira Castro faleceu em Baependi-MG aos 18-09-1837 com testamento de 16 do mesmo mês. Declarou os seis filhos legitimos e duas naturais:

Filhas naturais com Joana de Mendonça, já falecida:

I- Berarda, já falecida, com geração.

II- Delfina.

 

Filhos legítimos:

III- Joaquim de Oliveira Castro. Casou com Carolina Umbelina de Paiva. Carolina casou segunda vez aos 07-02-1859 com Vicente Martins da Costa Peixoto, natural de Portugal, viúvo de Francisca Honória Nogueira casados na matriz de Campanha-MG aos 11-11-1854.

B7: Diocese de Campanha, paroquia de Baependi-MG - Aos 07 fevereiro 1859 oratorio particular de D. Umbelina de Paiva.

Vicente Martins da Costa Peixoto e D. Carolina Umbelina de Paiva Oliveira.

Ele natural de Portugal, viúvo de D. Francisca Honoria Peixoto Nogueira.

Todos desta cidade. Test.: Francisco Martins do Pilar, João Constantino Pereira Guimarães.

 

B7: Diocese de Campanha, paroquia de Baependi - Aos 11 novembro 1854 na matriz - Vicente Martins da Costa Peixoto e Francisca Honoria Nogueira. Test.: Olimpio Carneiro Viriato Catão e D. Guilhermina Adelaide d'Alcantara.

 

Joaquim e Carolina tiveram, q.d.:

III-1 Mariana Umbelina de Oliveira Castro, aos 08-07-1876 casou com seu primo Alexandre de Oliveira Castro, filho de José de Oliveira Castro e Ana Esméria de Oliveira Castro.

IV- Antonio de Oliveira Castro

V- Francisco

VI- José de Oliveira Castro casou com sua sobrinha Ana Esméria de Oliveira Castro VII-1 abaixo. Pais de:

VI-1 Alexandre de Oliveira Castro, aos 08-07-1876, casou com sua prima Mariana Umbelina de Oliveira Castro III-1 supra.

B7: Diocese de Campanha, paroquia de Baependi -cas. - matriz - aos 08 julho 1876 nas Aguas Virtuosas do Caxambu, em casa do Sr. Vicente Peixoto.

Alexandre de Oliveira Castro, f.l. de Jose de Oliveira Castro e D. Anna Esmeria de Oliveira Castro, n.. b. e morador no Rio Preto.

Marianna Umbelina de Oliveira Castro, f.l. do falecido cap. Joaquim de Oliveira Castro e D. Carolina Umbelina de Paiva, n. b. e moradora nesta paroquia.

Dispensados do imp. De consang. 2º grau de linha colateral.

Test.: cap. Manoel Jose de Sousa Pinto, cap. Antonio Ferreira Pinto e procuração apresentada pelo sr. Americo Vespucio de Avellar.

 

VII- Ana, já falecida, foi casada com Alexandre Pinto de Aguiar.

VII-1 Ana Esméria de Oliveira Castro, casou com seu tio José supra.

VIII- Cândida, casada com Dâmaso Ribeiro da Silva.

 

B7: Baependi - Óbitos, aos 19-09-1837 sep. na matriz o Capitão Jose de Oliveira Castro, falecido aos 18 do dito mês, cc. D. Mariana Antonia de Jesus; c/ testamento

Copia do Testamento (trechos)

Digo eu Jose de Oliveira Castro, n. da vila de Guimarães, brasileiro adotivo, f.l. de Francisco de Oliveira e Josepha de Oliveira, morador nesta vila de Santa Maria de Baependi.

Fui cc. D. Mariana Antonia de Jesus, de cujo matrimonio tive seis filhos a saber: Joaquim = Antonio = Francisco = Jose = Ana, já falecida, cc. Alexandre Pinto de Aguiar, de cujo matrimonio resultou uma filha, minha neta de nome Ana, hoje cc. meu filho Jose; e Candida minha filha cc. Damaso Ribeiro da Silva.

Declaro que por fragilidade e miséria humana, antes do meu casamento tive amizade ilicita com Joana de Mendonça, já falecida, de que julgo ter duas filhas; a primeira de nome Berarda, já falecida, mas que teve um ou mais filhos; e Delfina, as quais apesar da declaração da sobredita Joana de Mendonça de não serem minhas filhas, contudo julgando apaixonada aquela declaração pelo interesse de conduzi-las em sua companhia, as reconheço por minhas filhas e quero que herdem em igual parte com meus filhos legitimos sucedendo em todos os meus direitos.

Testamenteiros: 1º minha mulher Dona Mariana Antonia de Jesus em um único corpo com meu filho Joaquim de Oliveira Castro; 2º a meu filho Antonio de Oliveira Castro; em 3º meu filho Jose de Oliveira Castro.

Declaro que tenho em minha companhia minha sobrinha Ana Cassiana, filha de Miguel Cassiano.

Herdeiros da terça os filhos legitimos Joaquim = Antonio = Francisco = Jose = Candida e minha neta Ana casada com meu filho José.

Escrito pelo Padre Antonio Gomes Nogueira Freire, Vila Santa Maria de Baependi 16-09-1837.

Registrado em 23-7bro-1837

 

2-2 Bento Ribeiro da Silva, batizado em 24-03-1805, 3º testamenteiro materno.

Baependi, MG Igreja N Sra do Monserrate aos 24-03-1805 nesta matriz bat a Bento, f.l. do Cap. Felis Ribeiro da Silva e D. Teresa Mendes do Nascimento; foram padrinhos Cap. Felisberto Jose Nogueira desta freguesia e D. Flora Roberta do Nascimento por pp que apresentou D. Francisca de Meirelles Freire mulher do Quartel Mestre Francisco Gomes Nogueira, todos desta freguesia menos a madrinha que é filha do Cap. Hilario Gomes Nogueira do Bispado do Rio de Janeiro.

          Segundo Silva Leme, casou com Mariana, filha de Felisberto José Nogueira e Ana Margarida de Barros (SL. 6º, 426, 9-6). Geração na família “Tenente José Rodrigues da Fonseca” neste site.

2-3 Gabriela Mendes do Nascimento casou com João da Costa e Souza falecido em Baependi em 28-01-1832.

Baependi, MG Igreja N. Sra Monserrate obitos - aos 28-01-1832 faleceu da vida presente de enfermidade interior e repentinamente, João da Costa e Souza, casado com D. Gabriela Mendes do Nascimento. Jaz sepultado na Capela do Bom Jardim da freguesia da Ibitipoca.

          Em 18-02-1833, Gabriela casou com Antonio Machado da Silva, 2º testamenteiro da sogra, viúvo de Ana Monteira.

Baependi, MG Igreja N. Sra Monserrate matr - aos 18-02-1833 na Fazenda do Capanema desta freguesia, com provisão do Juizo Eclesiastico, Antonio Machado da Silva, viuvo de Ana Monteira = Com D. Gabriela Mendes do Nascimento, viúva de João da Costa e Souza; sendo testemunhas o Cap. Jose Joaquim Correa e Bento Ribeiro da Silva.

          João e Gabriela tiveram os filhos, q.d.:

2-3-1 José, batizado em 16-08-1829.

Baependi, MG Igreja N. Sra Monserrate aos 16-08-1829 nesta matriz bat a Jose, f.l. de João da Costa e Souza e D. Gabriela Ribeira da Silva; foram padrinhos o Cap. Felles Ribeiro da Silva e D. Theresa Mendes do Nascimento.

2-3-2 Teresa Leopoldina de Paiva Ribeiro batizada em 13-07-1831. Em julho de 1864 em Baependi casou com Gabriel Joaquim de Oliveira, filho do Cap. Joaquim José de Oliveira, morador em Caldas.

Baependi, MG Igreja N. Sra Monserrate aos 13-07-1831 nesta matriz bat a Theresa, f.l. de João da Costa e D. Gabriela Mendes do Nascimento; foram padrinhos o Conego Antonio Rodrigues Affonço e Damaso Ribeiro da Silva.

 

Baependi, MG Igreja N. Sra Monserrate matr 1857- Em julho de 1864 no Oratorio do Alf. Machado, Gabriel Joaquim de Oliveira, f.l. do Cap. Joaquim Jose de Oliveira, morador em Caldas = Com D. Theresa Leopoldina de Paiva Ribeiro, f.l. de João da Costa e Souza e D. Gabriela Mendes; foram testemunhas Luiz Antonio d’Oliveira e Dr. Jose da Costa Machado desta freguesia.

2-4 Francelina batizada em 04-06-1811.

Arquivo da Cúria de Campanha, MG. Baependi, livro n.º 7, batizados, 1803-1826. Francelina, inocente, branca. Aos quatro dias do mês de junho de mil oitocentos e onze, nesta Matriz de Baependi, batizei solenemente e pus os santos óleos à inocente Francelina, filha legítima do Capitão Félix Ribeiro da Silva e de Dona Teresa Mendes do Nascimento. Foram padrinhos os Ilustríssimos Senhores Doutor Mateus Herculano Monteiro e sua mulher, Dona Maria Custódia Nogueira da Gama, [estes] moradores em Vila Rica, por procuração que apresentaram o Capitão Teodoro Gomes Nogueira e Dona Rita Teodora Nogueira, desta freguesia, de que fiz este assento. O Vigário Domingos Rodrigues Afonso (pesq. Silvio de Almeida Toledo Neto).

2-5 Francisca

2-6 Venerando batizado em Baependi aos 14-10-1814.

(pesq. Sílvio de Almeida Toledo Neto) Batizados, Baependi-MG, Livro n.º 9, folha 94: Venerando 1814.

Aos quatorze de outubro de mil oitocentos e quatorze, nesta matriz de Baependi, o vigário Domingos Rodrigues Afonso batizou e pôs os santos óleos ao inocente Venerando, filho legítimo do capitão Felix Ribeiro da Silva e de D. Teresa Mendes do Nascimento. Foram padrinhos o tenente-coronel Joaquim Silvério de Castro e D. Mariana Ribeiro da Silva, de que faço este assento. O vigário Manuel Pereira de Sousa.

          Venerando Ribeiro da Silva casou com Messia Honoria, filha de Francisco de Assis Nogueira e Anna Theodora Teixeira (SL. 6º, 420, 10-12). Morou em Mococa-SP, onde foi fazendeiro "abastado" e faleceu de febre tifóide aos 65 anos em 17-04-1876, no estado de viúvo de Messia Nogueira, deixando três filhos legítimos e sete filhos naturais. Tronco da família “Venerando Ribeiro da Silva”, neste site.

Pesquisa Luiz Henrique C. Ribeiro - microfilme de Mococa-SP 1408360 (OBITOS) item 3-5, 1875-1893(falta 1887) Nº68.

Aos 17 dias domes de abril de 1876 nesta cidade de Mococa, distrito de paz,paróquia e município da mesma província de São Paulo, em meu cartorio ,compareceu Estebio Ribeiro da Silva, fazendeiro, residente neste distrito,declarou que no dia dezessete do mês de abril do corrente ano, as duas horas da madrugada, na faz. da Prata, em casa da residência de Venerando Ribeiro da Silva, faleceu o mesmo Venerando Ribeiro da Silva, do sexo masculino, com idade de 65 anos, viúvo por falecimento de Messias Nogueira, da qual houve três filhos, sendo:

-Venerando de 40 anos

-Estelino de 38 anos

-Estebio de 33 anos,

os quais já se acham no exercício de seus direitos, cujo finado faleceu com testamento, de morte natural, cuja enfermidade fora febre tifhoide , agricultor abastado, natural de Baependy da província de Minas Gerais, filho legitimo de Feliz Ribeiro e mãe ignorada, também ignorada a naturalidade.

E pelo saber dito Estebio, foi dito sendo filho do finado, ia dar-lhe a sepultura a seu cadáver no cemitério municipal, depois das cerimônias fúnebres.

De que para constar lavrei este termo que assina o declarante . Eu João Felisberto de Oliveira , escrivão de paz.

 

2-7 João batizado em 25-04-1816.

Arquivo da Cúria de Campanha, MG. Baependi, livro n.º 9, batizados, p. 97v. João. Aos vinte e cinco de abril de mil oitocentos e dezesseis, na Capela do Favacho, filial desta Matriz de Baependi, o Padre Antônio Gonçalves Penha batizou e pôs os santos óleos a João, inocente, filho legítimo do Capitão Félix Ribeiro da Silva e de Dona Teresa Mendes do Nascimento. Foram padrinhos João Francisco Junqueira e sua mulher, Dona Ana Hipólita Vilela. De que fiz este assento. O Vigário Manuel Pereira de Souza (pesq. Silvio de Almeida Toledo Neto).

2-8 Carolina, batizada em 09-12-1817. Segundo Silva Leme, casou com Francisco de Avila (SL. 6º, 421, 11-3) “Carolina Ribeiro, que era irmã de Venerando, o velho”

Arquivo da Cúria de Campanha, MG. Baependi, livro n.º 7, batizados, 1803-1826. Carolina, inocente, branca. Aos nove dias do mês de dezembro de mil oitocentos e dezessete anos, nesta Matriz de Nossa Senhora do Monserrate de Baependi, o Reverendo Francisco Antônio Junqueira, com [li]cença paroquial, batizou solenemente e pôs os santos óleos a Carolina, inocente, filha legítima do Capitão Félix Ribeiro da Silva e de Dona Teresa Mendes do Nascimento. Foram padrinhos o Sargento-mor José de Meireles Freire e Dona Maria Teresa do Nascimento. E, para constar, se fez este assento, que assinei. O Vigário Domingos Rodrigues Afonso (pesq. Silvio de Almeida Toledo Neto).

 

Baependi, MG Igreja N. Sra Monserrate aos 10-02-1838 nesta matriz se receberam Francisco Jaime de Avila e D. Carolina Ribeira da Silva por Provisão deste Juizo, perante as testemunhas Antonio Machado da Silva e Damaso Ribeiro da Silva.

2-9 José batizado em 28-03-1820. Não é citado no testamento materno (03-07-1834).

Arquivo da Cúria de Campanha, MG. Baependi, livro n.º 7, batizados, 1803-1826, 44r. [José,] inocente. Aos vinte e oito dias do mês de março de mil oitocentos e vinte anos, nesta Matriz de Nossa Senhora do Monserrate de Baependi, o Reverendo Manuel Pereira de Souza, com licença paroquial, batizou solenemente e pôs os santos óleos a José, inocente, filho legítimo do Capitão Félix Ribeiro da Silva e de Dona Teresa do Nascimento. Foram padrinhos o Reverendo Prudenciano Antônio Nogueira e Dona Genoveva Ribeiro. E, para constar, se fez este assento, que assinei. O Coadjutor Antônio Gonçalves Penha (pesq. Silvio de Almeida Toledo Neto).

3- Ana Ribeira, já falecida em 1786, foi casada com Cipriano Villela, sem filhos.

 

4- Antonio Ribeiro da Silva, solteiro em 1786. Faleceu em Baependi e foi sepultado aos 13-03-1799.

B7: Baependi-MG - Óbitos - aos 13-03-1799 foi sep. dentro desta matriz de Baependi, Antonio Ribeiro da Silva, solteiro, f.l. João Ribeiro da S.ª.

 

5- Bartolomeu Ribeiro da Silva, solteiro em 1786.

 

6- Silvestre, solteiro em 1786, faleceu aos 26-01-1788:

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 26/01/1788 faleceo (...) Silvestre da Silva (...) filho legitimo de João Ribeiro da Silva.

 

7- Francisco Ribeiro da Silva aos 27-11-1790 no oratorio de S. José do Rio Verde, freguesia da Campanha (registro em Baependi) casou com Maria Teresa do Nascimento, batizada em Aiuruoca, filha de Bento Manoel do Nascimento e sua segunda mulher Teresa (Maria) Gonçalves de Jesus, neta paterna de Manoel Mendes de Abreu e Maria de Abranches, neta materna de José Gonçalves Cruz e Inês Barbosa de Lima. Por Inês, bisneta de Estevão Correa e Rosa de Lima, família “Gaspar João Barreto, o filho”, neste site.

B7: Aos 27 novembro 1790 oratorio de S. Jose do Rio Verde, freg. da Campanha (reg. em Baependi) Francisco Ribeiro da Silva e Maria  Thereza do Nascimento.

Ele f.l. de Jose Ribeiro da Silva e de Maria Branca da Silva já falecidos, n. b. nesta dita freguesia.

Ela f.l. de Bento Manoel do Nascimento e Thereza Gonçalves de Jesus, n. e b. na freg. de Aiuruoca.

 

          Maria Thereza, viúva, faleceu aos 03-07-1853 com testamento, declarando os cinco filhos do casal:

CAMARA MUNICIPAL DE CAMPANHA - MG

Centro de Memoria Cultural do Sul de Minas

CPA03 Testamentos - Campanha da Princesa 1846-1854

Registro do testamento com que faleceu D. M.ª Thereza do Nascimento a 03-07-1853 de quem é testamenteiro Fran.co de Paula Ferr.ª Junior

Eu, D. Maria Thereza do Nascimento, n. dos Serranos, f.l. Bento Manoel do Nascimento e D. Thereza Maria do Nascimento, já falecidos. Fui cc. o Alferes Francisco Ribeiro da Silva, já falecido, de cujo consorcio tive cinco filhos que são: Bento Ribeiro = Antonio Ribeiro = Francisco Ribeiro = Crescencio Ribeiro = D. Marianna, cc. que foi com o Sargento Mor Lucas Evangelista. O primeiro e a ultima são já falecidos deixando filhos, os quais todos reconheço herdeiros das duas partes dos meus bens.

Testamenteiros: 1º meu neto Francisco de Paula, casado com minha neta D. Maria Theodora de Salles, 2º Sr. Conego Antonio Felippe.

(...) missas pela alma de meus filhos Bento e Marianna (...).

(...) meus cinco filhos acima declarados estão pagos de suas legitimas paternas,

(...) que meu filho Crescencio tirou clandestinamente o meu escravo Salviano (...) que bem vale a quantia de 800$000 com a qual deve entrar para o monte e contemplar em sua legitima para não prejudicar os mais herdeiros.

Meus filhos Crescencio e Antonio Ribeiro, no tempo em que administraram a minha casa e fazenda, compraram com o produto das boiadas ----- que renderam alguns escravos que estão com os mesmos os quais devem entrar no inventário de meus bens.

Meu filho Bento tratou de vender a parte das terras que tinha na fazenda, e tenho portanto um escravo por nome Joaquim e uma porção de F-----, uma e outra como quinhentos e tantos mil réis de que passou recibo, como faleceu sem passar titulos e concluir a venda devem seus herdeiros pagar a mencionada quantia isto que nunca recebi, e tendo encarregado a Antonio Lopes desta cobrança, a minha nora D. Felicidade respondeu pela primeira vez que ficava por conta da herança, e por ultimo que já tinha pago a meu filho Crescencio quando este não tinha poderes para receber (...).

(...) pela ocasião do casamento de minha filha Mariana com o Sargento Mor Lucas dei em dote para a mesma cinco escravos (...) é minha vontade que estes escravos não se contemplem na legitima da dita minha filha, porem sim que sejam contemplados em minha terça donde sairão por minha morte como já declarei na Nota do Segundo Tabelião de 10-10-1838 (...) porque os dotados ou donatários não são obrigados a entrar a colação

Deixo os meus escravos (...) para meu neto Francisco de Paula Ferreira Junior e sua mulher Dona Maria Theodora de Sales.

(...) para a minha neta D. Rita, cc. Francisco de Paula Ferreira Lopes sobrinho, (...);

Deixo o restante da minha terça para minha neta Maria Theodora e a seu marido.

Declaro finalmente que se for falecida algumas das pessoas beneficiadas neste testamento, ao tempo da minha morte, se entregara a seus herdeiros os bens que aqui lhes deixo.

Campanha, 19-05-1853 D. Maria Thereza do Nascimento

Aprovação: 19-05-1853

Abertura: 03-07-1853

Aceitação: 11-07-1853 Francisco de Paula Ferreira Lopes Junior, 1º testamenteiro e herdeiro.

 

7-1 Bento Ribeiro da Silva, nasceu aos 05-11-1791. Casou com Felicidade Perpetua da Luz, filha do Cap. Antonio Joaquim de Oliveira, inventariado em 1852 e Luiza Francisca da Luz em 1844, ambos inventariados em Cristina-MG. Outras informações sobre a família de Felicidade inseridas na família Antonio Rabelo Cap. 2º.

 (Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG – Aos 23/11/1791 anos nesta Igreja Matriz de N.S. do Monserrate de Baipendi baptizei condicionalmente por haver duvida na validade de seu primeiro baptismo administrado em caza em perigo de vida (...) a Bento innocente nascido aos 05 do corrente f.l. de Francisco Ribeiro da Silva e de D Maria Thereza do Nascimento elle nat desta freguezia e ella da Aiuruoca neto pela parte paterna de João Ribeiro da Silva nat da Arrifana de Souza Arcebispado que dizem ser de Braga e de Maria Branca da Silva já defunctos, nat desta mesma freguezia e pella materna de Bento Manoel do Nascimento nat da Villa de Valizim Bispado de Coimbra e de D Thereza Maria de Jesus nat de Villa de Guaratinguita bispado de São Paulo.

 

        Segundo testamento materno: “Meu filho Bento tratou de vender a parte das terras que tinha na fazenda, (...), como faleceu sem passar titulos e concluir a venda devem seus herdeiros pagar a mencionada quantia isto que nunca recebi, e tendo encarregado a Antonio Lopes desta cobrança, a minha nora D. Felicidade respondeu pela primeira vez que ficava por conta da herança, e por ultimo que já tinha pago a meu filho Crescencio quando este não tinha poderes para receber (...).”

 

          Bento testou na Fazenda do Caxambu em 07-07-1838, declarou sete filhos de seu casal. Faleceu em 11-08-1842 e foi inventariado em 1844.

Carmo de Minas, MG Igreja N Sra do Carmo aos 11-08-1842 faleceu Bento Ribeiro da Silva, em idade de 50 anos com seu solene testamento e sepultado aos 13 do dito mes e ano.

Testamento: (...) Bento Ribeiro da Silva, f.l. Francisco Ribeiro da Silva e D. Maria Theresa de Jesus, n/b na freguesia de Baependi e de presente morador nesta aplicação da capela do Espirito Santo do Carmo termo de Baependi (...) na forma seguinte.

Sou casado com D. Felicidade Perpetua de Castro, digo de Jesus, de cujo matrimonio tenho sete filhos a saber: Antonio = Joaquim = Francisco = Jose = Antonia = Maria = e Thereza.

Declaro que tenho em minha companhia duas meninas de nomes Ana e Maria, as quais tenho feito varias esmolas, casando a uma e dotando-a, e outro tanto pretendo fazer a outra, mas contudo as não reconheço por minhas filhas, e tão somente lhe faço este beneficio sem que as considere minhas filhas.

Testamenteiros: em 1º lugar a minha mulher D. Felicidade Perpetua de Jesus, em 2º a meu cunhado Jose Ignacio Nogueira, em 3º a meu cunhado Luiz Gomes Nogueira.

Fazenda do Caxambu 07-07-1838 = Bento Ribeiro da Silva.

Termo Aprovação. Termo de abertura pelo Vigario do Espirito Santo, Antonio Caetano Ribeiro. (...) fiz este registro aos 13-08-1842.

 

duplicata

Carmo de Minas, MG Igreja N Sra do Carmo obitos aos 12-08-1842 faleceu Bento Ribeiro da Silva, casado com Felicidade Perpetua. Sepultado dentro desta matriz de N. Sra. do Monte do Carmo.

 

Centro de Documentação e Memória Luis Barcellos de Toledo- Cristina, MG

Pesq. Cristiano Corte Restitutti

Inventariado Bento Ribeiro da Silva, Capitão

Inventariante Felicidade Perpetua de Jesus, viúva.

Local: Caxambu, Cristina-MG -ano 1844

Obs. fragmento - partilha; Confirmacao da partilha ("Diz Felicidade Perpetua de Jesus Viuva e Inventariante dos bens de seu finado Marido Bento Ribeiro da Silva, que precisa? [duvidas] revendo os Autos do Inventario do dito finado lhe passe por Certidão o teor do pagamento feito à meacao da suplicante,[duvidas] bem dos seus herdeiros [duvida]".

Herdeiros 7 flhos legitimos.

1- Antonio

2- Joaquim

3- Francisco

4- Jose, menor

5- Antonia, menor

6- Maria, menor.

7- Teresa, menor.

          Em 1854 Felicidade fez seu inventário em vida, reservando-se a terça. Casou segunda vez com Francisco de Paula Monteiro de Noronha.

Forum Fausto Dias Ferraz - Cristina, MG

Pesq. Cristiano Corte Restitutti

Inventariada Felicidade Perpetua de Jesus- Ano 1854

Inventário amigavel em vida ("Digo eu Dona Felicida de Perpetua de Jesus, que tendo mandado fazer em minha vida a Partilha da meação, que me tocou por morte do meu marido Capitão Bento Ribeiro da Silva, presentes?, e daqueles que foram depois adquiridos, convidei para o dito fim os meus herdeiros seguintes..."

Local: Caxambu, Cristina-MG

Inventariante em vida ficou com a terça

Herdeiros 6 flhos legitimos.

1- Antonio Maximo Ribeiro da Luz, Doutor, cc Mariana Blandina Gomes

2- Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, Doutor, procurado por Francisco Carneiro Santiago. Cc Maria Umbelina Santiago Luz

3- Antonia Carolina Ribeiro da Luz, solteira.

4- Maria Zeferina Ribeiro da Fonseca cc Antonio Jose Pereira da Fonseca Junior

5- Jose Bento Ribeiro da Luz, solteiro.

6- Teresa Leopoldina Ribeiro da Luz cc Francisco Carneiro Santiago Junior

          Compareceram sete filhos em 1844 e seis em 1854:

7-1-1 Antonio Maximo Ribeiro da Luz, doutor, casou com Mariana Blandina Gomes

7-1-2 Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, doutor, casou com Maria Umbelina Santiago Luz

7-1-3 Francisco, não é citado em 1854.

7-1-4 José Bento Ribeiro da Luz, solteiro em 1854.

7-1-5 Antonia Carolina Ribeiro da Luz, solteira em 1854.

7-1-6 Maria Zeferina Ribeiro da Fonseca casou com Antonio Jose Pereira da Fonseca Junior

7-1-7 Teresa Leopoldina Ribeiro da Luz casou com Francisco Carneiro Santiago Junior.

 

7-2 Antonio Ribeiro

7-3 Francisco Ribeiro

7-4 Crescencio Ribeiro

7-5 Marianna, já falecida em 1853, casada que foi com o Sargento Mor Lucas Evangelista. Com geração

 

Foram netos e legatários da avó Maria Thereza:

7-n- 1 Francisco de Paula Ferreira Lopes Junior casado com Maria Theodora de Salles:

7-n- 2 Maria Theodora de Salles casada com Francisco de Paula Ferreira Lopes Junior

7-n- 3 Rita casada com Francisco de Paula Ferreira Lopes sobrinho

 

8- João Ribeiro da Silva, solteiro. Em 1793 requereu dispensa para se casar com Bárbara Clara Nogueira, filha de Maria de Souza Nogueira e Pedro Vaz de Souza, família “Antonio de Souza Ferreira”, neste site (SL. 6º, 432, 7-7)

(pesq. Paola Dias) Processo de Dispensa Matrimonial - - Curia de Campanha

1793 Oradores João Ribeiro da Silva e Barbara Clara Nogueira.

Esquema:

Maria Leme do Prado                    Catherina Leme do Prado

Ana de Jesus Nogueira                Maria Branca da Silva

Maria de Souza Nogueira            João Ribeiro da Silva

Barbara Clara Nogueira

 

          Alferes João faleceu aos 27-01-1830.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG – Aos 27/01/1830 foi sepultado (...) o alferes João Ribeiro da Silva.

 

9- Capitão Manoel Ribeiro da Silva, casado. Segundo pesquisa de Aguinaldo Ribeiro da Cunha Filho, in Revista ASBRAP nº 9, fls. 199 Capitão Manoel casou Clara Maria Xavier. Geração no artigo citado.

          Entre seus filhos:

9-1 Bento, batizado em 25-05-1777.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Bat. 25/05/1777, Bento, filho legitimo de Manoel Ribeiro da Silva e Clara Maria Xavier. Padrinhos: Francisco de Souza Xavier e Maria Branca da Silva.

9-2 Francisco, batizado em Baependi em 06-09-1777, foram seus padrinhos o Capitão José Nogueira de Sá e Margarida Joaquina de Souza.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Bat. 06/09/1777(sic), Francisco, filho legitimo de Manoel Ribeiro da Silva e Clara Maria Xavier. Padrinhos: Capitão José Nogueira de Sá e Margarida Joaquina de Souza.

9-3 Antonio Ribeiro da Silva, batizado em 24-08-1780

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Bat. 24/08/1780, Antonio, filho legitimo de Manoel Ribeiro da Silva e Clara Maria Xavier. Padrinhos: Tenente Coronel Henrique Dias de Vasconcelos.

          Segundo pesquisa de Aguinaldo Ribeiro da Cunha Filho in opus citada, casou com Luisa Leocadia da Cunha, filha de Cristovão da Cunha de Carvalho e Luisa Teresa de Magalhães e Serqueira. Família “Bernarda Dutra da Silveira” Cap. 5º.

9-4 Claudiano, batizado em 21-09-1784 e falecido em 30-04-1798.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 26/12/1782 ... baptizei ... Claudiano, filho legitimo do Capitão Manoel Ribeiro da Silva e Clara Maria Xavier. Padrinhos: Tenente Coronel Antonio Barbosa que apresentou dele procuração o Capitão Hilario Gomes Nogueira e Maria Joaquina da Silva.

 

B7: Baependi-MG - Óbitos 1786 a 1801, fls. 185v. aos 30-04-1798 nesta matriz de Baependi foi sep. Claudino, f.l. do Cap. Manoel Ribr.º da Silva.

9-5 Venâncio, em 21-09-1784

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Bat. 21/09/1784, Venancio, filho legitimo do Capitão Manoel Ribeiro e Clara Maria Xavier. Padrinhos: O reverendo parocho desta freguesia Domingos Lopes de Matos e Francisca Maria de Souza, mulher de Manoel Pereira.

9-6 Lionezio, em 16-10-1785

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Bat. 16/10/1785, Lionezio, filho do Capitão Manoel Ribeiro da Silva. Padrinhos: Francisco Ribeiro da Silva solteiro e Ignacia Lemes da Silva solteira.

9-7 José, em 18-04-1790

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Bat. 18/04/1790, José, nasceu aos 28/03. Filho legitimo do Capitão Manoel Ribeiro da Silva e Clara Maria Xavier. Padrinhos: O guarda-mor Caetano José de Souza Mendes solteiro e Francisca Maria de Souza mulher de Manoel Pereira.

9-8 Maria Benedita, legatária do tio Manoel da Silva Ribeiro.

 

10- Maria Joaquina da Silva, nascida em Baependi-MG, casou duas vezes. Em 1786 estava casada com Antonio Pedro da Costa. Casou segunda vez com Manoel Martins Borralho.

Maria Joaquina, em 1831, era moradora com seu segundo marido Manoel Martins Borralho, no fogo 2 do 8º quarteirão de Aiuruoca, ambos com 70 anos (censo neste site)

Maria faleceu em Aiuruoca aos 12-12-1841 com testamento registrado no Livro de Óbitos da Matriz:

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG

s/n 12 dezembro 1841 D. Maria Joaquina da Silva, f.l. de João Ribeiro da Silva e Maria Branca da Silva, cc. na vila de Baependi e moradora na de Aiuruoca.

Testamenteiros: 1-m/marido Manoel Miz Borralho; 2- m/genro Antonio do Rego Barros; 3- m/filho Pedro Antonio Ribeiro.

Declaro que fui cc. cap. Antonio P---- da Costa e existem 2 filhos: Pedro e, Custodia cc. Antonio do Rego Barros.

no texto:

-m/irmão Francisco Ribeiro da Silva;

- meu falecido irmão Manoel da Silva Ribeiro.

C2c Manoel Martins Borralho.

Testamento a 02 novembro 1830 (sic); Aprovação 03 novembro 1839. Registrado aos 12 janeiro 1842.

 

Teve das primeiras nupcias, segundo seu testamento, dois filhos:

10-1 Pedro Antonio Ribeiro, batizado aos 06-10-1782. 3º testamenteiro materno.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 06/10/1782 nesta matriz de N. S. do Monsarrate de Baepindi (...) baptizei (...) Pedro f.l. de Antonio Pedro da Costa e Maria Joaquina da Silva.

          Casou com Vitoriana Maria de Jesus e em 1831 eram moradores no fogo 19 do 3º quarteirão da Guapiara (censo neste site), ele com 50 anos declarados e ela com 36.

Entre seus filhos:

10-1-1 Antonio, batizado em 02-02-1813

(pesq. Anderson Reinaldi) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- 02/02/1813 – Alagoa – Antonio, filho de Pedro Antonio Ribeiro e Vitoriana Maria de Jesus, pad Antonio do Rego Barros e Custódia Maria do Sacramento, todos desta freguesia

10-1-2 Maria, aos 04-05-1817

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Aos 04/05/1817 na Capela da Gopiara ... baptizou ... Maria, filha legitima de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria. Padrinhos: João Evangelista Rangel e Maria Joaquina.

10-1-3 José, aos 01-11-1818

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Ao 01/11/1818 nesta Matriz ... baptizou ... José, filho legitimo de Pedro Antonio Ribeiro e [...]na Maria de Jesus. Padrinhos: Tenente Antonio Theodoro de Araújo [...] Maria Joaquina da Silva.

10-1-4 Custódia, em 21-05-1820

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Aos 21/05/1820 nesta Matriz ... baptizou ... Custodia, filha legitima de Pedro Antonio Rbeiro e Victoriana Maria . Padrinhos: Alferes Joaquim José Braga e Maria Joaquina [...]

10-1-5 Francisco, batizado em Dezembro de 1821

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos-  2 ou 3 de dezembro de 1821, matriz, FRANCISCO, f.l. de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria de Jesus; padr.: d. Custodia Maria do Sacramento cc. Antonio do Rego Barros.

10-1-6 Ana, em 08-02-1824

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Aos 08/02/1824 nesta Matriz ... baptizou ... Ana, filha legitima de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria de Jesus. Padrinhos: Joaquim José de Alvarenga e Maria Clementina de Barros.

10-1-7 Alexandrina, em 30-01-1825.

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Aos 30/01/1825 nesta Matriz ... baptizou ... Alexandrina, filha legitima de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria. Padrinhos: Silvério Soares Lucindo morador na freguesia da vila de Resende por seu procurador Manoel Barbosa de Lima e Ana Fausta Michelina de São Paio, casada com Antonio Rodrigues Pinto por sua procuradora Maria Clementina de Barros.

10-1-8 Pudenciana, batizada em 05-06-1827

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Aos 05/06/1827 nesta Matriz ... baptizou... Pudenciana, filha legitima de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria de Jesus. Padrinhos: João de Senna e Silva morador da vila de Resende por procuração que apresentou José Domingues Maciel e Joaquina filha do mesmo Maciel.

10-1-9 Joaquim, aos 01-11-1829

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - bat. Aos 01/11/1829 nesta Matriz baptizei ... Joaquim, filho legitimo de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria de Jesus. Padrinhos: guarda-mor Joaquim Carlos de Mendonça e Dona Mariana Cherubina.

10-1-10 Porfiria, aos 28-10-1831

(Pesq. Fabricio Gerin) Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG. Aos 28/10/1831 nesta Matriz baptizei ... Porfiria ... filha legitima de Pedro Antonio Ribeiro e Victoriana Maria de Jesus. Padrinhos: Alferes Tristão Antonio da Silveira e sua mulher ... Vilhena.

 

10-2 Custódia Maria do Sacramento, batizada em 25-03-1781 e falecida em Aiuruoca aos 4-12-1862.

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 25/03/1781 nesta matriz de Baependi baptizei solemnemente e pus os santos oleos a Custodia innocente filha legitima de Antonio Pedro da Costa e de Maria Joaquina da Silva.

          Foi casada com Antonio do Rego Barros, falecido em Aiuruoca em 1857, filho de José do Rego Barros e Ana Maria do Nascimento. Geração na família “Os Barbosa Lima” I-Cap. 1º, § 3º, neste site.

 

10-3 Alexandrina, batizada em 30-01-1785. Não é nomeada no testamento materno (

(Pesq. Fabricio Gerin) Baependi-MG - Aos 30/01/1785 (...) baptizei (...) Alexandrina (...) f.l. do alferes Antonio Pedro da Costa. (no final: declaro chamar-se a mae da innocente Dona Maria Joaquina da Silva)

 

11- Inácia Leme da Silva casou em Baependi aos 25-10-1785 com Manoel Dias da Silva, filho de Antonio Dias de Castro e Brizida Maria de Jesus.

B7:Cas. Baependi - 25 out 1785 matriz: Manoel Dias da Silva e Ignacia Lemes da Silva.

Ele f.l. de Antonio Dias de Castro e Brizida Maria de Jesus, n. e b. na freg. de Santa Anna das Lavras.

Ela f.l. de João Ribeiro da Silva e de Maria Branca da Silva, n. e b. nesta mesma freguesia.

 

Alferes Manoel faleceu em Fevereiro de 1810 e teve seu inventário (neste site) aberto aos 27 de junho do mesmo ano. Compareceram cinco filhos tutelados sucessivamente por Antonio Dias de Castro, Alferes José Ramos Barbosa, Alferes João Ribeiro da Silva:

11-1 Silvério Dias, com 20 anos em 1810.

11-2 Antonio, 15.

11-3 Cândido, 14

11-4 Maria Cândida Ribeiro, 12 anos em 1810. Aos 23-11-1814 casou com Felisberto Serafim da Cunha, filho do Tenente Cristovão da Cunha de Carvalho e Luiza Teresa de Magalhães e Serqueira. Geração na família “Bernarda Dutra da Silveira” Cap 5º.

11-5 Emerenciana, 12 anos em 1810.

 

12- Pedro Ribeiro da Silva, menor em 1787.

 

13- Manoel da Silva Ribeiro, natural de Baependi-MG onde faleceu com testamento e foi sepultado no dia 17-12-1799. Solteiro, sem filhos, deixou legado para a sobrinha Maria Benedita e instituiu herdeira a irmã Maria Joaquina:”minha irman Maria Joaquina da Silva e a minha sobrinha Maria Benedita, filha do Capitão Manoel Ribeiro, se lhe dara cecenta mil reis de esmola’

(transcrito por Fabricio Gerin) Baependi-MG - Óbitos 1786 a 1801, fls. 202, (M.el da S.ª Ribr.º). Aos dezete de Dezembro de mil setecentos e noventa e nove foi sepultado dentro desta matriz, das grades para baixo, Manoel da Silva Ribeiro, solteiro, recebeo os sacramentos e não os mais por não chamarem a tempo. Fez seu solene testamento ... ficarão dizendo ... missas de corpo presente determinadas no dito testamento, faleceu com .... de Lázaro e seu corpo foi envolto em hábito de ... preto por não haver da qualidade determinada no testamento. Foi por mim incomendado com assistencia do meu Reverendo Coadjutor e cruz da fabrica de que mandei fazer este assento que asignei. O Vigr.º Dom.os Roiz Affonso.

Cópia do T.to do .... supra.

Jesus Maria Joze. Em nome da Santissima Trindade Padre Filho  Espírito Santo tres pessoas distintas e um soDeos verdadeiro. = Eu Manoel da Silva Ribeiro, filho legitimo de João Ribeiro da Silva e de Maria Branca da Silva, natural e batizado na Freguesia de Nossa Senhora do Monserrate de Baependi Comarca do Rio das Mortes Bispado de Mariana, morador na sua fazenda do Campo Grande, estando eu de pé e em meu juízo que Deos me deo com o conhecimento da certeza da morte e incerteza do dia, querendo dispor a minha vida espiritual faço o meu testamento da maneira seguinte: = em primeiro lugar encomendo minha alma a Deos todo poderozo ... Elle rendo infinitas grasas pelos beneficios que ... tenho nesta minha vida ... liberalidade recebido ... meu Senhor Jezus Christo rogo me fasa participante de seus merecimentos para salvar minha alma e tenho por valia a Maria Santíssima Rainha dos Ceos e da Terra e por patronos o anjo da minha guarda e a todos os santos da corte do ceo ... Como catolico romano creio quanto tem cre e ensina a santa madre igreja e nesta fe espero salvar a minha alma = Declaro que sou solteiro nunca fui cazado do que rendo infinitas grasas a Deos = Pesso em primeiro lugar a minha irman Maria Joaquina da Silva, mulher do Alferes Antonio Pedro da Costa; em segundo ao dito Alferes Antonio Pedro da Costa; em terceiro lugar a meu irmão Felis Ribeiro da Silva que por serviço de Deos queirão aseitar serem meus testamenteiros, recadadores e executores deste meu testamentosucedendo(...) bastantes procuradores com todos os ... para que por meu falecimento possão tomar posse dos meus bens, vender, recadar, pagar o que eu dever com meu funeral ... a si tudo quanto me pertencer cumprir quanto ... neste meu testamento, sedula ou codicilio sem ... ou outras quaisquer ...

(.................)

Meu corpo será amortalhada em hábito de Sam Francisco oudo Carmo, e em falta em hum de pano de linho, será sepultado na igreja onde suceder eu fallecer encomendado pelo parocho ou capelão e prezidir na dita parajem e me mandarão dizer por minha alma quatro missas de corpo prezente = Declaro que me mandará dizer mais cem missas por minha alma e quatro ... para minha alma e outros quatro pelas almas do purgatorio = Declaro que de hoje em diante as missas que eu mandar dizer em minha vida se levarem emconta aprezentando ... Deixo de premio a qualquer dos meus procuradores que tomar conta deste meu testamento e velador do que me pertencer ... mil reis = Declaro que tenho hua afilhada por nome ... minha escrava filha de Maria banguela, escrava da caza dos falecidos meos pais e esta afilhada deixo por forra e liber... livre de toda escravidão e por tal a haverão todos os senhores onde quer que ... assistir e esta minha sedula ou codicilho lhe servira ... o tempo para justificar esta minha ultima vontade = Declaro que o resto dos meus bens que me pertense deixo de esmola a minha irman Maria Joaquina da Silva e a minha sobrinha Maria Benedita, filha do Capitão Manoel Ribeiro, se lhe dara cecenta mil reis de esmola = Declaro que o que eu dever sendo ... se verdade meu procurador ou testamenteiros não pora duvida pagar lhe ... Não tenha declarado ... como tão bem cobrarão ... deveram ... escrito no dito meu rol e porque ...

(..............)

Nesta Fazenda do Campo Grande de Baependi onde de prezende ... Hoje 14 de Janeiro de --- Manoel da Silva Ribeiro.

(..............)

Baependi, 17 de Dezembro de 1799.