PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

 

João Gomes Martins e Clara Maria de Melo

 

 

Moacyr Villela

 

João Gomes Martins, natural da freguesia de Gondefelos arcebispado de Braga, era filho de Antonio Gomes e sua mulher Maria Martins. Por volta de 1720 comprou um sitio a Pedro Alves de Oliveira, no Caminho Novo que vai da Borda do Campo para o Rio de Janeiro.

 

Casou com Clara Maria de Melo natural da freguesia de Nossa Senhora da Apresentação de Irajá no Rio de Janeiro, filha de Clara Soares de Melo e Manoel Neto Barreto.

 

Encontramos em documentos cartoriais da Capitania de Minas Gerais três irmãos de Clara Maria de Melo:

II – Frutuoso Pereira de Carvalho, licenciado.  Irmão de Luzia Francisca de Melo e de Clara Maria de Melo. Foi tutor de seus sobrinhos abaixo citados.

III – Antonio Monteiro de Almeida morador no Rio de Janeiro. Diz João Gomes Martins em seu testamento: “Tenho contas com minha sogra Clara Soares cuja divida vendi a meu cunhado Antonio Monteiro por 300.000 reis”

IV - Luzia Francisca de Melo, filha de Manoel Neto Barreto e cunhada de João Gomes Martins “morador no Caminho Novo”. Moradora em Guarapiranga termo da Vila do Ribeirão do Carmo foi testamenteira de seu marido o sargento mor Antonio Mendonça de Vasconcelos falecido aos 24-04-1732. O falecido marido tinha sido casado pela primeira vez no Caminho Novo do Rio de Janeiro com Antonia da Fonseca Leme filha do coronel Domingos Rodrigues da Fonseca. Antonia da Fonseca faleceu na Borda do Campo deixando um filho, que se apresentou como herdeiro, no inventario do pai, junto com os dois filhos do segundo casamento: Tutor dos órfãos o tio materno Frutuoso Pereira morador na Vila Rica do Ouro Preto.

Casa Setecentista de Mariana Inventários do primeiro oficio - Ano 1732.

Inventariado Sargento Mor Antonio de Mendonça Vasconcelos

Inventariante Antonio Luis de Miranda.

Freguesia de Guarapiranga. Faleceu aos 24-04-1732.

Abertura aos 10-05-1732 compareceu a viúva Luzia Francisca de Melo, dona que declarou: “que ficou pobre com dois filhos seus e mais um filho do primeiro casamento de seu marido.”

Titulo de Herdeiros:

Manoel de Mendonça de idade 16 anos filho do defunto e de Dona Antonia da Fonseca Leme já defunta de quem não ficaram mais herdeiros/

Dona Clara filha do segundo casamento com sete anos/

Dona Isabel filha do segundo casamento com seis anos.

 

Bens- declara a viúva cabeça do casal um sitio onde mora, com casas de vivenda cobertas de palha, bananal e um quartel de mandioca, dois alqueires de milho plantado que parte com Pedro Leme Duarte, com a capela do mestre de campo Pedro da Fonseca Neves com titulo de compra que havia feito a João Rosado e que esta para pagar e deve a Miguel Lopes. Declarou a inventariante cabeça de casal dever a seu irmão Frutuoso Pereira 130 oitavas de fazendas de sua loja. Deve ao Doutor Mateus Saraiva do Rio de Janeiro 198 oitavas/ Deve a seu pai Manoel Neto Barreto 120 oitavas. Deve a Manoel Gonçalves no Rio das Mortes 200.000 reis. Deve a seu cunhado João Gomes Martins morador no Caminho Novo do Rio de Janeiro 42 oitavas.

Curador dos órfãos: Licenciado Frutuoso Pereira morador na Vila Rica, tio dos menores.

O juiz pede a transcrição do inventario da primeira mulher Dona Antonia da Fonseca Leme que não foi localizado no cartório da Vila de São João Del Rei. Primeiro casamento com Dona Antonia filha do Coronel Domingos Rodrigues da Fonseca, que faleceu na Borda do Campo onde vivia com seu marido ficando um filho menor por nome Manoel (...)

Diz Frutuoso Pereira de Carvalho que falecendo...

Em 1-12-1759 o Juiz de Fora de Mariana nomeia como tutor dos órfãos Domingos Pinto que intimado a assumir declara: “Não se sabe dos órfãos em razão de ter falecido o pai há mais de 20 anos e logo da dita freguesia se ausentou a viúva com os filhos para o Rio de Janeiro sem que deles se tenha noticia”

Filho de Antonio de Mendonça de Vasconcelos e de sua primeira mulher Antonia da Fonseca Leme:

- Manoel de Mendonça com 16 anos em 1732. “Filho do defunto e de Dona Antonia da Fonseca Leme de quem não ficaram mais herdeiros”

 

IV-1 Dona Clara com sete anos em 1732.

IV-2 Dona Isabel com seis anos.

 

 

João Gomes Martins faleceu com testamento, ditado aos 15-08-1745, que não deu tempo de ser aprovado, entregue aos 10-09-1745, pela viúva, ao escrivão encarregado de fazer o inventario:

IPHAN São João Del Rei Inventario cx524(antiga classificação)-

Auto de Inventario que se fez dos bens do defunto João Gomes Martins de quem é inventariante a viúva Dona Clara Maria de Melo em casa de morada da inventariante.

Abertura em 07-09-1745, na roça chamada Pedro Alves cita no Caminho Novo que vai destas Minas para o Rio de Janeiro.

Herdeiros de seu matrimonio com a inventariante: Francisco Gomes Martins com 16 anos; Manoel Gomes Martins com 12 anos; Jose Gomes Martins com 10 anos; Ana Joaquina de Melo com nove anos. Filha natural – Maria Gomes de Jesus parda, que instituiu como sua herdeira em testamento.

Bens de Raiz – Uma roça no Caminho Novo com uma légua de terras com titulo de compra a Pedro Alves de Oliveira e sesmaria passada no Rio de Janeiro. Parte com o mesmo Pedro Alves e com Agostinho de Pinho da Silva. Benfeitorias com fabrica de farinha de mandioca e demais instalações avaliada em quatro contos de reis

Entre os créditos do inventario: Uma divida de Manoel Neto Barreto por seu casal que se obrigou a pagar Antonio Monteiro de Almeida morador no Rio de Janeiro.

 

Translado de testamento que ditou aos 15-08-1745 entregue ao escrivão do inventario aos 10-09-1745: Pede para ser sepultado em sua capela com a invocação de São Miguel na freguesia de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato.

Declara ser natural de Gondefelos, arcebispado de Braga filho legitimo de Antonio Gomes já falecido e de sua mulher Maria Martins. Ainda solteiro teve, de uma escrava sua, chamada Luiza uma filha mulata por nome Maria a qual sempre tratou como filha e libertou na pia batismal.

 “Declaro que entre as varias contas que tenho com minha sogra Clara Soares ou seu casal me é devedora de 360.000 reis cuja divida vendi a meu cunhado Antonio Monteiro por 300.000 reis. Declaro mais que me deve meu cunhado Frutuoso Pereira certa quantia.

 

 

João Gomes, em solteiro, teve com sua escrava Luiza uma filha que foi batizada por forra e reconhecida em testamento. Herdou com os outros herdeiros:

1n- Maria Gomes de Jesus, filha natural da escrava Luiza, com 25 anos em 1745

 

Filhos legítimos de João Gomes e Clara Maria, idades em 07-09-1745

 

1 Francisco Gomes Martins com 16 anos. Capitão Francisco Gomes Martins, herdeiro de seu irmão Manoel abaixo, tem a receber uma divida de 266.242 reis que lhe deve o inventario do irmão.

 

2- Manoel Gomes Martins com 12 anos. Como Manoel Gomes de Melo faleceu solteiro em São João Del Rei em outubro de 1772. Herdeiro os três irmãos.

Inventario IPHAN São João Del Rei cx 463 – numeração antiga – Inventariado Manoel Gomes de Melo – Inventariante o irmão Jose Aires Gomes – ano 1772.

Vila de São João Del Rei onde vivia.

Abertura aos 30-10-1772 com testamento ditado aos 13-11-1770 onde declara ser natural da freguesia de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato filho legitimo de João Gomes Martins e Dona Clara Maria de Melo, já defuntos e que sempre foi solteiro e não tinha filhos. Institui como seus herdeiros os irmãos que são: Jose Aires Gomes primeiro testamenteiro; Francisco Gomes Martins segundo testamenteiro e Dona Ana Joaquina de Melo. Faleceu na Vila em dias do mês de outubro de 1772.

Bens- Casas térreas coberta de telhas na rua do curral da Vila e São João e uma chácara com casas de vivenda cita na paragem do córrego da Água Limpa. Tem credito em haver com seu irmão Francisco Gomes Martins.

Nomeia segundo testamenteiro o cunhado Francisco de Macedo Cruz.

 

3- José Gomes Martins com 10 anos. José Aires Gomes. Testamenteiro e inventariante de seu irmão Manoel em 1772.

          Natural e batizado na freguesia de N. Sra da Assunção do Engenho do Mato, Aos 03-06-1769 na capela de Santa Luzia filial da freguesia de S. José da cidade do Rio de Janeiro, José casou com Maria Inácia de Oliveira, batizada em Barbacena aos 02-09-1744, filha do Tenente Coronel Manoel Lopes de Oliveira, natural de S. Bento do Couto de Pedrozo Bispado do Porto e de Ana Maria dos Santos natural da cidade do Rio de Janeiro, casados em Barbacena aos 26-07-1743, neta paterna de João Lopes e Maria Lopes, neta materna de Antonio dos Santos Nunes e de Maria Ribeira - família Ana Maria dos Santos, neste site.

(pesq. Silvia Buttros) Livro de Matrimônios da Freguesia de São José do Rio de Janeiro - Aos 03 de junho de 1769, na Capela de Santa Luzia, filial da Freguesia de São José, José Ayres Gomes filho legitimo de João Gomes Martins e de Dona Clara Maria de Melo, natural e batizado na Freguesia de N.S. da Assunção do Engenho do Mato, Bispado de Mariana; com Maria Ignacia de Oliveira, filha legitima do Tenente Coronel Manoel Lopes de Oliveira, e de Dona Ana Maria dos Santos, natural e batizada na Freguesia de N. S. da Piedade da Borda do Campo, Bispado de Mariana.

 

Barbacena-MG aos 02-09-1744 na pia batismal da capela de N Sra a Piedade da Cachoeira desta freguesia de N Sra da Piedade da Borda do Campo bat a Maria Ignacia, f.l. de Manoel Lopes de Oliveira, n. da freguesia de S. Bento do Couto de Pedrozo Bispado do Porto e de Ana Maria dos Santos natural da cidade do Rio de Janeiro e moradores nesta dita freguesia da Borda do Campo, neta paterna de Joam Lopes e de s/m Maria Lopes, e pela materna de Antonio dos Santos Nunes e de Maria Ribeira. Foram padrinhos o Cap. Domingos Ferreira da Veyga em cujo nome e com pp de o Padre Manoel da Silva lagoinha toquei a batizada, e Bernardina Caetana do Sacramento mulher do Ten. Cel. Jose Lopes de Oliveira. Nasceu a dita Maria Ignacia aos 31-07 do dito ano.

 

Ten. Cel. José Aires Gomes e Maria Inácia tiveram os filhos, batizados em Barbacena, q.d.

3-1 Ana Maria Perpetua de Oliveira, em Barbacena aos 20-06-1785, casou com o Cap. Antonio de Miranda Magro. Com geração.

Barbacena, MG Igreja N Sra da Piedade - aos 20-06-1785 na capela de N. Sra da Piedade da Borda do Campo Cap. Antonio de Miranda Magro = cc D. Ana Maria Perpetua de Oliveira, f.l. Ten. Cel. Jose Ayres Gomes e D. Maria Inacia de Oliveira. Test.: Ten. Cel. Jose Ayres Gomes e Cap. Francisco de Macedo Cruz.

Pais de, pelo menos:

3-1-1 Alferes Antonio de Miranda Magro aos 21-11-1813 casou com Maria Marcelina de Souza Ferraz, filha do Cap. José Manoel Vieira Ferraz e Matildes Maria de Lima. Geração na família Souza Ferraz, neste site.

SJDRei, fls 134 aos 21-11-1813 Cap. S. Francisco da Onça, Alferes Antonio de Miranda Magro, f.l. Antonio de Miranda Magro e D. Maria Perpetua de Oliveira, n/b freg. Barbacena; = cc. D. Maria Marcelina, f.l. Capitão Jose Manoel Vieira Ferras e d. Matildes Maria de Lima, n/b nesta.

3-1-2 Francisca de Paula Miranda, em Barbacena aos 02-03-1802, casou com Felix José de Noronha, filho do Cap. Francisco Xavier Monteiro e D. Maria Clara de Assis - familia Antonio Alves de Castro, neste site.

Barbacena, MG) aos 02-03-1802 na capela da Sra da Piedade da Cachoeira, Felix Jose de Noronha, f.l. Cap. Francisco Xavier Monteiro e D. Maria Clara de Assis = cc D. Francisca de Paula de Miranda, f.l. Cap. Antonio de Miranda e D. Ana Maria Perpetua. Test.: Bento Jose de ----- e ---- Ayres Gomes.

3-2 João Aires Gomes, aos 27-02-1804 em Barbacena, casou com Francisca de Paula Rabella, filha natural de Ana Briosa.

Barbacena, MG aos 27-02-1804 na capela da Sra da Piedade da Caxoeira filial desta matriz, João Aires Gomes, f.l. do Cel. Jose Aires Gomes e D. Maria Inacia de Oliveira = cc Francisca de Paula Rabella, filha natural de Ana Briosa(?) de França. Ambos nts/bts nesta freguesia, test: Padre Neutel Vaz de Mello e Luiz Francisco de Vasconcellos.

 

4- Ana Joaquina de Melo com nove anos em 1745. Casou com o Capitão Francisco de Macedo Cruz natural da freguesia de Engenho do Mato filho do Capitão Gregório de Macedo Cruz, natural do termo da Vila de Guimarães, arcebispado de Braga e sua mulher Francisca de Almeida do Espírito Santo, natural da fregusia da Candelaria da cidade do Rio de Janeiro, neto paterno de Jerônimo Francisco de Macedo e sua mulher Margarida de Freitas.

          Capitão Gregório Macedo Cruz testou em 23-10-1748, Nomeou testamenteiros seu irmão Manoel de Freitas Cruz, sua mulher Francisca de Almeida do Espírito Santo e seu filho Jerônimo Macedo Cruz. Declarou oito filhos de seu casal.

Inventario de Gregório Macedo Cruz – 1748 – Arquivo IPHAN São João Del Rei cx 429- antiga classificação –Inventariante Francisca de Almeida do Espírito Santo. Sitio Moreira da Cruz.

(observação: falta a folha 1 onde esta a abertura do inventario)

Titulo de Herdeiros: Filhos.

Jerônimo solteiro 24 para 25 anos / Jose solteiro 23 para 24 anos/ Francisco solteiro 21 para 22 anos/ João solteiro 19 para 20 anos/ Dona Clara solteira 15 para 16 anos/ Dona Isabel 14 para 15 anos/ Dona Ana 12 para 13 anos/ Custodio 10 para 11 anos.

 

Bens de Raiz – Fazenda Antonio Moreira da Cruz a qual comprou ao defunto Antonio Moreira da Cruz e parte para a banda do Rio de Janeiro com a fazenda do Alcaide Mor e da parte das Minas com a fazenda chamada Queiroz. Uma légua, com casas de vivenda e rancho de passageiros cobertos de telhas. Uma casa de sobrado na cidade do Rio de Janeiro comprada em 1734 a Isabel Pereira de Oliveira viúva de Frutuoso de Macedo Cruz.

Testamento ditado aos 23-10-1748 na cidade do Rio de Janeiro. Indica como testamenteiros em 1º lugar a meu irmão Manoel de Freitas Cruz. Em segundo lugar a minha mulher Francisca de Almeida do Espírito Santo e em terceiro a meu filho Jerônimo Macedo Cruz. im 96) Declara ser natural de São Pedro de Azurém Termo da Vila de Guimarães arcebispado de Braga filho legitimo de Jeronimo Francisco de (im98) Macedo e sua mulher Margarida de Freitas, ja falecidos. Sou casado no Rio de Janeiro com Francisca de Almeida do Espirito Santo, de cujo matrimonio temos os filhos seguintes: Jose = Jerônimo = Francisco = João = Custodio = Clara = Isabel = Ana = os quais são meus universais herdeiros.

I- Jerônimo Macedo Cruz, com 24 para 25 anos em 1746. 3º testamenteiro paterno.

II- José, solteiro de 23 para 24 anos.

III- Francisco, solteiro de 21 para 22 anos. Francisco de Ma\cedo Cruz.

IV- João, de 19 para 20 anos.

V- Clara, de 15 para 16 anos.

VI- Izabel, de 14 para 15 anos. Isabel Anastacia de Almeida, natural/batizada na Freguesia de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato, casou com Furriel João de Moura, natural da freguesia de Santa Marinha de Fornos, Termo da Vila de Canavezes Arc de Braga, filho de João de Moura e de s/m Maria Pinta da vila e freguesia de Santa Marinha.

Pais de, pelo menos:

VI-1 Francisca batizada em Prados aos 11-08-1757. Francisca Angélica de Moura foi a segunda mulher do Tenente Joaquim Ferreira da Silva, natural de Santa Maria de Alvarelhos comarca da Maia Bispado do Porto, filho do Cap. Mateus Ferreira da Silva, natural da dita freguesia de Santa Maria de Alvarelhos e de Rosa da Silva, natural da freguesia de Santa Quiteria do Pombeiro da vila de Guimarães Arc. Braga. Viúvo de Ana Joaquina de Rezende com a geração dos dois matrimonios na família João de Rezende Costa, neste site.

Prados, MG aos 11-08-1757 na capela de N. Sra da Gloria da Ressaca bat a Francisca, f.l. de João de Moura, n/b na freguesia de Santa Marinha de Fornos, Termo da Vila de Canavezes Arc de Braga e de Isabel Anastacia de Almeida, natural/batizada na Freguesia de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato deste Bispado de Mariana. Neta paterna de João de Moura e de s/m Maria Pinta da vila e freguesia de Santa Marinha, e neta materna de Gregorio de Macedo Cruz natural de Guimarães, e de Francisca de Almeida do Espirito Santo, natural da Freguesia da Candelária, Cidade do Rio de Janeiro. Foram padrinhos o Alf. Joseph de Macedo Cruz e a dita Francisca de Almeida assistentes na freguesia de N. Sra da Assunção, e os pais da batizada nesta dos Prados.

VII- Ana de 12 para 13.

VIII- Custódio, de 10 para 11 anos.

 

          Capitão Francisco de Macedo Cruz, já viúvo, faleceu com testamento ditado aos 08-06-1794.

Arquivo IPHAN São João Del Rei - Testamento ditado aos 08-07-1794 onde declara ser natural da freguesia do Engenho do Mato filho legitimo do Capitão Gregório de Matos (sic) Cruz e Francisca de Almeida do Espírito Santo, já falecidos. Foi casado com Dona Joaquina de Melo já falecida. Dois filhos de nomes Dona Maria Perpetua do Rosário e o alferes Joaquim de Macedo Cruz. Primeiro testamenteiro o filho Joaquim. Segundo testamenteiro o genro Manoel Vidal Lage casado com sua filha Maria Perpetua do Rosário. Terceiro o sargento mor Jose Vidal.

Inventario – Morador na fazenda denominada Antonio Moreira da freguesia de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato caminho do Rio de Janeiro termo da Vila de Barbacena. Quando se fez inventario dos bens pelo falecimento de sua mulher Dona Ana Joaquina de Melo fez contrato de empréstimo da legitima de sua filha com seu genro Manoel Vidal Laje pela quantia de 3.307.750 reis para pagar em prestações anuais

          Segundo o testamento, foram dois os filhos do casal:

4-1 Maria Perpétua do Rosário casada com Manoel Vidal Laje filho de Antonio Vidal e Teresa Maria de Jesus. Segundo testamenteiro do sogro. Geração na família Domingos Gonçalves Chaves e Micaela dos Anjos Coutinho.

4-2 Joaquim de Macedo Cruz, alferes. Primeiro testamenteiro do pai.