PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

JOÃO FRANCISCO DA SILVA

Aportes à Genealogia Paulistana

(atualizado em 04-agosto-2014)

 

SL. 7, 149, 3-1 Antonio Barboza de Lima, falecido em 1740 com 96 anos em Parnaíba, foi casado com Paula de Oliveira f.ª de Gaspar Picam e de Catharina de Oliveira. Depois de viúvo recebeu ordens sacras. Teve pelo inventário em Parnaíba a f.ª única:

4-1 Isabel Barbosa de Lima, natural da ilha de S. Sebastião, que foi 1.º casada com o sargento-mor Martinho Lopes Chaves, e 2ª vez com Francisco João. Teve do 1.º marido 3 f.ºs.

 

Bartyra Sette

 

 

Antonio Barbosa de Lima, filho de Gabriel Barbosa Lima natural de Viana-PT e Maria de Lima de São Paulo, foi batizado como Alexandre mas na crisma trocou o nome para Antonio. Por volta de 1675 casou com Paula de Oliveira. Foram moradores na Ilha de São Sebastião onde tiveram a filha única Isabel Barbosa de Lima. Viuvo, Antonio mudou-se para Santana do Parnaiba onde ficou hospedado em casa do Padre Guilherme Pompeu de Almeida, enquanto se habilitava ao sacerdócio. Processo resumido neste site.

 

Izabel Barbosa de Lima, casou duas vezes.

 

Martinho Lopes Chaves, sargento mor, primeiro marido de Izabel, nasceu no lugar das Lagoas e foi batizado na freguezia de Valssalos, termo da Vila de Chaves Arcebispado de Braga. Teve com Maria Garcia, batizada na freguezia de Nossa Senhora da Penha termo da Vila da Parnayba-SP, a filha:

I- Ana Lopes Chaves, nascida em Parnaíba-SP. Em Prados aos 06-07-1730 casou com Manoel João de Oliveira, natural do lugar de Portella freguezia de Conto de Baycho Bispado de Vizeo, filho natural de Marcos Rocha natural de Oliveira de Baycho freguesia da Bodioza, e de Antonia Carvalho natural do lugar da Portella freguezia do Couto de Baycho ambos do mesmo bispado de Vizeu.

Prados, MG Igreja N Sra da Conceição matr - aos 06-07-1730 nesta matriz Manoel João de Oliveira, filho natural de Marcos Rodrigues da freguesia de Vidiosa, e de Antonia Carvalha da freguesia do Couto de Baixo todos Bispado de Viseu = cc Ana Lopes, filha natural do Sargento Mor Martinho Lopes Chaves e Maria Gracia, natural da freguesia de Santa Ana da cidade de S. Paulo Bispado do Rio de Janeiro  e moradora nesta freguesia dos Prados. Test.: Padre Cristovão Gomes da Silva, Manoel Gonçalves Poça, e Anto da Silva Deserto.

            Ambos faleceram com testamento, Manoel em 25-01-1782 e Ana em 27-12-1788. Declararam nove filhos:

Barra Longa, MG Igreja S. Jose óbitos - aos 25-01-1782 faleceu Manoel João de Olveira, casado que era com Ana Lopes Chaves, foi sepultado dentro desta matriz de N Sra da Conceição dos Prados. Fez seu solene testamento cujo teor é o seguinte: (...) eu Manoel João de Olveira nat/bat no Coito de Baixo da freguesia de Budiosa do Bispado de Viseu, f.l. de Marcos Rodrigues e s/m Antonia Carvalha, defuntos e sou casado com Ana Lopes Chaves. Testamenteiros em 1º lugar a m/mulher Ana Lopes Chaves, em 2º a meu filho João Lopes e em 3º a meu genro João Pinto. Sou casado, como disse, com Ana Lopes Chaves e deste matrimonio temos os filhos Manoel João, ausente em Portugal = o Padre Joaquim Lopes de Oliveira = o Padre Jose Joaquim de Santa Ana = Antonio Lopes Chaves = João Lopes = Ana Lopes de Oliveira cc Lic. João Pinto = Maria Felizarda cc João Ferreira de Carvalho = Angela, solteira, e tivemos Ignacia Maria que faleceu casada com Manoel Gonçalves e deixou filhos Manoel e Ana que a representam; todos os sobreditos meus filhos instituo meus herdeiros e com eles os ditos dois meus netos Manoel e Ana na parte que havia de pertencer a sua mãe Ignacia Maria, falecida. Meus filhos Pe. Joaquim Lopes de Oliveira e Padre Jose Joaquim de Santa Ana dotei, e minha mulher, com dois mil cruzados a cada um para seu patrimonio. A minha filha Ignacia Maria, falecida, dotamos (...). A filha Ana Lopes de Oliveira, dotamos = declara bens. Eu e minha mulher demos a nossa filha Angela, solteira (...) tambem demos a nossa filha Maria Felizarda (...). Deixo a minha neta Maria, filha de Antonio Lopes 40 mil rs = a minha neta Ana Rita, filha do dito, 70 mil rs =  a meu neto Antonio, filho do mesmo, 40 mil rs = a Rita, filha do dito e minha neta 50 mil rs = a minha neta Leonarda, filha do mesmo, 40 mil rs. A minha comadre Maria Jose e a seu filho Jose, meu afilhado, deixo 20 mil rs para ambos, com declaração que Antonio dos Santos Braga seu marido e pai, não tenha dominio neste legado. Encomenda missas. Ana Joaquina, exposta em minha casa onde se cria, deixo 50 mil rs. O resto de minha terça se repartira por tosos os meus filhos e herdeiros e pelos meus netos Manoel e Ana, filhos de Manoel Gonçalves, por todos em partes iguais. Aos 27-02-1779 Manoel João de Oliveira.

Aprovação 28-02-1779 neste sitio chamado o Pinhão, freguesia dos Prados.

Termo de abertura: 25-01-1782.

 

Barra Longa, MG Igreja S. Jose óbitos - aos 27-12-1788 faleceu D. Ana Lopes Chaves, viuva, sepultada das grades para cima dentro desta matriz dos Prados. Fez testamento cujo teor é o seguinte: (...) eu Ana Lopes Chaves (...) testamenteiros em 1º a meu marido Manoel João de Oliveira, em 2º a meu filho João Lopes e em 3º a meu genro João Pinto. Sou casada com Manoel João de Oliveira de cujo matrimonio temos os filhos: Manoel João, ausente em Portugal = o Padre Joaquim Jopes de Oliveira = Padre Jose Joaquim de Sta Ana = Antonio Lopes Chaves = João Lopes = Ana Lopes de Oliveira cc o Ldo. João Pinto = Maria Felizarda cc João Ferreira de Carvalho = Angela, solteira; e tivemos Ignacia Maria que faleceu casada com Manoel Glz e deixou filhos que a representão: Manoel e Ana = todos os sobreditos meus filhos instituo meus herdeiros e com eles os ditos meus netos Manoel e Ana.

Declaro que aos ditos meus filhos Padres Joaquim Lopes de Oliveira, Jose Joaquim de Santa Ana doei com meu marido para seu patrimonio bens no valor de dois mil cruzados a cada um. A flha Ignacia Maria, falecida, demos para seu casamento 2 mil cruzados em dinheiro, uma crioula Maria no valor d e cem mil rs, e 300 mil rs em trastes, joias de ouro e diamantes. A filha Ana Lopes de Oliveira para casar demos (...) = a filha Maria Felizarda demos (...) = Possuo esta fazenda chamada o Pinhão, em que moramos (...) no Arraial dos Prados uma morada de casas; outra morada de casas com seus pertences e quintal onde mora meu genro João Pinto. A nossa filha Angela, solteira, demos (...). Legados: a minha cunhada Francisca, viuva de meu irmão Salvador Correa, deixo 40 mil rs = a Manoel e João filhos de João Baptista Mourão, meus afilhados deixo a cada um 25 mil rs = a Ana Joaquina exposta nesta casa, que tenho criado, deixo 50 mil rs = Pedidos de missas = O remanescente de minha terça se dividirão em três partes, uma se repartirão por meus cinco netos filhos de Antonio Lopes e de s/mulher Maria Rita, defunta; e as outras duas partes por todos os meus filhos e netos filhos de minhas filhas Ignacia Maria e Maria Felizarda. Aos 28-02-1779 = a rogo da testadora Ana Lopes Chaves, Luiz Alz da Silva.

Aprovação aos 28 dias de fevereiro de 1779 neste sitio do Pinhão em casas de Manoel João de Oliveira.

Cewrtifico que falecendo no dia 25 deste presente mes de Dezembro de 1788 Ana Lopes Chaves, minha paroquiana, com este seu solene testamento, fechado e lacrado (...) o abriu para se dar a execução as disposições (...) Prados 29-12-1788 O Vig. Mel. Miz de Carvalho. E não continha mas o dito testamento (...) Prados 30-12-1788.

 

I-1 Inácia Maria, batizada em Prados aos 10-08-1732. Já falecida em 1779, foi casada com Manoel Gonçalves e representada no testamento dos pais pelos dois filhos de seu casal: Manoel e Ana.

Prados, Mg Igreja N Sra da Conceição aos 10-08-1732 nesta matriz bat a Ignacia, f.l. Manoel João de Oliveira e Ana Lopes. Padr.:  Francisco Jo[apagado], e Ana da Cunha mulher de Luiz Gonçalves Gaya.

I-2 Manoel João, batizado em 26-10-1734. ausente em Portugal em 1779.

Prados, Mg Igreja N Sra da Conceição aos 26-10-1734 nesta matriz bat a Manoel, f.l. Manoel João de Oliveira e Ana Lopes, moradores nesta arraial de Prados. Padr.: Bernardo Rodrigreus, morador nesta freguesia por baixo do morro, e Ursula Maria mulher de Lourenço Ferreira, morador neste arraial.

I-3 Angela em 22-01-1737. Solteira em 1779.

Prados, MG Igreja N Sra da Conceição aos 22-01-1737 nesta matriz bat a Angela, f.l. Manoel João de Oliveira e Ana Lopes, padr.: Domingos Martins e Clara Maria de Mello, todos desta freguesia.

I-4 Padre Joaquim Lopes de Oliveira, habilitou-se ao sacerdócio em Mariana no ano de 1763, declarando em seu processo sacerdotal (neste site), sua naturalidade e filiação, bem como as informações sobre seus pais e avós.

Joaquim Lopes de Oliveira (...) [filho legitimo] [trecho corroído] de / Manoel João de Oliveira natural do lugar de Portella freguezia de Con/to de Baycho Bispado de Vizeo e de sua mulher Anna Lopes Chaves natural da Vila da Parnayba Bispado de São Paulo

I-5 João Lopes.

I-6 Antonio Lopes Chaves, licenciado, batizado em 20-11-1746. Aos 19-09-1765 casou primeira vez com Maria Rita Coelho, filha de Manoel Coelho de Oliveira e Ritta Maria de Oliveira, por esta neta de Antonio Martins e Maria de Pontes; geração na família “Nunes de Pontes”. Os cinco filhos do casal foram legatários do avô paterno.

Prados, MG igreja N. Sra da Conceição aos 20-11-1746 nesta paroquial de N. Sra da Conceição dos Prados bat. a Antonio, f.l. Manoel João de Oliveira e Ana Lopes Chaves, padr.: Antonio Martins Leal, solteiro e Catarina da Assunção Xavier, casada por pp ao Revdo Padre Manoel Gomes da Costa. Todos moradores nesta freguesia.

 

Prados, MG igreja N. Sra da Conceição. aos 19-09-1765 nesta matriz Antonio Lopes Chaves, f.l. Manoel João de Oliveira e Ana Lopes Chaves = cc Maria Rita, f.l. Manoel Coelho de Oliveira e Rita Maria Nugueira. Ambos os contraentes nts/bts nesta freguesia.

Em segundas Antonio casou com Joana Teresa da Guerra.

 

I-7 Ana Lopes de Oliveira, casada primeira vez com o Licenciado João Pinto e segunda, aos 13-03-1783, casou com Severino Gonsalves Monte, filho do Tenente Antonio Gonsalves Monte e de Joana de Souza Caldas. Família “Souza-Caldas” adendo.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - matriz de S. João del Rei aos 13-03-1783 Severino Gonsalves Monte, f.l. do Ten. Antonio Gonsalves Monte e de Joana de Souza Caldas = Anna Lopes de Oliveira, viuva do Licenciado João Pinto e f.l. de Manoel João de Oliveira e Anna Lopes Chaves. 

I-8 Maria Felizarda casada com João Ferreira de Carvalho.

 

Em Prados-MG Izabel casou em segundas aos 29-06-1728 com Alferes Francisco João, filho de outro Francisco João e Catarina Francisca, falecidos antes de 1728.

(pesq. Walter Antonio Marques Lelis) mfilme 1285427, Igreja Nossa Senhora da Conceição (Prados, Minas Gerais) - casamentos- fls. 4 Francisco João e Izabel de Lima. Aos 29 dias do mês de Junho de 1728 nesta matriz dos Prados, Alferes Francisco João, filho legitimo de Francisco João e de Catherina Francisca, já defuntos; com Dona Izabel de Lima, filha legitima do Padre Antonio de Lima e de Paula de Oliveira, viúva que ficou do Sargento Mor Martinho Lopes Chaves. Foram testemunhas Joseph da Silva e João Gonçalves de Moura.

 

Com três filhos do primeiro casamento listados por Silva Leme, 5-1 a 5-3, Izabel teve ao menos mais um filho com seu segundo marido:

5-4 João Francisco da Silva, batizado aos 29-06-1729 em Prados-MG. Título deste estudo.

Prados, MG Igreja N. Sra da Conceição aos 29-06-1729 bat a João, f.l. Francisco João e D. Izabel de Lima, padr.: Antonio da Silva Duarte e Maria de Souza mulher de Manoel Dias Ladeira

 

João Francisco casou duas vezes. Em primeiras nupcias com a açoriana Teresa Francisca da Conceição, natural da Ilha das Flores. Casou em segundas com Quitéria da Assuncão, natural da freguesia de Santo Antonio da vila de S. José, filha de Francisco Manoel e de Thedea Gonçalves Pena.

Prados, MG Igreja N Sra da Conceição aos vinte e se{--] de novembro de 1750(sic) nesta matriz João Francisco Silva, n/b na freg. N. Sra da Conceição dos Prados, f.l. Francisco João e Izabel de Lima e viuvo de Francisca Teresa da Conceição = cc Quiteria da Assunção n/b na freg. de Santo Antonio da vila de S. Jose desta comarca, f.l. Francisco Manoel e de Thedea Gonçalves, todos moradores nesta freguesia,

Obs.: corria o ano de 1753

 

Quitéria teve inventário de seus bens iniciado em 1813 na Fazenda “do Luis Ayres” da Capela Nova de Nossa Senhora do Livramento da Freguesia dos Prados do Termo da Vila de São José, onde moravam. Havia falecido cerca de oito anos antes (inventário neste site).

 

João faleceu aos 22-01-1818 com testamento redigido no ano anterior na sua fazenda Ribeirão de Luiz Aires, já então com bisnetos de mais de vinte anos.

 

Segundo seu inventário e o de Quitéria (neste site) teve:

Das primeiras nupcias a filha única:

1- Ana Francisca da Conceição, casou duas vezes. Em primeiras nupcias com Antonio da Silva Mattos, filho de Tomás da e Valentina de Mattos, neto paterno de José de Torres e Theresa da Silva, neto materno de Miguel Barbosa e Ursula Mendes. Família “Valentina de Mattos”.

        Ana Francisca casou em segundas nupcias com Antonio Alvares Cursino de Azevedo e já era falecida no inventário paterno, sendo representada por seus filhos de ambos os matrimônios:

 

Ana e Antonio da Silva tiveram:

1-1 Ana, batizada em Barbacena aos 03-10-1765, já falecida em 1818. Foi casada com Francisco Machado e representada no inventário do avô por três filhos.

Batismos - Barbacena - Barroso aos 03-10-1765 ANNA, f.l. de Antonio da Silva Mattos natural desta freguesia e s/m Anna Francisca da conceição natural da freguesia de Prados; np de Thomas da Silva natural da freguesia de S. Estevão de Alfama cidade de Lisboa e s/m Valentina de Mattos natural da freguesia de N. Sra. do Desterro Rio de Janeiro; nm de João Francisco da Silva natural da freguesia de Prados e s/m Francisca Theresa da Conceição natural da Ilha das Flores Bispado de Angra. Madr.: a sobredita Valentina de Mattos.

1-1-1 Bonifácio, solteiro, de idade de vinte e dois anos

1-1-2 Francisco, solteiro, de idade de vinte anos.

1-1-3 filha: “outra herdeira que o padrinho levou, menor de vinte anos, na Paraíba”.

1-2 Antonio da Silva Mattos aos 26-05-1801 casou com Ana Rosa da Conceição, filha de Domingos da Silva Loures e Francisca Rosa.

Barbacena, MG matr. - aos 26-05-1801 na capela de Sta Ana do Barroso Antonio da Silva Mattos, f.l. Antonio da Silva Mattos e Ana Francisca da Conceição = cc Ana Rosa da Conceição, filha de Domingos da Silva Loures e Francisca Roza, aquele natural da vila de S. Jose e esta desta freguesia. Test.: Francisco Antonio Barbosa e Vicente da Costa Silva

 

1-3 Thomas da Silva Fraga, batizado aos 14-01-1771. Foi 2º testamenteiro do meio-irmão Francisco.

Batismos  Barbacena - Baqrroso aos 14-01-1771 THOMAS, f.l. de Antonio da Silva Mattos natural desta e s/m Anna Francisca da Conceição natural da freguesia dos Prados; np de Thomas da Silva e Valentina de Mattos, nm de João Francisco da Silva e de Francisca Theresa da Conceição. Padr.: Antonio de Fraga Pimentel, da freguesia dos Prados e Gertrudes da Silva filha de Valentina de Mattos.

          Aos 16-07-1804 casou com Francisca de Paula Fortunata de Rezende, filha de João de Rezende Figueira e sua segunda mulher Joana Vicencia de São José, neta paterna de Caetano Gomes Figueira e Teresa Maria de Jesus, neta materna de João Martins de Carvalho e Maria de São José, família “João de Rezende Costa”.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - matriz aos 16-07-1804 Thomas da Silva, f.l. de Antonio da Silva Mattos e Anna Francisca da Conceição, n/b na freguesia da vila de Barbacena = Francisca de Paula Fortunata, f.l. de João de Rezende Figueira e Joana Vicencia de S. Jose, n/b nesta.

Cirurgião Tomás e Francisca tiveram, q.d.:

1-3-1 Maria da Trindade Maxima de Rezende aos 20-09-1841 casou com Antonio Ferreira Pacheco, filho do Alferes Manoel Ferreira Pacheco e Joaquina Felizarda de Jesus, família “Antonio de Faria Moreira” Cap. 5º.

B7: Igreja Nossa Senhora do Bom Sucesso (Bom Sucesso, Minas Gerais) cas - aos 20-09-1841 Antonio Ferreira Pacheco, f.l. Alf. Manoel Ferreira Pacheco e D. Joaquina Felizarda de Jesus, ambos falecidos, n/b na cap. de S. João Batista filial da matriz de N. Sra da Gloria do Passatempo = cc D. Maria da Trindade Maxima de Rezende, f.l. do Cirurgião Tomas da Silva Fraga e D. Francisca de Paula Rezende, n/b na freg. de N. Sra da Conceição dos Prados.

1-3-2 Joana Vicencia de São Jose, com 18 anos em 18-11-1844, casou com Manoel Machado de Miranda, com 25 anos e filho de Antonio Machado de Miranda e Mariana Rita de Jesus; família “Rodrigues Dantas - Silva Xavier” Cap. 2º.

B7: Igreja Nossa Senhora do Bom Sucesso (Bom Sucesso, Minas Gerais) cas - aos 18-11-1844 cap. S. Tiago, Manoel Machado de Miranda, branco 25 anos, f.l. Antonio Machado de Miranda e D. Mariana Rita de Jesus = cc D. Joana Vicencia de S. Jose, branca, 18 anos, f.l. Cirurgião Mor Tomas da Silva Fraga e D. Francisca de Paula Fortunata de Resende, O contraente da Lagoa Dourada e a contraente desta freguesia, test.: Cap. Flavio Jose da Silva e l G. Mor Antonio Ribeiro da Silva.

1-3-3 Ana Antonia de Jesus, com 16 anos em 18-06-1845, casou com Francisco Ribeiro da Silva, de 20 anos e filho do Guarda Mor Antonio Ribeiro da Silva e Constancia Cândida de Jesus. Geração na família “Ribeiro da Silva” de São Gonçalo do Brumado Cap. 9º, § 1º.

B7: Igreja Nossa Senhora do Bom Sucesso (Bom Sucesso, Minas Gerais) cas - aos 18-06-1845 na cap. S. Tiago, Francisco Ribeiro da Silva, branco de 20 anos, f.l. Guarda Mor Antonio Ribeiro da Silva e D. Constancia Candida de Jesus = cc Ana Antonia de Jesus, branca 16 anos, f.l. Tomas da Silva Fraga e D. Francisca de Paula Fortunata de Resende, moradores na aplicação de S. Tiago; test.: Pe. Valentim Luiz Coelho e Cap. Ilario Jose da Silva.

1-4 Francisca, solteira com 40 anos em 1818. Francisca Teresa da Conceição, foi madrinha em 1793.

São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 17-06-1793 matriz, Sabina n. aos 01, f. natural de Rosa, solteira, f.l. de Pedro Alvares da Cunha e Rita da Silva Nunes, moradores no Gritadouro da aplicação da capela de N. Sra da Penha de França do Bichinho desta freguesia, padr.: Cap. Antonio Alvares Corsino e sua enteada D. Francisca Teresa da Conceição, solteira filha legitima de s/m D. Ana Francisca da Conceição, moradores nesta dita vila.

 

Ana e Antonio Alvares tiveram:

1-5 Maria, batizada em 12-11-1780. Solteira em 1818.

B7: São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 12-11-1780 matriz, Maria, f.l. Cap. Antonio Avares Corsino e D. Ana Francisca da Conceição, padr.: Vigario Carlos Correa de Toledo e D. Bernarda irmã do dito capitão.

1-6 Francisco de Paula Alvares (da Encarnação), batizado em 02-04-1782.

B7: São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 02-04-1782 matriz, Francisco, f.l. Cap. Antonio Alvares Corsino e D. Ana Francisca da Conceição, padr.: Sargento Mor Luiz Vaz de Toledo Piza e Violante Eufrasia mulher do Tabelião Antonio João Bellas, todos desta freguesia.

          Em Barbacena aos 18-10-1808 casou com Ana de Souza Barbosa, filha do Licenciado Antonio de Souza Barbosa, natural da freguesia de S. Julião da Silva, termo Valença do Minho, Arcebispado Braga e sua primeira mulher Vitória Maria de Oliveira, nascida aos 21-07-1743 em Barbacena, neta paterna de Miguel Fernandes de Souza e Mariana Lourença, neta materna de Manoel Moreira dos Santos, natural da freguesia de São Pedro de Canedo, Bispado do Porto, (filho de Francisco Moreira e de Izabel Gonçalves) casado em Barbacena aos 22-08-1742 com Maria de Oliveira, natural da vila de S. Francisco das Chagas de Taubaté (filha de João Delgado de Oliveira e de Maria da Luz, já falecida em 1742)

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, casamentos - aos 18 out 1808 cap. Turvo - Francisco de Paula Alvares da Encarnação, f.l. do Cap. Antonio Alvares Corsino de Azevedo e D. Anna Francisca da Conceição, n. e b. vila de S. Joseph;c/ Anna de Soisa Barbosa, f.l. do Licenciado Antonio de Soisa Barbosa e Victoria Maria d'Oliveira, n. e b. na vila de Barbacena.

 

Batismos, Barbacena-MG - nascida aos 21-07-1743 VITTORIA, f.l. de Manoel Moreira dos Santos, n. da freguesia de S. Pedro de Canedo, bispado do Porto e s/m Maria de Oliveira, n. da vila de Taubaté e moradores nesta freguesia. Npaterna de Francisco Moreira e s/m Izabel Gonsalves; nmaterna de João Delgado de Oliveira e s/m Maria da Luz. Batizada aos 04-08 do dito ano, padr.: João Delgado de Oliveira e Ignacia Moreira (sic), mulher de Antonio de Avilla.

 

Barbacena, casamentos - na matriz aos 22-08-1742, Manoel Moreira dos Santos, natural da freguesia de São Pedro de Canedo, Bispado do Porto, filho leg. de Francisco Moreira e de Izabel Gonçalves, com Maria de Oliveira, natural da vila de S. Francisco das Chagas de Taubaté, filha leg. de João Delgado de Oliveira e de Maria da Luz, já falecida, deste bispado do Rio de Janeiro. Test.: José Pinto Reis, Francisco Luis de Bitancor e Manoel F.rrª

 

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG: - Turvo - aos 09 fev 1813, c/ testamento, o licenciado Antonio de Soiza Barbosa, branco, natural de Portugal, viuvo de Victoria Maria.

cópia do testamento:

Eu, licenciado Antonio de Soisa Barbosa, f. leg. de Miguel Fernandes de Soiza e Mariana Lourença, n. e b. na freg. de S. Julião da Silva, termo Valença do Minho, arc. Braga, e morador nesta freguesia de N. Sra. da Conceição de Aiuruoca, termo da Campanha da Princesa.

testamenteiros: 1- Antonio Francisco de Azevedo; 2- Bonifacio Antonio de Azevedo; 3- meu filho Luiz de Soisa Barbosa, moradores nesta freguesia.

Fui cc. Victoria Maria, de cuja matrimonio tivemos:

Anna cc. Francisco;

Mariana que foi cc. Manuel Pires de Andrade;

Margarida cc Joaquim Ferreira;

Francisco que foi cc. Anna Rosa;

Jose, Joaquim, Luis, João, Bento e Antonio. Destes são falecidos: Antonio, ainda em vida da mãe, que depois de sua morte faleceram: Mariana deixando 4 filhos (Joaquim, Francisco, Jose e Ana); Francisco deixando um filho (Abrahão); Bento e Joaquim sem filhos.

Declaro que sou cc. em segundas nupcias com Maria Theodora da qual não tive filhos; faleceu esta e procedendo o inventário arrematei em meu nome e de meus filhos e herdeiros a parte que pertencia a aquela falecida e aos pais que inda eram vivos.

legados:

-a minha filha Ana de Soisa;

-as minhas netas Maria e Anna (f.as de meu filho Luis.

-as filhas de meu filho João ( Justina e Maria).

-a Mariana filha de meu filho Jose;

a minha filha Margarida.

Fazenda da Caxoeira, Turvo, termo de Aiuruoca, 11 novembro 1812.

Testemunha do estado: Antonio Francisco Sardinha.

Testemunhas: Francisco de Paula Alvares, Jose Joaquim de Andrade, Joaquim Jose Ferreira, Neutel Gonçalves, Antonio Ferreira Guimarães. Registrado a 23 fevereiro 181?.

 

          Francisco faleceu aos 04-05-1814 com testamento. Sem geração legitima insituiu por herdeiro o filho natural, tido em solteiro:

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - Turvo - 04 maio 1814 - Francisco de Paula Alvares cc. Anna de Souza Barbosa.

Sou n. da vila de S. José. comarca do Rio das Mortes, f. leg. de Antonio Alvares Cor--- (?), e Anna Francisca da Conceição. sou cc Anna de Souza Barbosa de cujo matrimonio não tenho filhos.

Tenho um filho por nome Francisco, tido em solteiro, o qual instituo por meu herdeiro.

Testamenteiro: 1- Alf. Antonio Francisco ---; 2- meu irmão Thomas da Silva -raga, morador na freg. de Prados; 3- Bonifacio Antonio de Azevedo. Registrado a 24 maio 1814.

 

1-6-1 Francisco de Paula Alves, nascido antes de 1808. Foi tutelado de João Francisco Silva e posteriormente do Alferes Antonio Francisco Sardinha.

 

1-7 Ana Estefânia, batizada aos 14-08-1784. Aos 14-11-1806, casou com o viúvo João Ferreira de Resende, filho do Alferes Manoel da Costa Rezende a Ana Felipa Ferreira (família “Os Carvalho Duarte” I- Cap. 4º).

São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, batismos - aos 14-08-1784 matriz, Ana, f.l. Cap. Antonio Alvares Corsino e D. Ana Francisca, padr.: Cap. Leandro Barbosa da Silveira e D. Ana mulher do Cap. Antonio Jose de Moraes.

 

Segundo seu inventário e o de Quitéria, João Francisco da Silva teve, das segundas nupcias, os filhos:

2- Padre Antonio, já falecido em 1817, foi herdeiro o pai “de meu filho o Padre Antonio um conto setecentos e quarenta e três mil réis

 

3- Thomás, tambem já falecido. “Por falecimento de meu filho Thomás herdei quatrocentos e quarenta mil quatrocentos e seis réis

          Thomás Francisco Vila Nova casou aos 30-04-1793 com Inácia Maria de Jesus, viúva de Antonio da Silva Duarte e filha de Antonio Furtado Raposo e Isabel Pimentel de Sá. Família “Antonio Gracia”.

B7: Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, aos 30-04-1793 Thomas Francisco Vila Nova, f.l. de João Francisco Silva e Quiteria da Assumpção, n/b na freg. dos Prados; = cc. Ignacia Maria de Jesus, viúva de seu primeiro marido Antonio da Silva Duarte. Test.: Manoel Francisco Potenciano, João Francisco de Lima.

 

4- Francisco João da Silva casado com Thereza Antonia de Jesus. Pais de, q.d.:

4-1 Ana Teresa de Jesus, recebeu de legitima paterna “a parte que a inventariante teve no inventário do finado seu pai Francisco João da Silva, no valor das casas situadas na Fazenda dos Ayres” e “que por falecimento de seu pai Francisco João da Silva lhe tocou de legítima na Fazenda denominada Ribeirão de Luiz Ayres, que se acha em comum com os mais interessados, em cultura e campos” (inventário de João José neste site).

          Foi a segunda mulher de João José dos Santos, viuvo de Joaquina Maria (Antonia),. João faleceu em 07-04-1836 e foi inventáriado pela viúva em 1839, com geração de ambos os matrimonios. Geração de João e Joaquina na família “Gomes Sandim”.

          Ana e João tiveram, segundo inventário deste, os filhos (situação em 04-07-1839):

4-1-1 Mecias Carolina, casada com Manoel José da Rosa

4-1-2 Bernardino, solteiro, de idade de quinze anos.

4-1-3 Manoel, de idade de treze anos.

4-1-4 João, de idade de nove anos.

4-1-5 Francisca, de idade de sete anos.

4-1-6 Anacleto, que faleceu depois do pai.

 

5- João Francisco Lima, batizado em 18-07-1759. Inventariante paterno.

Prados, MG Igreja N Sra da Conceição aos 18-07-1759 nesta matriz bat a João, f.l. João Francisco da Silva n. desta freg. dos Prados e Quiteria da Assunção n. da freg. Sto Antonio da vila de S. Jose deste bispado de Mariana, np Francisco João n. freg. N. Sra da Misericordia termo e Arc. de Lisboa e s/m Izabel de Lima n. de S. Paulo, e neto materno de Francisco Manoel n. da cidade de Braga e Thedea Gonçalves n. da cidade de Mariana, padr.: Pedro Teixeira Nogueira e Leonor da Assunção.

Aos 03-07-1802 casou com Joana Francisca da Encarnação, filha do Alferes Cardoso Amado e Ana Francisca da Encarnação, família “Nicolau Cardoso Amado”.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - Ermida de N. Sra, das Dores do Hospital da freguesia da vila de S. João aos 03-07-1802 João Francisco Lima, f.l. de João Francisco Silva e Quiteria da Assumpção, n/b freguesia de Prados = Joanna Francisca da Encarnação, f.l. do Alferes Nicolau(sic) Cardoso Amado e Anna Francisca da Encarnação, n/b vila de S. Jose.

Pais de, q.d.:

5-1 Joana Francisca de Jesus, aos 03-02-1823, casou com Vicente José Malta, filho de Joaquim José Malta e Teresa de Souza Caldas. Família “Souza-Caldas”.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - matriz aos 03-0-21823 Vicente Jose Malta, f.l. de Joaquim Jose Malta e D. Theresa de Soisa Caldas = Joanna Francisca de Jesus, f.l. de João Francisco Lima e Joanna Francisca da Incarnação. Nts/bts freg. Prados.

          Em 1831 moravam em Prados no fogo 277, ele com 32 anos, ela 24, com as filhas Ana e Rita e o filho Manoel, respectivamente com 6, 4 e dois anos, segundo o censo, neste site.

 

5-2 Marcelina Maria de Jesus, no mesmo dia que sua irmã supra, casou com João Lopes da Silva, filho de Manoel Gonçalves da Silva e Maria Theresa de Jesus

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - matriz aos 03-02-1823 João Lopes da Silva, f.l. de Manoel Gonçalves da Silva e Maria Theresa de Jesus = Marcelina Maria de Jesus, f.l. de João Francisco Lima e Joana Francisca da Incarnação. Nts/bts freg. Prados.

 

6- Manoel Francisco Potenciano, aos 28-11-1789, casou com Laureana Zeferina Leonarda de São José, filha de Inácio da Rocha Porto e de Catarina Vitória da Assunção, aquele falecido em abril de 1714 e esta em agosto de 1777 (inventários do casal neste site), neta materna de Lourenço Correa Sardinha, falecido aos 22-06-1747 e Maria de Assunção Moraes falecida com testamento redigido aos 12-02-1763 (inventarios do casal e família “Antonio Vieira de Moraes neste site).

Manoel faleceu em 14-10-1827, inventariado em 1828 e Laureana faleceu em 30-10-1863, ambos sem testamento. Tiveram segundo seus inventários (neste site) doze filhos:

6-1 Maria Potenciana da Assunção, casada com Manoel Gomes Figueira. Manoel já era falecido em 1868. Maria residia na Freguesia de Santa Teresa.

 

6-2 Josefa Vitória de Assunção, solteira com 28 anos em 1828. Viúva em 1868 passa procuração para seu genro José de Souza Coimbra. Residia no Distrito de São Sebastião do Paraíso, Termo da Vila de São Carlos do Jacuí,

 

6-3 Manoel Francisco Potenciano, solteiro com 32 anos em 1828, inventariante materno. Casou com Francisca Constancia de Jesus, irmã de Severino Rodrigues de Mello. Manoel faleceu aos 19-06-1869 com inventário aberto no mesmo ano na Fazenda Patusca, Freguesia de Prados do termo da Vila de São José. Segundo o inventário de Manoel, neste site, ele e Francisca foram pais de:

6-3-1 Pedro Celestino de Andrade, falecido antes do pai, deixando uma filha:

6-3-1-1 Arminda Ludovina de Jesus, com sete anos em 1869. Foi tutelada pela avó paterna que contratou seu casamento com João Gonçalves Lima, compromisso que foi aceito pelo curador em 1877.

6-3-2 Maria, casada com Manoel Jose de Souza Coimbra. Maria teve ao menos:

6-3-2-1 Januario Potenciano da Silva. Assinou por sua mãe no inventário do avô Manoel Potenciano.

6-3-3 Antonia, casada com  Antonio Gonçalves Lima. No inventario paterno assinou por ela João Gonçalves de Carvalho.

6-3-4 Joaquim Gonçalves de Andrade, com 17 anos em 1869.

 

6-4 Joaquim Tito da Silva, casado com Ana Vicência Gonçalves. Joaquim, já falecido no inventário materno, foi representado por sete filhos, situação em 14-03-1864:

6-4-1 José Esteves da Silva, com 28 anos, casado com Maria Luiza de Jesus. Passam procuração na Freguesia de Nossa Senhora das Mercês, Termo da cidade do Pomba.

6-4-2 Maria do Carmo casada com Venceslau

6-4-3 Francisco Tito e Silva, com 26 anos, casado com Maria José do Nascimento. Passam procuração na Freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Lage, Município de Campos dos Goitacazes Província do Rio de Janeiro

6-4-4 Martiniano Tito da Silva, com 25 anos.

6-4-5 Antonio Tito da Silva, com 24 anos, demente.

6-4-6 Joaquim Tito da Silva, 23 anos, morador no Arraial de Prados.

6-4-7 Ana, casada com Joaquim

 

6-5 Francisca Bernardina da Assunção casada com Bernardo Gomes Figueira. Bernardo faleceu em 26-06-1859. Compareceram em seu inventário quatro filhos:

Museu da Justiça do Rio de Janeiro - Comarca de Valença

Pesq. Plinio Ursolino Marcondes de Carvalho

1859 - inventário

Bernardo Gomes Figueira - fallecido s/ testamento - em 26.06.1859 - cc/ Francisca Bernardina da Assumpção Figueira

Filhos :

1- Anna Bernardina, cc/ Mizael Antonio da Silva

2- Antonio Bernardo Figueira, 36 annos

3- Umbelina Loduina de Jesús, cc/ Joaquim Gomes Figueira

4- Francisco Bernardo da Luz Figueira, 25 annos

6-5-1 Ana Bernardina casada com Mizael Antonio da Silva

6-5-2 Antonio Bernardo Figueira, 36 anos

6-5-3 Umbelina Ludovina de Jesus casada com Joaquim Gomes Figueira.

6-5-4 Francisco Bernardo da Luz Figueira, 25 anos. Em 1864 foi procurador da mãe no inventário da avó materna.

6-6 João Batista da Silva, cirurgião mor, foi tutor de seus irmãos órfãos. Casado com Maria Lima do Espírito Santo, moradores na  Freguesia de São João Batista do Presídio, Termo da cidade de Ubá

 

6-7 Antonio Manoel da Silva, batizado em 05-01-1806, solteiro com 22 anos em 1828.

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 05 jan 1806 Porto do Turvo, Antonio, f.l. de Manoel Francisco Potenciano e Laureana Zephyrina de São Joseph;  npaterno de João Francisco da Silva n. Prados e Quiteria da Assumpção n. da vila de S. Joseph; nmaterno de Ignacio da Rocha Porto e Catharina Victoria da Assumpção, naturais da vila de S. João del Rei. Padr.: cap. Manoel Pereira e d. Anna Maria do Rosario.

          Casou, aos 27-05-1829, com Maria Vicência (citada como Felisbina no termo de casamento), filha de João José dos Santos (ou da Rosa) e Joaquina Maria (ou Antonia) da Conceição, já falecida em 1817, neta materna de José Gomes Sandim, falecido em 1817 e Teresa Antonia de Souza (família “Gomes Sandim” Cap. 2º).

inserida no inventário do avô de Maria:

Freguesia de Prados.

Aos vinte e sete de maio de mil oitocentos e vinte e nove, nesta matriz de Prados, feitas as proclamações canônicas e tirados os depoimentos verbais e não tinha impedimento algum, na minha presença se casaram por palavras de presente, in facie ecclesia Antonio Manoel da Silva, filho legítimo de Manoel Francisco Potenciano, já falecido e Lauriana Zeferina, nascido e batizado na Capela da Senhora do Porto do Turvo; = e Maria Felisbina, filha legítima de João José dos Santos e Joaquina Maria da Conceição já falecida, nascida e batizada na Capela de São Miguel do Cajurú e de presente moradores nesta freguesia de Prados, e logo lhes deu as bênçãos nupciais. Sendo testemunhas o Guarda Mor João Ribeiro da Costa, João Leão da Silva e outros.

 

          Antonio Manoel já era falecido em 1864 e foi representado no inventário materno por seus quatro filhos:

6-7-1 Joaquim José da Conceição casado com Maria da Glória

6-7-2 filha, com 26 anos, casada com José das Neves, em lugar incerto.

6-7-3 Leopoldina Bernardina de Jesus, com 24 anos.

6-7-4 Maria dos Santos, com 22 anos.

 

6-8 Bernardino, batizado aos 28-07-1807. com 21 anos em 1828.

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 28 julho 1807 cap. Turvo, Bernardino, f.l. de Manoel Francisco Potenciano e Laureana Zephyrina, padr.: Antonio Leite Ribeiro e d. Simplicia Florisbela Jacintha Pereira filha do cap. Manoel Pereira.

 

          Bernardino Aureliano da Silva em 1834, casado, foi testemunha na dispensa matrimonial do irmão Camilo:

Testemunhas: 1ª - Bernardino Aureliano da Silva, casado, natural da freguesia de Prados Bispado de Mariana e morador nesta da Franca, vive de suas agencias; (...) disse ter de idade 27 anos, que é irmão do orador e primo da oradora em quarto grau. (aa) Bernardino Aureliano Silva

 

          Já falecido em 1864, foi representado por cinco herdeiros:

6-8-1 José Bernardino da Silva casado com Maria Joaquina da Silva. Em 1864 eram moradores na Freguesia de S. Sebastião do Paraíso, Termo da vila de São Carlos do Jacuí Minas e Comarca do Sapucaí.

6-8-2 Marcolino Gonçalves e Silva casado com Cândida Theodora de Castro. Moradores na vila de Batatais.

6-8-3 Joaquim Emigdio da Silva casado com Cândida Theobaldina de Barros. Moradores na Fazenda Ilha, Termo da vila de Batatais. Comparar com 9-11-2

6-8-4 João Modesto de Rezende, casado com Ana Bernardina da Silva. Moradores na vila de Batatais.

6-8-5 Manoel Custódio Batista casado com Rita Bernardina de Paula. Também moradores em Batatais.

 

6-9 Francisco com 19 anos em 1828. Francisco Potenciano da Silva foi o segundo marido de Maria Cândida de Barros, filha do Cap. Antonio Leite Ribeiro e Bernardina Constancia de Barros, citados em 6-10 abaixo.

Documento disponibilizado por Walter Antônio Marques Lelis

Museu Histórico José Chiachiri de Franca-SP

Caixa 016 - maço 059 - Processo 1318

Ano 1838 Franca-SP

Autos de Dispensa dos Oradores Francisco Potenciano da Silva e Maria Cândida de Barros

Data: 27-01-1838

Dizem os humildes Oradores Francisco Potenciano da Silva, n. da freg. de Prados Bispado de Mariana, morador da Cana Verde, f.l. do finado Francisco Potenciano e de Laureana Zeferina de São Jose; e Maria Cândida de Barros, viúva de Joaquim Jose Pereira, moradora na dita freguesia da Cana Verde, que tem tratado casarem e não podem fazer pelo impedimento de 3º grau de consanguinidade misto com 2º em linha colateral e desejam ser admitidos a justificação os Itens seguintes:

1- P.P. que de Maria Cândida nasceram Catarina Leonarda de São José da qual nasceu Laureana Zeferina de S. Jose mãe do orador; e Escolástica Maria, da qual nasceu Antonio Leite Ribeiro, pai da oradora; e aqui o 3º grau de impedimento.

2- P.P. que a oradora não foi raptada pelo orador (...).

 

Assentada: aos 27-01-1838

Depoimento do Orador: Francisco Potenciano da Silva, de idade 30 anos (...)

Depoimento da Oradora: Maria Cândida de Barros, disse que não foi raptada pelo orador (...).

Testemunhas:

1ª - Jose Francisco Potenciano, casado, n. da freg. dos Prados Bispado de Mariana e morador na da Cana Verde deste Bispado de S. Paulo, vive de sua lavoura, de idade disse ter 24 anos; aos costumes disse que é irmão do Orador Francisco Potenciano da Silva e primo e genro da Oradora Maria Cândida de Barros.

2ª - Alexandre Jose de Paiva, casado, n. da freg. de Congonhas do Campo Bispado de Mariana, morador nesta da Franca Bispado de S. Paulo, vive de seu ofício de carpinteiro e agencias, de idade disse ter 35 anos; aos costumes disse nada.

3ª - João Machado de Almeida, solteiro, n. desta freguesia, vive de suas agencias, de idade disse ter 23 anos; aos costumes disse nada.

Conclusão: 27-01-1838

          Francisco Potenciano e sua mulher Maria Cândida de Barros foram moradores na fazenda Sete Lagoas do arraial do Carmo na vila Franca do Imperador-SP, onde foi aberto o inventário dele aos 04-10-1845, neste site, pesquisa de Walter Antonio Marques Lelis. Deixou três filhas menores descritas na familia ”Antonio Vieira de Moraes” juntamente com seus meio-irmãos.

 

6-10 Camillo de Lellis e Silva, batizado em Prados aos 30-01-1811, com 17 anos em 1828. Casou em Bom Jesus da Cana Verde aos 28-08-1834 com Mariana Cândida do Sacramento, batizada em Batatais-SP, filha de Joaquim Jose Pereira e Maria Cândida de Barros, supra citada, filha do Capitão Antonio Leite Ribeiro e Bernardina Constancia de Barros. Porque Escolástica de Jesus Moraes, mãe do Capitão Antonio, era irmã de Catarina Vitória da Assunção, avó materna de Camilo, o casal requereu dispensa matrimonial em processo corrido em Franca em 1834.

(pesq. Walter Antonio Marques Lelis) mfilme 1285427, Igreja Nossa Senhora da Conceição (Prados, Minas Gerais) fls. 343. Aos 30 de Janeiro de 1811 nesta matriz de Prados o Reverendo Antonio Francisco Penafort batizou e pos os santos óleos a Camilo, filho legitimo de Manoel Francisco Potenciano e Lauriana Zeferina de São Jose. Foram padrinhos o Reverendo João de Mello Costa e Constancia de Barros mulher do Alferes Antonio Leite da freguesia da Vila de São João, os mais desta de Prados.

 

(pesq. Walter Antonio Marques Lelis) Batatais, SP Paróquia Bom Jesus da Cana Verde, Livro 02, fls 02. Certidão de Casamento de Camilo de Lelis Silva e Mariana: Aos 28-08-1834 na matriz do Senhor Bom Jesus da Cana Verde, testemunhas Manoel Antonio e Antonio Pereira Lima. Camilo de Lelis Silva, nascido na paroquia de Nazareth, São João del Rei, filho de Manuel Francisco e Lauriana Leonarda; com Mariana, batizada na paroquia de Batatais-SP (livro 01 fls. 14vs), filha de Joaquim Jose Pereira e Maria Cândida de Barros.

 

Dispensa Matrimonial - Franca-SP - Ano: 1834

Oradores: Camillo de Lelis Silva e Mariana Cândida do Sacramento

pesq. Walter Antonio Marques Lelis

- Autos: 21-08-1834- Dizem os oradores Camillo de Lelis Silva, natural da freguesia de Prados Bispado de Mariana, filho legitimo de Manoel Francisco Potenciano e Lauriana Leonarda, e Mariana Cândida do Sacramento, filha legitima de Joaquim Jose Pereira e Maria Cândida de Barros, natural da freguesia de Cana Verde onde ambos os oradores residem, que eles tem tratado casar e não o podem fazer pelo impedimento de 4º grau de consanguinidade mixto com 3º em linha transversal (...).

Que de Maria Candida(sic) nasceram Catharina Leonarda(sic) de São Jose da qual nasceu Lauriana Leonarda , mãe do orador; e Escolastica Maria da qual nasceu Antonio Leite Ribeiro pai de Maria Cândida de Barros mãe da oradora. E aqui é 4º grau de consanguinidade.

Que a oradora não foi raptada e presentemente é pobre e miseravel bem como o orador, e que é habil e capaz de tratar decentemente os encargos do matrimonio.

 

Depoimento dos oradores: Camillo de Lelis Silva, de idade disse ter de 24 anos, que a oradora não foi raptada e vive honestamente em companhia materna, que presentemente é pobre como ele orador, que é capaz de tratar com decencia a oradora (...) (aa) Camillo de Lelis e Silva. Mariana Cândida do Sacramento, disse que não foi raptada pelo ordor e vive honestamente em companhia de sua mãe; que no presente é pobre e miseravel e órfã e que o orador, apesar de ser tambem pobre, tem a agilidade para tratar com decencia os encargos do matrimonio (...).

 

Testemunhas:

1ª - Bernardino Aureliano da Silva, casado, natural da freguesia de Prados Bispado de Mariana e morador nesta da Franca, vive de suas agencias; (...) disse ter de idade 27 anos, que é irmão do orador e primo da oradora em quarto grau. (aa) Bernardino Aureliano Silva

2ª - Antonio Manoel da Silva, casado, natural da freguesia de Prados Bispado de Mariana, vive de sua lavoura; (...) disse ter de idade 29 anos, que é irmão mais velho do orador e primo da oradora em quarto grau (...) (aa) Antonio Manoel Silva.

3ª - Jose Pereira Leite, solteiro, natural da freguesia da Conceição da Barra Bispado de Mariana e morador na da Cana Verde, vive da lavoura, e de idade disse ter 18 anos; disse ser irmão da oradora e primo do orador em quarto grau (...) (aa) Joze Pereira Leite.

 

Autos Conclusos: 26-08-1834 - Vila Franca do Imperador.

 

6-11 José, com 15 anos em 1828. José Francisco Potenciano em 16-06-1837 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 4º grau misto com 3º para se casar com Bernardina Flora de Barros, de 16 anos, filha do falecido Joaquim José Pereira e Maria Cândida de Barros, citados em 6-10 supra.

Museu Histórico José Chiachiri - Franca-SP - Ano: 1837 - Processo 1304-Maço 58-Caixa 16 –

Dispensa Matrimonial - Oradores: José Francisco Potenciano e Bernardina Flora de Barros

pesq. Walter Antonio Marques Lelis

 

Autos de Dispensa dos Oradores Jose Francisco Potenciano e Bernardina Flora de Barros.

 

16-06-1837 nesta vila Franca do Imperador em o cartório (...) por parte dos oradores supra me foi dada uma sua petição com o despacho do muito Reverendo Joaquim Martins Rodrigues vigario colado e da vara desta dita freguesia, na mesma e sua comarca Juiz das Justificaçãoes, Casamentos e Residuos (...).

Dizem os humildes oradores Jose Francisco Potenciano, natural da freguesia dos Prados Bispado de Mariana, filho legitimo de Manoel Francisco Potenciano e Lauriana Zeferina de São Jose, e Bernardina Flora de Barros, natural da freguesia de Cana Verde deste bispado, filha legitima do finado Joaquim Jose Pereira e de Maria Candida de Barros que eles tem tratado casar-se, e o não podem fazer pelo impedimento de 4º grau de consanguinidade mixto com 3º em linha colateral, e desejam ser admitidos a justificar os Itens seguintes.

1º - Que de Maria Candida nasceram Catharina Leonarda de São Jose da qual nasceu Lauriana Zeferina ,mãe do orador; e Escolastica Maria da qual nasceu Antonio Leite Ribeiro pai de Maria Cândida de Barros mãe da oradora. E aqui é 4º grau de consanguinidade.

2º - Que a oradora não foi raptada pelo orador e vive honestamente em companhia materna, e que o orador é habil e capaz de tratar a oradora e aos filhos que tiverem.

Depoimento dos oradores:

Jose Francisco Potenciano, de idade disse ter 23 anos, que se acha ligago com o impedimento declarado. Disse que a oradora não foi raptada por ele orador, vive honestamente em companhia de sua mãe. Disse que a oradora presentemente é pobre mas que ele orador é capaz de tratar com decencia os encargos do seu matrimonio, visto que com seu negocio e agencia faz mais de cem mil reis (...) e deseja casar com a oradora pelo muito amor que lhe tem (...).

Bernardina Flora de Barros, disse ter de idade 16 anos, que se acha ligada com o impedimento declarado. Disse que não foi raptada pelo orador, e vive honestamente em companhia de sua mãe. Que no presente é pobre; possue umas terras da legitima de seu pai que por hora nada lhe rende, mas o orador é habil e capaz de a tratar com decencia e aos filhos que tiverem.

Testemunhas:

1ª - o Reverendo Joaquim Soares Ferreira, natural da freguesia de Pinhui Bispado de Mariana e morador da de Cana Verde deste bispado, vive empregado no Ministerio Paroquial, de idade de 26 anos; (...) disse que por conhecimento que deles tem por serem seus fregueses (...) que se acham ligados com o impedimento mencionado em sua petição (...).

2º - José Machado de Almeida, solteiro, natural desta freguesia, vive de suas agencias, disse ter de idade 22 anos, e aos costumes disse nada.

3º Alexandre José de Paiva, solteiro, natural da freguesia de Congonhas do Campo Bispado de Mariana, vive de suas agencias, disse ter de idade 34 anos (...).

Autos Conclusos: 16-06-1837 - Vila Franca do Imperador.

 

José foi representado no inventário paterno por dois filhos:

6-11-1 Manoel de Paiva Leite, morador em Batatais.

6-11-2 Cândida casada com Joaquim Emigdio. Comparar com 6-8-3 supra.

 

6-12 Floriano Potenciano da Silva, com 13 anos em 1828. Casou com Ana?. Em 1864 Floriano e sua mulher Maria Thereza de Jesus passam procuração na Fazenda das Palmeiras, Distrito de São Sebastião do Paraíso, Termo da Vila de São Carlos do Jacuy, Minas e Comarca de Sapucai.

 

7- Bernardo da Silva Senne aos 04-06-1794 casou com Luiza Maria da Assunção, filha de Nicolau Cardoso Amado e Antonia Teresa de Jesus. Geração na família “Nicolau Cardoso Amado”.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - Cap. N. Sra. do Livramento aos 04-06-1794 Bernardo da Silva Sena, f.l. de João Francisco Silva e Quiteria da Assumpção, n/b freg. Prados = Luiza Maria de Assumpção, f.l. de Nicolau Cardoso Amado e Antonia Teresa de Jesus, n/b freg. de S. Jose.

8- Joaquim da Silva Lima, casado com Teresa Joaquina de Jesus, filha de Manoel Esteves de São Francisco e Izabel Gonçalves dos Anjos. Em 1827 venderam parte da legítima paterna a João José dos Santos (em 4-1 supra). Geração na família “Antonio Gonçalves dos Anjos”.

inventário de João José dos Santos, fls. 27

Digo eu Joaquim da Silva Lima e minha mulher Thereza Joaquina de Jesus que possuímos (...) uma parte de terras de cultura e campos de criar e logradouros na Fazenda denominada Luiz Ayres, que foi dos falecidos nossos pais João Francisco da Silva e Quitéria de Assunção, vendemos a metade da legítima a João José dos Santos (...). 24 de Julho de 1827

 

9- Maria de Jesus, aos 27-08-1782, casou com João Cardoso Osório, filho do Capitão Luiz Cardoso Osório e Francisca Gonçalves Branca, neto materno de Antonio Gonçalves dos Anjos e Maria Ramos. Geração na família “Antonio Gonçalves dos Anjos”.

Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - Capela do Livramento aos 27-08-1782 João Cardoso Ozorio, f.l. do Cap. Luiz Cardoso [borrado] e D. Francisca Gonsalves Branca, n. da freguesia da vila de S. José = Maria de Jesus, f.l. de João Francisco da Silva e de Quiteria da Assumpção, n/b na freguesia de Prados.

10 - Joana Izabel de Lima casada com Paulino Gonçalves Monte, falecido em 16-05-1829, filho de Antonio Gonçalves Monte e Joana de Souza Caldas família “Souza Caldas”, neste site.

          Joana Izabel faleceu com testamento em 24-07-1828, sem geração.

Prados, MG Igreja N Sra da Conceição obitos - aos 24-07-1828 faleceu Joana Izabel de Lima mulher de Paulino Gonçalves Monte, de hidropsia, foi sepultada no corpo desta matriz de Prados. Fez seu solene testamento: eu Joana Izabel de Lima, f.l. de João Francisco Silva e Quiteria da Assunção, já falecidos, batizada na matriz de N Sra da Conceição do Arraial de Prados termo da vila de S. Jose Bispado de Mariana faço meu testamento na forma seguinte. Sou cc Paulino Gonçalves Monte de cujo matrimonio não tive filhos. Encomendações pias. Legados: 16$000 rs a m/afilhada Joana, filha de Teresa viuva de Leandro Antonio, moradora na Camapoam = 12$000 rs para m/prima Ana, filha da falecida Francisca mulher de Francisco Cardoso = 60$000 rs para Maria Teresa que a criei por ser enjeitada, batizada na dita freguesia sendo seu padrinho o Revdo João Luiz Coelho = p/minha afilhada Josefa, filha de Mel Fr.co Potenciano 20$000 rs = para m/afilhada Maria Germana, filha de Rita Antonia, 12$000 rs =

Testamenteiros em 1º lugar a meu marido Paulino Glz Monte, em 2º a João Fr.co Lima, em 3º a Mel Fr.co Potenciano. Deixo por meu herdeiro a Paulino Gls. M.te e por morte deste em segundo lugar a minha afilhada Joana mulher de Vicente Malta, em 3º nomeio a meu sobrinho Mel, filho de João Fr.co Lima. Fazenda de Luiz Ayres 12-7bro-1823 Joana Izabel de Lima.

11- Isabel de Lima aos 04-06-1794 casou com Ignacio Cardoso Amado, filho de Nicolau Cardoso Amado e Antonia Teresa de Jesus. Geração na família “Nicolau Cardoso Amado”. Em 1818 eram moradores no Termo de Barbacena em São Domingos.

B7: Prados, Minas Gerais (e capelas filiadas) - casamentos - Cap. N. Sra. do Livramento aos 04-06-1794 Ignacio Cardoso Amado, f.l. de Nicolau Cardozo Amado e Antonia Thereza de Jesus, n/b freg. S. Jose = Izabel de Lima, f.l. de João Francisco Silva e Quiteria de Assumpção, n/b freg. de Prados.