PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

Fortes de Bustamante

(atualizado em 25-abril-2015)

 

Regina Junqueira

Bartyra Sette

 

 

 

Dr. Luiz Fortes de Bustamante e Sá e Luisa Maria Xavier da Fonseca, portugueses, passaram para o Rio de Janeiro nos inícios do século XVIII, com filhos pequenos nascidos em Ourem-PT. No Rio de Janeiro aumentaram a família com o nascimento de mais filhos. Ainda na década de 1720, rumaram para o sul de Minas Gerais onde tiveram mais filhos, povoadores da região da Borda do Campo e São João Del Rei.

 

Dr. Luiz já era falecido em 1742 (casamento da filha Francisca).

 

Entre seus filhos:

1- Maria Angélica de Sá e Meneses

2- José Fortes de Bustamante e Sá

3- Francisca Xavier Bustamante

4- Rita Luisa Vitoria de Bustamante e Sá                                            § 4º

5- João Pedro de Bustamante e Sá

6- Francisco Xavier Fortes de Bustamante e Sá, padre

 

 

1- Maria Angélica de Sá e Meneses (ou Figueiredo), nascida em Ourem-PT, na Sé do Rio de Janeiro aos 08-07-1720 casou com Dr. Roberto Carr Ribeiro, Desembargador e Juiz do Fisco, nascido na freguesia de Santos-o-Velho da cidade de Lisboa. Com geração.

          Maria Angélica, já viúva em 21-10-1759, foi madrinha do sobrinho Manoel 4-1 deste.

(pesq. Francisco Klörs Werneck in “Anuario Genealógico Latino” IV - 1942, Genealogia Flumisense, Freguesia de S. Gonçalo do Rio de Janeiro - Casamentos, fls. 437, nº 172 e nota: Tomás Carr Ribeiro de Bustamante, n.b. nesta, filho do Desembargador Roberto Carr Ribeiro e Maria Angélica de Sá e Menezes, com Severina Maria Pereira Pinto da Fontoura, viúva do Tte. Antonio Forte de Bustamanate e natural da freg. de S. Pedro do Rio Grande, filha do Cel. Francisco Barreto Pereira Pinto e Francisca Veloso da Fontoura (5-11-1790).

nota: O Dr. Roberto Carr Ribeiro, Desembargador e Juiz do Fisco, como consta de certo registro, nasceu e foi batizado na freguesia de Santos-o-Velho da cidade de Lisboa. Casou-se na Sé do Rio de Janeiro, em 8-VII-1720, com Maria Angélica de Sá e Figueiredo, nascida e batizada na freguesia de N.S. d’Assunção da Vila de Ourem, do bispado de Leiria, filha do Dr. Luiz Forte de Bustamante e Luiza Maria Xavier da Fonseca, como citei no meu trabalho “História e Genealogia Fluminense”.

 

B7: batismos  Barbacena - Rosario do Curral aos 21-10-1759 MANOEL, f.l. do Capitão Manoel Antunes Nogueira natural da freguesia de São Romão de Nugueira Termo da Barca Arc. de Braga e s/m D. Ritta Luisa Victoria de Bustamante natural da cidade do Rio de Janeiro freguesia da Candelária; np de Brás Antunes e de Pascoa Taveira; nm de Luis Fortes de Bustamante e Sá e de s/m D. Luisa Maria Xavier da Fonseca. Padr.: José Antonio Freire de Andrade, governador das Minas por pp que fez a João Pedro de Bustamante e, D. Maria Angelica de Sá e Meneses viuva de Roberto Ká Ribeiro moradores no Rio de Janeiro por pp que fez a José Fortes de Bustamante e Sá, morador nesta.

 

2- José Fortes de Bustamante e Sá, nascido em Ourem-PT. Procurador materno em batismo em 1746. Solteiro em 1758.

B7: - batismos, Barbacena-MG, aos 20-02-1746 MANOEL, nascido aos 26-01, f.l. de Manoel Lopes Guimarães, natural da freguesia de Santa Eulalia de Tormentões (?), termo de Guimarães e s/m Anna da Graça. natural desta freguesia; np de Jacinto Lopes Rayo e s/m Anna Francisca; nm de Francisco da Cruz Silva e s/m Maria de Mendonça. Padr.: Cap. Manoel Lopes de Oliveira e D. Luiza Xavier de Afoncequa, viuva, em cujo nome e com cuja pp tocou o batizando seu filho Jose Forte Bustamante.

 

B7: batismos  Barbacena, MG. Bertioga aos 03-03-1758 bat. JOZE nascido aos 16-02, f.l. de Antonio de Faria natural da freguesia de Feiteira Bispado de Angra e s/m Catherina da Assunção natural desta freguesia. Padr.: Joze Fortes de Bustamante, solteiro.

          José testou em São João del Rei em 16 de Outubro de 1770. Declarou ter então quatro filhos naturais havidos de Antonia Teresa Telles, parda forra. Seu testamento foi aberto em 03-01-1777 e foi inventariado na paragem o Curral Velho da Borda do Campo em 01-03-1777 por seu irmão e testamenteiro João Pedro Bustamante e Sá. Compareceram cinco filhos.

Obs. Na catalogação do inventário está João em lugar de José; provavelmente por engano do escrevente ao anotar o nome do inventariado declarado pelo inventariante. No testamento, inserido no inventário, e no reconhecimento da paternidade de duas filhas (Francisca e Luiza) assim como no casamento do filho Luiz, está JOSÉ.

Museu Regional de São João del Rei

Tipo de Documento: Inventário

Ano: 1777 Caixa: 569

Inventariado: João Fortes Bustamante e Sá

Inventariante: João Pedro Bustamante e Sá

Local: Paragem o Curral Velho da Borda do Campo

Transcrito por Edriana Aparecida Nolasco a pedido de Regina Junqueira

fls. 01

Inventário dos bens que se fizeram por falecimento de João Fortes de Bustamante e Sá de quem é inventariante seu irmão e testamenteiro João Pedro Bustamante e Sá.

Data: 01-03-1777

Local: Paragem denominada o Curral Velho da Borda do Campo.

Data do Falecimento: 03-01-1777

Filhos Naturais:

01- Francisca Xavier de Bustamante, de idade de 14 anos pouco mais ou menos.

02- Eulália Angélica de Bustamante, de idade de 12 anos.

03- Mafalda Felícia de Bustamante, de idade de 11 anos, pouco mais ou menos.

04- Luís Francisco de Paula Bustamante, de idade de 9 anos pouco mais ou menos.

05- Luiza Xavier de Bustamante, de idade de 6 anos pouco mais ou menos.

 

Bens de Raiz:

- uma fazenda denominada o Curral Velho [parte danificada] tudo coberto de telha com seu quintal e árvores de espinho, com seus matos, campos e logradouros  600$000

- uma tapera denominada o Salto do Feijoal, com umas casas e paiol, tudo muito velho coberto de telhas, matos virgens e capoeiras  150$000

- terras minerais no Ribeirão do Salto 50$000

- terras minerais no Ribeirão da Conceição  150$000

 

fls. 13 - Testamento

(...) 16 de Outubro de 1770, nesta vila de São João del Rei (...).

(...) eu José Fortes de Bustamante e Sá (...)

(.............)

Rogo a meu irmão João Pedro de Bustamante e Sá, ao Capitão Domingos dos Reis Silva, o Tenente João Pedro Pereira, o Licenciado Antonio de Souza Barbosa e minha irmã Dona Rita Vitória de Bustamante queira ser meus testamenteiros (...).

(.............)

Sou natural da Vila de Ourem e filho do Doutor Luis Fortes de Bustamante e Sá, já defunto e de Dona Luiza Maria Xavier da Fonseca, já defunta (...).

(...) sou solteiro e tenho quatro filhos naturais, havidos de Antonia Teresa Telles, mulher parda e liberta, por nomes: Luís e suas irmãs Francisca, Mafalda e Eulália aos quais nomeio e instituo por meus herdeiros em igual parte de meus bens (...).

(.............)

Possuo na Borda do Campo uma fazenda com casas de vivenda, engenho de pilões, moinho (...).

Na Ibitipoca, fazendas com lavras e terras de cultura (...).

Em Portugal, o que restar por documentos que há (...).

(.............)

Declaro que devo (...) à minha irmã Dona Francisca Xavier de Bustamante (...); a meu cunhado o Capitão Mor Manoel Antunes Nogueira (...).

Data da Abertura: 03 de Janeiro de 1777

 

2-1 Francisca Xavier de Bustamante, batizada aos 09-06-1763. Com 14 anos em 1777.

B7: batismos Barbacena (1762-1780), aos 09-06-1763 na Capela do Rosario do Curral, o padre Manoel Alz com licença minha batizou solenemente e pos os santos oleos a FRANCISCA, filha natural de Antonia Telles, parda forra, moradora em casa de Joze Fortes, e de pai incognito. Foi padrinho João Pedro de Bustamante, solteiro, morador nesta mesma freguesia, por pp que fez a Francisco Xavier de Sá para em seu nome tocar a criança, de que fiz este assento. O Vigr. Reliciano Pitta de Castro.

Obs. colocada a posteriori, no espaço antes da assinatura do vigario, e continuando no espaço a margem do termo:

Declarou Jose Fortes de Bustamente e Sá, que era sua filha e que por tal reconhecia de que assinou comigo. (aa) Jo[borrado] Fortes de Bustamante e Sá e (a rubrica do mesmo vigário) Castro.

 

          Possivelmente a Francisca Xavier de Bustamante casada com Francisco da Silva (por 1780 ou antes, estimadamente).

          Pais de, pelo menos:

2-1-1 Inácio, batizado em 17-08-1778 na capela de N. Sra da Conceição de Ibitipoca.

Barbacena, MG. "Aos dezessete dias do mês de Agosto de 1778 na Capela de Nossa Senhora da Conceição de Ibitipoca, filial desta Matriz de Nossa Senhora da Piedade de Borda do Campo, o padre Agostinho Machado dos Santos de licença do Reverendo Vigário encomendado José Dias dos Santos batizou solenemente e pôs os santos óleos a Ignácio, parvulo, filho legítimo de Francisco da Silva Coutinho e de sua mulher Francisca Xavier de Bustamante, foram padrinhos Francisco Tavares Pereira solteiro e Eulália Maria de Bustamante, todos desta freguezia de que fiz este assento" (pesq. de José Anis de Souza Ribeiro)

2-1-2 Ana Teresa de São Pedro, batizada em 16-04-1780.

Barbacena, MG. "Aos dezesseis de abril de mil setecentos e oitenta anos, nesta capela de Ibitipoca, filial desta Matriz de Nossa Senhora da Piedade de Borda do Campo, o Rev. Pe. João Coelho G. de Amorim de licença minha batizou e pôs os santos óleos a Ana filha legítima de Francisco da Silva e de sua mulher Francisca Xavier Bustamante, foram padrinhos o licenciado Sebastião Correa e Ana Tereza, solteira filha de José Rodrigues Braga, de que fiz este assento" (pesq. de José Anis de Souza Ribeiro).

         Em Aiuruoca aos 26-11-1794 casou com Julião de Souza Lima, filho de Pedro de Souza Lima e Izabel de Siqueira Portes. Família “João Pereira Themudo” Cap. 1º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. - aos 26 nov 1794 cap. Varadouro - test. e.o.: Bento Teixeira Pinto. Julião de Souza Lima, f.l. de Pedro de Souza Lima e de Izabel de Siqueira Portes, n. e b. freg. da Borda do Campo, hoje vila nova de Barbacena; c/ Anna Thereza de São Pedro, f.l. de Francisco da Silva e de Francisca Xavier de Bustamante, n. e b. freg. vila de Barbacena.

2-2 Eulália Angélica de Bustamante, 12 anos.

2-3 Mafalda Felícia de Bustamante, 11 anos.

2-4 Luiz Francisco de Paula Bustamante, com 9 anos em 1777 (inventário paterno). Em Aiuruoca aos 28-09-1795, Luiz José Fortes se casou com Maria Pereira do Bom Sucesso, dai natural, exposta em casa de Manoel Fernandes de Siqueira.

Aiuruoca, MG - aos 28-09-1795 na capela da Sra do Bom Sucesso dos Serranos desta freguesia onde os contraentes são moradores e as testemunhas Manoel Joseph de Mendanha e Francisco de Paula, se receberam Luiz Joseph Fortes, filho natural de Joseph Fortes de Bustamante Sá e de Antonia Thereza Telis, natural e batizado na freguesia de Barbacena = e Maria Pereira do BomSucesso, exposta em casa de Manoel Fernandes de Siqueira, natural e batizada nesta freguesia da Aiuruoca (pesq. de José Anis de Souza Ribeiro).

2-5 Luiza Xavier de Bustamante, nasceu aos 31-05-1771 e foi batizada aos 9 de junho do mesmo ano. Com 6 anos em 1777.

Barbacena, MG. "Aos nove de junho de 1771 na Capela de N.S. do Rosário do Curral Novo, filial desta Matriz de N.S. da Piedade da Borda do Campo, o Vig. ...., pôs os Santos Óleos a Luiza, filha de Antonia Telles, parda forra e de pai incógnito, foram padrinhos: Manoel Ribeiro e Francisca Xavier, solteiros; nasceu aos trinta e um de maio do dito ano de que fiz este assento. Declarou José Fortes de Bustamante Sá ser sua filha. De que comigo assinou: rubrica do Vig. e assinatura de José Fortes de Bustamante Sá." (pesq. de José Anis de Souza Ribeiro).

 

3- Francisca Xavier Bustamante, nascida no Rio de Janeiro, em Barbacena-MG aos 10-05-1742 casou com Manoel Rodrigues Pereira, viúvo de Maria Josefa de Assunção.

B7: Barbacena - casamentos. Aos 10-05-1742, na capela da Piedade da Borda do Campo, Manoel Roiz Pereira, natural da freguesia de N. Sra. da Igrejinha, termo da vila de -----, bispado de ----, filho leg. de Antonio Roiz e de s/m Izabel Roiz Pereira, viúvo que ficou de sua 1a. mulher Maria Josefa da Assunção, com Francisca Xavier Bustamante, natural do Rio de Janeiro, filha do dr. Luis Fortes de Bustamante, falecido, e dona Luisa Maria Xavier da Fonseca. Test.: Antonio Fortes Bustamante, Jose Fortes, Amaro Teixeyra, todos moradores destas freguesia.

 

          Manoel Rodrigues Pereira, filho de Antonio Rodrigues e Izabel Rodrigues Pereira, já era falecido em 1800 quando Francisca requer demarcação de terras:

(pesq. Valderez Rosa Garcia - Belo Horizonte,MG) APM - Arquivo Histórico Ultramarino- Minas Gerais - 29 de abril de 1800: Caixa 152; doc 71; código: 11516

Requerimento de Francisca Xavier Bustamente, viuva do sargento mor Manuel Rodrigues Pereira, pedindo medição e demarcação de meia légua de terra e posse da fazenda situada na Estrada do Rio de Janeiro para  Vila Rica, no Termo da Real Vila de Queluz, Comarca do Rio das Mortes.

          Como em 1800 esta Francisca Xavier seguia viúva de Manoel Rodrigues, cremos que a mulher de Francisco da Silva é a sobrinha homonima, 2-1 supra

 

5- João Pedro de Bustamante e Sá, batizado em Barbacena aos 14-11-1729. Testamenteiro e inventariante do irmão José Fortes Bustamante e Sá.

Pólis 30 copiados pelo Prof. João Paulo Ferreira de Assis (Ressaquinha-MG). - N.Sra. Piedade da Borda do Campo - matriz bat. lv. 1, 1726-1730, fls. 14v, 14/11/1729 João filho do Dr. Luiz Fortes de Bustamante e Sá e de Luisa Maria Xavier da Fonseca.

          João Pedro foi testamenteiro e inventariante de José de Faria e Souza falecido em S. João del Rei com inventário aberto aos 19-10-1790 (inventário neste site).

Faleceu João Pedro, completamente cego, em 02-07-1811 com testamento e foi inventariado em 30-01-1812. Instituiu seu primeiro testamenteiro o sobrinho Guarda Mor Francisco Dionisio Fortes de Bustamante. Solteiro, sem herdeiros forçados, instituiu herdeiros os filhos do falecido sobrinho Cel. Manoel de Sá Fortes Bustamante Nogueira (inventário neste site).

 

6- Padre Francisco Xavier Fortes de Bustamante e Sá, tambem nascido em Minas Gerais. Redigiu seu testamento aos 26-01-1819 e foi sepultado na Capela de N Sra do Carmo, filial da matriz de São João Del Rei aos 24-04-1820, declarando sua naturalidade e filiação.

RMJ: São João del Rei - óbitos - Aos 24-04-1820 - na Capella de N Sra do Carmo filial desta Matriz Villa de São João Del Rei, foi sepultado o Padre Francisco Xavier Fortes de Bustamante e Sá com todos os sacramentos, envolto com o habito de S Pedro e acompanhado com a Cruz de Fabrica. E fez seu solene testamento:

Em nome de Deus Amem. Eu o Padre Francisco Xavier Fortes de Bustamante e Sá, natural desta Villa filho legitimo do Doutor Luiz Fortes de Bustamante e Sá de Dona Luiza Maria Xavier da Fonseca (...) Testamenteiros: Dona Luiza Felicia Sinfroza de Bustamante, minha sobrinha; em segundo o Capitão Antonio dos Reis e Silva; em terceiro o Capitão João Gonçalves Pires (...) Os bens de meu patrimônio são terras de cultura no Ribeirão do Salto de ---- Aplicação da Capela de Ibitipoca, termo de Barbacena que parte do Engenho que foi do falecido João Pedro de Bustamante com --- que foram do falecido João Rodrigues Braga e hoje são de seus herdeiros. Declaro que o falecido meu Irmão J (corroído) de Bustamante (.....).SJDR 26-01-1819

 

          Padre Francisco Xavier teve um exposto:

6-1ex João, batizado em 16-08-1787.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 16-08-1787 João, exposto ao Padre Francisco Xavier Fortes Bustamante, padr.: Padre Francisco Xavier Fortes Bustamante

 

 

 

§ 4º Rita Luisa Vitória de Bustamante e Sá

(atualizado em 17-novembro-2013)

 

 

Colaboradores:

Paulo Cézar Ribeiro Luz

Moacyr Urbano Salgado Villela

Guilherme Junqueira Maciel

 

 

Rita Luisa Vitória de Bustamante e Sá, natural da cidade do Rio de Janeiro, filha do Dr. Luiz Fortes de Bustamante e Sá e Luisa Maria Xavier da Fonseca, aos 17-11-1755 em Barbacena-MG casou com Manoel Antunes Nogueira.

B7: casamentos Barbacena (1752-1781) - Aos 17-11-1755 na Capela de Nossa Senhora do Rosario do Curral, filial desta matriz de N. Sra. da Piedade da Borda do Campo. Antonio Roiz Nogr.ª n/b, digo, Manoel Antunes Nogueira n/b na freg. de S. Romão de Nogr.ª termo da villa Barca Arc. Braga, f.l. de Bras Antunes e Pascoa Taveira; = cc. D. Ritta Luiza Vitoria de Bustamante, n/b na freg. da Candelaria do Rio de Janeiro, f.l. do Dr. Luiz Forttes de Bustamante e Sá e D. Luiza M.ª Xavier da Fon.ca. Test.: P. João Coelho da Rocha., P. Fran.co X.er Fortes de Bustamante e Ant.º de Freitas.

 

Manoel nasceu aos 01-12-1705 na freguesia de São Romão da Nogueira, Arcebispado de Braga, filho de Brás Antunes e Páscoa Taveira, neto paterno de Gaspar Antunes e Ana Francisca, neto materno de Gonçalo Rodrigues e Isabel Taveira. Ascendentes na família “Manoel Alves Taveira”, neste site.

Paróquia de São Romão da Nogueira livro misto 1641-1716 fl 35

Aos 01-12-1705 nasceu um menino de Brás Antunes e sua mulher Páscoa Taveira batizado aos quatro do mesmo. Foram padrinhos Manoel Antunes solteiro filho de Gaspar Antunes e Jacinta Pereira solteira filha de Domingos Pereira da freguesia de Magalhães. Recebeu o nome de Manoel (pesq. Moacyr Villela).

Capitão Mor Manoel Antunes Nogueira já era falecido em 1812 (inventário do cunhado João Pedro de Bustamante e Sá).

Rita Luisa recebeu confirmação de Carta de Sesmaria “de meia legoa de terra em quadra, na paragem chamada Domingos dos Reys, na Vila de São João Del Rei” em 1790 (neste site, disponibilizada pelo pesquisador Moacyr Urbano Salgado Villela).

 

Do casal nasceram filhos, dos quais descobrimos:

- Manoel de Sá Fortes de Bustamante Nogueira

- Luiz Fortes Bustamante de Sá

- Luiza Felicia Sinforosa de Bustamante

- Maria Angélica de Sá Menezes

- Ana, batizada em 15-01-1763.

- Francisco Dionisio Fortes de Bustamante, guarda mor.

 

 

4-1 Manoel de Sá Fortes de Bustamante Nogueira, batizado em Barbacena aos 21-10-1759. Foi casado com Mariana Leocadia da Silva, filha do Coronel Carlos José da Silva e de sua primeira esposa Inácia Rosa Angélica da Silva ( rodapé deste).

B7: Batismos  Barbacena - Rosário do Curral aos 21-10-1759 MANOEL, f.l. do Capitão Manoel Antunes Nogueira natural da freguesia de São Romão de Nugueira Termo da Barca Arc. de Braga e s/m D. Ritta Luisa Victoria de Bustamante natural da cidade do Rio de Janeiro freguesia da Candelária; np de Brás Antunes e de Pascoa Taveira; nm de Luis Fortes de Bustamante e Sá e de s/m D. Luisa Maria Xavier da Fonseca. Padr.: José Antonio Freire de Andrade, governador das Minas por pp que fez a João Pedro de Bustamante e, D. Maria Angélica de Sá e Meneses viuva de Roberto Ká Ribeiro moradores no Rio de Janeiro por pp que fez a José Fortes de Bustamante e Sá, morador nesta.

          Foram proprietários de uma semaria chamada Bananal, com casas, senzalas e demais benfeitorias. Possuíam também parte da sesmaria no Curral Novo e a Fazenda do Curral, composta de três sesmarias.

Cel. Manoel faleceu em 11-06-1809 sem testamento e foi inventariado no mesmo ano (inventário neste site).

          Mariana comparece no censo de Curral Novo em 1831, viúva e com 56 anos declarados:

Relação dos Habitantes do Distrito de Nossa Senhora do Rosario do Curral Novo em 1831

Termo de Barbacena -Minas Gerais -Brasil

Nota: Transcrito por Valderez Rosa Garcia - fev 2004

Quinto Quarteirão, fogo 13:

Marianna Leocadia de Sa, branca, 56, viuva,

Carlos de Sá Fortes, branco, 34, solteiro, lavrador

Luiza Angelina de Sá, branca, 39, solteira

Rita Leocadia de Sá, branca, 36, solteira

Maria Luzia de Sá Fortes, branca, 26, solteira

Joanna Leocadia de Sá, branca, 24, solteira

Ignácia Carolina de Sá, branca, 18, solteira

José Jorge de Sá, branco, 14, solteiro

Cativos 99

Manoel e Mariana tiveram seis filhos que foram arrolados no inventário de Manoel e tambem foram herdeiros de João Pedro Bustamante e Sá:

4-1-1 Inácia Carolina Fortes Bustamante (ou de Sá), nascida por 1793 em Barbacena aonde faleceu aos 03-02-1814 e teve seu inventário (neste site) aberto na Fazenda Curral Velho, em casa de Dona Mariana Leocadia da Silva.

          Casou com seu tio materno Antonio Luis de Noronha e Silva 2 abaixo, e deixou a filha única:

4-1-1-1 Inácia Carolina Fortes de Sá. Em 1831 Inácia Carolina, com 18 anos, vivia em casa de sua avó materna (censo Curral Novo). Aos 16-09-1833 casou com José Flausino Junqueira, filho do Capitão João Francisco Junqueira e Maria Inácia do Espírito Santo. Família “Antonio Gonçalves da Costa” Cap. 1º.

B7: Casamentos Barbacena - Curral aos 16-09-1833 José Flausino Junqueira e Dona Ignacia Carolina Fortes. Test.: Carlos de Sá Fortes e Manoel Ananias Junqueira.

 

         Foram moradores em S. José do Favacho:

censo São José do Favaxo, 28-3-1840, 1º Quarteirão: 18

Jose Frauzino (Junqueira), Branco, 32, casado, lavoura, sabe ler

Inacia Carolina ( Dona), Branco, mulher, 26, casado

Inacia, Branco, filho, 5

João (Braulio de Assis), Branco, filho, 4

Maria, Branco, filho, 3

55 cativos

 

Inácia Carolina já era falecida em 1857, quando do inventario paterno, e foi representada por seus oito filhos:

 

4-1-1-1-1 Inácia Frausina Junqueira, em 1857 estava casada com José F. Junqueira, moradores em Baependi.

4-1-1-1-2 João (?) Braulio Junqueira, com 21 anos, solteiro.

4-1-1-1-3 Maria, com 19 anos, solteira.

4-1-1-1-4 Antonio Torquato Junqueira, 18 anos solteiro.

4-1-1-1-5 José, 13 anos.

4-1-1-1-6 Manoel de Sá Fortes Junqueira, com 9 anos em 1857. No oratório do Campo Lindo, dispensados dos impedimentos de consanguinidade, casou com Genoveva Clara Diniz Junqueira, nascida por 1859, filha do Comendador Manoel Ananias de Assis Junqueira e Maria Clara Diniz Junqueira (família “Antonio Gonçalves da Costa” Cap 1º, e inventário deste casal neste site, colaboração de Guilherme Junqueira Maciel).

 

Aos vinte e três de Fevereiro de mil oitocentos e setenta e seis no Oratório do Campo Lindo, com Provisão, assisti ao matrimônio que contraíram, proclamados, dispensados das consanguinidades em segundo grau, terceiro atingente ao segundo e quarto atingente ao terceiro duplicado e de outro qualquer dispensável, e dados os depoimentos verbais, Manoel de Sá Fortes Junqueira, filho legítimo de José Flausino Junqueira e Dona Ignacia Carolina Fortes da Silva, natural e morador da Freguesia da Encruzilhada; = e Dona Genoveva Clara Diniz Junqueira, filha legítima do Comendador Manoel Ananias de Assis Junqueira e de Dona Maria Clara Diniz Junqueira, nascida, batizada e moradora desta Freguesia e lhes dei as bênçãos nupciais intra missan. sendo testemunhas João Pedro Diniz Junqueira e João Osvald Diniz Junqueira, do que faço este Termo.


Manoel faleceu em 19-08-1934 e foi inventariado no ano seguinte, compareceram ou foram representados seis filhos, dos quais alguns residiam no Vale do Paraíba Fluminense, outros na Cidade do Rio de Janeiro, e muitos em Lins-SP (inventário neste site)

 

4-1-1-1-7 Rita, com 7 anos em 1857.

4-1-1-1-8 Francisco Olinto Fortes Junqueira, com 5 anos em 1857. Em Aiuruoca aos 07-07-1877 casou com Adelina Clara Diniz Junqueira, filha do Capitão Francisco Marcolino Diniz Junqueira e D. Maria de Paula Franco Junqueira, dispensados do impedimento de consanguinidade do 3º grau atingente ao 2º, e em 4º duplicado atingente ao 3º.

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca-MG, cas. - aos 07 julho 1877 oratorio  da fazenda do Campo Lindo - disp. imp. cons. 3º grau atingente ao 2º, e em 4º duplicado at. ao 3º e de outro qq.

Francisco Olinto Fortes Junqueira, f.l. Major Frauzino digo Jose Frausino Junqueira e D. Ignacia Carolina Fortes Silva já falecida, n. b. e morador freguesia da Encruzilhada. = c/ D. Adelina Clara Denis Junqueira, f.l. do Cap. Francisco Marcolino Denis Junqueira e D. Maria de Paula Franco Junqueira, n. b. freg. Sant'Anna dos Olhos d'agua, provincia de SP e bispado, hoje moradora na freguesia desta cidade.

4-1-2 Rita Leocádia de Sá, batizada em 09-03-1795.

B7: Barbacena - batismos - Curral aos 09-03-1795 Ritta, f.l. de Manoel de Sá Fortes e D. Mar.na Leocadia da S.ª, padr.: João Pedro de Bus.te e Francisca Xavier de Bus.te por pp q apres. Francisco digo Rdo. Francisco X.er Fortes.

4-1-3 Carlos de Sá Fortes, batizado em 18-02-1797. Em 1831, solteiro, morava com a mãe.

B7: Barbacena - batismos - Curral aos 18-02-1797 Carlos, f.l. de Manoel de Sá Fortes e Mariana Leucadia da Silva, padr.: Carlos Jose da Silva e Maria Angelica de Menezes da Silva, por pp q ap João Pedro de Bustam.te e Antonio Luis de Noronha.

4-1-4 Antonio de Sá Fortes, batizado aos 26-02-1799. Juntamente com sua irmã Joana Leocadia foi padrinho em batismo.

B7: Batismos Barbacena - Curral Novo aos 26-02-1799 ANTONIO, f.l. do Cap. Mor Manoel de Sá Fortes de Bustamante Nogueira e s/m D. Marianna Leocadia da Silva. Padr. o mesmo batizante Fortes (padre Francisco Xavier Fortes de Bustamante Sá) e D. Thomasia Joaquina da Silva.

 

(inserido no inventário de Lourenço Pereira da Cunha):

Certidão de Nascimento       f.3

Assento da Capela do Curral

Data: 09 de novembro de 1838

Inocente: Antonio

Filiação: Lourenço Pereira da Cunha e Marianna Antonia de Jesus

Padrinhos: Antonio de Sá Fortes, e sua irmã D. Joana Leocadia da Silva

4-1-5 Maria Luisa de Sá Fortes, batizada em 10-04-1804.

B7: Barbacena - batismos - Curral aos 10-04-1804 Maria, f.l. do Cor.el Manoel de Sá Fortes e D. Mar.na Leocadia da S.ª, padr.: Luiz Fortes de Bustam.te Nogr.ª e D. Luisa Felicia Sinforosa de Bustam.te.

4-1-6 Joana Leocádia da Silva, batizada aos 07-01-1807. Com dois anos em 1809.

B7: Barbacena - batismos - Curral aos 07-01-1807 Joana, f.l. do Cel. Manoel de Sá Fortes e D. Mar.na Leocadia da S.ª, padr.: Francisco Dionizio Fortes e D. Maria Jose Bernardina da S.ª

4-2 Luiz Fortes Bustamante de Sá, Capitão-Mor. Casou com Ana Teresa de Mello Almeida Souza Menezes, da freguesia dos Anjos da cidade de Lisboa, filha do Comendador Luiz de Souza Brandão Menezes e D. Felipa Antonia Mello de Noronha Almeida, da freguesia da Encarnação da cidade de Lisboa.

 

          Capitão Mor Luiz teve outros filhos com Maria Leonarda da Silveira, filha do Capitão João Peixoto do Amaral e Ana Barbosa de Magalhães, família “Joaquim Pinto de Magalhães”. Leonarda faleceu em novembro de 1805. Deixou por testamenteiros “Guarda Mor Francisco Dionísio Fortes de Bustamante, em segundo ao Capitão Mor Luís Fortes de Bustamante e Sá”.

 

Entre os filhos legítimos:

4-2-1 Luiza, batizada em 15-09-1790:

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição da Barra aos 15-09-1790 Luiza, f.l. Dr. Luiz Fortes Bustamanet Sá, desta freguesia e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, da freg. dos Anjos das cidade de Lisboa, np Cap. Manoel Antunes Nogueira da freg. de S. Romão da vila da Barca Arc. Braga e D. Rita Luiza Vitoria de Bustamante e Sá, da freg. de Santa Rita do Rio de Janeiro, nm Comendador Luiz de Souza Brandão Menezes, da freg. de Pitangui e D. Felipa Antonia Mello Noronha Almeida, da freg. da Encarnação da cidade de Lisboa, padr.: João Pedro Bustamante Sá, da freg. da Borda do Campo e D. Rita Luiza Vitoria de Bustamante Sá viuva

4-2-? Maria, batizada em 26-12-1793. Seria a Maria Teresa ou a Maria Benedita, ou outra irmã mais velha ?

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição da Barra aos 26-12-1793 Maria n, 18-12-1793, f.l. Dr. Luiz Fortes Bustamanet Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes

4-2-2 Maria Theresa Fortes de Bustamante casada com o Capitão Francisco Theresiano Fortes. Ambos herdeiros da tia Luiza 4-3 abaixo

4-2-3 Maria Benedita de Souza Fortes, herdeira da tia Luiza abaixo. Aos 21-05-1828 casou com Dr. Gabriel Andre Maria de Ploisquellec*, filho de Boaventura Maria de Ploisquellec* e Maria Antoneta Gallays de Resmental. Com geração. (* Ploesquellec: pesquisa de Nelson Fortes)

B7: Casamentos - SJDRei, aos 21-05-1828 no oratorio de D. Luisa Sinfrosa. Dr. Gabriel Andre Maria de Ploisquellec(?), f.l. Boaventura Maria de Ploisquellec(?) e D. Maria Antoneta Gallays de Resmental; = cc. D. Maria Benedita de Souza Fortes, f.l. Cap. Mor Luiz Fortes de Bustamante e Sa e D. Ana Theresa de Mello, já falecida.

 

inventário da tia Luiza:

Maria Benedita de Souza Fortes também sobrinha da testadora, usufrutuária da metade dos remanescentes dos bens desta, passando por sua morte a seu filho Gabriel e se este falecer antes da dita sua mãe passando por morte desta a propriedade dos ditos bens a aquela primeira herdeira (as 2 herdeiras são irmãs).

4-2-4 Alexandre, nasceu em 24-07-1795 e foi batizado no mês seguinte.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, em agosto 1795 Alexandre n. 24-07-1795, f.l. Luiz Fortes Bustamanet Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, da freg. dos Anjos das cidade de Lisboa, np Cap. Manoel Antunes Nogueira da freg. de S. Romão da vila da Barca Arc. Braga e D. Rita Luiza Vitoria de Bustamante e Sá, da freg. do Rio de Janeiro, nm Fidalgo Cavaleiro Luiz Souza Brandão Menezes, da freg. de Pitangui e D. Felipa Antonia Mello Noronha Almeida, da freg. da Encarnação da cidade de Lisboa, padr.: Cap. Mor Manoel Sa Fortes Bustamante, de Barbacena por pp a Jose Melo Almeida Souza Menezes, e D. Maria Angelica Sa Menezes da freg. de Antonio Dias de Vila Rica por pp a Rita Luiza Vitoria Bustamante, viuva; os padrinhos eram tios do batizando

4-2-5 Afonso, em 28-10-1796

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição aos 28-10-1796 Afonso n. 11-10-1796, f.l. Tenente de Artilharia Luiz Fortes de Bustamante Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, np Capitão Mor Manoel Antunes Nogueira da freg. de S. Romão da vila da Barca Arc. Braga e D. Rita Luiza Vitoria de Bustamante e Sá, da freg. do Rio de Janeiro, nm Fidalgo Cavaleiro Luiz Souza Brandão Menezes, da freg. de Pitangui e D. Felipa Antonia Mello Noronha Almeida, da freg. da Encarnação da cidade de Lisboa, padr.: Francisco Dionisio Fortes Bustamante e D. Luiza Felicia Sinforosa Bustamante, solteiros

4-2-6 Ana, nasceu em 17-09-1798 e foi batizada em dezembro do mesmo ano.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição em dezembro 1798 Ana n. 17-09-1798, f.l. Tenente de Artilharia Luiz Fortes de Bustamante Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, np Capitão Mor Manoel Antunes Nogueira da freg. de S. Romão da vila da Barca Arc. Braga e D. Rita Luiza Vitoria de Bustamante e Sá, da freg. do Rio de Janeiro, nm Tenente Cavaleiro Luiz Souza Brandão Menezes, da freg. de Pitangui e D. Felipa Antonia Mello Noronha Almeida, da freg. da Encarnação da cidade de Lisboa, padr.: Revdo Francisco Xavier Fortes Bustamante Sa e D. Luiza Felicia Sinforosa Bustamante, solteira. Os padrinhos eram tios da batizanda

4-2-7 Carlos, batizado em 30-08-1801

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição da Barra aos 30-08-1801 Carlos, f.l. Dr. Cap. Mor Luiz Fortes de Bustamante Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, np Cap. Mor Manoel Antunes Nogueira e D. Rita Luiza Vitoria de Bustamante e Sá, nm Tenente Luiz Souza Brandão Menezes e D. Felipa Antonia Mello Almeida, padr.: Cel. Carlos Jose da Silva, casado e Luiza Felicia Sinforosa Bustamante, solteira.

4-2-8 Antonio, em 20-02-1808, gemeo de Francisco.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição aos 20-02-1802 Antonio, gemeo, f.l. Dr. Cap. Mor Luiz Fortes de Bustamante Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, padr.: João Cunha ----, solteiro e Rita Luiza Vitoria Bustamante, viuva e avó do batizando

4-2-9 Francisco, gemeo do supra.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, cap. N. Sra Conceição da Barra aos 20-02-1802 Francisco, gemeo, f.l. Dr. Cap. Mor Luiz Fortes de Bustamante Sá e D. Ana Teresa Mello Almeida Souza Menezes, padr.: Padre Antonio Caetano Almeida Villas Boas e Luiza Sinforosa Bustamante Sa.

 

 

Capitão Mor Luiz teve com Maria Leonarda da Silveira (idades em 11-12-1805, inventário de Maria Leonarda, neste site):

 

4-2-1n Francisco José Soares, casado, morador no Termo do Rio de Janeiro em 1805. Comparar com Francisco José Soares, viúvo de Rita Joaquina da Conceição, em Resende-RJ aos 17-08-1810 casou com Felícia Maria de Jesus, natural de Lorena-SP e filha de Joaquim Correa e Maria Ferreira.

17-08-1810 na Matriz de Resende pelo Padre Jose Antonio Martins de Sá, Francisco Jose Soares, viuvo por falecimento de Rita Joaquina da Conceição; = cc. Felicia Maria de Jesus, n/b na vila de Lorena, f.l. de Joaquim Correa e Maria Ferreira (Acervo Itamar Bopp, ficha 1152)

4-2-2n Antonio Fortes de Bustamante, solteiro, de idade de vinte e quatro anos.

4-2-3n Luiz Fortes de Bustamante e Sá, solteiro, com 23 anos em 1805, natural de S. João del Rei. Faleceu com testamento aos 21-07-1832 solteiro. Instituiu herdeiros aos seus nove filhos naturais. Testamenteiros em primeiro lugar a meu primo Doutor Antonio Joaquim Fortes Bustamante; em segundo a meu genro Francisco de Assis Pinto adjunto com Dona Albina Cândida da Assunção, e em terceiro a meu primo João Peixoto do Amaral

          Foi inventariado em 17-06-1833 (inventário neste site). Filhos (idades pouco mais ou menos):

4-2-3n-1 Carlota Roberta Fortes e Bustamante aos 03-05-1827 casou com Francisco de Assis Pinto de Campos, filho de Domingos Pinto Correa e Ana Maria de São José.

B7: Casamentos - SJDRei, aos 03-05-1827 natriz, Francisco de Assis Pinto de Campos, f.l. Domingos Pinto Correia e Ana Maria de S. Jose; = cc. D. Carlota Ruberta Fortes e Bustamante, f. natural do Guarda Mor Luiz Fortes de Bustamante.

Pais de, q.d.:

4-2-3n-1-1 Maria Patrocinio Assis aos 15-07-1849 casou com Antonio Alves Pereira da Cunha Torga, filho de José Alves Pereira da Cunha Torga e Lisandra Ignez Maria.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 15-07-1849 Antonio Alves Pereira da Cunha Torga, de São Jose, f.l. Jose Alves Pereira da Cunha Torga e Lisandra Ignez Maria = cc Maria Patrocinio Assis, f.l. Ten. Francisco Assis Pinto Campos e Carlota Roberta Fortes Bustamante, test.: Jose Pereira da Silva e Coneto Jose Pedro da Silva Benfica.

 

4-2-3n-2 Messias Roberta Fortes, de idade de 20 anos, solteira. (depois casada com João Epifanio Pinto).

4-2-3n-3 Francisco, solteiro, de idade de 17 anos (depois casado).

4-2-3n-4 Antonio, de idade de 15 anos, também solteiro.

4-2-3n-5 Cândido, de idade de 13 anos. Cândido Roberto Fortes aos 14-10-1838 casou com Maria de Jesus, exposta a Jerônimo José Martins.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 14-10-1838 Candido Roberto Fortes, filho do falecido Luiz Fortes Bustamante e Alvina Candida do Sacramento = cc Maria de Jesus, exposta a Jeronimo Jose Martins, test.: Jeronimo Jose Martins e João Jose Cardoso.

4-2-3n-6 Maria, de idade de 10 anos.

4-2-3n-7 Luiz, de idade de 7 anos. Luiz Fortes Bustamante aos 27-11-1850 casou com Felisbina Mafalda Duarte, filha natural de Ana Garcia Duarte.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, no oratorio do Ten. Cel. Joaquim Incaio de Carvalho em Carrancas aos 27-11-1850 Luiz Fortes Bustamante, branco, filho do Guarda Mor Luiz Fortes Bustmante Sá, falecido  = cc Felisbina Mafalda Duarte, branca, f. natural de Ana Garcia Duarte, test.: Joaquim Inacio de Carvalho, casado e João Gualberto de Carvalho, casado.

4-2-3n-8 Joaquim, de idade de 5 anos.

4-2-3n-9 Mariana, de idade de 4 anos. Mariana Carolina Fortes aos 14-08-1848 casou com Manoel José Dias, filho natural de Jesuína Honória.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 14-08-1848 Manoel Jose Dias, branco, f. natural de Jesuina Honoria C--- = cc Mariana Carolina Fortes, branca, filha do Guarda Mor Luiz Fortes Bustamante e Albina Candida de Jesus, test. Padre Joaquim Leite de Faria e Francisco de Paula Modesto, casado.

4-2-4n Cândido Xavier de Andrade, solteiro, de idade de vinte anos.

4-2-5n Silvério Xavier de Andrade, solteiro, de idade de dezoito anos.

4-2-6n Maria, de idade de dez anos.

 

4-3 Luiza Felicia Sinforosa de Bustamante, nascida em São João Del Rei, faleceu solteira, com testamento em 22-03-1845. Instituiu por testamenteiros: “meu sobrinho Antonio de Sá Fortes (4-1-4 abaixo), em segundo a meu sobrinho o Capitão Francisco Theresiano Fortes, em terceiro a meu sobrinho o Doutor Antonio Joaquim Fortes Bustamante; em quarto a meu sobrinho Carlos Theodoro de Souza Fortes”.

          Deixou por herdeiras duas sobrinhas, filhas legitimas de Luiz Fortes Bustamante, 4-2 supra (inventário neste site).

- Maria Theresa Fortes de Bustamante casada com o Capitão Francisco Theresiano Fortes, sobrinhos da testadora. Nota: Francisco Theresiano é o único filho legitimo de Francisco Dionísio Fortes de Bustamente

- Maria Benedita de Souza Fortes também sobrinha da testadora, usufrutuária da metade dos remanescentes dos bens desta, passando por sua morte a seu filho Gabriel. Na falta dele, os bens reverteriam para Maria Tereza, irmã de Maria Benedita.

 

4-4 Maria Angélica de Sá Menezes aos 10-08-1791 casou com Coronel Carlos José da Silva, viúvo de Inácia Rosa Angélica da Silva. Geração do primeiro matrimônio no rodapé deste.

B7: Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, aos 10-08-1791 Capela N. Sra. da Conceição, Coronel Carlos Jose da Silva, n/b na freguesia de S. Nicolau da cidade de Lisboa e viuvo de sua primeira mulher Dona Ignacia Roza Angelica da Silva, filho legitimo de Francisco Gomes da Silva e Theodora Maria dos Reis; = cc. D. Maria Angelica de Sá Menezes, n/b na matriz desta vila de S. João del Rei, f.l. do Capitão Mor Manoel Antunes Nogueira, da freguesia de S. Romão da Nogueira do Arc. de Braga e D. Rita Luiza Victoria de Bustamante Sá, da Candelaria do Rio de Janeiro.

          Coronel Carlos José da Silva teve com Maria Angélica de Sá, e.o.:

4-4-1 Francisco Teodoro da Silva, Barão de Pouso Alto, 3º testamenteiro do irmão Coronel Antonio Luiz de Noronha e Silva e Testamenteiro e Inventariante do irmão Coronel Teodoro Carlos da Siva.

          Casou com Rita de Cássia Pereira da Silva, filha de Miguel Pereira da Silva e Isabel Maria do Espírito Santo, neta paterna de Vicente Pereira da Silva e de Teresa Angélica, neta materna de Antonio Vieira Carneiro e Inacia Maria da Silva.

Vicente Pereira da Silva e Teresa Angélica, ambos falecidos na Vila Nova de Gaia, Freguesia de Santa Marinha, Bispado da Cidade do Porto. Foram pais de, pelo menos (citados no testamento do filho Miguel):

I- Miguel Pereira da Silva, natural da Freguesia de Santa Marinha, Bispado da Cidade do Porto faleceu em 25-04-1835 com testamento escrito em 30 de março do mesmo ano e foi sepultado na matriz de Pouso-Alto-MG. Casou com Isabel Maria do Espírito Santo, natural de Pouso Alto, filha de Antonio Vieira Carneiro e Inácia Maria da Silva.

             Antonio Vieira e Inácia Maria, já falecidos em 1797, foram pais também de:

- Maria Inácia que vive na paragem Quilombro parte da Fazenda dos Pessegueiros (em1836), citada no testamento da irmã Isabel.

- Francisco Vieira Carneiro, em Resende-RJ aos 01-07-1797, casou com Maria Joaquina da Silva, ambos naturais de PousoAlto-MG, filha de Joaquim Fernandes de Freitas e Maria Leme da Silva

(Acervo Itamar Bopp: ficha 0113) 01-07-1797 na matriz de Resende, pelo Vig. Antonio Matos Nobrega de Andrada. Francisco Vieira Carneiro, n. de Pouso Alto, f.l. de Antonio Vieira Carneiro e Ignacia Maria da Silva, já defuntos; = cc. Maria Joaquina da Silva, n/b no Pouso Alto, f.l. de Joaquim Fernandes de Freitas e de Maria Leme da Silva. Test.: Sargento Mor Manoel Valente de Almeida e Manoel Alves Francisco

 

Miguel Pereira da Silva faleceu em 25-04-1835 com testamento escrito em 30 de março do mesmo ano. Foi sepultado na matriz de Pouso-Alto-MG. Izabel faleceu com testamento de 1836 e foi inventariada em 1855 (testamento de Miguel e inventário de Izabel neste site). Tiveram vários filhos, porém somente dois vivos em 1836:

I-1 Rita de Cássia Pereira da Silva casada com Francisco Teodoro da Silva, Barão de Pouso Alto.

I-2 Vicente da Silva Pereira foi o primeiro marido de sua sobrinha Izabel Maria da Silva Pereira, filha de Rita supra. Geração em 4-4-1-3

 

II- Manoel Pereira da Silva, já falecido em 1835: “a mulher e filhas do meu falecido irmão Manoel Pereira  que moram em Vila Nova de Gaia”. Entre seus filhos:

II-1 José Pereira da Silva Porto, natural da Vila Nova de Gaia, foi o segundo marido de Maria José da Conceição, viúva de Vicente Pereira da Silva abaixo:

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha - Pouso Alto-MG

POA -LPM - 08 - 1832 a 1834

Resumido por Moacyr Villela

26 Dispensa de Impedimento

1834 - Oradores - Jose Pereira da Silva Porto e Maria Jose da Conceição

Orador - natural de Vila Nova de Gaia, Bispado do Porto - PT, morador em Pouso Alto;

Oradora - natural da Vila de Queluz -MG

Afinidade licita - Orador é filho de Manoel Pereira da Silva irmão legitimo do falecido capitão Vicente Pereira da Silva marido que foi da oradora.

A oradora tem duas filhas de menor idade e dois filhos homens. Tem de sua meação 30.000 cruzados em terras, escravos e algumas bestas. O orador nada tem

 

III- Vicente Pereira da Silva, já falecido em 1834: “As minhas sobrinhas filhas do falecido irmão Vicente 200.000 a cada uma e são Ana e Maria”. Capitão Vicente foi casado com Maria José da Conceição, natural de Queluz-MG. Maria José, com dispensa de afinidade licita, casou com José Pereira da Silva Porto II-1 supra.

          Vicente, segundo dispensa do 2º casamento de Maria José, teve “duas filhas de menor idade e dois filhos homens”.

III-1 filho

III-2 filho

III-3 Ana, legatária do tio Miguel.

III-4 Maria, idem.

IV- José Pereira da Silva, “A ultima filha de meu irmão José Pereira, cujo nome ignoro”. Casado com Francisca Maria de Jesus eram moradores em Portugal (dispensa da neta Malvina): “Jose Pereira da Silva avô da oradora era irmão de Miguel Pereira da Silva bisavô do orador e entre eles não se sabe se haveria algum outro parentesco em razão de morarem em Portugal. A avó da oradora Francisca Maria de Jesus não tinha parentesco algum com Miguel Pereira da Silva bisavô do orador”. Entre seus filhos:

IV-1 Antonio Pereira da Silva casou com Rita Honorina (ou Honória) Pereira da Silva, filha de Antonio Carlos Nogueira de Sá e Ignácia Angélica da Silva. Geração em 5-1-1 no rodapé

 

          Sargento Mor Francisco Teodoro da Silva e Rita de Cássia comparecem no censo de 1839, ele com 44 anos declarados e ela com 39:

Censo 1839 Pouso Alto-MG, 8º quarteirão fogo 639

Francisco Teodoro da Silva-Sargento Mor, 44, branco, casado

Rita Teodora-Dona, 39, branco, casada

Rita, 4, branco

Carlota, 2, branco

Teodoro Carlos-Sargento Mor, 34, branco, solteiro

Candido da Costa, 41, pardo, viúvo

Bernardo de Noronha, 60, pardo, liberto, solteiro

Domingos Machado, 51, crioulo, viúvo

nº de moradores no fogo: 133

nº de escravos: 125

 

          Rita de Cassia já era falecida em 1855, inventário materno (neste site) e foi representada por seus filhos:

4-4-1-1 Joaquim Carlos da Silva Pereira, em 1845 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 2º grau para se casar, como casou, com Maria do Carmo e Silva, filha de Miguel José da Silva e Maria Silvéria do Carmo e Silva (ou Maria Silveria Nogueira) 5-2 no rodape

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha -  POA -LPM - 10 - 1840 a 1847

Dispensa de Impedimentos

Resumido por Paulo Guedes, disponibilizado por Moacyr Villela

1845 - Oradores - Joaquim Carlos da Silva Pereira e Dona Maria do Carmo Silva

Consangüinidade em segundo grau: Pais dos oradores são irmãos: Comandante Francisco Teodoro da Silva, pai do orador é irmão do Capitão Miguel Jose da Silva, pai da oradora.

O pai da oradora é pobre e carregado de filhos. O orador tem 4 contos em seu negocio de Bestas Bravas por consentimento de seu pai que é homem abastado.

Testemunhas:

1. Tenente Antonio Carlos Nogueira de Sá , homem branco, casado, natural de Baependi, morador na Freguesia de São Jose do Campo Belo-RJ, 48 anos, vive de sua lavoura, cunhado da oradora.

2. Alferes Inácio de Loiola e Silva, homem branco, casado, natural da Vila de Barbacena, morador em Pouso Alto, 67 anos, sem parentesco com os oradores.

 

         Joaquim e Maria do Carmo em 1884 tinham “5 filhos sendo 3 mulheres”, entre eles:

4-4-1-1-1 Francisco Teodoro da Silva, com 22 anos em 1884, requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 3º grau atingente ao 2º grau e outros, para se casar com Malvina Pereira da Silva, então com 15 anos ambos naturais de Pouso Alto-MG, filha de Antonio Pereira da Silva e Rita Honorina Pereira da Silva.

Dispensa de impedimentos - Pouso Alto Livro LPM 12 Curia Diocesana de Campanha-MG

Resumido por Paulo Guedes, disponibilizado por Moacyr Villela

1884 - Oradores: Francisco Teodoro da Silva e Malvina Pereira da Silva

Ambos são naturais e moradores em Pouso Alto

Orador - Com 22 anos de idade é filho legitimo de Joaquim Carlos da Silva Pereira e Maria do Carmo e Silva

Oradora - com 15 anos de idade é filha legitima de Antonio Pereira da Silva e Rita Honorina Pereira da Silva.

Impedimentos:

1- Consangüinidade em quarto grau atinente ao terceiro . Jose Pereira da Silva avô da oradora era irmão de Miguel Pereira da Silva bisavô do orador e entre eles não se sabe se haveria algum outro parentesco em razão de morarem em Portugal. A avó da oradora Francisca Maria de Jesus não tinha parentesco algum com Miguel Pereira da Silva bisavô do orador.

2- Consangüinidade em terceiro grau igual. Porque Antonio Nogueira avô materno de Malvina era irmão de pai e mãe de Maria Silveria do Carmo e Silva avó materna de Francisco Teodoro da Silva

3- Terceiro grau atinente ao segundo porque Maria do Carmo e Silva mãe do orador é irmã de pai e mãe de Inácia Angélica avó materna da oradora por serem ambas filhas legitimas de Miguel Jose da Silva e Maria Silveria Nogueira;

4- Quarto grau atinente ao terceiro duplicado porque Maria do Carmo e Silva e Joaquim Carlos da Silva Pereira pais do orador eram primos irmãos de Inacia Angélica avó materna da oradora e eram primos irmãos porque Maria do Carmo e Silva e Inacia Angélica eram filhas legitimas de Miguel Jose da Silva e este era irmão de Francisco Teodoro da Silva pai de Joaquim Carlos da Silva Pereira;

5- Terceiro grau de afinidade licita atinente ao segundo porque Antonio Nogueira avô materno de Malvina era casado com Inacia Angélica avó materna de Malvina e esta Inacia Angélica era irmã de pai e mãe da mãe do do orador;

6- Quarto grau atinente ao terceiro duplicado de afinidade licita porque o pai do orador, filho de Francisco Teodoro da Silva, era primo irmão  de sua própria mulher mãe do orador e também de Inacia Angélica avó materna da oradora porque ele era filho de Francisco Teodoro da Silva e elas eram filhas de Miguel Jose da Silva que era irmão de Francisco Teodoro.

 

Os pais da oradora possuem 40 a 50 contos em bens e tem 8 filhos menores;

O orador tem um conto de reis em apólices e seus pais possuem de 80 a 100 contos e tem 5 filhos sendo 3 mulheres.

 

4-4-1-2 Maria Isazel da Silva, aos 04-05-1840 casou com seu tio paterno Carlos José da Silva. Geração em 4-4-2 abaixo

4-4-1-3 Isabel Maria da Silva Pereira, foi casada duas vezes. Primeiro, com dispensa do impedimento de consanguinidade requerida em 1841, com seu tio materno Capitão Vicente da Silva Pereira I-2 supra.

         Capitão Vicente em 1831 comparece no censo de Pouso-Alto, solteiro com 34 anos declarados:

Censo 1839 Pouso Alto-MG, 8º quarteirão fogo 597

Vicente da Silva Pereira - Capitão, 34, branco, solteiro

Ana Flauzina, 24, pardo, casada

nº de moradores no fogo: 76

nº de escravos: 74

 

Arquivo da Cúria Diocesana de Campanha -  POA -LPM - 10 - 1840 a 1847

Dispensa de Impedimentos

Resumido por Paulo Guedes, disponibilizado por Moacyr Villela

1841 - Oradores - Capitão Vicente da Silva Pereira e Dona Izabel Maria da Silva

O orador natural e morador em Pouso Alto e a oradora é natural de Pouso Alto e mora na Freguesia de São João Del Rei

Consangüinidade em segundo grau misto de primeiro: O orador é tio da oradora, pois Dona Rita Maria de Cássia, mãe da oradora é irmã legitima do orador.

O orador vive em estado pecaminoso e quer reparar essa situação.

Orador possui liquido 30 contos e a oradora 2 contos.

Testemunhas:

1. Carlos Jose da Silva, homem branco, casado, natural da Cidade de Ouro Preto, morador no Rio Preto, 37 anos mais ou menos, vive de seu negocio, tio legitimo da oradora diz que o orador é irmão legitimo da mãe da oradora e que o orador freqüenta da casa dos pais da oradora e se tem feito público o seu trato.

2. Alferes João Jose de Freitas, homem branco, solteiro, natural de São João Del Rei, ourives, 60 anos mais ou menos.

 

         Isabel segunda vez, mediante dispensa requerida em 1856 de “Consangüinidade em terceiro grau misto de segundo por ser o avô da oradora irmão do pai do orador”; e “Afinidade licita em segundo grau porque a oradora foi casada com primo irmão do orador”, com Joaquim Pereira da Silva.

Dispensa de impedimentos- Livro LPM 11 Pouso Alto - Cúria Diocesana de Campanha-MG

Resumido por Paulo Guedes, disponibilizado por Moacyr Villela

1856 - Oradores - Joaquim Pereira da Silva e Izabel Maria da Silva Pereira

Consangüinidade em terceiro grau misto de segundo por ser o avô da oradora irmão do pai do orador.

Afinidade licita em segundo grau porque a oradora foi casada com primo irmão do orador

"A oradora tem dois filhos do primeiro matrimonio e ainda é moça. Tendo lhe ficado grande casa em Fazendas , escravos, tropas  e negócios pendentes, no valor de 120 contos, e que não estão ao alcance da administração de uma mulher conquanto seja coadjuvada por seu pai o Barão de Pouso Alto"

O orador tem 20 contos em bens

 

Capitão Vicente foi proprietários da Fazenda da Lagoa em S. José do Campo Belo, Resende-RJ, já era falecido no inventário materno e foi representado por sua viúva e seus dois filhos:

Registro de Terras: S. José do Campo Belo - Resende ;RJ lv 68 (1854<1856) fls. 17, 39- declaro na qualidade de testamenteiro do falecido capitão Vicente da Silva Pereira, e pai da viuva deste d. Isabel Maria da Silva Pereira, e tutor dos filhos órfãos do mesmo: Miguel da Silva Pereira, Sabina Amelia da Silva Pereira, que aos mesmos pertence a fazenda da Lagoa. Pouso Alto 25 nov 1855 Barão de Pouso Alto.

 

4-4-1-3-1 Sabina Amélia da Silva Pereira, com 11 anos em 1855. Aos 15-01-1861 casou com seu tio Carlos Teodoro de Bustamante e Sá -4-4-1-4 abaixo.

Casamentos de Pouso Alto 1855-1890 fl.1;Cúria Diocesana de Campanha. Aos 15 de janeiro de 1861 no oratório da Fazenda do Aterrado do capitão Joaquim Pereira da Silva desta Freguesia se receberam em matrimonio os contraentes Dr. Carlos Teodoro de Bustamante filho legitimo do Barão de Pouso Alto e da Baronesa de Pouso Alto com Dona Sabina Amélia de Bustamante filha legitima do Capitão Vicente da Silva Pereira e Dona Isabel Maria da Silva dispensados dos impedimentos duplicados e.(rasgado)...grau misto de primeiro...(rasgado)... (Pesq. Moacyr Villela)

 

4-4-1-3-2 Miguel da Silva Pereira, com 10 anos em 1855.

 

4-4-1-4 Carlos Teodoro de Bustamante e Sá, solteiro, com 25 anos em 1855. Aos 15-01-1861 casou com sua sobrinha Sabina Amélia da Silva 4-4-1-3-1 supra, dispensados do impendimento de consanguinidade duplicado de segundo grau misto de primeiro “Mãe da oradora é irmã do orador” e segundo grau transversal igual ‘porque o finado pai da oradora Vicente da Silva Pereira era irmão da mãe do orador Rita de Cássia Pereira e Silva”.

Dispensa de impedimentos- Livro LPM 11 Pouso Alto - Cúria Diocesana de Campanha-MG

Resumido por Paulo Guedes, disponibilizado por Moacyr Villela

1860 – Oradores Dr.Carlos Teodoro de Bustamante Sabina Amélia da Silva

Consangüinidade duplicada de segundo grau misto de primeiro – Mãe da oradora é irmã do orador

Em segundo grau transversal igual porque o finado pai da oradora Vicente da Silva Pereira era irmão da mãe do orador Rita de Cássia Pereira e Silva

A oradora possui de herança paterna e de sua avó 203 contos de reis (Conforme registro no Cartório de órfãos de Baependi) em terras, escravos , casas, animais, dinheiro e objetos.

O orador herdou uma pequena parte da terça de sua avó – 7 contos de reis e seus pais são abastados.

4-4-1-5 Rita Deolinda Silva Junqueira, com 4 anos em 1839. Casou com Dr. Antonio Ovidio Diniz Junqueira.

4-4-1-6 Carlota Alaide da Silva Miranda, com 2 anos em 1839. Casou com Luiz da Rocha Miranda, natural do Porto-PT, filho de João Antonio da Rocha Miranda e Rita de Cássia. Foram proprietários da Fazenda Boa Vista, também em S. José do Campo Belo.

Registro de Terras:

S. José do Campo Belo - Resende ;RJ lv 68 fls. 17, 40 Possuo a Fazenda Boa Vista, por doação de meus sogros os Exmos. Barão e baronesa de Pouso Alto, 01 dez 1855, Luiz da Rocha Miranda.

 

N. Sra. da Conceição do Campo Alegre, Resende - RJ, lv. 67 fls. 6, 5- Exmo. Barão de Pouso Alto e Luiz da Rocha Miranda. Declaramos nos Barão do Pouso Alto e Luiz da Rocha Miranda, que somos possuidores em comum da fazenda Santo Antonio da Serra, nas cabeceiras da Perepetinga, que divide com: Bento de Azevedo Maia, Jose Vaz Pinto, Jose Moutinho, major Antonio Gonçalves da Rocha, Silverio Soares Lucindo; e por compra feita ao Exmo Barão de Lorena e s/m, e por arrematação em praça publica , de orfãos, porque pertencia a neta herdeira orfã do major Claudio Manoel Correa. Pouso Alto 25 nov 1855, Barão do Pouso Alto e Luiz da Rocha Miranda.

 

Pais de, q.d.:

4-4-1-6-1 Deolinda Miranda casou com José Ignácio Pereira Lima, filho de Gabriel José Pereira Lima e Maria José  Pereira Lima. Pais de, q.d.:

4-4-1-6-1-1 Armando, batizado em Quatis-RJ aos 14-04-1877

L. 4 - 1874 / 1886 - Batizados - fl. 26 - Igreja de Nossa Senhora do Rosário - Quatis / RJ, 14.04.1877 - Armando - n. 12.03.1876 - fl. José  Ignácio Pereira Lima e D. Deolinda Miranda Lima - np. de Gabriel José  Pereira Lima e D. Maria José  Pereira lima - nm. Com. Luis da Rocha Miranda e D. Carlota Adelaide da Silva Miranda - fp. os avós maternos (pesq. Plinio U. Marcondes de Carvalho)

4-4-1-6-2 Josefina Carlota de Miranda, natural de Quatis-RJ. Na freguesia da Glória, RJ-RJ casou com Gabriel Jose Pereira Lima, natural de Pasti do Alferes-RJ, irmão inteiro de José Ignácio supra. Pais de (pesquisa de Plinio U. Marcondes de Carvalho):

4-4-1-6-2-1 Alcina, nascida em 17-02-1878 e batizada em Quatis-RJ aos 04-07-1878.

L. 4 - Batizados - fl. 41 v. - Igreja de Nossa Senhora do Rosário - Quatis / RJ, 4.07.1878 - Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário dos Quatis de Barra Mansa - Alcina - n. 17.02.1878 - fl. Gabriel José Pereira Lima e D. Josephina Miranda Lima - np. Gabriel José Pereira Lima e D. Maria José Pereira Lima - nm. Comendador Luiz da Rocha Miranda e Carlota Adelaide da Silva Miranda - fp. José Ignácio Pereira Lima e D. Deolinda Miranda Lima

4-4-1-6-2-2 Gabriel, nascido aos 03-05-1881 e batizado aos 24-06 emQuatis-RJ.

L. 4 - Batizados - fl. 71 v. - n. 41 - Igreja de Nossa Senhora do Rosário - Quatis / RJ, 24.06.1881 - Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário dos Quatis de Barra Mansa - Gabriel - n. 3.05.1881 - fl. Gabriel José Pereira Lima e Josephina de Miranda Lima - fp. os avos maternos, Comendador Luiz da Rocha Miranda e Carlota Adelaide da Silva Miranda

4-4-1-6-2-3 Irene, nascida aos 14-03-1892 e batizada aos 10-01-1893 em Quatis-RJ.

L. 2 - 1891 / 1894 - Nascimentos - fl. 68 - n. 175 - C.R.C. de Quatis - Quatis / RJ, 1.11.1892 - neste districto de Quatis / RJ - compareceu Gabriel  José Pereira Lima - exibindo um requerimento feito ao Juiz de Paz em exercício pedindo para fazer o respectivo assento: Quatis, 1.11.1892 - Colimério Fróes, declara que : Em 14.03.1892 - 4,30 h. da tarde - nasceu na Fazenda Sant'Anna da Cachoeira, desta Freguezia, de s/m. D. Josefina de Miranda Lima - elle, natural de Paty do Alferes - ella, d'esta Freguezia  - c/ na Freguezia  da Glória, da cidade do Rio de Janeiro - fl. Irene - np. Gabriel  José Pereira Lima e s/m. D. Maria José Pereira Lima, já fallecidos - nm. Com. Luis da Rocha Miranda, já fallecido e s/m. D. Carlota Adelaide da Silva Miranda

 

BATISMO L. 5 - Batizados - fl. 132 v. - n. 11 - Igreja de Nossa Senhora do Rosário - Quatis / RJ, 10.01.1893 - Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário dos Quatis de Barra Mansa - Irene - n. 14.03.1892 - fl. de Gabriel José Pereira Lima e Josephina Carlota de Miranda Lima - fp. Gabriel Magesse de Castro Pereira e Palmira Miranda Lima Magesse

 

4-4-1-6-3 Luiza Miranda, batizada aos 19-03-1862 em Quatis-RJ onde aos 24-06-1880 casou com Pedro Alcântara Pereira Lima, irmão de Gabriel e José Ingnácio supra citados.

Quatis-RJ, Lv 2, Fl. 76 v.- 19.03.1862 - Luiza - n. 3.11.1861 - fl. De Luiz da Rocha Miranda e D. Carlota Adelaide da Silva Miranda - aquelle nat. da cidade do Porto, Portugal - esta de Pouso Alto / MG - np. de João Antonio da Rocha Miranda e de D. Rita de Cássia - nm. de Barão do Pouso Alto, Francisco Theodoro da Silva e D. Rita Theodoro da Silva - fp. o Dr. Antonio Ovídio Diniz Junqueira e s/m D. Rita Deolinda da Silva (pesq. Plinio U. Marcondes de Carvalho)

 

L. 1 - 1853 - Casamentos - fl. 93  - Ig. de N. Sra. do Rosário dos Quatis de Barra Mansa - Quatis / RJ, 24.06.1880 - test. Manoel Augusto Machado e João Pereira Lima e D. Selma Amélia Bustamante - nub. Pedro Alcântara Pereira Lima - fl. do falecido Comendador Gabriel Pereira Lima e de D. Maria José Pereira Lima - com D. Luiza Miranda - fl. do Comendador Luiz da Rocha Miranda e D. Carlota Adelaide da Silva Miranda, n. e bat. em Quatis.

 

4-4-1-7 Antonio Teodoro da Silva Fortes, solteiro com 16 anos em 1855.

 

4-4-2 Carlos José da Silva, morador no Rio de Janeiro, citado no testamento do irmão Teodoro. Testemunha em processo de dispensa de 1841 (Oradores - Capitão Vicente da Silva Pereira e Dona Izabel Maria da Silva) declara ser natural de Ouro Preto-MG com 37 anos, casado.

Testemunhas:

1. Carlos Jose da Silva, homem branco, casado, natural da Cidade de Ouro Preto, morador no Rio Preto, 37 anos mais ou menos, vive de seu negocio, tio legitimo da oradora diz que o orador é irmão legitimo da mãe da oradora e que o orador freqüenta da casa dos pais da oradora e se tem feito público o seu trato.

 

          Aos 04-05-1840 casou com sua sobrinha Maria Izabel da Silva, 4-4-1-2.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, oratorio de D. Maria Angelica de Sá em Matosinhos aos 04-05-1840, Carlos Jose da Silva, branco, f.l. Cel. Carlos Jose da Silva e Maria Angelica de Sá Menezes = cc Maria Izabel da Silva, branca, f.l. Sargento Mor Francisco Teodoro da Silva e Rita Teodora da Silva, test.: Antonio Luiz Noronha da Silva e Miguel Jose da Silva.

Pais de, q.d.:

4-4-2-1 Pedro, batizado em 04-10-1842.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 04-10-1842 Pedro, f.l. Carlos Jose da Silva e Maria Izabel da Silva, np Cel. Carlos Jose da Silva e D. Maria Angelica de Sá, nm Major Francisco Teodoro da Silva e D. Rita Teodoro da Silva padr.: Ten. Cel. Teodoro Carlos da Silva, de Pouso Alto e D. Carlota Camila da Silva, de Pouso Alto.

4-4-2-2 Carlota em 27-04-1852.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, em oratorio particular de D. Carlota Camila da Silva aos 27-04-1852 Carlota, branca, f.l. Carlos Jose da Silva e D. Maria Izabel da Silva, padr.: Cap. Miguel Jose da Silva, da vila de Santa Maria de Baependi por pp a D. Maria Benedita de Souza Forte desta freguesia

4-4-2-3 Luiza, em 19-02-1853.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, em oratorio particular aos 19-02-1853 Luiza n. 05-01-1853, f.l. Carlos Jose da Silva e Maria Izabel da Silva, padr.: Carlos de Sa Fortes e D. Luiza Angelica.

4-4-3 Teodoro Carlos da Silva, coronel, natural de Ouro Preto, inventariado em 1867 com testamento de 1865 (neste site). Solteiro, sem geração. Foi seu inventariante seu irmão o Barão de Pouso Alto.

          Em 1839 comparece no censo de Pouso Alto com 34 anos declarados.

Censo 1839 Pouso Alto-MG, 8º quarteirão fogo 639

Teodoro Carlos-Sargento Mor, 34, branco, solteiro

4-4-4 Rita Leocadia da Silva, citada no testamento do irmão Teodoro, moradora em São João del Rei em 1867.

4-4-5 Carlota Camila da Silva, idem.

 

4-5 Ana, batizada em 15-01-1763.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 15-01-1763 Ana, f.l. Cap. Manoel Antunes Nogueira e D. Rita Luiza Vitoria e Bustamante, padr.: Manoel Sá Figueiredo, tio da batizanda, por pp a Jose Fortes Bustamante.

 

4-6 Francisco em 09-10-1766.

Matriz N. Sra do Pilar de S. João del Rei e capelas filiadas, aos 19-10-1766 Francisco n. 09-10-1766, f.l. Cap. Mor Manoel Antunes Nogueira e D. Rita Luiza Vitoria e Bustamante, padr.: Jose Fortes Bustamante Sa, assistente na freg, de N. Sra da Conceição da Borda do Campo

          Guarda Mor Francisco Dionisio Fortes de Bustamante, testamenteiro do tio João Pedro Bustamante Sá: “Institui primeiro testamenteiro a seu sobrinho Francisco Dionísio Fortes de Bustamante filho de sua irmã Rita Luiza Vitoria de Bustamante e do Capitão Mor Manoel Antunes Nogueira já falecido”.

 

 

_____________________________________________________________________________________________________________

 

Carlos José da Silva

 

 

 

Coronel Carlos José da Silva casou duas vezes. Na Matriz de Santa Rita-RJ aos 14-08-1768 com Inácia Rosa Angélica da Silva. Segunda vez com Maria Angélica de Sá Menezes, em 2 supra a geração.

ARQUIVO DA CÚRIA METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

nº 19.898 - PROCLAMA

Casamento De: CARLOS JOSÉ DA SILVA E DE IGNACIA ROSA ANGELICA

Pesquisa de Paulo Cezar Ribeiro Luz

(nota: aparecem várias datas nas folhas do proclama, mas a que predomina é a de 11 de agosto de 1768)

Carlos José da Silva n.b. na freguesia de São Nicolao da cidade de Lisboa; filho de Francisco Gomes da Silva e de Theodora Maria dos Reis.

Ignacia Rosa Angelica n.b. na freguesia de Nossa Senhora da Candelária; filha de Feliciano de Almeida Carvalho e de Margarida Theresa da Cruz

Sendo os dois moradores da freguesia da Candelária.

 

AP797 - Casamento de CARLOS JOSÉ DA SILVA e IGNACIA ROSA ANGELICA

Aos 14 dias do mes de agosto de mil Cete Centos e sessenta e oito pelas Coatro horas da manhan na Igreja Matriz de Santa Rita ...

Testemunhas: Francisco Gomes da Silva e Agostinho Faria Martins

 

 

A ascendência do Coronel Carlos José da Silva e Inácia Rosa foi pesquisada e publicada por Rui Vieira da Cunha, 5º neto do casal, in “Revista ASBRAP” vol. 3, onde consta:

(às fls. 271) Livro de Batismos da freguesia de São Nicolau, em Lisboa.

"Em os vinte e dois dias do mês de janeiro de mil setecentos e cinquenta e sete anos, por despacho do Excelentissimo Senhor Arcebispo de Lacedônia Vigario Geral de vinte e nove de outubro do dito ano (sic), pelo qual mandava abrir o assento do batismo de Carlos, conforme a informação que achou o Reverendo Padre Cura desta freguesia Sebastião Madeira, o lavrei na forma que se segue. Em os quatro dias do mês de novembro de mil setecentos, e quarenta e um anos, na Paroquial Igreja de São Nicolau de Lisboa, por um dos Reverendos Curas da mesma Igreja foi batizado Carlos, filho de Francisco Gomes da Silva, tambem batizado nesta freguesia, e de Teodora Maria dos Reis, batizada na freguesia de Nossa Senhora da Ajuda extra muros desta cidade, recebidos na Igreja de Candelária da cidade do Rio de Janeiro moradores, que foram nesta freguesia de São Nicolau, foi padrinho Francisco Pereira, de que fiz este assento, por se terem queimado os livros desta Paróquia no incêndio subsequente ao terramoto do primeiro de novembro de mil setecentos cinquenta e cinco - O Cura Bernardo da Rocha Preto". (Livro 1, fls. 135 - cf certidão (Lisboa, 25 de março de 1957) subscrita por Emilia da Piedade Carvalho Felix, Primeiro Conservador do Arquivo Nacional da Torre do Tombo.

 

(fls 277, mesma Revista e autor supra citados)

Inácia Rosa Angélica, batizada a 8 de fevereiro de 1748, na Igreja da Candelária, Rio de Janeiro, sendo padrinhos Paulo da Silva da Fonseca e Inácia da Assunçao, mulher de Agostinho de Faria Monteiro. (livro 6º da Candelária, fls. 244 verso, cf certificado (Rio, 16 de outubro de 1954) Cônego Cipriano Bastos, Chanceler do Arcebispado do Rio de Janeiro.

 

(fls 276, idem)

"Aos catorze dias do mês de agosto de mil setecentos, e sessenta, e oito anos pelas quatro horas da manhã na Igreja Matriz de Santa Rita com provisão de S. Exa. Revma, e do muito Reverendo Doutor Juiz dos Casamentos Francisco Gomes Vilasboas na presença de Reverendo Coadjutor da dita Matriz Francisco Moreira da Costa, e das testemunhas Francisco Gomes da Siva e Agostinho de Faria Monteiro se recebeu em matrimônio Carlos José da Silva natural da freguesia de São Nicolau de Patriarcado de Lisboa filho legitimo de Francisco Gomes da Silva, e de sua mulher Teodora Maria dos Reis com Inácia Rosa Angélica natural desta freguesia da Candelária filha legítima de Feliciano de Almeida Carvalho, e de sua mulher Margarida Teresa da Cruz, tudo na forma do Sagrado Concilio Tridentino, e lhes deu as bençãos como dispõe o Ritual Romano, o que de tudo me constou pela certidão do Reverendo Pároco acima declarado: do que fiz este assento. - O Coadjutor José Pereira Maciel". (Livro 7º da Candelária, fls. 68 - cf. certidão, sem data, emitida pelo Cônego Cipriano Bastos, Chanceler do Arcebispado do Rio de Janeiro.

 

Carlos José da Silva, batizado aos 04-11-1741 na Paroquial Igreja de São Nicolau de Lisboa, era filho de Francisco Gomes da Silva, também batizado nesta freguesia, e de Teodora Maria dos Reis, batizada na freguesia de Nossa Senhora da Ajuda extra muros desta cidade, recebidos na Igreja de Candelária da cidade do Rio de Janeiro.

 

Inácia Rosa Angélica da Silva, batizada a 08-02-1748 na Igreja da Candelária RJ-RJ, filha de Feliciano de Almeida Carvalho e de Margarida Teresa da Cruz. Inácia foi inventariada em 1790 em Vila Rica de Nossa Senhora do Pillar, Ouro Preto-MG (inventário disponibilizado por Paulo Cezar Ribeiro Luz, neste site).

 

Carlos José teve sete filhos com Inácia Rosa:

 

1- Mariana Leocadia da Silva, com 20 anos em 1790. Casou cerca de 1791 com Manoel de Sá Fortes de Bustamante Nogueira, geração em 1 supra. Além de genro Manoel também se declarou cunhado do Coronel Carlos José, pois era irmão de Maria Angélica, segunda mulher de seu sogro.

 

2- Antonio Luiz de Noronha e Silva, coronel, casou duas vezes. Em primeiras núpcias com sua sobrinha 1-1 supra, ali a filha única. Casou em segundas em Baependi aos 02-02-1818 com Ana Dolina Honória Junqueira, filha de João Francisco Junqueira Filho e Maria Inácia do Espírito Santo. Família “Antonio Gonçalves da Costa” Cap. 1º.

Foram proprietários da Fazenda Boa Vista, em Quatis-RJ. Faleceram e foram sepultados ambos em Aiuruoca, Antonio aos 23-06-1855 e Ana Dolina ao 31-03-1857. (inventário do casal neste site, disponibilizado por Moacyr Urbano Salgado Villela).

Baependi-MG - Casamentos - Aos 02 Fevereiro 1818 na capella do Favacho, então desta freguesia, o Padre Francisco Antonio Junqueira recebeo em matrimonio e abençoou:

Antonio Luiz de Noronha e D. Anna Dolina Junqueira.

Test.: Manuel João Pedro Diniz Junqueira e o Barão de Pouso Alto.

Não foi lançado este assento em tempo e lugar competente, e isso o faço por informação da Exma. Sra. D. Anna Dolina (sic) Junqueira, pessoa de inteira fidedignidade.

O Vigário Joaquim Gomes Carmo.

 

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG aos 23 junho 1855, 78 anos, Cel. Antonio Luiz de Noronha e Silva, cc. D. Anna Dolina Honoria Junqueira, c/test.

(queimado) Testamenteiro: 3- m/irmão o Excelentíssimo Barão de Pouso Alto.

Registrado aos 24 junho 1855.

 

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG -  31 março 1857, com 57 anos, D. Anna Dolina Honoria Junqueira, viúva do Cel. Antonio Luiz de Noronha e Silva.

F. l. do Cap. João Francisco Junqueira e D. Maria Ignacia d- ---, falecida.

05 junho 1856

(Restante queimado)

 

Registro de Terras - N. Sra. do Rosário (Quatis-RJ) D. Ana Dolina Junqueira de Noronha, eu e meus herdeiros, por morte de meu marido o Cel. Antonio Luiz de Noronha e Silva, fazenda Boa Vista da Pedra, que meu marido houve por compra do Revdo. Francisco do Carmo Froes, que terá uma sesmari,. 15 jan 1856.

 

Coronel Antonio Luis declarou em testamento a filha natural:

2-1 Josefa Ernestina Vieira (ou Pereira de Souza), exposta em 1798 em casa do Capitão mor Antonio Alvares Pereira. Josefa vendeu a herança paterna por 13:500$000 para Ana Dolina. Em 1867 era moradora no Termo de Piranga.

 

3- Thomasia Joaquina da Silva, com 12 anos em 1790. Casou com Manoel da Silva Brandão. Em 1831 moravam em Bambuí, com filhos e dependentes:

Censo 1831 Bambui-MG, fogo 381

MANOEL DA SILVA BRANDAO, Br., chefe do fogo, branca, 77, casado, Fazendeiro

D. ROMASIA JOAQUINA, cônjuge, 53, casado

MARIA, filho, 19, solteiro

ANNA, filho, 14, solteiro

IZABEL, filho, 10

CAROLOS ANTONIO DA SILVA, filho, 27, solteiro, agricultor

ANTONIO CAROLOS DA SILVA, filho, 25, solteiro, agricultor

JOAO ANRIQUE DA SILVA, filho, 17, solteiro

MANOEL, filho, 13

VICENTE GARCIA, dependente, parda, 71, solteiro

PAULINO CAETANO VIEIRA, dependente, parda, 32, solteiro

BONIFACIO, dependente, parda, 27, solteiro

JOAO GOMES, dependente, parda, 18, solteiro

nº escravos 49

 

4- Maria José Bernardina da Silva, com 10 anos.

5- Miguel José da Silva, com 9 anos em 1790. Casou com Maria Silvéria do Carmo e Silva (ou Maria Silvéria Nogueira), irmã de Antonio Carlos Nogueira de Sá, filhos de José Nogueira de Sá e Ana Esméria Mendes (SL. 6º, 373, 7-2)

Antonio Nogueira avô materno de Malvina era irmão de pai e mãe de Maria Silveria do Carmo e Silva avó materna de Francisco Teodoro da Silva

          Irmandade de Maria Silveria e Antonio Carlos, bem como ascendência paterna in SL. 6º, 373, 7-2 aonde deve ser retificado o nome da mãe e ascendência materna segundo pesquisa de José Guimarães, todos filhos de José Nogueira de Sá e Ana Esméria Mendes, netos maternos de Manoel Mendes de Abreu e Dorotéa Maria de Jesus. Por Dorotéa bisnetos de Antonio de Brito Peixoto inventariado em 1750 (inventário neste site) e Maria de Moraes Ribeiro, família “Antonio Vieira e Francisca de Macedo” § 2º, neste site.

ASBRAP 9, (pesq. Jose Guimarães) fls. 15, 2- cap. Jose Nogueira de Sá em Serranos em 6-10-1791 cc Ana Esmeria Mendes, n. Aiuruoca, fa de Manuel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de jesus. Devem ser retificados, na "Genealogia Paulistana" VI, 373, o nome e a filiação de Ana Esmeria. Jose de Andrade Peixoto, ali mencionado, não era pai, mas, sim, tio de Ana Esmeria.

 

5-1 Inácia Angélica em 1845 já estava casada com o Tenente Antonio Carlos Nogueira de Sá, então com 48 anos natural de Baependi-MG. testemunha na dispensa da cunhada Maria do Carmo abaixo. Eram moradores na freguesia de São José do Campo Belo-RJ.

Testemunhas: 1. Tenente Antonio Carlos Nogueira de Sá , homem branco, casado, natural de Baependi, morador na Freguesia de São Jose do Campo Belo-RJ, 48 anos, vive de sua lavoura, cunhado da oradora.

          Inácia e Antonio tiveram, q.d.:

5-1-1 Rita Honória Pereira da Silva casou com Antonio Pereira da Silva, filho de José Pereira da Silva e Francisca Maria de Jesus moradores em Portugal IV-1 neste.

Tinham oito filhos menores em 1884, entre eles:

5-1-1-1 Malvina Pereira da Silva, natural de Pouso Alto, com 15 anos em 1884. Casou, dispensados de vários impedimentos de consanguinidade, com Francisco Teodoro da Silva 8-1-1, filho de Maria do Carmo e Silva abaixo.

 

5-2 Maria do Carmo e Silva, dispensados do impedimento de consanguinidade em 2º grau, casou com Joaquim Carlos da Silva Pereira 4-4-1-1 a geração.

 

6- Constança Cândida Raimunda da Silva, com 5 anos em 1790. Em Barbacena aos 24-09-1801 casou com José Ferreira Armond, filho de José Ferreira Armond e Ana Maria de Jesus (casados em Barbacena aos 27-07-1772 ), neto paterno de Francisco Ferreira Armond e sua primeira esposa Ângela Maria da Conceição, neto materno de Bartolomeu Gonçalves e Maria do Rosário, família “Bento Faleiro”, neste site.

Casamentos Barbacena - Curral aos 24-09-1801 José Ferr.ª Armonde filho doutro e de Anna Maria de Jesus, natural desta freguesia = com D. Constancia Cândida Raymunda da Silva, filha do Coronel Carlos José da Silva e de D. In.ca Roza Angélica da Silva, natural da freguesia de An.to Dias de Vila Rica. Testemunhas: Ten.e Cor.el Luiz An.to Ribr.º Guim.es e o Cap.tam Mor Manoel de Sá Fortes Bus.te Nogr.ª.

 

Casamentos Barbacena - aos 27-07-1772 José Ferreira Armonde, n/b nesta freguesia, f.l. de Fran.co Ferr.ª Armonde e s/m Ângela Maria da Conceição; = com Anna Maria, fa. de Bartholomeu Glz. e s/m Maria do Rosário, n/b na freguesia de Carijós desta Com.ca. Test.; Mel. Ferr.ª Armond e o Padre José Dias de Carvalho, todos desta freguesia.

 

Viúva, Constança fez partilha de seus bens em vida, reservando-se a terça. Assinou seu testamento em 11 de Julho de 1881 na freguesia do Quilombo, aberto em 20-05-1882. Declarou os quatro filhos de seu casal, já falecidos, dois com geração, nomeou por testamenteiros em 1º José Ribeiro Nunes - neto, 2º Antonio Ferreira Martins - neto, 3º Miguel Ribeiro da Silva - bisneto e deixou legado “ao meu tetraneto José, filho de José Rodrigues e Emília”. Foi inventariada em 1884 (testamento neste site).

6-1 Carlota Theotônia da Silva, natural de Antonio Dias-MG. Dispensados do impedimento de consanguinidade, aos 03-11-1819 casou com Manoel Ribeiro Nunes, batizado aos 30-09-1792 em Barbacena, filho de Francisco Ribeiro Nunes e Joana Maria da Conceição. Geração na Família “Ana Maria de Jesus - Paiva Coimbra e Pereira da Cunha”.

Barbacena, MG matr. - aos 03-11-1819 na Ermida do Moinho desta freguesia e test.: Jose Roiz Lima e Marcelino Jose Frr.ª, dispensados do impedimento de consanguinidade. Manoel Ribeiro Nunes e Carlota Teotonia.

6-2 José, batizado em Barbacena-MG em 23-07-1804.

B7: Barbarcena - Batismos - Curral aos 23-07-1804 Jose, f.l. de Jose Ferr.ª Armd.e e D. Constancia Candida da S.ª, padr.: Jose Ferr.ª Armd.e o velho e D. Maria Angelica de Sá por pp q apr. o Cel. Manoel de Sá Fortes.

          José Ferreira Martins, já falecido em 1881. Foi casado e teve pelo menos dois filhos, legatários da avó paterna.

*Declaro que possuo uma sorte de terras de cultura na fazenda do Mato, denominada Cachoeira dos Gerais, que pertence aos herdeiros do meu finado filho José Ferreira Martins, cuja quantidade ignoro, deixo aos meus dois netos Carlos e Joaquim, filhos de meu finado filho José Ferreira Martins, em igual parte.

6-2-1 Carlos

6-2-2 Joaquim

 

6-3 Francisco, batizado aos 09-08-1808. Faleceu sem geração.

B7: Barbacena -Curral aos 09-08-1808 Francisco, f.l. de Jose Ferr.ª Armond e de D. Constancia Candida Raimunda, padr.: Francisco Ferr.ª Armd.e e D. Emerenciana Leocadia da S.ª

6-4 Lino, idem.

 

7- Luiza Angélica da Silva, com pouco mais de um ano em 1790. Em 1831, solteira, morava com a irmã Mariana no Distrito de Nossa Senhora do Rosario do Curral Novo.