PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

Domingos da Rocha

(atualizado em 22-março-2017)

 

Fabricio Gerin

 

Domingos da Rocha casou em 10-11-1631 com Domingas Ribeiro, filha de Manoel Esteves (de Mendonça) (o qual “tem parte do gentio da Guiné”), e Madalena Ribeiro (a qual “tem parte do gentio do Brasil”), neta materna do Cap. Ascenço Ribeiro e Domingas Luiz (S.L. 1º, 81, Cap. 3º).

 

Foram moradores na vila de S. Paulo onde nasceram seus filhos.

 

Apontamentos do proprio punho de Domingos da Rocha, insiridos no Processo de Genere et Moribus do filho Domingos:

Lembrança da era em que me casei e idade de meus filhos: casei-me em 10/11/1631; nasceu minha filha Maria em 27/08/1632; nasceu minha filha Isabel em 02/07/1633; nasceu meu filho Antonio em 02/06/1634; nasceu Manoel em 05/09/1635; nasceu Domingos em 10/10/1636; nasceu Madalena em 15/07/1638; nasceu Bartolomeu no dia de São Bartolomeu do ano de 1639; batizou-se Francisco em 29/09/1640; nasceu minha filha Catarina em 09/12/1642; nasceu Agostinho o derradeiro de agosto de 1643; nasceu Feliciana em ... de agosto de 1643; nasceu Páscoa em 29/04/1648; nasceu Maria em 22/01/1650; nasceu Estevão em 25/11/1652.

 

Domingos da Rocha foi inventariado em sua fazenda em Santana da Parnaíba em 27-04-1661 pela viúva.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariado Domingos da Rocha - Santana da Parnaiba ano 1661

Viuva Domingas Ribeira fez por procurador alide a Aleixo Leme de Alvarenga.

[Danificado]

Aos 27-04-1661 neste sitio e fazenda que foi do defunto Domingos da Rocha - partilha com a viuva Domingas Ribeira e com os orfãos seus filhos.

Citou a :

- Maria Ribeira, dona viuva, se queria entrar a colação. Por ela assinou Antonio Bicudo Ribeiro.

- Estevão Fernandes Porto e sua mulher Izabel Pinheira, eles não queriam nada nas ditas partilhas.

- Ascenço Alves e sua mulher Madalena Ribeira

- João de Mongelos e sua mulher Catarina Pinheira. Não queriam nada.

 

Soma da fazenda lançada neste inventario 1:560$000 tirando a divida de 14$000 rs a Antonio Bicudo de Brito restou 1:547$200 rs que partido em duas partes cabe a cada uma delas 773$600.

Cabe a parte da viuva Domingas Ribeira 749$680 rs

Quinhão dos orfãos. Coube a cada um 74$290 rs

- do emancipado Bartolomeu da Rocha

- Manoel da Rocha

- Domingos da Rocha que se foi ordenar

- Francisco da Rocha

- Agostinho da Rocha

- orfã Feliciana da Rocha

- orfã Pascoa da Rocha

- orfã Maria da Rocha

- orfã Ana da Rocha

- orfão Estevão

 

 

1- Maria Ribeira, nasceu em 27-08-1632 (apontamento paterno). Foi casada com Pedro Correa da Costa, já falecido em 1661 (inventário do sogro). Pedro faleceu com testamento e teve seu inventário transcrito em 1681. Declarou quatro filhos vivos de seu casal:

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Pedro Correa marido de Maria Ribeiro 1681

Transcrição do Inventario

Inventario (muito fragmentado)

Assino pela viuva Maria Ribeira, Domingos Fernandes Preto.

Titulo dos Filhos:

Francisco Correa, 14

Jose, 12

Madalena de 10

Gracia de 9, todos pouco mais ou menos

 

Testamento: Declaro que sou casado com Maria Ribeira, filha legitima de Domingos da Rocha e Domingas Ribeiro

Tive cinco filhos de que quatro são vivos a saber, dois machos Francisco e Jose, e duas femeas Madalena e Gracia.

(no texto) me deve João Machado e Silva, meu cunhado, 20$360 rs de resto de 37$000 rs que lhe dei a guardar.

(...) (aa) Pedro Correa da Costa.

 

Certifico que no livro de casamentos esta o assento na forma seguinte: aos 21-03-1704 João Furquim, filho de Simeão Alvares e Maria Furquim, ja defunta = cc Madalena Correa, filha de Pedro Correa e Maria Ribeira, ja defuntos. Todos moradores desta vila. O qual assento trasladei. Parnaiba 26-08-1713 Isidoro Pinto de Godoy.

1-1 Francisco

1-2 Madalena Correa em 1704 se casou com João Furquim, filho de Simão Alvares e Maria Furquim casados em 1684, neto materno de Estevão Furquim e Maria da Luz (S.L. 6º, 250, 1-2 e 293, 3-2), neto paterno de Antonio Pereira Ribeiro, já falecido em 1660 (testamento da sogra) e inventariado em 1662 e Maria de Abreu, Aportes à GP: Izabel de Almeida de Proença - SL. IV, 385, 1-4, neste site.

ASBRAP 2, 102, Resumo do 1º lv. casamentos de Santana de Parnaiba anos 1662-1722, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz: fls. 113 João Furquim, filho de Simão Alvares e Maria Furquim, com Madalena Correa, filha de Pedro Correa e Maria Ribeiro, ambos fal. (ano de 1704).

 

ASBRAP 2 - - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz.: (ano 1684) Simeão Alvares (f. de Antonio Pereira e Maria de Abreu, ambos falecidos) com Maria Furquim, f. de Estevão Furquim e de Maria da Luz.

1-3 José

1-4 Gracia.

 

2- Izabel Pinheira, nasceu em 02-07-1633 (apontamento paterno). Casou com o viúvo Estevão Fernandes Porto. Estevão testou em 08-06-1669, declarou uma filha da primeira mulher. Foi inventariado por Izabel em 19-02-1681.

Estevão e sua primeira mulher Izabel Pacheca tiveram:

I- Estevão, batizado em 26-02-1646. Não é citado no testamento paterno.

SP, SP Igreja N Sra da Assunção aos 26-02-1646 bat a Estevão, f.l. Estevão Frz Porto e Izabel Pacheca, padr.: Paulo Pereira do ---- e Ana Pedrosa mulher de Pedro de Moraes o moço.

II- Maria Fernandes, já falecida em 1681, foi representada no inventário paterno por seis filhos, todos menores. Foi a primeira mulher de Jerônimo Machado, natural de Guimarães, filho de Cristovão da Silva e Maria Martins. Jeronimo casou segunda vez com Maria Egipciaca Arzão, filha de Bras Rodrigues de Arzão e Maria Egipciaca Domingues (Bras inventariado em 1693 e Maria Egipciaca em 1703 SAESP vol 23, neste site), com geração em SL. 7, 339, 1-2. Terceira vez, Jerônimo casou com Leonor de Lemos e Moraes, de quem foi o primeiro marido. Leonor faleceu em 02-08-1725 em Santo Amaro, com testamento de 1725, e inventário aberto em 27-08-1725. Declarou os três casamentos - família Pinto Guedes.

         Entre os filhos de Maria Fernandes e Jerônimo, citados por SL:

II-1 Teresa Machado casou com Antonio Pinto Guedes, de quem foi a primeira mulher - família “Pinto Guedes” Cap.3º.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariado Estevão Fernandes Porto

 

Autos aos 19-02-1681 nesta vila de S. Paulo em casas de morada do dito defunto.

Declarante a viuva Izabel Pinheira. Assinou a seu rogo Jeronimo Machado e Silva.

 

Titulo dos Herdeiros:

- seis filhos menores de Maria Fernandes.

- Domingos Fernandes, casado.

- Joao Fernandes, casado.

- Antonio Fernandes, 22 anos.

- Estevão Fernandes, de 20

- Ana Fernandes 18 p/ 19 anos

- Francisco Fernandes, 17

- Inacio Fernandes, de 11

- Manoel de 10

- Ignez de  8

- Paulo de 7.

 

Testamento - aos 08-06-1669 eu Estevão Fernandes Porto (...) sou cc Izabel Pinheira de quem tenho --- filhos e uma filha.

Declaro que tenho uma filha casada com Jeronimo Machado, filha da primeira minha mulher ja defunta.

Meu cunhado João de Mongelos.

Rogo ao meu compadre Pedro Fernandes Aragones queira ser curador e tutor de meus filhos.

 

(...) assino a rogo de minha mãe Izabel Pinheira, Domingos Fernandes Porto

 

Segundo o inventário de Estevão, foram seus filhos com Izabel Pinheira:

2-1 Domingos Fernandes Porto, batizado em 04-08-1653. Assina a rogo da mãe no inventário, casado.

SP, SP Igreja N Sra da Assunção bat -aos 04-08-1653 bat a Domingos, f.l. Estevão [danificado] e Izabel Pinheira, padr.: [------------]agones e Misia(?) Cardosa.

2-2 João Fernandes, casado.

2-3 Antonio Fernandes Porto, com 22 anos em 1681. Em 1684, dispensados do impedimento de consanguinidade em 2º grau, casou com Ana Cardoso, filha de João Cardoso e Madalena Ribeiro, 6-5 abaixo.

ASBRAP 2, 102, Resumo do 1º lv. casamentos de Santana de Parnaiba anos 1662-1722, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz: fls. 103: Antonio Fernandes Porto, f. de Estevevão Fernandes Porto, falecido, e de isabel Pinheiro; com Ana Cardoso, filha de João Cardoso (casado 1663 nesta) e de Manoela Ribeiro (ano 1684).

 

Resumos dos Processos de Casamentos do Bispado do Rio de Janeiro por Dalmiro da Motta Buys de Barros.

[Processo Matrimonial de Antonio Fernandes Porto e Ana Cardoso (Rio de Janeiro, 1684): Antonio Fernandes Porto, filho de Isabel Pinheiro; Ana Cardoso, mulher pobre, ausentou-se da casa dos pais por estar prenhe, filha de Madalena Ribeiro – processo da vila de Parnaíba – parentes no 2º grau de consanguinidade: Domingos da Rocha e Domingas Ribeiro, pais de Isabel Pinheiro e Madalena Ribeiro – Isabel Pinheiro, mãe de Antonio Fernandes Porto, orador – Madalena Ribeiro, mãe de Ana Cardoso, oradora – os bisavós Manuel Esteves e Madalena Ribeiro são mameluco e mulata (do gentio da terra e da Guiné)].

Testemunhas moradoras na vila de Parnaiba: Vicente Gonçalves, 48 anos = Antonio de Aguiar, 45 = Sebastião de Aguiar, 40 anos, parente da oradora.

 

Antonio e Ana tiveram, pelo menos, o filho:

2-3-1 Estevão Fernandes Porto, em Itu aos 15-11-1706 casou com Maria Antunes, filha de Miguel Antunes e Mariana de Oliveira.

Itu, SP Igreja N.Sra. da Candelaria matr [na era de 1706] Estevam Frz Porto, f. de Antonio Frz Porto e de s/m Ana Cardosa se recebeu com Maria Antunes f. de Miguel Antunes e de s/m Mariana de Oliveira; test.: D.os Frz Porto, Joam de Godoy da Silva, Mariana Cardosa e Maria Vieira Tavares a quinze de novembro da sobredita era.

2-4 Estevão Fernandes Porto, com 20 anos em 1681. Foi o segundo marido de Maria Vaz de Barros, falecida em Itu aos 14-02-1698, filha natural do Capitão Pedro Vaz de Barros e de Justina Fernandes, do gentio da terra - família “Pedro Vaz de Barros” neste site.

Itu, SP - Maria Vaz, moradora e natural desta vila de Itu, casada com Estanislau Frz Porto, faleceu aos 14 dias do mes de fevereiro de 1698 anos. Não fez testamento.

          Pais de, q.d.:

2-1-4 Joana Vaz Porto em Itu aos 25-02-1721 casou com José de Almeida Lara, filho do falecido Serafino Correa e Maria de Lara (SL. 4º, 395, 6-4).

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria matr - Joseph de Almeida Layra, f. de Serafino Correa, ja defunto e de s/m Maria de Layre(sic) = cc Joana Vaz Portes(sic), f. de Estevão Frz Porto e de s/m Maria Vaz já defunta, todos moradores e naturais desta vila. Test.: Revdo P.e Andre dos Santos e D.os Frz Porto. Aos 25 de Fevº de 1721.

2-5 Ana batizada em 13-11-1660. Com 18 para 19 anos em 1681.

São Paulo, SP Igreja N Sra da Assunção aos 13-11-1660 bat a Ana, f.l. Cap. Estevão Frz Porto e Izabel Pinheira, padr.: Domingos da Silva e Maria de Pontes.

2-6 Francisco Fernandes, 17 anos

2-7 Inacio Fernandes, de 11

2-8 Manoel de 10

2-9 Ignez de 8

2-10 Paulo de 7 anos em 1681.

 

3- Antonio, nasceu em 02-06-1634 (apontamento paterno). Não foi citado no inventário paterno.

 

4- Manoel da Rocha, nasceu em 05-09-1635 (apontamento paterno).

 

5- Domingos da Rocha, nascido aos 10-10-1636 (apontamento paterno), “que se foi ordenar”. Padre Domingos da Rocha foi curador de seus sobrinhos, filhos de Madalena Ribeira.

ACMSP – Processo de genere et moribus  1-1-7: Domingos da Rocha

Habilitado de genere et moribus em 1659, natural da vila de São Paulo, f.l. de Domingos da Rocha e Domingas Ribeiro, batizado na aldeia de Marierim a tantos de outubro de 1636 – padrinhos: Capitão Fernão Dias Paes e Catarina de Lima.

Testemunha Francisco Sutil, que conheceu Domingas Ribeiro, mãe do suplicante, e conhece a mãe da dita Domingas Ribeiro – só sabe ter o suplicante por parte de sua mãe alguma raça do gentio do Brasil e de Angola.

Diz a testemunha Gaspar Maciel Aranha no mesmo Processo que conhecia a Domingas Ribeiro, mãe do suplicante, e conhecera a Manoel Esteves e Madalena Ribeiro, avós maternos do suplicante, e sabia ter o dito suplicante por parte de sua mãe alguma raça do gentio de Guiné e do Brasil;

Diz a testemunha Geraldo da Silva no mesmo Processo que conhecia a Domingas Ribeiro, mãe do suplicante, e conhecera a Manoel Esteves e Madalena Ribeiro, seus avós maternos, e conhecera mais o Capitão Ascenço Ribeiro, seu bisavô – disse que seu avô Manoel Esteves tem a parte de gentio de Guiné, e fora juiz ordinário nesta vila, e irmão da Misericórdia – e sabe ter ... por parte de sua ... raça da terra e de Guiné; diz a testemunha Francisco da Gaya no mesmo Processo que sabe ter o suplicante raça de gentio de Guiné por parte de seu avô Manoel Esteves.

 

6- Madalena Ribeira, nasceu em 15-07-1638 (apontamento paterno). Em 1661 estava casada com Ascenço Alves. Ascenço Alves Feijó testou em 27-02-1662. Seu testamento recebeu o cumpra-se em dois do mês seguinte e foi inventariado em 22-03-1662 na vila de S. Paulo. Compareceram quatro filhos legítimos e uma filha natural reconhecida.

- Izabel, filha natural de Ascenço, com 10 anos em 1662.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

Inventariado Ascenço Alvares Feijó - S. Paulo

Autos aos 22-03-1662 vila de S. Paulo

Declarante a viuva Madalena Ribeira. Assina a rogo Cap. Estevão Fernandes Porto.

Titulo dos filhos João, de 7 - Ascenso de 5 p 6 = Antonio de 3 p 4 = Domingos de ano e meio= Izabel filha natural de 10 anos.

 

Testamento - 27-02-1662 nesta vila de SP eu Ascenso Alves Feixo (...) testamenteiros minha mulher Madalena Ribeira. Sou cc Madalena Ribeira e tivemos quatro filhos todos machos João = Ascenso = Antonio e Domingos. Tenho um filha bastarda que tive em solteiro, por nome Izabel. Ordeno que meu cunhado Andre da Costa a leve para sua casa.

Meu sogro Domingos da Rocha, que Ds tem, (...)

cumpra-se 02-03-1662

 

(aa) Andre da Costa Soares

Curadoria aos 15-09-1668 ao tio dos orfãos o Revdo Padre Domingos da Rocha.

 

          Em 1663 Madalena casou em Santana da Parnaiba com João Cardoso, filho de Braz Cardoso e Antonia de Chaves; família “Gaspar Vaz Guedes”.

ASBRAP 2, fls. 112  Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. - João Cardoso, filho de ---- e de ---- = cc Madalena Ribeiro, filha de ---- e de ---- (naturais desta os dois) (ano de 1663).

 

Ascenço Alves e Madalena tiveram quatro filhos:

6-1 João, com 7 anos em 1662. João Alvares em 1676 na Parnaiba casou com Maria da Cunha, filha de Manoel da Cunha e Ana Tavares (SL. 6, 452, 4-1)

ASBRAP 2, 102, Resumo do 1º lv. casamentos de Santana de Parnaiba coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz:, anos 1662-1722 - fls. 111 (ano de 1676) João Alvares, filho de Ascenço Alvares e Masdalena Ribeiro, com Maria da Cunha, filha de Manoel da Cunha e Ana Tavares.

6-2 Ascenço, com 5 para 6 anos em 1662.

6-3 Antonio, com 3 para 4 anos.

6-4 Domingos, com ano e meio em 1662.

 

Madalena Ribeiro e João Cardoso tiveram, pelo menos, os filhos:

6-5 Ana Cardoso, em 1684, dispensados do impedimento de consanguinidade em 2º grau, casou com Antonio Fernandes Porto 2-3 supra.

6-6 José Cardoso Pimentel, natural da cidade de S. Paulo, faleceu em Itu-SP aos 17-03-1746 viúvo de sua segunda mulher Maria da Silva. Foi casado primeira vez com Ana de Pinha Vidal, já falecida em 1732 e tiveram, pelo menos:

SL. 8, 324, 4-1 Ana de Pinha Vidal, casada em 1693 em Itú com José Cardoso Pimentel, de São Paulo, fal. em 1746 em Itú  com 80 anos de idade. f.o de João Cardoso e de Madalena Ribeiro. Teve q. d.: 5-1.

Itu-SP Igreja N Sra ca Candelaria obitos -  Jose Cardoso Pimentel - aos 17-03-1746 faleceu Jose Cardoso Pimentel, natural da cidade de S. Paulo e morador que foi desta vila, filho de João Cardoso e de s/m Madalena Ribeiro. Viuvo de Ana de Pinha e ao depois viuvo da segunda mulher Maria da Silva. Faleceu com a idade de 80 anos e foi sepultado na matriz desta vila. De que fiz este assento para constar aos seis do dito mes, digo aos seis de Mayo do dito ano.

6-6-1 Francisco Cardoso Vidal, natural de Itu onde casou duas vezes. Primeira vez aos 21-04-1732 casou com Cecilia Ribeira, filha do falecido Gonçalo de Castro e Ana da Costa Diniz. Segunda vez aos 14-06-1741 casou com Joana Pires da Rocha, filha de Pedro da Costa Homem e da falecida Josefa Pires da Rocha.

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria matr Francisco e Cecilia - aos 21-04-1732 nesta vila de N Sra da Candelaria de Itu, Francisco Cardoso Vidal, f.l. Jose Cardoso Pimentel e Ana de Pinha Vidal, já defunta = cc Cecilia Ribeira, f.l. Gonçalo de Crasto, ja defunto e Ana da Costa Diniz, todos moradores desta vila. Test.: Bras Carvalho Paes e Francisco Alvres Cardoso ambos casados e moradores desta vila.

 

Itu-SP Igreja N Sra da Candelaria matr aos 14-06-1741 nesta vila Francisco Cardoso Vida, natural e morador desta mesma vila, f.l. Jose Cardoso Pimentel e Ana de Pinha, ja defunta, viuvo de Cecilia Ribeira natural desta vila, filha de Gonçalo de Crasto e Ana da Costa = cc Joana Pires da Silva, natural e moradora desta vila, f.l. de Pedro da Costa Homem e Josefa Pires da Rocha, ja defunta. Test.: Rodrigo Gomes de Mendonça e Manoel Nunes de Macedo, ambos casados e moradores desta vila.

7- Bartolomeu da Rocha (Gralho), nasceu no dia de São Bartolomeu em 1639 (apontamento paterno). Em 1665 na Parnaiba casou com Francisca de Almeida.

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Bartolomeu da Rocha, filho de .... e de ....., com .... filha de .... e de ... (ano de 1665, na ermida de Ana de Proença).

Pais de, q.d.:

7-1 Isabel Pinheiro em 1694 casou com Domingos Dias da Silva, filho dos falecidos Paulo da Silva de Alvarenga e sua primeira mulher Maria Ribeiro, neto materno de Domingos Alvares Couceiro e Maria Ribeiro - família “Antonio Alvares Couceiro”.

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Domingos Dias da Silva, f. Paulo da Silva e Maria Ribeiro, falecidos = cc Isabel Pinheiro, f. Bartolomeu da Rocha e Francisca de Almeida (ano 1694)

Pais de, q.d.:

7-1-1 Bartolomeu Dias da Silva em Araçariguama aos 20-07-1724 casou com Izabel Fernandes, filha de Baltazar de Borba Gato e Mariana Domingues, família “os Borba Gato” em S. Paulo”, neste site.

Araçariguama- SP Igreja N Sra da Penha matr. Aos 20-07-1724 em esta igreja e testemunhas Sarg. Mor Joseph Martins Cezar, Paschoal Leite de Miranda, Ana Leme e Maria Pires, todos casados naturais e moradores  nesta freguesia. Bartholomeu Dias da Silva, f.l. Domingos Dias da Silva e Izabel Pinnheira = cc Izabel Fernandes, f.l. Balthazar de Borba Gato e Mariana Domingues moradores em Sao João freguesia de Acutia, e o contranete desta freguesia. Esta Izabel Fernandes foi furtada deste Bartolomeu Dias da Silva, parecendo eles perante mim me requereram os casasse, eu mandei depositar ela em casa de Maria Pires, e logo no domingo seguinte principiei as denunciações.

Pais de, pelo menos:

7-1-1-1 Joana Dias de Borba, natural de Araçariguama-SP, casou com Manoel Antonio de Oliveira, batizado em Campanha-MG em 11-08-1748, filho de João da Costa Cabral, natural de Guaratingueta-SP e Francisca de Oliveira, natural de Taubaté-SP.

Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 11-08-1748 Manoel, f.l. João da Costa Cabral, n. freg. Sto Antonio da vila de Guaratingueta bispado de S.Paulo e Francisca de Oliveira da freg. de S. Francisco das  Chagas da vila de Taubate do mesmo bispado;

Entre outros, Manoel Antonio foi irmão inteiro de João, batizado em Campanha em 01-11-1751, e de netos paterno de Pedro da Costa de Camargo, de Guaratinguetá e Maria Bicuda Camacha de Mogi das Cruzes, netos materno de João Ayres Góes, de Taubaté e Maria de Oliveira, de jacarei-SP.

Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 01-11-1751 João, f.l. João da Costa, n/b na freg. de Guaratinguetá e Francisca de Oliveira, n/b na matriz de Taubate, np Pedro da Costa da vila de Guaratingueta e s/m Maria Bicuda da vila de Mogi, nm João Ayres da vila de Taubate e Maria de Oliveira da vila de Jacarei, todos Bispado de S. Paulo; padr.: Hieronimo Pinto, solteiro e Maria de Tavora mulher de Gaspar Nunes Cardoso.

 

Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 24-02-1760 Inacia, f.l. João da Costa de Camargo n. Guaratingueta e Francisca de Oliveira n. de Taubate, tudo do bispado de SPaulo, padr.: Antonio Alvares Braga, solteiro e Joana Rodrigues mulher de João Ayres. Avos paternos Pedro da Costa de Camargo e Maria Bicuda Camacha, maternos João Ayres Goys e Maria de Oliveira.

 

Joana e Manoel Antonio tiveram os filhos batizados na Campanha, q.d.:

7-1-1-1-1 Maria, em 13-03-1769.

Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 13-03-1769 Maria n. de oito dias, f.l. Manoel Antonio de Oliveira n. desta freguesia e Joana Dias de Borba n. da freg. de Araçariguama-SP, np João da Costa e Francisca de Oliveira, maternos Bartolomeu Dias da Silva e Josefa Fernandes de Borba;

7-1-1-1-2 Juliana em 26-12-1771

Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais)  Bat. - aos 26-12-1771 Juliana n. 20, f.l. Manoel Antonio de Oliveira e Joana de Borba, padr.: Simão Gonçalves Nogueira e Maria Felicia mulher de Francisco da Costa Teixeira.

7-1-1-1-3 Antonio, em 02-02-1773.

Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 02-02-1773 matriz, Antonio, f.l. Manoel Antonio de Oliveira n. desta matriz e Joana de Borba n. de Itu-SP, avos pat. João da Costa e Francisca de Oliveira, maternos Bartolomeu Dias e s/m. Padr.: Cap. Manoel Jacinto Torres e Ana Josefa mulher de Jose Mendes.

 

7-2 Antonio da Rocha Gralho em Santana de Parnaiba em 1714 casou com Maria do Rosario, filha de Felipe Reque e de Felipa Gago (SL. 8, 521, 5-5)

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Antonio da Rocha Gralho, f. de Bartolomeu da Rocha Gralho e de Francisca de Almeida, ambos fal. = com Maria do Rosárioo, f. de Felipe Reque e de Felipa Gago (ano de 1714).

 

8- Francisco, batizado em 29-09-1640 (apontamento paterno). Francisco da Rocha Gralho em 1669 casou com Maria Dias, filha do falecido Matias Peres e Isabel Cardoso. Com geração de oito filhos em SL. 8, 549.

São Paulo, SP Igreja N Sra da Assunção aos 29-09-1640 bat a Francisco, f.l. Domingos da Rocha e Domingas Ribeiro, padr.: Bartolomeu Fernandes de Faria e Madanela R-----.

 

ASBRAP 2, 102, Resumo do 1º lv. casamentos de Santana de Parnaiba coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz:, anos 1662-1722 - fls. 110. Francisco da Rocha Gralho, filho de Domingos da Rocha e Domingas Ribeiro = com Maria Dias, filha de Matias Peres, fal. e de Isabel Cardoso (ano de 1669)

 

9- Catarina Pinheira, nasceu em 09-12-1642 (apontamento paterno) e foi batizada aos 24 do mesmo mês. Casada com João de Mongelos.

São Paulo, SP Igreja N Sra da Assunção aos 24-12-1641 bat a Catarina, f.l. Domingos da Rocha e Domingas Ribeira, padr.: ---- Cardoso de Negreiros

Pais de, q.d.:

9-1 Mariana Pinheiro em 1699 casou com Simeão Alvares, filho dos falecidos Antonio Pereira e Maria de Abreu SL. 4, 426, 3-1.

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz 122, matriz, Santana de Parnaiba, cas. 1662-1721: ano 1699; Simeão Alvares (f. de Antonio Pereira e Maria de Abreu, ambos falecidos) com Mariana Pinheiro, f. de João de Mongelos e de Catarina Pinheiro

          Simeão era viúvo de Maria Furquim, casados em 1684, filha de Estevão Furquim e Maria da Luz (SL 6º, 289, 2-8)

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz fls. 122, matriz, Santana de Parnaiba, cas. 1662-1721: ano 1684; Simeão Alvares (f. de Antonio Pereira e Maria de Abreu, ambos falecidos) com Maria Furquim, f. de Estevão Furquim e de Maria da Luz

Simeão, já falecido em 1730, e Mariana Pinheiro tiveram, pelo menos, o filho:

9-1-1 Calixto Alvares em Cotia aos 24-05-1730 casou com Maria Paes, filha de Baltazar Gonçalves Malio e Maria Paes, in aportes à GP:” Sebastiana de Vitoria, SL VIII, 328, 3-6”.

Cotia-SP Igreja N Sra do Monte Serrate aos 24-05-1730 se receberam na igreja de Sam Joam Maria Paes, f.l. Baltazar Gonçalves Malio e de Maria Leme fregueses desta freguesia = cc Calixto Alvres, f.l. Simiam Alvres Pereira, ja defunto, e Mariana Pinheira moradores de Pernaiba. Foram testemunhas Joseph Ferreira da Silva, Duarte Pacheco de Albuquerque, Maria Nunes, Antonia Leme.

Pais de, pelo menos:

9-1-1-1 Izabel Paes Alvares casada na Parnaíba aos 04-12-1754 com Pedro de Borba de Camargo, filho de Belchior de Borba Pontes e Catherina Pereira de Camargo, família “Nunes de Pontes” Cap. 1º § 13º.

9-1-1-2 João Alvares Paes na Parnaiba em 15-09-1772 casou com Maria Soares, ai natural, filha de Antonio de Melo e Gertrudes Soares, neta paterna de Francisco de Melo natural da vila de Oros Bispado de Leiria e Pascoa da Rocha natural de Araçariguama, neta materna de Frutuoso Soares, natural da cidade de Lisboa e de Maria das Neves natural da Parnaiba.

Santana de Parnaiba-SP Igreja de Santa Ana matr - João Alvres Paes com Maria Soares - aos 15-09-1772 nesta igreja matriz João Alvres Paes, natural desta freguesia, f.l. de Calisto Alvres Pereira natural da freguesia de N Sra da Penha de Araçariguama e de Maria Paes do Rozario natural da freguesia a Cotia, neto paterno de Domingos Fernandes natural das Ilhas e de s/m Maria Pereira natural da freguesia de Araçariguama, neto materno de Baltazar Gonçalves Malho e de s/m Maria Leme do Prado, naturais da freguesia da Cotia = cc Maria Soares natural desta freguesia, f.l. de Antonio de Mello e Gertrudes Soares naturais desta freguesia, neta paterna de Francisco de Mello natural da vila de Oros Bispado de Leyria e de s/m Paschoa da Rocha natural da freguesia de Araçariguama, e neta materna de Frutuoso Soares natural da cidade de Lisboa, cuja freguesia se ignora, e de sua mulher Maria das Neves natural desta freguesia; e os contraentes moradores nesta freguesia. Foram testemunhas Salvador da Silva, filho solteiro de Amaro da Silva, e Maria Luiz de Jesus, filha solteira de Agostinho dos Santos, Ignacio Rodrigus Fam, filho solteiro de Manoel Rodrigues Fam. e Maria da Luz(?) de Jesus, f. solteira de Antonio Pereia de Azevedo moradores nesta freguesia.

9-1-1-3 Maria Alvares Paes aos 16-02-1784 casou com Domingos Pires do Prado, natural de Jundiai-SP, viuvo de Maria Pedrosa e filho de João do Prado e Ignez da Silva, neto paterno de Domingos Pires Lamim e Vicencia Pires.

Santana de Parnaiba-SP Igreja de Santa Ana matr - aos 16-02-1784 nesta paroquial igreja de Santa Ana da vila da Parnaiba, sem impedimento e testemunhas João Ribeiro fregues de Jundiai, e Manoel Jose de Jesus fregues de Santo Amaro, se casaram Domingos Pires do Prado, natural e fregues de Jundiai, viuvo de Maria Pedrosa, filho de João do Prado e de s/m Ignez da Silva cujas naturalidades se ignoram, neto paterno de Domingos Pires Lamim e de s/m Vicencia Pires, cujas naturalidades não souberam dizer, por parte materna não souberam dizer os nomes dos avos = cc Maria Alvares Paes, natural de freguesa desta igreja, f. de Calisto Alvares Pereira e de s/m Maria Paes do Rosario, ambos naturais desta vila, por parte paterna não deram noticia do nome dos avos, e por parte materna neta de Baltazar Gonçalves Malio e de s/m Maria Leme do Prado, ambos naturais da freguesia da Cotia.

 

9-2 Inácio de Mongellos casou com Lucrecia Pedrosa de Abreu, filha de Manoel de Abreu (Pinheiro) e Maria Dias.

Lucrecia era irmã inteira de Ana Maria de Abreu casada em 1720 com Francisco Nunes de Távora, de quem foi primeira mulher, filho dos falecidos Gregorio de Tavora e Moraes e Maria Nunes. Francisco casou segunda vez na Cotia aos 22-01-1738 com Catarina Pereira de Camargo, viúva de Belchior de Borba de Pontes, família “Nunes de Pontes” Cap. 1º § 13º. Terceira vez aos 15-09-1739, Francisco casou com Josefa Mendes, filha de João Mendes Ribeiro e Arcangela Cardosa, com geração em SL. 6, 351, 6-2.

ASBRAP 2 - fls. 101 a 122 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz - 109 Francisco Nunes de Tavora, f. Gregorio de Tavora e Moraes e Maria Nunes, ambos falecidos = com Ana Maria, f. Manoel de Abreu Pinheiro e Maria Dias, fal. - ano de 1720

 

Santana da Parnaiba-SP Igreja de Santa Ana - Francisco Nunes Tavora com Josepha Mendes. Aos 15-09-1739 nesta igreja matriz Francisco Nunes Tavora, f.l. de Fregorio de Tavora e Moraes e Maria Nunes, já defuntos, viuvo que ficou de Catarina Pereira de Camargo moradora na freguesia de São Roque = cc Josepha Mendes, f.l. João Mendes Ribeiro e Arcangela Cardosa moradores nesta dita vila de Parnaiba. Foram testemunhas o Sargento Mor Simão Francisco Serra e s/m Maria de Almeida, Domingos Machado, casado e Maria da Rocha do Canto viuva de Manoel de Oliveira e Souza, todos moradores nesta dita vila de Parnaiba.

 

          Inácio e Lucrecia foram pais de, pelo menos:

9-2-1 José Pedroso de Mongelos, em Santo Amaro aos 18-11-1760, casou com Liberata de Jesus, filha do falecido Francisco Furtado e Tereza de Almeida, neta paterna de Antonio Furtado de Alvarenga e Sebastiana de Pontes, neta materna de Manoel Cardoso de Azevedo e Margarida Antonia do Prado. Geração na família “Nunes de Pontes” Cap. 1º § 12º.

RMJ: Matriz de Santo Amaro - Casamentos - Aos 18-11-1760; Jose Pedroso de Mongelos, fl de Ignacio Mongelos e Lucrecia Pedrosa de Abreu, np de João de Mongelos e Maria de Pinheiro, digo, Catarina Pinheiro, nm de Manoel  de Abreu e Maria Dias; cc. Liberata de Jesus, filha de Francisco Furtado já falecido e Tereza de Almeida, np de Antonio Furtado de Alvarenga e Sebastiana de Pontes, nm de Manoel Cardoso de Azevedo e Margarida Antonia do Prado. T: João Moreira e Gaspar Nunes.

 

9-3 Domingos, batizado em 25-08-1661.

SP, SP Igreja N Sra da Assunção aos 25-08-1661 bat a D.os f.l. Joam Mongelos e Catarina Pinheira, padr.: Cap. Estevão Frz Porto e [---] Ribeira.

 

10- Agostinho da Rocha nasceu no derradeiro dia de agosto de 1643 (apontamento paterno). Em 1675 casou com Maria de Oliveira, filha de Baltazar da Costa e de Maria de Lima. Geração em SL. 8, 518, 4-3.

ASBRAP 2, 102, Resumo do 1º lv. casamentos de Santana de Parnaiba coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz.- fls. 102, (ano 1675): Agostinho da Rocha, f. de Domingos da Rocha fal. e de Domingas Ribeiro; com Maria de Oliveira, f. de Baltazar da Costa e de Maria de Lima.

11- Feliciana da Rocha, nasceu em agosto de 1643 (apontamento paterno), solteira em 1661. Foi a primeira mulher de Antonio Cardoso Pimentel, filho de Braz Cardoso e Antonia de Chaves. Geração na família “Gaspar Vaz Guedes”, neste site.

12- Pascoa da Rocha, nasceu em 29-04-1648 (apontamento paterno). Solteira em 1661.

13- Maria da Rocha, nasceu em 22-01-1650 (apontamento paterno). Solteira em 1661.

14- Estevão, nasceu em 25-11-1652 (apontamento paterno).

15- Ana da Rocha, solteira em 1661. Ana da Rocha (Gralho) casou com Estevão Pimenta das Neves, natural de S. Pedro termo da vila de Covilhã Bispado da Guarda, filho de Manoel Lourenço e de Maria Fernandes Neves.

          Ana foi inventariada em 11-01-1683 na paragem Guoaramemi em Santana de Parnaiba. Estevão testou em 08-10-1692 e foi inventariado em 1694. Declarou nove filhos legitimos e uma natural.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Santana de Parnaiba-SP

Inventariado Estevão Pimenta das Neves - apenso o de Ana da Rocha.

Pesq.: Fabricio Gerin

Ana da Rocha faleceu com inventário aberto aos 11/01/1683 em o sítio e fazenda de Estevão Pimenta na paragem chamada Guoaramemi, termo e limite da vila de Santana de Parnaíba (inventariante: o viúvo, Estevão Pimenta – herdeiros: o viúvo Estevão Pimenta, Bernardo, Manoel, Estevão, Maria, Vicência, Júlia, Domingos, Inácia, Felix).

 

Estevão Pimenta das Neves. Faleceu com testamento de 08/10/1692 (testamenteiros: meu compadre Agostinho da Rocha, e meus filhos Bernardo e Manoel – declaro que sou natural do lugar da Era..., freguesia de São Pedro, termo da vila de Covilhã, Bispado da cidade da Guarda, filho de Manoel Lourenço e Maria Fernandes Neves – declaro que fui casado com Ana da Rocha, já defunta, de quem tenho 9 filhos, 5 machos e 4 fêmeas: Bernardo, M..., Estevão, Domingos, Felix, Maria, Vicência, Júlia, Inácia – declaro que tenho mais uma filha bastarda, filha ... minha Isabel, e como filha natural pode herdar da minha ametade, a qual minha negra Isabel deixo forra – declaro que minha filha bastarda se chama Potência – “cumpra-se”: 28/03/1694), e inventário aberto em 1694 em o sítio e fazenda que foi do defunto Estevão Pimenta, termo e limite desta vila de Santana de Parnaíba (inventariante: Bernardo Pimenta, filho mais velho do defunto – herdeiros: Bernardo Pimenta; Manoel Pimenta; Estevão Pimenta; Domingos Pimenta; Felix Pimenta; Vicência Pimenta; Júlia Pimenta; Inácia Pimenta; Potência, filha bastarda – 13/11/1696: citados os herdeiros: Bernardo Pimenta e seu irmão Manoel Pimenta, e André Mendes de Escudeiro, casado com a herdeira Vicência Pimenta, e o procurador dos órfãos, o Capitão Gaspar Gonçalves – quinhões: o herdeiro André Mendes de Escudeiro, casado com Vicência Pimenta; Bernardo Pimenta; Manoel Pimenta; Estevão Pimenta; Domingos Pimenta; Félix Pimenta; filha natural; Júlia Pimenta; Inácia Pimenta – tutor e curador dos órfãos e órfãs, suas sobrinhas e sobrinhos: Francisco da Rocha Gralho – digo eu, Agostinho da Rocha Gralho, que recebi de meu sobrinho Bernardo Pimenta, 12 mil réis que me era a dever a fazenda do defunto seu pai – 20/12/1700: nesta vila de Santana de Parnaíba, apareceu Manoel Durão com uma quitação que pediu que acostasse, a qual quitação diz: Digo eu, Inácia Pimenta, que é verdade que sou paga e satisfeita de meu cunhado Manoel Durão de 5250 réis, que me coube no inventário de meus pais, pedi e roguei a meu tio Francisco da Rocha, que passasse esta quitação, 02/08/1700, Inácia Pimenta, e Francisco da Rocha Gralho se assina como curador).

 

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Inventários e Testamentos não publicados

Santana de Parnaiba-SP

Pesq.: Fabricio Gerin/Bartyra Sette

inventário de Matias Fernandes Correa - 1684. Acostado o

Inventario de Ana da Rocha - apenso o de Estevão Pimenta das Neves.

Autos aos 11-01-1683 na fazenda de Estevão Pimenta, na paragem de Guara---- termo da vila de Santana da Parnaiba, fazenda da defunta Ana da Rocha.

Declarante o viuvo Estevão Pimenta

Herdeiros: o viúvo Estevão Pimenta, Bernardo, Manoel, Estevão, Maria, Vicência, Júlia, Domingos, Inácia, Felix.

 

Testamento: aos 08-10-1692 (...) sou natural do lugar da ------------ freguesia de S. Pedro termo da vila da Covilhã, Bispado da cidade da Guarda, filho de Manoel Lourenco e Maria Fernandes. Sou casado com Ana da Rocha, ja defunta e tenho nove filhos, cinco machos e quatro femeas: Bernardo = ---- = Estevão= Domingos = Felix = Maria = Vicencia = Julia = Inacia. Tenho mais uma filha bastarda, filha -------- minha Izabel, como filha natural pode herdar da minha metade. A qual minha negra Izabel deixo forra.

Em meu sitio aos 13-10-1692 Estevão Pimenta.

 

Autos ano de 1694 sitio e fazenda que ficou do defunto, termo e limite da vila de Santana da Parnaiba.

Declarante Bernardo Pimenta, filho mais velho.

Herdeiros nesta fazenda: Bernardo Pimenta, Manoel Pimenta, Estevão Pimenta, Domingos Pimenta, Felix Pimenta, Vicencia Pimenta, Julia Pimenta, Inacia Pimenta, filha bastarda Potencia.

Andre Mendes de Escudeiros casado com a herdeira Vicencia Pimenta.

Curadoria: Francisco da Rocha Gralho, curador de seus sobrinhos.

20-12-1700 Vila de Santana de Parnaiba apareceu Manoel Durão com uma quitação -------: digo eu Inacia Pimenta que estou paga e satisfeita de meu cunhado Manoel Durão.

 

 

I- Potencia, filha natural de Estevão Pimenta das Neves e sua escrava Izabel.

 

Ana da Rocha e Estevão tiveram oito filhos:

 

15-1 Bernardo Pimenta das Neves em Santana de Parnaiba em 1695 casou com Maria Nunes de Siqueira, filha de Salvador Rodrigues e da falecida Maria Ribeiro

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Bernardo Pimenta, f. de Estevão Pimenta e Ana da Rocha, ambos fal. = com Maria Nunes de Siqueira, f. de Salvador Rodrigues e Maria Ribeiro , fal.(ano de 1695)

Pais de, q.d.:

15-1-1 Antonio Nunes de Siqueira, batizado em SAntana da Parnaiba em 26-09-1706. Em Itu em 17-10-1739 casou com Maria de Siqueira, filha de Antonio de Siqueira Baião e de Margarida Martins, neta paterna de Antonio de Siqueira Caldeira e Antonia da Cunha, neta materna de Antonio Martins Bello, natural de Alcobaça-PT e de Maria Vaz de Barros - família “Domingos de Góes”, neste site.

Itu, SP Igreja N. Sra da Candelaria aos 17-10-1739 nesta se receberam Antonio Nunes de Siqueira, f. de Bento(sic) Pimenta das Neves, todos naturais de Parnaiba = com Maria de Siqueira, f. de Antonio de Siqueira Baião e de s/m Margarida Martins, todos naturais desta vila. Foram testemunhas João Correa Dias e Manoel Pinto Rodrigues.

15-1-2 José Nunes de Siqueira em Santana de Parnaiba aos 22-07-1736 casou com Izabel Velho Bicuda, filha dos falecidos Francisco Vieira Velho e Thomazia de Almeida. Geração em SL. 6º, 348, 4-2

Santana de Parnaiba, SP Jose Nunes de Siqueira com Izabel Velho Bicuda - aos 22-07-1736 nesta matriz. Jose Nunes de Siqueira, f.l. Bernardo Pimenta das Neves e Maria Nunes de Siqueira = cc Izabel Velho Bicuda, f.l. Francisco Vieira Velho, ja defunto e Thomazia de Almeida, defunta, naturais da vila de Parnaiba. Test.: Cap. Antonio Correa Garcia e s/m Luzia Leme Bicuda, Joseph Ribeiro de Siqueira e Maria Joseph de Godoy, solteira filha de J. Pinto

          Segunda vez aos 27-06-1741 na Cotia, José casou com Catarina Domingues, filha de João Domingues de Mattos e da falecida Gregoria da Silva.

Cotia, SP - aos 27-06-1741 Catarina Domingues, f.l. de João Domingues de Mattos e de Gregoria da Silva, já defunta, fregueses desta freguesia = com Jose Nunes de Siqueira, f.l. de Bernardo Pimenta das Neves e Maria Nunes, já defuntos, fregueses da Parnaiba, viuvo de Izabel Velho Bicuda, filha de Francisco Velho e Antonia(sic) Bicuda(sic) moradores da Parnaiba e já defuntos. Testemunhas Duarte Pacheco de Albuquerque e Pedro Machado, Agueda Pereiora, casados e Maria de Lima, viuva, todos desta freguesia.

15-2 Manoel Pimenta

15-3 Estevão Pimenta das Neves foi o primeiro marido de Mariana Machado, com geração em SL. 7, 339, 2-2.

SL. 7, 339, 2-2 Marianna Machado foi 1º casada com Estevão Pimenta das Neves f.º de outro do mesmo nome, natural de Portugal, e de Anna da Rocha, n. p. de Manoel Lourenço e de Maria Fernandes Neves, n. m. de Domingos da Rocha, falecido em 1661 em Parnaíba e de Domingas Ribeiro

15-4 Mestre de Campo Domingos Pimenta das Neves em Itu aos 09-04-1704 casou com Francisca Luiz, filha de Francisco Sutil Cid e da falecida Tomasia Ribeiro (SL. 1º, 75, 3-3).

Itu, SP Igreja N Sra da Candelaria. Mestre-de-Campo Domingos Pimenta das Neves. Casado aos 09/04/1704 em Itu, com Francisca Luís (Domingos Pimenta, filho de Estevão Pimenta e Ana Ribeiro, já defuntos, com Francisca Luís, filha de Francisco Sutil Cid e Tomásia Ribeiro, já defunta, todos naturais e moradores nesta vila).

         Francisca testou em Guarapiranga-MG aos 06-04-1715 e faleceu aos 26 do mesmo mês e ano. Foi inventariada por Domingos, declarou dois filhos de seu casal: Francisco com nove anos e Izabel com 8 anos.

Casa Setecentista de Mariana inventários do primeiro oficio - ano 1715

Inventariada - Francisca Luiz

Inventariante o viúvo Domingos Pimenta das Neves - Testamenteiro Capitão Bento de Alvarenga.

Pesquisa: Moacyr Villela.

Testamento que faz Francisca Luiz mulher de Domingos Pimenta das Neves estando doente em seu perfeito juízo... Aos seis de abril de 1715. Rogo a, meu pai, Francisco Sutil Side e a, meu tio, o Capitão Bento de Alvarenga queiram ser meus testamenteiros. Meu corpo será sepultado na igreja do distrito de Guarapiranga debaixo da pia da água benta... Sou natural da Vila de Parnaíba filha legitima de Francisco Sutil e sua mulher Tomazia Ribeira já defunta. Casada com Domingos Pimenta das Neves tenho dois herdeiros filhos legítimos um macho de nome Francisco Sutil, e uma fêmea de nome Isabel da Costa.

Declaro em todo o monte desta fazenda quarenta escravos... Um sítio em Araçariguama freguesia de Nossa Senhora da Penha e os bem que existirem nesta Guarapiranga. Seis cadeias de ouro lavrado. Com meu marido, em ouro e créditos, três arrobas de ouro

Deixo a minha irmã Isabel da Costa um negro. Deixo a minha irmã Luzia Leme moradora na Vila de Itú um moleque.

Por não saber ler nem escrever pediu ao escrivão Dionísio da Silva que por ela assinasse.

Aprovado aos 26-04-1715 na freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Guarapiranga em casas de Francisca Luiz sendo testemunhas: Fernando da Guerra do Amaral, Domingos Morato de Oliveira, Mateus Vaz de Bitencourt, João Bernardes, Estevão Ribeiro de Alvarenga, Bento de Alvarenga, João da Costa de Carvalho (seguem as assinaturas de todos)

Assume a testamentária o capitão Bento de Alvarenga.

Aos 27-06-1715 apareceu perante o escrivão Isabel da Costa mulher de Estevão Ribeiro de Alvarenga moradores nesta freguesia de Guarapiranga para requerer o legado deixado em testamento por sua irmã Francisca Luiz.

Dados do Inventário: Faleceu aos 26-04-1715. Herdeiros, seus filhos de legitimo matrimonio, Francisco com nove anos e Isabel com oito anos.

Abertura do inventario aos 25-06-1715. Avaliadores: Capitão Luis de Barros Freire e Francisco Rodrigues Fortes. Entre os bens inventariados:

Dividas Ativas: Mateus Vaz deve 60 oitavas/Domingos Morato de Oliveira deve 72 oitavas/ Inácio Moreira 50 oitavas/ Manoel Monteiro Chacim 232 oitavas/ Alexandre Almada 15 oitavas/ Sebastião Mendes 14 oitavas e um quarto/Bernardo da Mota 20 oitavas/ Mateus Soares Almeida 7 oitavas e três quartos/ Felix Pimenta 608 oitavas/ Francisco Mendes 329 oitavas e um quarto/ Jose Barbosa Leme 48 oitavas/ Antonio da Rocha Carvalho 21 oitavas e meia/ Francisco Mendes Rodrigues 2 oitavas/ Estevão Ribeiro de Alvarenga 460 oitavas/ Fernão da Guerra 1000 oitavas de um sitio que comprou do casal da inventariada/Antonio Teixeira 23 oitavas/ Marinho de Lima 40 oitavas/ Lourenço da Costa 15 oitavas/ Capitão João de Godoy 57 oitavas/ Domingos Morato 50 oitavas/ Alferes Estevão Ribeiro 60 oitavas e meia/João Moreira 30 oitavas/Manoel de Almeida 47 oitavas.

Dividas Passivas: Pascoal de Oliveira 1112 oitavas/Nicolau Carvalho 40 oitavas/ Sebastião Fernandes 40 oitavas. Padre Dom Jose Dom Dom 232 oitavas/ Francisco Alvares Marinho 12 oitavas.

Um sitio " a vista do areal pegado a igreja" com suas moradas de casas cobertas de palha com um quartel de cana já de vez e outro quartel de cana nova; Dois bananais que levam 200 pés. Tudo no valor de 300 oitavas

Morada de casas de sobrado cobertas de telhas com suas portas e fechaduras na Vila de Parnaíba avaliada em 268 oitavas

Sitio em Araçariguama herança da testadora avaliado em 166 oitavas pelo capitão Luis de Barros Freire que diz conhecer as terras

Aos 28-06-1715 o juiz de órfãos determina o seqüestro dos bens, que ficam depositados com o capitão João de Godoy Moreira, por diferenças entre o que foi apresentado e o declarado em testamento. O inventariante é preso e levado a Vila do Carmo. No entanto aos 08-07-1715 na Vila do Carmo o viúvo é nomeado tutor dos órfãos e feita a partilha. Monte Mor 9.112 oitavas. Dividas 1.276 oitavas.

Aos 04-12-1721 é nomeado curador dos órfãos o doutor Tome de Sousa Coutinho. Aos 18-01-1730 o curador foi informado que o tutor se ausentou com os filhos para a cidade de São Paulo.

Aos 14-05-1735 o herdeiro Francisco Bueno (sic) Pimenta solicita ao juízo dos órfãos uma extração de sua partilha.

15-4-1 Francisco Pimenta das Neves, em Itu aos 16-08-1729, casou com Catarina Nunes de Oliveira, filha de Antonio de Siqueira Baião e Margarida Martins, neta paterna de Antonio de Siqueira Caldeira e Antonia da Cunha, neta materna de Antonio Martins Bello, natural de Alcobaça-PT e Maria Vaz de Barros - família “Domingos de Góes” neste site.

Itu, SP - Francisco Pimenta das Neves, filho do Mestre de Campo Domingos Pimenta e de sua mulher Francisca Luiz, ja defunta moradores da freguesia de N. Sra da Penha de Araritaguaba se recebeu com Catarina Nunes de Oliveira, f.l. de Antonio de Siqueira Baião e de s/m Margarida Martins moradores desta propria Itu. Test.: Manoel Batista Duarte, João da Costa A|ranha, Izabel da Costas, Joana Vaz. Aos 16-08-1729.

Geração de Catarina e Francisco em SL. 7º, 516, 4-3.

 

15-5 Felix Pimenta

15-6 Maria Pimenta em 1693 na Parnaiba casou com João Machado da Silva, filho dos falecidos Jerônimo Machado e Silva e Isabel Fernandes.

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. João Machado da Silva, f. de Jerônimo Machado e Silva e Isabel Fernandes, ambos fal. = cc Maria Pimenta, f. Estevão Pimenta e de Ana da Rocha, fal. (ano de 1693).

15-7 Vicencia Pimenta casada com Andre Mendes de Escuderos, filho de Domingos Afonso de Escuderos e Maria Rodrigues. Geração na família “Antonio Rodrigues Baião”.

15-8 Julia Pimenta em 1698 casou com o viúvo Manoel Durão, batizado na freguesia de N Sra das Candeias da cidade do Rio de Janeiro, filho de João de Oliveira e Maria de Mendonça.

ASBRAP 2 - Livro 1 de casamentos de Santana de Parnaíba, coligidos por Silva Leme. Rodnei Brunete da Cruz. Manoel Durão, f. de João de Oliveira e Maria de Mendonça = cc Julia Pimenta, f. de Estevão Pimenta e Ana da Rocha, ambos fal. (ano de 1698)

          Manoel Durão testou em 01-12-1711. Sem geração do segundo matrimonio, declarou com sua primeira mulher Beatriz de Figueira três filhos: João, Antonio e Maria. Seu testamento recebeu o cumpra-se na vila de Parnaiba em 03-12-1711.

Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo

Juizo dos Residuos -Pesq.: Fabricio Gerin

Conta de testamento com que faleceu Manoel Durão, a qual se toma a seu testamenteiro Bartolomeu Bueno da Silva – 1722, nesta vila de Parnaíba, por Bartolomeu Bueno da Silva me foi dado o testamento seguinte – 01/12/1711, eu, Manoel Durão – Declaro que sou natural da cidade do Rio de Janeiro, batizado na freguesia de Nossa Senhora das Candeias, f.l. de João de Oliveira e Maria de Mendonça – Declaro que fui casado a primeira vez com Beatriz de Figueiras, de cujo matrimônio tivemos 3 filhos, a saber, João, Antonio, e uma filha por nome Maria, os quais não sei se são vivos ou se são mortos – Declaro que sou casado segunda vez com Júlia Pimenta, de cujo matrimônio não temos filhos – Meu corpo seja sepultado junto ao altar de São Miguel, nesta Igreja Matriz – Rogo ao Capitão Bartolomeu Bueno da Silva e ... queiram ser meus testamenteiros – Declaro que possuo uns chãos dentro dos muros das casas do Capitão Sebastião Soares, junto ao pátio do Patriarca São Bento, que foram do defunto Antonio da Rocha do Canto – Declaro que tenho uma casa na roça, junto ao meu cunhado Bernardo Pimenta, nas terras dos índios – me deve meu cunhado Felix Pimenta doze oitavas de ouro – testemunhas: Manoel de Oliveira, Gervásio de Amorim Dantas e Antonio Tavares de Amaral – Cumpra-se: 03/12/1711.

 

15-9 Inacia Pimenta, ultima filha de Ana da Rocha Gralho e Estevão Pimenta das Neves.