PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

Antonio Vieira e Francisca de Macedo

(atualizado em 09-abril-2016)

 

Regina Moraes Junqueira

Bartyra Sette

 

 

O casal Antonio Vieira e Francisca de Macedo foi um dos primeiros que literalmente, com armas e bagagens, saíram de seu local de origem, no caso São Paulo, e se estabeleceram nas terras além-mantiqueira. Levaram consigo filhos ainda pequenos, nos primórdios do povoamento das gerais.

 

Ao longo de nossas pesquisas deparamos com muitos documentos referentes à descendência do casal que, em sua trajetória, conta muito da saga do povoamento de Minas Gerais.

 

Antonio Vieira (Dourado) e Francisca de Macedo, ou de Moraes como também é referida em documentos, tiveram filhos, alguns dos quais encontramos em documentos:

 

1- Maria de Moraes ou de Moraes Raposo, § 1º

2- Tereza de Moraes, § 2º

3- Helena de Moraes casou com Jacome Fernandes das Neves. Geração na família “Jacome Fernandes das Neves”.

4- Antonio Vieira de Moraes, com geração no estudo que leva o seu nome, neste site

5- José de Moraes Raposo, citado pela irmã Helena no inventário do cunhado Jacome Fernandes das Neves, fls 4: “....declarou ela inventariante é sócia com José de Moraes Raposo seu irmão.”

 

 

§ 1º - Maria de Moraes ou de Moraes Raposo

(atualizado em 21-janeiro-2013)

 

 

Maria, batizada na Sé de São Paulo aos 28-11-1683. Casou com Cap. Luiz Marques das Neves, natural da freguesia de São Mamede do lugar de Valongo Bispado do Porto.

Entre os filhos do casal:

1-1 Francisca de Moraes, batizada em São Paulo em 08-05-1704. Em São João del Rei-MG aos 20-01-1725 casou com João Gomes Salgado, filho de João Gomes e Maria Simões, moradores na freguesia de N. Sra do Rosário do Bispado de Viseu.

          O casal passou um tempo em Prados, depois foram para Serro do Frio no norte de Minas Gerais para enfim se fixar em Pitangui, onde João adoeceu. A familia foi então para a vila do Ribeirão do Carmo, a procura de tratamento, quando João faleceu. A viúva com seus filhos foram acolhidos pelo pai dela, e se abriu o inventário em S. João del Rei aos 30-03-1740. Em 1752 João Peixoto do Amaral foi nomeado tutor dos órfãos.

          Segundo seu inventário, neste site, foram seis os filhos do casal:

1-1-1 Padre João Gomes Salgado, batizado em Prados-MG aos 20-10-1725. Em 1740 habilitou-se as ordens sacras.

AEAM - Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana-MG

Documento - De Genere

Nome: João Gomes Salgado

Data: 1748

Local: Prados

Ref. 20839/A: 05/P: 0834

Transcrito por: Izabella Fátima Oliveira de Sales a pedido de Regina Junqueira

[fl 11] - [Moribus]

(...) João Gomes Salgado natural e ba/tizado na freguesia de Nossa Senhora da Concei / pasam dos Prados filho de João Gomes Sal/gado, e de sua mulher Francisca de Morais (...)

[fl31] - [De Genere]

E declara o suplicante ser neto pela parte paterna de João / Gomes, e de sua mulher Maria Simões, moradores que foram no lugar / de [Cabril] freguesia de São Pedro do dito bispado de Vizeu

E pela materna de Luis Marques das Neves natural e bati/zado na freguesia de São Mamede do lugar de Valengo Bispado do / Porto e de sua mulher Maria de Moraes [Rapoza] [trecho corroído] [natural] ] [trecho corroído] ba/tizada  na Igreja Matris hoje se é a catedral do [ilegível] [trecho corroído] / São Paulo

[fl107v] - [Cópia do registro de batismo do habilitando:]

(...) Aos vinte dias do mês de / Outubro de mil setecentos e vinte e cinco, batizou / o Padre Ignácio de Vargas Queiroga a João, filho / legitimo de João Gomes Salgado, e de sua mulher / Dona Francisca foi padrinho Luis Marques / morador no Rio das Mortes pequeno (...)

[fl108] - [Cópia do registro de batismo da Avó Materna]

(...) Aos 28/11/1683 [ba/tizei] [trecho corroído] (...) a Maria filha de [Antonio] [trecho corroído] Vieyra e Francisca Pinheira. Padrinhos [ilegível] [trecho corroído] Morais, e Anna Pedroza

[fl108v] - [Cópia do registro de batismo da Mãe do habilitando:]

(...) Aos 08/05/1704 batizei (...) a Francisca filha de Luis Marques / das Neves, e de sua mulher Maria Vieyra foram padrin/hos Jacinto Jaques de Campos, e Thereza Vieyra / (...) (o batizado aconteceu em SP)

[fl109] - [Cópia do registro de casamento dos pais:] (O registro se encontra no livro de casamento da freguesia de São João Del Rey)

(...) Aos 20/01/1725 anos / em presença do Reverendo Vigário Joam da Fé / de Sam Jeronymo (...) se recebeu de presente por Ma-/rido, e mulher Joam Gomes Salgado, morador / no caminho Novo das Minas, filho legitimo de João / Gomes, e de sua mulher Maria Simões, naturais / e moradores em [Povolide] freguesia de Nossa Se-/nhora do Rosário, Bispado de Vizeo, com Dona / Francisca de Moraes, natural desta Villa, filha / legitima do Capitão Luiz Marques das Neves / e de sua mulher Dona Maria de Moraes, naturais / da Cidade de Sam Paulo, Bispado do Rio de Janeiro / (...)

[Patrimônio:]

[fl124] - [Inquirição de Testemunhas:]

[1º Testemunha:] O Capitão Mathias Gonçalves Moinhos homem / casado com Dona [Josepha] [trecho corroído] de Moraes morador na Alagoas verde / distrito da Capella da Conceyção freguesia de São João de El Rey / (...) 61 anos (...) que vive de sua fazenda natural da freguesia de São / Resende comarca de Chaves Arcebispado de Braga (...) e do costume disse ser tio do sobredito doado João / Gomes Salgado. (O Capitão Mathias e sua mulher constituíram o patrimônio do habilitando)

[Depoimento:] - Não apresenta dados genealógicos.

[2º testemunha:] Dona Josepha de Moraes casada com o Capitão Mor Ma/thias Gonçalves moradora na Alagoa Verde (...) 31 anos (...) que vive de sua fazenda natural da freguesia de Nossa do Pilar / da Villa de São João de El Rey (...) e do costume disse ser tia do doado.

[Depoimento:]  Não apresenta dados genealógicos.

1-1-2 Luiz Gomes Salgado, com 12 anos em 1740. Em Carrancas aos 03-02-1761 casou com Joana Maria da Motta, aí batizada em 05-04-1744, filha do falecido Francisco Duarte da Motta e Maria de Góes, família “Francisco Duarte da Motta”.

B7: - casamentos - Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 03-02-1761 Luiz Gomes Salgado, f.l. do defunto João Gomes Salgado e D. Francisca de Moraes, n/b freg. N. Sra da Conceição dos Prados desta comarca do Rio das Mortes; = cc. Joana Maria da Motta, f.l. do defunto Francisco Duarte da Motta e Maria de Goes, n/b nesta freguesia da Sra da Conceição das Lavras da comarca do Rio das Mortes.

 

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 05-04-1744 Joana, f.l. Francisco Duarte da Motta e Maria de Goes, padr.: o Revdo Padre Francisco Jorge Martins e Francisco Viegas de Menezes da freguesia de S. João del Rei; e o dito inocente e pais moradores no Fonil desta freguesia.

Foram filhos do casal:

1-1-2-1 Flavio, batizado em Carrancas em 30-11-1764. Padre Flavio Antonio de Moraes Salgado, 1º testamenteiro e coherdeiro do tio Padre Alexandre Carlos Salgado.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 30-11-1764 Flavio, f.l. Luiz Gomes Salgado n/b na freg. de N. Sra da Conceição dos Prados e Joana Maria da Motta n. freg. de N. Sra da Conceição das Carrancas, padr.: por pp Antonio da Motta Ferreira e D. Francisca de Moraes, todos moradores desta freguesia

1-1-2-2 Luiz Gomes Salgado falecido, solteiro e sem herdeiros, antes de 28-07-1825: “Atesto haver finado, sendo ainda vivos seus pais, o Sr. Luiz Gomes Salgado, solteiro, e não consta tivesse filho algum.”

1-1-2-3 João Gomes Salgado, capitão. 2º testamenteiro e coherdeiro do tio Padre Alexandre Carlos Salgado: “Diz o Cap. João Gomes Salgado, testamenteiro do P.e Alexandre Carlos Salgado do termo desta vila, que tem cumprido as disposições da ttr.ª e com quitação do único coherdeiro com o suplicante, porque o outro faleceu no estado de solteiro em vida de seus pais, de quem foram dois herdeiros, o mesmo suplicante e o Vigario da Vara da Campanha o P.e Flavio Ant.º Salgado que já deu sua quitação, como faz ver da certidão inclusa (...).”

 

1-1-3 Alexandre, com 10 anos. Habilitou-se as ordens sacras em 1757.

AEAM - Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana

Documento: De Genere

Nome: Alexandre Carlos Salgado

Data: 1757

Local: Vila do Príncipe

Referê:ncia: R:0019 /A:01 / P:0019

Transcrito por: Izabella Fátima Oliveira de Sales a pedido de Regina Junqueira

 

[fl3]

Diz Alexandre Carlos Salgado natural / e batizado na Capela de Nossa Senhora dos Prazeres do Milho / Verde, filial da Matriz da Vila do Príncipe, Comarca do Serro do / Frio, e  morador na freguesia de Nossa Senhora do Pilar da Vila de São João de / El Rey, Comarca do Rio das Mortes, e ambas deste Bispado / de Marianna, filho legítimo de João Gomes Salgado, natural da freguesia de / São Pedro de Povolide, Bispado de Vizeu, e de sua mulher D. Francisca / de São Paulo, que ele deseja empregar-se no serviço de Deus, em o estado / sacerdotal e porque na sua pessoa concorrem os requisitos necessários; e é irmão legítimo do Padre João Gomes Salgado já nesse / Bispado por V. Exª.

 

[Margem inferior esquerda:]

Neto pela paterna de João / Gomes, e de Maria Simões, mo-/radores, que foram nolugar de / Cabril, freguesia de São Pedro / do bispado de Vizeu.

Pela Materna neto de Luis / Marques das Neves, natural e / batizado na freguesia de São / Mamede de Val Longo do / Bispado do Porto, e de Maria / de Moraes Rapozo, natural e / batizada na freguesia da Sé / da Cidade e Bispado de São Paulo.

 

[fl4] - [Inquirição de Testemunhas:]

[1º Testemunha:] Gonçallo Manoel Feijó casado natural / e batizado na Freguesia de Sam Pedro / de [Queitaens] Bispado de Orense e morador / nesta Vila que vive de seu negócio (...) 42 anos.

[fl4v] - [Depoimento:]

Apenas afirma os itens.

 [2º Testemunha:] Leandro Jose de Moura Solteiro na/tural e batizado na Freguesia de Nossa / Senhora do Pillar desta Vila de Sam Jo/am de El Rey e nela morador que vive de seu ofício de carapina (...) 34 anos (...)

[Depoimento:]

Apenas afirma os itens.

 [fl5] - [3º Testemunha:] Bento Andre Pereira Solteiro natural / e batizado na Freguesia de Sam Pedro / Fins de Pondres Arcebispado de Braga / morador nesta Vila que vive de mine/rar (...) 59 anos (...)

[Depoimento:]

Apenas afirma os itens.

 [fl5v] - [4º Testemunha:] O Tenente Bras Alves Antunes Solteiro natural e batizado na Freguesia de / Villa Nova de Muhia Arcebispado de / Braga e morador nesta Vila que vive / de minerar (...) 38 anos (...)

[Depoimento:]

Apenas afirma os itens.

 [5º Testemunha:] Caetano da Silva Solteiro natural e ba/tizado na Freguesia de Sam Joam Baptis/ta de Silva Escura Bispado de Vizeu e mora/dor nesta Vila que vive de minerar (...) 49 anos (...)

[Depoimento:]

Apenas afirma os itens.

 

          Padre Alexandre Carlos Salgado faleceu com testamento feito Santana das Lavras em 09-05-1792 (pesquisa Maria Ângela Araújo Caiafa Lagoa em 2002):

MRSJDR - Testamento - 1803, caixa 118

Testador: Pe. Alexandre Carlos Salgado

Testamenteiro: João Gomes Salgado, (Cap.)

Local : São João del Rei

Data assinatura testamento: 9 de maio de 1792

Data aprovação do testamento: 11 de junho de 1792

"(...) Eu Pe. Alexandre Carlos Salgado, estando (...) declaro que sou sacerdote do hábito de São Pedro, natural e batizado na freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Matto Dentro do Cerro do Frio Comarca da Villa do Principe. Filho Legitimo de João Gomes Salgado, e D. Francisca de Morais não tenho herdeiros forçados ascendente ou descendentes.

Primeira mente nomeio por meus testamenteiros a meo Sobrinho o Pe. Flávio Antonio de Moraes Salgado, em 2.o lugar a meu sobrinho João Gomes Salgado; e 3.o Manoel Antonio Teixeira aos quais constituo por administradores (....) Assim que eu falecer da vida prezente, ordeno que meu corpo seja envolto ...... no habito da Sra. do Monte do Carmo de quem sou terceiro, ou do de São Francisco, de quem também sou terceiro..... depois do me...  Pe Sam Pedro com o he costume e Sepultado na igreja que estiver mais próxima ao tempo do meu falecimento, e me acompanhar o Rev. Paroco que (...). (fl.2)

Deixo a minha sobrinha Joaquina filha de meu primo Francisco Fernandes das Neves oitenta mil reis.

Deixo mais sessenta mil reis a Leocadia filha de Bartholomeu da Rosa que está em casa do meo irmão Luiz Gomes Salgado. Deixo mais quarenta mil reis para Mariana filha de Bento, Maria Vaz que foram morar no. . Deixo mais quarenta mil a Custodia exposta na casa do fallecido Pe. Manoel da Silva. Deixo mais 40 mil reis para Maria filha de João M                 das N    e de Josefa Alexandrina minha afilhada.

Deixo mais trinta mil reis a meu criolo Francisco que é forro, filho de Joana escrava de Izabel Maria de Souza (...)."

Assinou o testamento em Santana das Lavras - 9 /5/1792

1-1-4 Josefa, com 7 anos em 1740. Josefa Maria Claudina, solteira em 1752.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 25-05-1752 nas Lavras do Funil em casa de D. Maria da Costa Mança com dispensa, Violante, f. nat de Gertrudes Bernarda e pai incognito, padr.: Luiz Gomes Salgado e Josefa Maria Claudina, solteiros filhos de D. Francisca de Moraes todos desta freguesia.

1-1-5 Tomasia, com 5 anos. Tomasia Gomes Salgada, solteira em 1761.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 20-02-1761 Ana, f.l. Simão Frz e Quiteria Glz, padr.: Manoel Frz, solteiro e Tomasia Gomes Salgada filha leg. de D. Francisca de Moraes.

1-1-6 Fernando, com 2 anos.

 

1-2 Josefa de Moraes (Sarmento) aos 02-06-1735 casou com Cap. Mor Matias Gonçalves Moinhos, natural da freguesia de S. Resende comarca de Chaves Arc. de Braga, filho de Antonio Gonçalves Moinhos e Ana Alves Vilhena naturais de Montealegre Arc. Braga.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, cap. N. Sra da Conceição aos 02-06-1735 Cap. Matias Gonçalves Moinhos cc Josefa de Moraes. Test.: Francisco Marques das Neves e Tome Fernandes das Neves.

          Cap. Matias e Josefa constituiram o patrimônio do sobrinho Padre João Gomes Salgado. No “de genere” em 1748 Cap. Matias declara a naturalidade e idade de 61 anos Josefa declara 31 anos.

Pais de, pelo menos:

1-2-1 Matias Gonçalves Moinhos de Vilhena, batizado em S. João del Rei em setembro de 1753. Casou duas vezes.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, no oratório do Cap. Mor Mathias Gonçalves Moinhos em Setembro de 1753, Matias, f.l. Cap. Mor Mathias Gonçalves Moinhos e Josefa de Moraes, np Antonio Gonçalves Moinhos e Ana Alves Vilhena, nts de Montalegre Arc. Braga, nm Cap. Luiz Marques das Neves n. freg. S. Mamede Bispado do Porto, padr.: Padre Dr. Vigario da Vara Jose e Souza.

          Em Abril de 1789, viúvo de Izabel Teresa de Jesus Pereira falecida em 19-09-1788, casou com Iria Claudina Umbelina da Silveira, batizada em 04-11-1768, filha do Dr. José da Silveira e Souza e Maria Josefa da Cunha.

Lavras, MG Igreja Santa Ana ob - aos 19-09-1788 faleceu D. Izabel Teresa de Jesus mulher do Coronel Mathias Gonçalves Moinhos de Vilhena. Sepultada dentro desta matriz.

 

B7: Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, 27 ou 28 de Abril de 1789 na Capela N. Sra. das Dores do Hospital, filial desta vila de SJDR, Coronel Mathias Gonsalves Moinhos de Vilhena, f.l. Cap. Mor Mathias Gonsalves Moinhos e D. Josefa de Moraes Sarmento, viuvo de D. Izabel Theresa de Jesus Pereira; = cc. Dr. Iria Claudina Umbelina da Silveira, f.l. do Dr. Jose da Silveira e Souza e D. Maria Josefa da Cunha.

 

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 04-11-1768 Iria, f.l. Dr. Jose Silveira Souza e D. Maria Josefa da Cunha, padr.: Padre Dr. Matias por pp ao Cap. Joaquim Jose da Silveira, e D. Ana, casada

 

Entre os filhos do Cel. Matias e Iria:

1-2-1-1 Maria Izabel, batizada em 27-08-1793.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 27-08-1793 Maria Izabel, f.l. Cel. Matias Gonçalves Moinhos Vilhena e D. Iria Claudina da Silveira, padr.: Manoel Antonio de Castro

1-2-1-2 Antonia em 08-09-1802

Campanha, MG Igreja Sto Antonio aos 08-09-1802 na capela de S. Gonçalo bat a Antonia, f. Cel. Mathias Gonçalves Moinhos e D. Iria Claudina Umbelina da Silveira, foram padrinhos Cap. João da Silva Ribeiro por pp q apresentou o Cap. Luiz Carlos da Fonseca Reis, e D. Quiteria Maria da Silveira.

1-2-1-3 Mariana, batizada em 26-12-1803.

Campanha, MG Igreja Sto Antonio aos 26-12-1803 na capela de S. Gonçalo bat a Mariana, f.l. do Cel. Mathias Gonçalves Moinho de Vilhena e D. Iria Claudiana Umbelina da Silveira. Foram padrinhos o Ten. Manoel Antonio Teixeira por pp q apresentou  o Ajudante Inacio Jose da Silveira Cunha Bueno, e D. Mariana Candida da Silveira.

 

1-3 João Marques Padilha, em Santana das Lavras em 27-11-1756, casou com Maria de Barros natural de Itu-SP, filha de Bento de Barros Bicudo e Maria Garcia. Maria é citada na Genealogia Paulista sem o conjuge (SL. 6º, 327, 6-2); aportes à Genealogia Paulistana “Bento de Barros Bicudo”.

B7: casamentos - Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 27-11-1756 capela Santa Ana das Lavras João Marques  Padilha, n. da freg. do Pilar da vila de S. João del Rei, f.l. Cap. Luiz Marques Neves e Maria de Moraes; = cc. Maria de Barros, n. da vila de Itu bispado de S. Paulo, f.l. Bento de Barros Bicudo e Maria Garcia.

João e Maria tiveram filhos batizados em Carrancas, q.d.:

1-3-1 Joaquim, em 24-02-1758.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 24-02-1758 Joaquim n. aos 14, f.l. João Marques Padilha n. freg. S. João del Rei e Maria de Barros n. desta freguesia, padr.: Manoel da Costa Graça e Custodia de Moraes, viuva.

          Joaquim José Marques das Neves (ou Padilha) aos 26-11-1782 casou com Teresa Vitória de Jesus, filha do Alf. José Bernardes Xavier e Ana Quitéria de Jesus, família “Jacome Fernandes das Neves”, neste site.

Lavras, MG Igreja Santa Ana aos 26/Nov/1782, Matriz, Joaquim José Marques das Neves, f. de João Marques Padilha e de Maria de Barros, nat. e bat. na freg. de Lavras; c.c. Teresa Vitória de Jesus, f. do Alferes José Bernardes Xavier e de Ana (sic)Vitória de Jesus, nat. e bat. na freg. de S. João Del Rei. TT: o Licenciado Fernando Antônio Duarte e João Antônio Duarte (pesq. Silvia Buttros).

Entre os filhos do casal:

1-3-1-1 João, batizado em 30-11-1785.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 30-11-1785 João, f.l. Joaquim Marques Padilha e Teresa Vitoria de Jesus, padr.: João Marques Padilha e Ana Angelica.

1-3-2 Ana Joaquina do Espírito Santo, em 07-08-1763. Aos 25-11-1777 casou com Joaquim José Barreiros, filho de Domingos Rodrigues Barreiros e Jacinta Bernarda, família “Domingos Rodrigues Barreiros”.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 07-08-1763 Ana, f.l. João Marques Padilha e Maria de Barros, np Cap. Luiz Marques das Neves e Maria de Moraes, nm Bento de Barros Bicudo e Maria Garcia, padr.: Jose Fernandes das Neves e Rosa de Araujo Campos mulher do dito

 

1-3-3 Maria Vitória de Jesus, batizada aos 08-02-1767. Aos 04-11-1784 casou com José dos Santos de Andrade, batizado na Campanha em 01-11-1758, filho de Manoel Migueis de Andrade natural de S. Martinho de Salres Bispado de Coimbra e Antonia Maria Clara natural de Guaratingueta-SP, neto paterno de Manoel Migueis e Francisca de Andrade, neto materno de Maria Marins do Prado natural de Guaratingueta e seu segundo marido Matias Alves Negrão, natural de Monte Alegre Arc. de Braga. Família “Martins do Prado - Marins do Prado”.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 08-02-1767 matriz, Maria n. aos 30-01, f.l. João Marques Padilha n. freg. S. João del Rei e Maria de Barros n. vila de Itu-SP, padr.: Alf. Francisco Alves Landim e Joana Maria da Motta mulher de Luiz Gomes Salgado.

 

Casamentos - Freguesia de N.S. da Conceição das Carrancas e Sta Ana das Lavras do Funil, aos 04-11-1784 na Cap. S. Bento Campo Belo filial da matriz S.Ana, Jose dos Santos de Andrade, f.l. Manoel Migueis de Andrade e Antonia Maria Clara, n/b freg. S. Antonio do Val da Piedade da Campanha do Rio Verde; = cc. Maria Victoria de Jesus, f.l. João Marques Padilha e Maria de Barros, n/b nesta freguesia S. Ana Lavras do Funil

 

B7 Igreja Santo Antonio (Campanha, Minas Gerais) aos 01-11-1758 Jose, f.l. Manoel Miguei n. freg. S. Martinho de Salres Bispado de Coimbra e Antonia Maria n. da vila de Guaratingueta Bispado de SPaulo, np Manoel Migueis e Francisca de Andrade nts da dita freguesia de Salres. nm  Matias Alves n. de Monte Alegre Bispado de Braga e Maria Mariz do Prado n. Guaratingueta-SP, padr.: Cap. Tome Miz da Costa casado em Portugal, e Rita Maria da Conceição viuva de Agostinho Jose.

Pais de, q.d.:

1-3-3-1 Maria Teodora de Andrade, natural de Três Corações-MG, casou duas vezes. Com João Bernardo da Costa e com Teodoro Carvalho da Silva. Faleceu com testamento em 19-03-1853. Sem Geração do segundo matrimônio, teve do primeiro os filhos: José dos Santos = Joaquim Bernardes = Maria Josefa = Ana Theodora, casada = Rita de Cassia = Maria Vitória solteiras

CPA03 Testamentos - Campanha da Princesa 1846-1854

Registro do testamento com que faleceu D. Maria Theodora de Andrade a 19-03-1853 de quem é testamenteiro Antonio Joaquim da S.ª.

Eu, Maria Theodora de Andrade, f.l. do Tenente Jose dos Santos de Andrade e D. Maria Victoria de Jesus, n/b na freg. dos Três Corações de Jesus Maria Jose do Rio Verde onde moro.

Fui cc. João Bernardo da Costa de cujo matrimonio existem: Jose dos Santos = Joaquim Bernardes = Maria Josefa = Anna Theodora,casada  = Rita de Cassia = Maria Victoria solteiras, que são meus herdeiros.

(...) passei a segundas nupcias com Theodoro Carvalho da Silva de cujo matrimonio não tivemos filhos.

Testamenteiros: 1º meu marido Theodoro Carvalho da Silva, 2º Manoel da Costa e Silva, 3º Antonio Joaquim da Silva.

Declaro que por um contrato que fiz com meu filho Jose dos Santos dei-lhe a quantia de um conto de réis, com cuja quantia entrara para o monte para lhe sairem da minha terça.

Meu filho Jose dos Santos me deu de emprestimo 590$000;

A viuva e herdeiros de João Ignacio Padilha me devem 250$000.

Em poder de meu marido se acham 200$000 réis pertencentes as órfãs Rita e Maria os quais ele ficou de dar-lhes.

O remanescente de minha terça se reparta por meus cinco filhos aos quais instituo herdeiros dela, ficando excetuado Jose dos Santos.

Nomeio tutor de minhas filhas órfãs, Rita de Cassia e Maria Victoria, meu marido Theodoro Carvalho da Silva.

Rio Verde 02-03-1853 Maria Theodora de Andrade.

Aprovação: 02-03-1853

Abertura: 19-03-1853

Desistencia: 03-04-1853 Theodoro Carvalho da Silva. Passe ao segundo nomeado

Desistencia: 03-04-1853 Manoel da Costa Silva. Passe ao terceiro nomeado.

Aceitação: 03-04-1853 Antonio Joaquim da Silva

 

1-3-3-2 José Higino de Andrade, com 27 anos em 1812 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 3º grau para se casar com Cândida Flora do Prado, filha de João Correa Ximenes de Azeredo e Maria Josefa Alves de Aquino, neta paterna de Agostinho José de Azeredo e de Rita Maria do Prado, neta materna de João Crisostomo de Magalhães e Bárbara Maria Dias. Rita Maria do Prado era filha de Maria Marins do Prado e seu primeiro marido Marcos Lopes de Faria, Bárbara Maria Dias era filha da mesma Maria Marins do Prado e seu segundo marido Matias Alvares Negrão; famílias “Martins do Prado - Marins do Prado” e “João Crisóstomos de Magalhães”.

 

1-3-4 Antonio, batizado em 04-01-1770

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 04-01-1770 matriz N. Sra da Conceição de Carrancas, Antonio n. aos 16-12-1769, f.l. João Marques Padilha e Maria de Barros, padr.: Padre Manoel Afonso da Cunha Pereira coadjutor desta freguesia e D. Maria de Nazare mulher de Germano Jose Freire,

1-3-5 Luiz, em 10-06-1772.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 10-06-1772 matriz, Luiz, f.l. João Marques Padinha e Maria de Barros, padr.: Matias Gonçalves de Vilhena, casado e D. Josefa de Moraes mulher de Matias Gonçalves Moinhos com pp a D. Izabel Teresa de Jesus

1-3-6 Furriel João Marques Padilha aos 21-05-1787 casou com Ana Branca de Toledo, batizada em Carrancas aos 09-03-1767, filha do Cap. Antonio Pereira de Carvalho e sua primeira mulher Ana Branca de Toledo, Geração na família “Diogo Garcia”.

Casamentos - Freguesia de N.S. da Conceição das Carrancas e Sta Ana das Lavras do Funil, aos 21-05-1787 paroquial de S. Ana, Furriel João Marques Padilha, f.l. de outro e D. Maria de Barros; = cc. D. Anna Branca de Toledo, f.l. Capitão Antonio Pereira de Carvalho e D. Anna Branca de Toledo. Nts/bts freg. das Lavras

 

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 09-03-1767 cap. Porto Real, Ana n. aos 02, f.l. Antonio Pereira de Carvalho e Ana Branca de Toledo, padr.: Manoel Pereira de Carvalho e Brigida Angelica de Toledo.

 

1-3-7 Ana Angélica de Jesus aos 29-06-1796 casou com João Pereira de Araújo, filho Amaro Pereira de Araújo e sua segunda mulher Maria Gonçalves Chaves, família “Amaro Pereira de Araújo”.

 

1-4 Rita Maria de Moraes aos 26-05-1762 casou com Francisco Alves Landim, natural da vila de Barcelos Arc. de Braga, filho de João Alves e Angélica de Araújo.

B7: casamentos - Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 26-05-1762 Francisco Alves Landim, n/b freg. S. Martinho de B---- termo da vila de Barcelos Arc. Braga, f.l. João Alves dos [----] e Angelica de Araujo, já defuntos; = cc. Rita Maria de Moraes, n/b na freg. N. Sra do Pilar da vila de S, João del Rei, f.l. Luiz Marques das Neves, já defunto e D. Maria de Moraes, já defunta; todos moradores desta.

Cap. Francisco faleceu em 08-02-1787:

Lavras, MG aos 08-02-1787 faleceu Cap. Francisco Alves Landim casado com D. Rita Maria de Moraes, sepultado nesta paroquial de Santa Ana.

Pais de, q.d.:

1-4-1 Joana Teodora de Moraes Landim, batizada em 19-05-1763. Solteira em 1770.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 19-05-1763 Joana n. aos 13, f.l. Sarg. Mor Francisco Alves Landim n. da freg. de S. Martinho de --fe Arc. Braga e Rita Maria de Moraes n. freg. S. João del Rei, padr.: Revdo Padre João Gomes Salgado e D. Francisca de Moraes, viuva.

 

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 12-08-1770 matriz, Teodora, f.l. Bartolomeu da Rosa e Teresa Rodrigues, padr.: o Padre Coadjutor Manoel Afonso da Cunha Pereira e D. Joana Teodora de Moraes Landim, solteira filha do Alf. Francisco Alves Landim.

 

 

§ 2º - Teresa de Moraes

(atualizado em 25-março-2017) 

 

Teresa de Moraes, nascida em São Paulo, casou em São João del Rei aos 09-05-1707 com André do Valle Ribeiro, natural da Freguesia do Valongo do Bispado do Porto onde nasceu aos 24-05-1675. Era filho de Domingos Francisco e de sua mulher Maria do Valle.

 

Foram proprietários de terras no Caminho Velho, junto ao Rio das Mortes Pequeno, com casas de vivenda e senzalas, avaliado no inventário de Tereza em 110$000. Tinham também um sitio menor em São Miguel do Cajuru, em cuja capela batizaram filhos.

 

Certidão do casamento de André e Teresa no processo de habilitação sacerdotal de seu neto Antonio Martins Saldanha, neste site. Ascendência portuguesa de André em:

André do Valle Ribeiro e sua Ascendência

 

André teve o inventário de seus bens aberto pela viúva em 1720. Tereza faleceu aos 20-08-1727 com inventário aberto no mesmo ano por seu cunhado Luiz Marques das Neves.

 

Segundo os inventários, neste site, André e Tereza tiveram:

 

2-1 Manoel do Valle Ribeiro, com 12 anos em 1720

 

2-2 Maria de Moraes Ribeira, batizada em 15-05-1711 em S. João del Rei onde aos 10-06-1725 casou com Antonio de Brito Peixoto, natural de de S. João do Souto Arc. Braga, filho de Inácio de Andrade Peixoto e Clara de Brito.

 

Ascestrais de

Antonio de Brito Peixoto

 

          Antonio foi inventariado pela viúva em 1750 (inventário neste site) e Maria faleceu em 13-05-1794 em Carrancas-MG onde morava e foi inventariada no mesmo ano (inventário no site de Luís Antonio Villas Boas).

Foram filhos do casal:

2-2-1 Teresa Maria da Conceição em 1750 estava casada com Simão de Oliveira Pereira. Viúva, Teresa ditou seu testamento em São Gonçalo da Ibituruna em 15-06-1812, aberto em 07-08 do mesmo ano. Declarou sete filhos de seu casal sendo três falecidos sem geração. Foi inventariada em 1813 (inventário neste site):

2-2-1 João de Oliveira Pereira, solteiro com 55 anos em 1813. Inventariante materno.

2-2-2 Joaquina Maria d'Oliveira casou com Manoel Martins Ferreira, filho de André Martins Ferreira e Maria de Souza Monteiro. Geração na família “Souza Monteiro - Monteiro Lopes” Cap. 1º, § 6º.

2-2-3 Mariana Tereza de Oliveira, já falecida, foi casada com José Martins Ferreira, irmão de Manoel Martins Ferreira supra citado. Geração na mesma família § 1º.

2-2-4 Ângela Teodora de Oliveira, já falecida, foi a primeira mulher de Antonio Pereira Lima, filho de Manoel Antonio Pereira e Tereza Maria de Jesus. Geração na família “Domingos Antonio Pereira”.

2-2-2 José, batizado em 23-09-1733 na Capela de S Miguel do Cajuru. José de Andrade Peixoto casou com Mariana Vitória do Nascimento, filha de João Gonçalves de Mello e Ana Quiteria de Souza. Geração na família “João Gonçalves de Mello”.

2-2-3 Jacinta, 14 anos em 1750. Jacinta Maria da Conceição em 09-03-1770 estava casada com o Ajudante Gregório Lopes dos Reis, natural da cidade de Coimbra-PT, filho de Manoel Lopes dos Reis e Maria Gomes. Ajudante Gregorio foi casado em primeiras nupias com Maria da Conceição, filha do Cap. Antonio Barreto de Lima e Ana Moreira Barbosa, com a geração na família “Gaspar João Barreto”.

Inventário paterno:

Data: 9-3-1770

Local: São Gonçalo do Rio Verde

Outorgante: Gregório Lopes dos Reis

Procuradores: Domingos Alves Fontes e Joaquim Coelho de Souza

Fim: dar quitação da legítima de sua mulher Jacinta Maria da Conceição

          Aos 22-10-1790, viúva e por carta de arras, Jacinta casou segunda vez com José Antonio de Almeida, batizado em S. José del rei aos 22-12-1756, filho de Antonio de Almeida e de Francisca Teresa Ozoria, neto paterno de Antonio Gonçalves e Maria da Costa de Almeida naturais da freguesia do Bom Jesus da Ilha de S. Miguel, neto materno de Amaro Fernandes natural da Ilha de S. Jorge e de Josefa Joaquina natural da vila de Santarem.

Campanha, MG [Jose Antonio de Almeida com Jacinta Maria] aos 22-10-1790 se receberam Jose Antonio de Almeida, f.l. de Antonio de Almeida e de Francisca Teresa Ozoria, n/b na freguesia da vila de S. José = cc D. Jacinta Maria da Conceição, viuva de Gregorio Lopes dos Reis. Testemunhas presentes João Francisco Grillo e Joaquim Garcia.

 

São José del Rei, Minas Gerais e capelas filiadas, aos 22-12-1756 Lage, Joseph, f.l. Antonio de Almeida e Francisca Teresa, np Antonio Gonçalves e s/m Maria da Costa de Almeida naturais da freg. do Bom Jesus da Ilha de S. Miguel, nm de Amaro -rz natural da Ilha de S. Jorge e s/m Josepha Joachina natural da vila de Santarem, padr.: João Francisco Affonço e Ana Maria de Mendoça, mulher de Francisco Correa dos Santos.

          Jacinta Maria da Conceição faleceu em 6 de Agosto de 1816 em Silvianopolis (ex- Santana do Sapucai), MG com testamento de 23-08-1813. Sem geração de ambos os matrimônios e sem herdeiros forçados, instituiu herdeiros dos remanescentes, em partes iguais, a seus quatro enjeitados.

Silvianopolis, MG aos 06-08-1816 faleceu de morte natural D. Jacinta Maria da Conceição, casada que era c om o Sargento Mor Jose Antonio d Almeida, teria de idade 80 anos. Sepultada nesta matriz, fez seu testamento: (...) eu D. Jacinta Maria da Conceição (...) sou natural da freguesia de S. Ana das Lavras do Funil, f.l. de Antonio de Brito Peixoto e Maria Ribeira de Moraes, ja falecidos. Sendo casada primeira vez com o Ajudante Gregorio Lopes Reis, por seu falecimento casei segunda vez por carta de arras com o Cap. Jose Antonio de Almeida, e nem de um, nem do outro cnsorcio não tenho filho algum e por consequencia não existe herdeiro algum forçado.

Viuvando de meu primeiro marido o Ajudante Gregorio Lopes dos Reis, se me tiraram todos os bens que havia para pagamento dos credores do casal, por isso não tenho cousa alguma. Me casei com carta de Arras com aquele meu segundo e atual consorte o Cap. Jose Antonio de Almeida.

Testamenteiros em 1º lugar a meu marido Cap. Jose Antonio de Almeida, em 2º Cap. Manoel Marques de Oliveira, e em 3º a Joaquim Jose Rodrigues.

Deixo de esmola a Umbelina Matildes dos Reis cc Ignacio Agostinho Preto 200.000 rs. Satisfeitos os meus legados e funeral, do mais que sobrar instituo por meus herdeiros a meus engeitados Joaquim de Campos dos Reis, Jacinta Maria, Joaquim Modesto e um nascido ainda por batizar e se ha de batizar como nome de Jose, a todos quatros em igual parte. Fazenda de Santa Barbara aos 23 de agosto de 1813 Jacinta Maria da Conceição. E nada mais se continha no dito testamento, a não ser a sua aprovação. Santa Ana do Sapucai seis de agosto de 1816 O Coadjutor Manoel Martins Coimbra.

2-2-4 Maria, gemea com Ângela, batizadas ambas na Matriz de Carrancas em 05-04-1738. Maria Vitória do Nascimento aos 19-02-1775 casou na mesma matriz com Domingos de Paiva e Silva, filho de Domingos de Paiva e Tomasia Maria da Silva. Geração na família “Domingos de Paiva” Cap. 2º.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 05-04-1738 Maria e Angela, filhas leg. de Antonio de Brito e Maria de Moraes, moradores no Ribeirão do Bom Sucesso desta freguesia, padr.: Francisco de Avila Fagundes e s/m D. Maria da Porciuncula

2-2-5 Ângela, batizada em 05-04-1738, gemea com Maria supra. Ângela Maria de Jesus, falecida em 10-10-1761, foi casada com Bento Manoel do Nascimento.

2-2-6 Jerônimo, 10 anos em 1750, batizado aos 09-10-1740 na Matriz de Carrancas. Jerônimo de Andrade Brito casou com Maria de Souza Monteiro, filha de André Martins Ferreira e Maria de Souza Monteiro. Geração na família “Souza Monteiro - Monteiro Lopes” Cap. 1º, § 2º

2-2-7 Dorotéia, 7 anos em 1750. Dorotea Maria de Jesus casou com Manoel Mendes de Abreu. Entre seus filhos:

2-2-7-1 Maria Mendes de Brito, batizada em Serranos aos 01-09-1762. Aos 19-08-1778 casou com José Joaquim Villela, filho de Domingos Villela e Maria do Espirito Santo. Geração na família “Villela” Cap. 8º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 01 set 1762 Serranos, Maria, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e s/m Dorothea Maria de Jesus; padr.: Bento Mel. de Vaguim (?) tio, e sua avó Maria de Morais.

 

Aiuruoca, MG. À margem, José Joaquim Villela e Maria Mendes de Britto. Aos 19/08/1778, na Matriz, Joaquim José Villela (sic), f.l. de Domingos Villela e Maria do Espírito Santo, natural e batizado na freguesia de Santana das Lavras, e Maria Mendes de Britto, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorothea Maria de Jesus, natural e batizada nesta freguesia da Aiuruoca. Testemunhas o Reverendo José Antônio da Silva, e o Alferes Caetano José de Souza (pesq. Silvia Buttros).

2-2-7-2 Ana batizada em 25-09-1764.

Aiuruoca, MG aos 25-09-1764 na Capela dos Serranos bat a Ana, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, foram padrinhos Manoel Ribeiro de Brito e s/irmã Maria Vitoria de Jesus.

2-2-7-3 José em 12-11-1767.

Aiuruoca, MG aos 12-11-1767 na Capela dos Serranos bat a Jose n. aos 22-8bro-1767, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, foram padrinhos Jose de Andrade Peixoto e e sua irmã The[] Maria de Brito da freguesia das Carrancas.

2-2-7-4 Ana batizada em 12-12-1770.

Aiuruoca, MG aos 12-12-1770 na Capela dos Serranos bat a Ana q nasceu aos 26 de 9bro, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, foram padrinhos João Ribeiro da Silva e Vitoria Maria de Jesus.

         Ana Esméria Mendes aos 03-10-1791 casou com Cap. José Nogueira de Sá, natural de baependi, filho de José de Sá e Joana Nogueira.

Aiuruoca, MG aos 03-10-1791 (primeiro da direita) se casaram Cap. Jose Nogueira de Sá, f.l. de Jose de Sa e D. Joana Nogueira, n/b na freguesia de Baependi = Com D. Ana Esmeria Mendes, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, n/b nesta freguesia de Aiuruoca.

2-2-7-5 Genoveva Ponciana de Brito batizada aos 28-03-1773. Aos 22-07-1793 casou com José Manoel de Seixas, filho de Antonio de Seixas Ribeiro e Rosa Maria Pires, família “Antonio de Seixas Ribeiro”

Aiuruoca, MG aos 28-03-1773 na Capela dos Serranos bat a Genoveva, n. a 4 do dito mes, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, foram padrinhos Amaro Gonçalves Chaves e Ana Teresa da Assunçãomulher do Alf. Jose de Barros, todos desta freguesia.

2-2-7-6 Luisa batizada em 10-07-1775.

Aiuruoca, MG aos 10-07-1775 bat Luiza, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, foram padrinhos Manoel Jose de Moraes e D. Leonor da Assunção mulher do Cap. João Ribeyro da Silva, da freguesia da Campanha.

2-2-7-7 Esméria Mendes de Brito batizada em 13-07-1778.

Aiuruoca, MG aos 13-07-1778 na Capela dos Serranos bat a Esmeria, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorotea Maria de Jesus, foram padrinhos Manoel Joaquim de Andrade, solteiro filho de Maria de Moraes, viúva, e Mariana Vitoria do Nascimento mulher de Jose de Andrade, estes da freguesia das Lavras e os mais desta.

         Aos 26-02-1794 casou com Joaquim José Alves, filho de Gregorio José Alves e Catarina Maria do Espirito Santo. Geração na família “Gregório José Alves.

2-2-7-8 Luisa Ludovina Mendes, batizada em Aiuruoca em 29-12-1782. Aos 23-11-1801 casou com Francisco José de Barros, batizado em Aiuruoca aos 14-09-1777, filho do Cap. José de Barros Monteiro natural de S. Martinho do Aliviado Bispado do Porto e Ana Teresa da Assunção natural de Prados-MG, neto paterno de Manoel Ribeiro de Barros natural de S. Martinho do Aliviado e Rosa Monteiro natural de S. Martinho dos Fornos ambos Bispado do Porto, neto materno de Francisco Rodrigues Goulart natural da Ilha do Pico e Leonor da Assunção natural de Prados-MG.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 29 dezembro 1782 Livramento, Luisa, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e Dorothea Maria de Jesus; padr.: Jose Joaquim Vill---- e Agostinha da ----.

 

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. Livramento aos 23 nov 1801 Francisco Joseph de Barros, f.l. do cap. Joseph de Barros Monteiro e d. Anna Teresa de Assumpção; c/ Luiza Ludovina Mendes, f.l. de Manoel Mendes de Abreo e Dorothea Maria de Jesus. Ns. e bts. nesta freg. de Aiuruoca.

 

B7: Igreja  N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 14 set 1777 FRANCISCO, f.l. do cap. Joze de Barros Monteiro n. freg. de S. Martinho de Aliviado do bisp. do Porto e Anna Teresa da Assunçam n. da freg. Sra. Conceição dos Prados; np de Manoel Ribeiro de Barros n. da dita freg. de S. Martinho e s/m Rosa Monteiro n. da freg. de Sto. Martinho de Fornos bispado do Porto; nmaterno de Francisco Rodrigues Goulart n. da Ilha do Pico e s/m Leonor da Assunção n. da freg. dos Prados; padr.: Revdo. Matias Pinto de Andrade e d. Margarida Clara de Azevedo mulher de Manoel Marinho de Moura.

 

Comparecem no censo de 1831 com vários filhos, entre eles:

Censo Livramento 30-10-1838, fogo 5,

Francisco Jose de Barros, branco, 59, casado, lavrador, sabe ler

Luiza Ludovina, branco, 54, casado

Gabriel Jose, branco, filho, 18, solteiro, tropeiro, sabe ler

Francisco Jose, branco, filho, 13

Francisca Leopoldina, branco, filho, 25, viúva, não sabe ler

Ana Teodora, branco, filho, 30, casado

João (filho de Francisca), branco, 4

Maria (filho de Francisca), branco, 6

Maria (filho de Ana Teodora), branco, 5

20 escravos de Francisco de Barros

10 escravos de Francisca

7 escravos de Ana

 

2-2-7-8-1 Ana Teodora de Barros, batizada em 01-11-1804. Em 1825 requereu dispensa para se casar com o Cap. Mor Francisco Antonio Diniz Junqueira, viúvo de Mariana Constança de Andrade, família “Souza Diniz” Cap. 2º, neste site.

Aiuruoca, MG livro misto 1821-1827. Apresentação e Jurmento aos 31-08-1825. Cap. Mor Francisco Antonio Diniz Junqueira e D. Ana Teodora de Barros.

Depoimento dos contraentes

Cap. Mor Francisco Antonio Diniz Junqueira, viuvo de D. Mariana Constancia de Andrade, morador na vila Franca do Imperador Bispado de S. Paulo = e D. Ana Theodora de Barros, f.l. Alf. Francisco Jose de Barros e D. Luiza Lidovina Mendes, n/b nesta freguesia de Aiuruoca.

No L. 7 de bat. a f. 210: No 01-11-1804 na ermida do Sr. Bom Jesus do Livramento filial desta matriz da Aiuruoca bat a Ana, f.l. Francisco Jose de Barros e D. Luiza Ledovina Mendes, padr.: Gabriel Barbosa e D. Ana Teresa da Assunção avó paterna

L. 2 de óbitos desta freguesias: aos 19-06-1825 nesta freguesia da Franca faleceu Mariana Constancia de Andrade, de 32 anos casada com Cap. Francisco Antonio Diniz Junqueira. Jaz nesta matriz

O Cap. M. Francisco Antonio Diniz e D. Ana Theodora se acham dispensados do impedimento que os ligava

2-2-7-8-2 Maria Leopoldina de Barros casou com Venâncio Rodrigues Alves, filho de João Rodrigues Braga e Teresa Alvares da Cunha. Geração na família “Cunha de Carvalho - Carvalho da Cunha” § 3.

 

2-2-7-9 Mariana Mendes de Abreu, batizada em 20-11-1785. Aos 23-11-1801 casou com Pedro José Alves, filho de Gregório José Alves e Catarina Maria do Espirito Santo. Geração na família “Gregório José Alves”.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 20 nov 1785 Varador - Marianna, f.l. de Manoel Mendes de Abreu e d. Dorothea Maria de Jesus; padr.: Manoel Perera da Silva e Alvina Maria de Almeida.

2-2-8 Ana, batizada em 05-01-1745. Ana Antonia e Brito aos 20-02-1775 casou com Antonio de Paiva e Silva, filho de Domingos de Paiva e Tomasia Maria da Silva. Geração na família “Paiva” Cap. 2º

 .

2-2-9 Luiza, batizada em 29-09-1748. Luiza Tereza de Brito aos 26-08-1772 casou com Amaro Gonçalves Chaves de Mendonça, filho de Bernardo Gonçalves Chaves e Francisca Maria de Mendonça. Geração na família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 3º.

B7: Igreja Nossa Senhora da Conceição (Carrancas, Minas Gerais) aos 29-09-1748 Luiza, f.l. Antonio de Brito Peixoto e Maria de Moraes, padr.: Francisco de Ávila Fagundes e s/m D. Maria Barbosa da Perciuncula.

2-2-10 Manoel Joaquim de Andrade, nasceu aos 14-11-1750 e foi batizado aos 08 do mês seguinte, póstumo. Aos 31-01-1780 casou com Laureana de Souza Monteiro, filha de André Martins Ferreira e Maria de Souza Monteiro. Geração na família “Souza Monteiro - Monteiro Lopes” Cap. 1º § 7º.

 

2-3 Antonio, com 7 anos em 1720. Antonio do Valle Ribeiro aos 13-06-1739 casou com Rosa Maria de Jesus, natural da Ilha Terceira onde foi batizada aos 19-02-1719, filha de João Garcia Pinheiro e Maria Leal. Outras informações da família de Rosa Maria em aportes à GP: “Maria do Rego Barbosa c3c Manoel José Bettencourt”.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, aos 13-06-1739 capela S. Miguel do Cajuru, Antonio do Valle Ribeiro, f.l. Andre Valle Ribeiro e Teresa de Moraes = cc. Rosa Maria de Jesus n. freguesia de S. Pedro da Ilha Terceira Bispado de Angra, f.l. João Garcia Pinheiro e Maria Leal.

 

(indicação de Geraldo Dutra de Andrade Neto.) Região Autónoma Açores, Angra do Heroísmo, S. Pedro batismos 1711-1720 im 131 Rosa nascida de oito dias filha de Joam Grasia d de s/m Maria Lial naturais da Ilha do Faial ele da freguesia de N Sra das Angustias e ela da freguesia de S. Luzia da Feiteira. Foi batizada nesta igreja proquial do Apostolo S. Pedro aos 19-02-1719, foram padrinhos Manoel Martis e Margarida Cota mulher de Manoel da Costa. Foram testemunhas presentes Manoel Martins e Francisco de S. Agda? todos moradores nesta cidade  

 

          Foram moradores em Madre de Deus, termo da vila de São João del Rei, onde possuíam a fazenda das Posses, que Rosa Maria, já viúva, vendeu em vida a seu filho José por 4.01$000, com o consentimento dos demais filhos.

          Rosa Maria faleceu com testamento aberto em 20-09-1782 e seu inventário, neste site, foi aberto na Fazenda das Posses aos 21-07-1783 Compareceram onze filhos do casal (situação em 21-07-1783):

2-3-1 José Ribeiro do Valle, 42 anos, casado com Maria Teodora de Jesus, filha de Domingos da Costa Guimarães e Rita de Souza do Nascimento. Geração na família “Domingos da Costa Guimarães”.

2-3-2 Antonio do Valle Ribeiro (filho), já falecido. Casou em Guaratinguetá em 1766 com Ana Francisca de Oliveira, daí natural, filha de João da Mota Paes e Catarina Antunes de Miranda, SL. 3, 83, 4-1, onde não consta a geração do casal. Aportes à GP “João da Motta Paes”, neste site.

Guaratinguetá-SP Igreja Sto Antonio cas - [ilegível] de 1766 - Antonio do Vale Ribeiro, n. da Freg. de N.S. do Pilar, do Rio das Mortes, f.l. de Antonio do Vale Ribeiro e Rosa Maria de Jesus, = cc Ana Francisca de Oliveira, n. desta, f.l. de João da Mota Paes e Catarina Antunes de Miranda.

          Antonio teve inventário de seus bens aberto em Madre de Deus-MG em 1774.

          Teve de seu casal segundo o inventário, neste site:

2-3-2-1 Maria, nasceu em 15-01-1772 e foi batizada em 18 de abril do mesmo ano. Foi citada como Madalena no inventário paterno. Maria foi tutelada sucessivamente por dois tios paternos: José e Joaquim José Ribeiro do Valle. Foi quem representou o pai no inventário da avó paterna, em casa de quem vivia como agregada.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - aos 05 abril 1772 cap. Porto Turvo, bat. MARIA, q.n. aos 15 janeiro do dito, f.l. de Antonio do Valle Ribeiro e Anna Francisca da Assumpção, padr.: Manoel Ferreyra Pinto e s/m Maria.

         Maria Luiza do Valle, em S. João del Rei aos 01-10-1791, casou com Antonio Manoel da Costa, filho do Alf. Domingos da Costa Guimarães e Rita de Souza Nascimento. Geração na familia “Domingos da Costa Guimarães”, neste site.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR e capelas filiadas, aos 01-10-1791 Antonio Manoel da Costa, desta, f.l. Alf. Domingos da Costa Guimarães e Rita de Souza Nascimento = cc D. Maria do Valle, da freg. da Aiuruoca, f.l. Antonio do Valle Ribeiro e s/m Dona [buraco]a Francisca de Oliveira, test.: Padre João da Costa Guimarães, Matias da Costa Guimarães e João Peixoto do Amaral.

2-3-2-2 Ana, nascida depois da morte de seu pai. Faleceu recém nascida aos 07-02-1774. Certidão no inventário paterno:

Assento- Silveira coadjutor nesta paroquial de Nossa Senhora do Pilar de São João Del Rei. Certifico que vendo o livro que atualmente serve para assentos de óbito a fl 234 v. se acha o assento de teor seguinte - ...a 7 de fevereiro de 1774, faleceu ANA inocente, filha legitima de Antonio do Valle Ribeiro que nasceu depois do dito seu pai ter falecido e de Ana Francisca. Foi encomendada e sepultada dentro da Capela da Madre de Deus desta Freguesia. – coadjutor Joaquim Antonio Silveira. Dada em 18 de setembro de 1778.

 

2-3-3 Maria Teresa de Jesus, 39 anos, casada aos 08-01-1758 com Manoel Ferreira de Brito, na Fazenda do Maranhão, perto da dita Fazenda. Manoel, batizado na freguesia de São João de Brito, Comarca de Guimarães, era filho de Manoel Ferreira de Brito e de Custódia Luísa. Geração na família “Manoel e Bento Ferreira de Brito”

2-3-4 Manoel do Valle Ribeiro aos 12-08-1765 casou com Ana Maria de Assunção, filha de Manoel Martins Tostes e Ana Maria, família “Manoel Martins Tostes”, neste site.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG aos 12 agosto 1765 , Manoel do Valle Ribeiro e Anna Maria. Ele f.l. do ten. Antonio do Valle Ribeiro e Rosa Maria de Jesus, bat. freg. Sra. do Pillar da vila de S. João del Rei; Ela f.l. de Manoel Martins Tostes e Anna Maria, desta freguesia.

          Manoel faleceu aos 23-09-1777 e foi inventariado no mesmo ano. Ana Maria foi inventariada em 1824 (inventários neste site). Foram duas as filhas do casal:

2-3-4-1 Maria Ângela do Valle, batizada em 13-06-1766. Foi a primeira mulher de Francisco Ribeiro Salgado, filho de Bento Ribeiro Salgado e Ângela Ferreira Soares. Geração na família “Bento Ribeiro Salgado” § 5º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 13 junho 1766 Sra. Porto, Maria, f.l. de --- Ribr. do Valle e s/m Rosa M.ª de Jesus digo e s/m Anna Maria, padr.: Antonio do Valle Ribr. solteiro, e Anna Maria cc. Manoel Martins Toste avós maternos da baptizada. Aiuruoca 23 julho 1766.

2-3-4-2 Ana Joaquina Ribeiro, batizada em 01-11-1772. Aos 16-07-1793 casou com Manoel de Almeida Ramos, filho de Agostinho de Almeida Ramos e Rita Maria de Jesus Andrade. Geração na família “Antonio de Faria Moreira” Cap. 1, § 1º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 01 novembro 1772 cap. Sra. do Turvo, ANNA n. aos 20 out., f.l. de Manoel do Valle Ribeiro e s/m Anna Maria, padr.: Jose Ribeiro do Valle solteiro e Ignacia Maria de Jesus mulher de João Teixeira Marinho

 

2-3-5 João Ribeiro do Valle, 37 anos em 1783, casado com Teresa Francisca de Jesus (SL. 3, 35, 5-2).

inventário materno, Contas do Tutor em 1787:

Herdeiro João Ribeiro do Vale já falecido há mais de dois anos;

Entre seus filhos:

2-3-5-1 Antonia Joaquina Ribeira, natural de Guaratinguetá-SP. Dispensados do impedimento de consanguinidade em 4º grau, aos 13-06-1792 casou com José Francisco de Moura, filho de Francisco João de Azevedo e Margarida de Jesus. Geração na família “Antonio Vieira de Moraes” Cap. 1º, § 2º.

2-3-5-2 Dorotea Emerenciana Ribeira, batizada aos 14-02-1779 em Aiuruoca onde aos 25-06-1794 casou com Caetano Marques Tavares, natural do Bispado do Rio de Janeiro e filho de José Marques Tavares e Rosa Maria de Jesus.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 14 fev. 1779 cap. Madre de Deos, Dorothea, f. l. de João Ribeiro do Valle e Thereza Francisca; padr.: Aleixo Ribeiro do Valle, tio da batizada e Rosa Maria, avo paterna, todos desta freguesia.

 

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. aos 25 jun 1794 cap. Turvo - Caetano Marques Tavares, f.l. de Joseph Marques Tavares e Rosa Maria de Jesus, n. e b. no bispado do RJ; c; Dorothea Merenciana Ribeira, f.l. de João Ribeiro do Valle e de Theresa Francisca de Jesus, n. e b. nesta freg. de Aiuruoca.

a margem: Dorotea Emerenciana Ribeira

         Entre seus filhos:

2-3-5-2-1 Manoel Marques Ribeiro casou com Ana Esméria Nogueira, filha de João da Silva Nogueira e Delfina Maria de Jesus 2-3-5-7 abaixo

          Foram moradores em S. Joaquim-RJ onde ambos faleceram:

S Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. 09, fls. 60, 71- fazenda Retiro, comprada a diversas pessoas e em diversas fazendas e existem em comum com: fazenda da Pedra pertencente aos herdeiros do finado Diogo Garcia de Carvalho; fazenda do Ribeirão da Pedra que foi do falecido Severino Maximo Balieiro; no sitio Vertentes do Ribeirão Vermelho que foi do finado Caetano Jose de Carvalho; 27 dez 1855 Manoel Marques Ribeiro.

          Manoel faleceu com testamento em 14-08-1869, deixando inúmeros legados inclusive aos sobrinhos de Ana Esméria:

(pesquisa de Terezinha de Jesus Nunes de Souza ) Livro de Tombo da Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Quatis

1834 até 1897 - São Joaquim.

Registro do Testamento do Comendador Manoel Marques Ribeiro

Em nome do Padre, do Filho e do Espírito Santo, três Pessoas distintas e um só Deus verdadeiro.

Eu abaixo assinado, Manoel Marques Ribeiro declaro, que estando em meu perfeito Juizo e desejando fazer o meu testamento para fazer enquanto sofro de minhas disposições de última vontade resolvi de minha livre e espontânea vontade a fazê-lo pela forma seguinte. Declaro que sou Cidadão Brasileiro, Catholico, Apostolico, Romano, filho legítimo de Caetano Marques Tavares e Dorothea Emerencianna Ribeiro, ambos já falecidos e casado com Anna Esmeria Nogueira. Declaro que tenho uma única herdeira forçada que é minha Filha legítima Maria Isabel de Carvalho, casada com João Pedro de Carvalho e por isso já podendo dispor da minha Terça; peço aos meus testamenteiros João Pedro de Carvalho, Francisco da Silva Nogueira e Ignácio Caetano de Carvalho, a qualquer desses Senhores que aceitar minha escolha e fazer cumprir o que é da minha vontade. Será meu corpo envolto no hábito de São Francisco e sepultado sem ostentação, e se lhe dirá Missa de Corpo presente, e em seguida se dirão dez Missas ao S.S. Ninguém mais de Deus para que interceda por mim ao Santíssimo Filho para me dar a sua Glória. Será o meu corpo enterrado na minha Capela em uma sepultura para esse fim designada na entrada da mesma Capela, que é marcada com uma pedra de dez palmos. Declaro que o último que ver eu ou a minha mulher será enterrado na mesma sepultura, visto que sendo companheiros na vida, seremos também depois de mortos, e na mesma sepultura se fará a inscrição dos nomes dizendo que na mesma não se enterrará cadáver algum exceto nossa filha e algum Parente mais chegado se o pedir. Fica a catacumba que havia feito no Cemitério de São Joaquim para patrimônio da mesma Igreja e os que nela quiserem ser sepultados pagarão nunca menos de cem mil réis pelo tempo de um anno e serão aplicados esses rendimentos para reparos da mesma Igreja... Declaro que por minha morte e de minha mulher ficarão libertos os escravos ( e receberão as quantias por mim estipuladas)... Aos filhos de minhas irmãs, faço dividir a todos eles parte da herança de terras que me coube por morte de meu pai e de minha mãe. Ao meu Sobrinho Gustavo depois da morte minha e de minha mulher lhe dará os (Creonhos) (Athanario) e Rita, Cyro e Laurianna . Ao Padre, quinhentos mil réis para dar aos pobres. Aos meus afilhados, Francisco, filho de Joaquim da Silva Nogueira, um conto de réis; Manoel, filho de Francisco da Silva Nogueira, um conto de réis; aos demais sobrinhos, filhos e filhas de Joaquim da Silva Nogueira e Francisco da Silva Nogueira, a cada um quinhentos mil réis. O restante da minha Terça para os reparos da Igreja. Ao meu afilhado Joaquim, filho de Maria Claudina Paula Leite, um conto de réis e que os beneficiários que forem ingratos a mim e a minha mulher nada receberão. Se dará aos filhos de Maria Magdalena para serem repartidos entre eles quinhentos mil réis, menos Theodolindo e Gustavo por já se acharem aqui citados. Se dará um conto de réis ao meu afilhado (Ga___ino), filho de Theodolindo e a minha afilhada Anna, filha do finado José Xavier do Valle... E por serem essa disposições que desejo fazer mandei escrever este, que assino, sendo o meu testamento a rogo às Justiças do Império lhe dêem cumprimento, fazendo-o valer pela melhor forma que der possa. Fazenda do Retiro, cinco de agosto de mil oitocentos e sessenta e nove. Manoel Marques Ribeiro. Testemunhas: o Vigário João Gomes Carneiro que escreveu e assinou; Antonio Teixeira Pinto Sobrinho; Antonio Teixeira Pinto de Carvalho; Luiz Gonzaga de Oliveira; José Augusto de Oliveira.

 

Na lapide, dentro da capela no cemitério de Santana em S. Joaquim, Quatis-RJ (pesquisa Plinio U. Marcondes de Carvalho):

Aqui jaz o Comendador Manoel Marques Ribeiro f. 14.08.1869; sua mulher, filha e genro lhe dedicam este tributo de gratidão

 

Amor  Filial Eis o epílogo de uma vida Preciosa ! Aqui sob esta modesta pedra Repousam  ad eternum Os caros restos D. Anna Esméria Nogueira f. a 30.10.1886. Tributo de eternas saudades e gratidão

 

Foram pais da única filha:

2-3-5-2-1-1 Maria Izabel casou duas vezes. Com Manoel Ribeiro de Carvalho e aos 25-09-1860, dispensados dos impedimentos de primeiro grao de afinidade licita e de quarto grao igual de consangüinidade na linha lateral, com João Pedro de Carvalho, ambos filhos de João Gualberto de Carvalho e Ana Ignacia da Conceiçao do Valle; família “Carvalho Duarte” Cap. 7º, § 8º.

          Maria Izabel, viúva e sem geração, faleceu em S. Joaquim aos 25-12-1904.

B7: Cartorio de Registro Civil São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. C-2, Fls. 62 nº 78 aos 26 dezembro 1904 declarante Cyro Theodoro de Mendonça, lavrador e residente na fazenda Sant'Anna. Faleceu ontem em consequencia de bronquite cronica, hypostada, marasmo cardiaco, proprio da idade senil, Maria Izabel de Carvalho, branca, 79 anos, natural deste estado, fazendeira e proprietaria da fazenda Sant'Anna neste distrito.

Filha do Comendador Manoel Marques Ribeiro e Dona Anna Esmeria já falecidos.

Viuva de João Pedro de Carvalho, sem filhos nem descendentes. Deixou testamento cerrado. Sepultada no jazigo de sua capella de Sant'Anna na mencionada fazenda.

 

2-3-5-3 José Marcelino Ribeiro, batizado aos 27-02-1780. Aos 13-07-1801 casou com Rosa Bezerra de Sá, filha do Alferes Tomé Bezerra de Sá e sua terceira mulher Maria de Almeida - família “Antonio de Faria Moreira” Cap. 1, § 1º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos-  aos 27 fevereiro 1780 Porto do Turvo - Jose, nascido aos 08, f.l. de João Ribeiro do Vale n.da freg. de S. João del Rei e s/m Francisca Teresa n. da vila de Guaratinguetpa, bispado de SP; padr.: Manoel Ferreira Brito e Anna Francisca, viuva. Todos desta freguesia.

         Pais de, q.d.:

2-3-5-3-1 Antonia, batizada aos 18-12-1808 na capela do Turvo..

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos - aos 18 dez, 1808 cap. Tarvo, Antonia, f.l. de Joseph Marcellino do Valle e Rosa Lima Sá, padr.: Joseph da Silva Rodrigues e Constantina Maria d'Almeida.

2-3-5-3-2 José Marcelino do Valle (ou de Almeida) casou com Inácia Maria. Pais de, pelo menos:

2-3-5-3-2-1 Maria Rosa de Almeida, natural de Andrelandia-MG. Com 20 anos em 30-10-1848, dispensados do impedimento de consanguinidade em 4º grau, casou com Antonio Teodoro de Souza, com 22 anos, filho de João Garcia de Souza e Mariana Policena de Jesus 2-3-9-1-3-1.

Livro de casamentos de Andrelândia-MG– Aos 30-10-1848 na igreja do Rosário Antonio Teodoro de Souza e Maria Rosa de Almeida ambos desta freguesia. Aquele branco de idade 22 anos filho de João Garcia de Souza e Mariana Policena de Jesus e esta branca da idade de 20 anos filha legitima de Jose Marcelino do Valle e Inácia Maria dispensados do impedimento de consangüinidade em quarto grau (pesq. Moacyr Villela)

2-3-5-4 Domingos Antonio Ribeiro do Valle em Resende-RJ aos 12-07-1814 casou com Emilia Benedita de Magalhães Veloso, aí batizada em 13-03-1796, filha do Ten. Cel. Henrique Vicente de Magalhães Louzada natural de S, João Batista Arc. Braga e Maria Josefa da Conceição Velosa, natural da cidade do Rio de Janeiro, neta paterna de Manoel Lourenço de Barros e Catarina Rodrigues de Magalhães, neta materna do Sargento Mor Inácio José Xavier(?) natural da cidade do Rio de Janeiro e Ana Eufrasia Velosa natural de S. Paulo. Com geração.

12-07-1814 na Matriz de Resende pelo Padre Jose Antonio Martins de Sá, Domingos Antonio Ribeiro, n/b freg. Aiuruoca, f.l. de João Ribeiro do Valle, já falecido e Tereza Francisca de Jesus; = cc. Emilia Benedicta de Magalhães Vellosa, n/b nesta freguesia, f.l. do Tenente Coronel Henrique Vicente de Magalhães Louzada e Maria Josefa da Conceição Vellosa, falecida. (Acervo Itamar Bopp - ficha 1220)

 

13-03-1796 no Oratório do Capitão Comandante Henrique Vicente Louzada de Magalhães p. Reverendo Francisco Xavier de Tolledo com licença do Vig.° da Vara Antônio de Mattos Nóbrega de Andrade, Emilia, que nasceu aos 23-02 do mesmo ano, f.l. do Capitão Comandante Henrique Vicente Louzada de Magalhães, n. de S. João Batista Arc. de Braga e Dona Maria Josefa da Conceição Vellosa, n. da Candelária do Rio de Janeiro; np de Manoel Lourenço de Barros e Da. Catarina Rodrigues de Magalhães, nts. de S. João Batista do Arc. de Braga; nm do Sargento Maior Ignacio Jose Xavier, n. da Sé do Rio de Janeiro e Da. Ana Eufrazia Vellosa, n. de São Paulo e foram padrinhos o Conego Doutor José de Souza Pizzarro de Araújo e D. Ana Clara de Souza (Acervo Itamar Bopp - ficha 1220)

 

2-3-5-5 Maria Rosa de Matosinhos Ribeiro do Valle em Aiuruoca aos 10-06-1809 casou com Manoel Jacinto Nogueira (ou da Silva), aí batizado em 15-02-1783, filho de João Francisco da Silva e Maria Custódia Nogueira, família “Manoel Inácio da Silva” Cap. 1º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. aos 10 jun 1809 cap. Turvo - Manoel Jacintho da Silva, f.l. de João Francisco da Silva e Maria Custodia Nogueira; c/ Maria Rosa de Matosinhos, f.l. de João Ribeiro do Valle e Theresa Francisca de Jesus. Ns. e bts. nesta freguesia. test.: Joseph Francisco de Moura e Francisco Pires d'Andrada.

 

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 15 fev. 1783 Porto do Turvo, Manoel, f.l. de Joam Francisco da Silva e Maria Custodia Nogueira; padr.: Manoel Francisco da Silva e s/m Anna Maria de Almeida.

         O casal comparece no censo do Turvo em 1831 com vários filhos:

censo do Turvo 5-12-1831, 7º Quarteirão, 4

Manoel Jacinto (Nogueira), branco, 48, casado

Maria Rosa ( de Matosinhos Ribeiro do Vale), branco, 47, casado

Jose Ignacio, branco, 22, solteiro

Antonio Manoel, branco, 14

Pacifico, branco, 10

Maria Jacinta, branco, 21, solteiro

Emerenciana, branco, 18, solteiro

Ignacia, branco, 13

Carolina, branco, 9

Francisca, branco, 7

R....dina, branco, 5

Justino de Souza, branco, 24, casado

Anna Vitoria, branco, 20, casado

Jose, branco, "2/12

 

         Ambos faleceram no Amparo da Barra Mansa, Manoel aos 14-02-1845 e Maria Rosa em 08-09-1861.

Amparo, Barra Mansa-RJ, Óbitos Lv. 1, Fl. 20 - 14.02.1845 - Manoel Jacintho Nogueira - nat. de Mg - cc/ Maria Rosa de Matosinhos - 72 anos de idade - abintestado (pesq. Plinio U. Marcondes de Carvalho)

 

Amparo, Barra Mansa-RJ, Óbitos Lv. 1, Fl 84, 08/09/1861, Maria Rosa de Mattozinhos, 77 anos, viúva de Manoel Jacinto Nogueira, natural de Minas. (pesq. Plinio U. Marcondes de Carvalho)

 

2-3-5-6 João Chrysostomo de Vargas casou com Ângela Maria de Mattos, filha de Manoel José de Mattos e Ana da Costa Manso.

         Ambos faleceram no Amparo da Barra Mansa-RJ onde eram residentes. Ângela em 21-06-1851 e Crisóstomo em 06-07-1867.

N.Sra. do Amparo, Barra Mansa- RJ lv. 7 fls. 3, 2- João Chrisostomos de Vargas, fazenda Ribeirão Claro, confrontando com: os herdeiros do falecido Barão do Amparo, d. Anna Moreira de Mattos, Jose Carlos de Almeida, Francisco Rodrigues de Faria, Barão de Piraí, Luiz Pereira de Castro.

Possui na sesmaria que foi de Domingos Antonio Ribeiro, umas terras que confrontam com: Luiz Pereira de Castro, --- ---doro de Souza Breves, Elias Jose Alves Guimarens, e os herdeiros de Caetano Ferreira Leite.

Possue mais, por compra ao cel. Ignacio Antonio do Amaral, nas sesmaria que foi de Zeferino da Silva Tavares, que confronta com, Elias Jose Alves Guimaraens e Barão de Pirai.

E mais terras compradas a João Gualberto de Carvalho na sesmaria hoje pertencente ao Barão de Pirai, e mais comprada a Antonio da Silva Braga e confronta com Francisco Soares Godinho, Luiz Pereira de Castro. Apresentada em 22 out 1855

 

Amparo, Barra Mansa-RJ, Óbitos Lv. 1, Fl. 46 - 21.06.1851 - D. Angela Maria de Mattos - cc/ João Chrisóstomo de Vargas. (pesq. Plinio U. Marcondes de Carvalho)

 

Amparo, Barra Mansa-RJ, Óbitos Lv. 2, Fl 30, 06/07/1867, João Chrisostomo de Vargas, 83 anos viúvo de Angela Maria de Mattos, natural da Provincia de Minas. (pesq. Plinio U. Marcondes de Carvalho)

         Tiveram duas filhas, q.d.:

2-3-5-6-1 Maria Teresa de Vargas casou com Comendador João Tomás Moreira da Costa, filho de Vitoriano Moreira da Costa e Mariana Justina de Moura. Geração em SL. 5, 19, 8-2.

          João faleceu em 02-09-1887, com 53 anos declarados e Maria Teresa em 26-09-1905 com 69 anos, ambos no Amparo da Barra Mansa.

Igreja N. Sra. do Amparo, lv. 5, Fl 110, Aos dous de Setembro de mil oitocentos e oitenta e sete às cinco horas da tarde de febre perniciosa de forma (indifinidada); segundo o attestado do Dr. Joaquim Teixeira de Misquita em sua Fazenda Ribeirão Claro o  Commendador João Thomas Moreira da Costa de idade de cincoenta e três annos, casado com Dona Maria Thereza Moreira da Costa, natural da Cidade de Taubaté na Província de São Paulo. Seu cadáver depois de encommendado foi sepultado no novo Cemitério do que tudo para constar fis este assento que assigno. O Vigário Jose Ferreira da Ponte. (pesq. Teresinha de Jesus Nunes Furtado).

 

B7: Cartorio de Registro Civil Amparo, Barra Mansa, RJ,, lv. C-5, Fls. 178v. nº 80 aos 26 setembro 1905 declarante Mario Ribeiro da Fonseca. Faleceu ontem de sincope cardiaca Dona Maria Thereza Moreira da Costa, branca, 69 anos, viúva do Comendador João Thomaz Moreira da Costa, natural deste estado e residente neste distrito. Cemiterio publico.

 

2-3-5-6-2 Ana Teresa de Vargas, batizada aos 16-04-1837 no Amparo. Dispensados em terceiro e quarto grãos de consangüinidade em linha transversal desigual, aos 30-10-1850 casou com Inácio Caetano de Carvalho, filho do Comendador João Gualberto de Carvalho e Ana Inácia da Conceiçao do Valle; família “Carvalho Duarte” Cap. 7º, § 8º.

Igreja N.Sra. do Amparo, lv. 2, Fl 39, 16/04/1837, Anna, filha legitima de João Chrisostomo de Vargas e Dona Ângela Maria de Mattos. Padrinhos: Antonio Jose de Mattos e Maria da Conceição Nogueira. (pesq. Teresinha de Jesus Nunes Furtado).

 

Igreja N.Sra. do Amparo, cas., lv. 1; Fl 30, 30/10/1850, no Oratório de João Chrisostomo de Vargas em presença do Vigário da Vara o Pe. Joaquim Gonçalves de Moraes com Provisão delle e licença minha na forma de Ritual e costumes do Império se Casarão Ignácio Caetano de Carvalho com Dona Anna Thereza de Vargas. Elle filho legitimo do Commendador João Gualberto de Carvalho e Dona Anna Ignacia de Carvalho, natural e batizado na Freguesia  do Turvo Bispado de Marianna e a contrahente filha legitima de João Chrisostomo de Vargas e D. Ângela Maria de Mattos, nascida e batizada na Freguesia do Amparo. Forão dispensados em terceiro e quarto grãos de consangüinidade em linha transversal desigual. Testemunhas: Eu o Vigário João da Silva Fialho, o Padre Joaquim Timotheo da Silva e muitos outros. O Vigário Encomendado João da Silva Fialho. (pesq. Teresinha de Jesus Nunes Furtado).

 

2-3-5-7 Delfina Maria de Jesus em Aiuruoca aos 10-06-1809 casou com João da Silva Nogueira, filho de João Francisco da Silva e Maria Custódia Nogueira (SL. 6, 432, 7-2)

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. aos 10 junho 1809 cap. do Turvo - João da Silva Nogueira, f.l. de João Francisco da Silva e Maria Custodia Nogueira, n. e b. freg. de Baependi; c/ Delphina Maria de Jesus, f.l. de João Ribeiro do Valle e Theresa Francisca de Jesus, n. e b. nesta freguesia.

         Em 1831 o casal comparece no censo do Turvo com vários filhos:

censo do Turvo 5-12-1831, 9º Quarteirão, 5

João da Silva Nogueira, branco, 40, casado

Delfina, branco, 48, casado

Joaquim, branco, 4

Jose, branco, 14

Manoel, branco, 12

Maria, branco, 11

Francisca, branco, 9

Francisco, branco, 5

 

         Vários netos do casal receberam legado do genro Manoel Marques Ribeiro abaixo citado.

 

2-3-5-7-1 Ana Esméria Nogueira casou com Manoel Marques Ribeiro, em 2-3-5-2-1 supra a filha única.

2-3-6 Inácia Maria de São José, 36 anos, casada com João Teixeira Marinho. Geração na família “João Teixeira Marinho”.

2-3-7 Joaquim José Ribeiro, 35 anos, casado com Antonia Maria da Conceição. Comparar com Antonia com 13 anos em 1763, filha de Izabel Rosa de Jesus e seu segundo marido Francisco da Costa Goulart - família “Isabel Rosa de Jesus”

          Foram moradores  no Ribeirão do Azeite em Aiuruoca .

          Joaquim, viúvo, faleceu com testamento aos 06-03-1814, declarou 12 filhos de seu casal:

B7: Igreja  N. Sra. da Conceição - Aiuruoca: Turvo, 06 março 1814, com 60 anos, Joaquim Jose Ribeiro, branco, viúvo, c/testamento.

Eu, Joaquim Jose Ribeiro, sou viúvo de Antonia Maria da Conceição, de cujo matrimonio tenho 12 filhos: Manoel, Jose, Domingos, Jeronimo, Luiz, Francisco, Vicente, Antonia já falecida, Maria falecida, Anna, Feliciana e Joaquina, meus universais herdeiros.

Sou  f. leg. de Antonio do Valle Ribeiro e Rosa Maria de Jesus, falecidos, e moro no Ribeirão do Azeite de Aiuruoca.

Testamenteiros: 1- meu filho Francisco Ribeiro do Valle; 2- meu filho Jeronimo Ribeiro do Valle; 3- meu filho Luiz Ribeiro do Valle.

Testemunhas: Antonio Marques de Moraes, padre João de Almeida Barros, Valerio Alvares da Costa, Manoel de Affonseca Cabral e Bento Jose do Carmo. Registrado a 21 março 1814.

Entre eles:

2-3-7-1 Antonia batizada na capela da Piedade a 23-11-1768. Já falecida em 1814.

Aiuruoca, MG aos 23-11-1768 na capela da Piedade bat a Antonia, f.l. de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria da Conceição, foram padrinhos Joseph Ribeiro do Vale e Rosa Maria.

2-3-7-2 Manoel Joaquim Ribeiro do Valle, batizado na capela da Madre de Deus a 26-08-1770. Aos 03-06-1793 casou com Rita Joaquina Maciel, filha de Bento Ribeiro Salgado e Ângela Ferreira. Geração na família “Bento Ribeiro Salgado” § 9.

Aiuruoca, MG aos 26-08-1770 na capela da Madre de Deus bat a Manoel, f.l. de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria, foram padrinhos João Ribeiro do Valle e sua irmã Ana Jacinta

 

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, aos 03 jun 1793 Manoel Joaquim, f.l. de Joaquim Joseph Ribeiro e Antonia Maria da Conceição; c/ Ritta Joaquina Maciel, f.l. de Bento Ribeiro Salgado e Angela Ferreira. Naturais e bs. nesta freg. de Aiuruoca.

2-3-7-3 Maria, batizada na Piedade a 04-10-1772. Maria Laureana Ribeira casou na capela do Turvo a 01-09-1795 com José Francisco Gonçalves natural de Guaratingueta filho de Antonio Fernandes e Branca Raposa. SL. 3, 48, 5-4 onde José consta sem a conjuge:

Aiuruoca, MG aos 04-10-1772 na capela de N. Sra da Piedade filial da matriz de S. João del Rei bat a Maria, f. de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria, foram padrinhos Manoel Ferreira Brito e sua mulher Maria Teresa de Jesus, toos desta freguesia, Aiuruoca 4 de Fevereiro de 1773.

 

Aiuruoca, MG aos 01-09-1795 na capela do Turvo filial desta matriz de N Sra a Conceição a Aiuuoca onde os contraentes são moradores e testemunhas Joaquim Joseph de Mattos e Joseph Joaquim da Rocha, se casaram Joseph Francisco Gonçalves, f.l. de Antonio Fernandes Mexa(sic) e Branca Raposa, natural e batizado na freguesia de Guaratingueta Bispado de S. Paulo = cc Maria Lauriana Ribeira, f.l. de Joaquim Joseph Ribeiro e Antonia Maria da onceição, n/b nesta freguesia da Aiuruoca.

 

         Maria Laureana, já falecida em 1814. Pais de, pelo menos:

2-3-7-3-1 Madalena Maria, batizada em S. João del Rei aos 01-04-1797. Aos 22-11-1813, dispensados do impedimento de consanguinidade em 2º grau misto ao 1º, casou com Francisco Ribeiro do Valle 2-3-7-12.

inserido na dispensa: Assento - No livro 6 de batizados fl.95 esta o assento seguinte - a primeiro de abril de 1797 na Capela da Piedade, filial de São João Del Rei o padre Antonio Miz Saldanha batizou a MADALENA, filha legitima de Jose Francisco Gonçalves e Maria Laureana Ribeiro. Padrinhos Francisco de Souza Barbosa e ...M

2-3-7-4 Ana Rosa, batizada na capela do Turvo a 26-12-1774. Aos 17-11-1795 casou com Francisco de Souza Barbosa, filho do Lic. Antonio de Souza Barboa e de Vitória Maria de Oliveira. Geração na família “João Delgado de Oliveira”, neste site.

Aiuruoca, MG. Aos 26-12-1774, na Capela da Senhora do Porto do Turvo, Anna, f.l. de Joaquim José Ribeiro e Antonia Maria. Padrinhos: Gonçalo Goulart e Ignacia Maria da Conceição, solteiros, da freguesia de São João del Rei.

 

Aiuruoca, MG aos 17-11-1795 na capela da Piedade da freguesia da vila de S. João del Rei e testemunhas o Lic. Antonio de Souza Barbosa e Joseph da Silva de Oliveira se casaram Francisco de Souza Barbosa, f.l. do Lic. Antonio de Souza Barbosa e Vitoria Maria de Oliveira, n/b na freg. de Barbacena = cc Ana Rosa, f.l. de Joaquim Joseph Ribeiro e Antonia Maria da Conceição, n/b nesta freguesia.

2-3-7-5 José batizado na Piedade a 04-08-1776 foram seus padrinhos Francisco Rodrigues e Isabel de Jesus.

Aiuruoca, MG aos 04-08-1776 na capela N. Sra da Piedade bat a Jose, f.l.de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria da Conceição, foram padrinhos Francisco Rodrigues e Izabel [dobra]za de Jesus.

2-3-7-6 José Joaquim Ribeiro do Valle, batizado no Turvo a 21-08-1778, foram seus padrinhos Manoel da Costa Goularte e Leonarda Pereira mulher de João Lourenço do Amaral.

Aiuruoca, MG aos 21-08-1778 na capela da Sra do Porto dTurvo filial desta matriz da Aiuruoca bat a Jose, nascido no dia primeiro do dito mes, f.l.Joaquim Jose Ribeiro, n. da freg. de S. João e s/m Antonia Maria da Conceição n. da dita freguesia. Foram padrinhos Manoel da Costa Gularte e leonarda Pereira mulher de João Lourenço de Amaral, todos desta freguesia.

         Em Silvianópolis-MG aos 26-09-1825, viuvo de Antonia Maria das Neves sepultada em Pouso Alegre, casou segunda vez com Maria Pereira de São José, filha de Albano Pereira da Silva e Maria Luiza de São José.

Silvianopolis-MG aos 26-09-1825 nesta matriz Jose Joaquim Ribeiro, viuvo de Antonia Maria das Neves sepultada em Pouso Alegre, e ele fregues de Santa Catarina = cc Maria Pereira de São Jose, f.l. Albano Pereira da Silva e Maria Luiza de São Jose, natural da capela de São Jose e ha anos moradora nesta freguesia.

         José e Maria comparecem no censo de 1838 com vários filhos:

censo 24-09-1838 Sta Rita do Sapucai-MG, 5º quarteirão, fogo 2

Jose Joaquim Ribeiro do Valle, branco, 64, casado, lavrador

Maria Pereira de São Jose, branca, 36, casada

Maria, branca, filho, 10

Maria, branca, filho, 9

Elias, branco, filho, 8

João, branco, filho, 7

Daniel, branco, filho, 6

Henrique, branco, filho, 3

Elizeu, branco, filho, 1

28 escravos

         José faleceu na Campanha aos 23-11-1840, com testamento. Declarou 5 filhos do primeiro matrimônio e oito do segundo:

CPA02, Lv. 15º  de Testamentos - Campanha da Princesa 1837-1838;

Registro do testamento com que faleceu Jose Joaquim Ribeiro do Valle de que é testamenteiro o P.e Jose Pedro de Barros e Mello - falecido a 23-11-1840

Digo eu, Jose Joaquim Ribeiro do Valle, n. da freg. de Aiuruoca, f.l. de Jose Joaquim Ribeiro do Valle e Antonia Maria da Conceição, já falecidos.

Fui cc. Ana Maria da Conceição, ja falecida, de cujo matrimonio ficaram cinco filhos: Vicente = Francisco = Sabina, casados = Joaquim, solteiro = e Jose tambem casado, já falecido.

Me acho casado em segundas nupcias com Maria Pereira de S. Jose com a qual tenho tido até o presente oito filhos: Maria Rita, casada = e solteiras: Maria Rosa = Elias = Joam = Daniel = Enoc = Elizia = e Maria Julia. Nunca tive filhos naturais.

Declaro que meus filhos do primeiro matrimonio José, já falecido, Sabina, Vicente, Joaquim e Francisco estam em deminizados (?) da legitima que lhes coube por falecimento da minha primeira mulher. Declaro que tenho dos meus filhos: José, já falecido, a quantia de 284$000; Sabina a quantia de 284$000; Vicente a quantia de 284$800; Joaquim a quantia de 63$500; cujas quantias serão levadas em conta na legitima que lhes couber por meu falecimento, assim como a que se verificar se deve a meu filho Francisco.

Nomeio  a minha mulher Maria Pereira de São Jose tutora de nossos filhos e se ela se casar passará a tutela a meu filho Vicente Ribeiro do Valle.

Testamenteiros 1º ao Padre Jose Pedro Barros de Mello morador nesta vila de Pouso Alegre, 2º meu filho Vicente Ribeiro do Valle, 3º meu filho Francisco Jose Ribeiro do Valle.

Remanescente da terça para os filhos do segundo matrimonio.

Vila de Pouso Alegre 08-06-1840 Jose Joaquim Ribeiro do Valle

Aprovação 08-06-1840 Vila de Pouso Alegre

Abertura 23-11-1840 nesta Vila de Pouso Alegre

Aceitação 03-12-1840 Reverendo Jose Pedro Barros de Mello

 

2-3-7-7 Joaquina batizada na Piedade a 10-09-1780.

Aiuruoca, MG aos 10-09-1780 na capela de N. Sra da Piedade filial da matriz de S. João del Rei bat a Joaquina, f.l.Joaquim Jose do Valle e s/m Antonia Maria da Conceição n. da dita freguesia. Foram padrinhos Tomas Pereira da Silva e Antonia Martins Bahia

2-3-7-8 Feliciana Ribeira batizada aos 04-03-1782 em Aiuruoca. Aos 17-11-1795 casou com José de Souza Barbosa, filho do Lic. Antonio de Souza Barbosa e Vitoria Maria de Oliveira. Geração na família “João Delgado de Oliveira”, neste site.

Aiuruoca, MG aos 04-03-1782 na capela da Sra a Piedade bat a Feliciana, f.l.de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria da Conceição. Foram padrinhos Domingos Lopes de Oliveira e Ana Joaquina mulher de Manoel da Costa Gularte.

 

Aiuruoca, MG aos 17-11-1795 na capela da Piedade da freguesia da vila de S. João del Rei se casaram Joseph de Souza Barbosa, f.l. do Lic. Antonio de Souza Barbosa e Vitoria Maria de Oliveira, n/b na freg. de Barbacena = cc Feliciana Ribeira, f.l. de Joaquim Joseph Ribeiro e Antonia Maria da Conceição, n/b nesta freguesia.

2-3-7-9 Domingos Ribeiro do Valle casou duas vezes. Em Aiuruoca em novembro de 1807 com Constantina Maria de Almeida, filha de Tomé Bezerra de Sá e Maria de Almeida. Geração na família “Antonio de Faria Moreira” Cap. 1º, § 1º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. aos vinte e --- dias de nov 1807, capela Turvo; Domingos Ribeiro do Valle, f.l. de Joaquim Joseph Ribeiro e Maria da Conceição; c/ Constantina Maria de Almeida, f.l. de Thome Beserra de Sá e Maria de Almeida Ramos. Ns. e bts. nesta freguesia.

         Aos 24-07-1810 casou com sua cunhada Maria Silvéria de Almeida, irmã de Constantina. Geração na família citada.

 

2-3-7-10 Jerônimo Ribeiro do Valle, batizado em 14-05-1786.

Aiuruoca, MG aos 14-05-1786 na capela da Sra do Porto do Turvo bat a Jeronimo, f.l. de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Martia de Jesus, foram padrinhos Manoel Ribeiro Salgado e Maria Ribeira mulher de Jose da Silva.

         2º testamenteiro paterno, tambem casou duas vezes. Aos 30-05-1809 com Mariana Garcia de Souza, viúva do Alferes Francisco Vieira da Fonseca e filha de Jose Garcia e Maria das Neves Freitas. Geração na família “Antonio Gracia” I-Cap. 1º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. aos 30 maio 1809 cap. Sta Anna do Garambeo - Jeronimo Ribeiro do Valle, f.l. de Joaquim Joseph Ribeiro e Antonia Maria da Conceição, n. e b. nesta freguesia; c/ d. Marianna Garcia de Soisa, viuva do alf. Francisco Vieira de Affonseca. test.: Antonio Rodrigues d'Affonseca e Joseph Vieira d'Affonseca

 

        Segunda vez casou com Francisca Bernardina Teixeira, filha de Manoel Ribeiro Salgado e Margarida Teixeira de São José, família Bento Ribeiro Salgado”. Capitão Jeronimo faleceu aos 02-02-1849. Segundo seu inventário, neste site, teve destas núpcias mais sete filhos: (situação em 14-06-1849):

2-3-7-10-1 Maria Batista, batizada aos 01-07-1821, em 1849 estava casada com Justino Fagundes do Nascimento, geração na família “Manoel Alves Pedrosa” Cap. 5º.

2-3-7-10-2 Gabriel Francisco Ribeiro, solteiro, de idade de vinte e seis anos pouco mais ou menos. Batizado em Aiuruoca aos 23-03-1823.

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - aos 23 março 1823 cap. Madre de Deos filial da freg. da vila de São João, GABRIEL, f.l. do Cap. Jeronimo Ribeiro do Valle e D. Francisca Bernardina Teixeira; padr.: Ignacio Ribeiro Salgado e Maria Venancia, todos desta freguesia.

2-3-7-10-3 Ana Teixeira, casada com Miguel Teixeira Guimarães, batizado na Capela da Madre de Deus aos 10-02-1816, filho do Alferes Francisco de Paula Guimarães e Maria Venância Teixeira, estes casados aos 16-06-1811, neto paterno do Alferes Pedro Custódio Guimarães e Teresa Maria de Jesus, neto materno de Manoel Ribeiro Salgado e Margarida Teixeira de S. José; família “Bento Ribeiro Salgado” § 2º.

Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - aos 10 fevereiro 1816, cap. Madre de Deos, filial da Vila de S. João, MIGUEL, f.l. do Alf. Francisco de Paula Guimaraens e D. Maria Venancia Teixeira; padr.: Francisco Theodoro Ribeiro e D. Maria, filha do Alf. Pedro Custodio Guimaraens.

 

2-3-7-10-4 Inácia Bernardina Teixeira, casada com Antonio José Monteiro. Inácia faleceu aos 16-12-1864 e Alferes Antonio aos 02-08-1871. Tiveram segundo seus inventários (neste site) os filhos:

2-3-7-10-4-1 Maria Theodora Monteira, em 1865 estava casada com Joaquim de Paula Alves.

2-3-7-10-4-2 Ivo José Monteiro, com 18 anos em 1865. Casou com sua prima Delfina Teixeira Monteiro, filha de Justino Fagundes do Nascimento e Maria Batista Teixeira, do 2-3-7-4-1 supra.

2-3-7-10-4-3 Francisca Cassiana Monteira, com 15 anos em 1865, casada com Custódio Batista do Nascimento irmão de Delfina Teixeira supra.

2-3-7-10-4-4 Iria Augusta Monteira, com 13 anos em 1865. Em 1871 estava casada com José Ribeiro Salgado.

2-3-7-10-4-5 Mariana Theobaldina Monteira, com 10. Em 1871 estava casada com Teofilo Batista do Nascimento, tambem filho de Justino Fagundes do Nascimento já citado.

2-3-7-10-4-6 Ana Batista Monteira, com 5. Casou com Camilo Teixeira do Nascimento, irmão de Teofilo supra.

2-3-7-10-4-7 Américo Teixeira Monteiro, com 2 anos. Batizado aos 18-01-1862.

Certidão inserida no inventário paterno:

Certifico que revendo o Livro que serve para o lançamento de Batizados feitos nesta Freguesia, nele a folha 100 verso consta o seguinte:

Américo, filho legítimo de Antonio José Monteiro e Dona Inácia Bernardina Teixeira, nascido a dezoito de Janeiro de mil oitocentos e sessenta e dois, foi batizado no Oratório da Fazenda do Ribeirão dos Cavalos pelo Reverendo Francisco Ribeiro Teixeira. Foram padrinhos o mesmo batizante referido Reverendíssimo Francisco Ribeiro Teixeira e Dona Francisca Cassiana Monteiro, todos desta freguesia.

 

2-3-7-10-5 Francisco Bernardino Ribeiro (ou Ribeiro Teixeira ou Teixeira Ribeiro), batizado em 23-11-1832. Solteiro, com 18 anos pouco mais ou menos, em 1849. Ordenou-se

(pesq. Moacyr Villela) AEAM numero 521 – Processo de Genere.

Ordenando: Francisco Teixeira Ribeiro

Em 03-03-1854 na aplicação da Piedade do Rio Grande, Freguesia do Cajuru. Na fazenda denominada Campanha em casas de morada de Dona Francisca Bernardina Teixeira inquirição de testemunhas:

1 Capitão Custodio Fagundes do Nascimento, branco, casado, 55 anos mais ou menos, morador na aplicação da Piedade, vive de sua lavoura. Diz que conhece o ordenando por ser filho do capitão Jerônimo Ribeiro do Valle já falecido e de Dona Francisca Bernardina Teixeira e que sempre residiu nesta capela enquanto não foi para Aiuruoca tratar de seus estudos e depois para o seminário de Mariana.

O ordenando é neto paterno de Joaquim Ribeiro do Vale e de sua mulher Antônia Maria de Jesus e neto materno de Manoel Ribeiro Salgado e de sua mulher Margarida Teixeira de São José.

2 Antonio José Ribeiro, branco, casado, 30 e tantos anos, morador na Piedade, oficial de ferreiro. Repete o depoimento anterior;

3 José Bernardino da Rosa, branco, casado, 33 anos, natural do Cajuru, oficial de carpinteiro. Idem

Assento anexo: Aos 23-11-1832 na capela da Piedade batismo de Francisco, filho legitimo de Jerônimo Ribeiro do Valle e de Dona Francisca Bernardina Teixeira, padrinhos Vicente Ribeiro de Souza e Dona Joaquina Maria de Jesus mulher do Capitão Custodio Fagundes do Nascimento.

2-3-7-10-6 Custódio (Camilo) Ribeiro do Valle, solteiro, 16 pouco mais ou menos.

2-3-7-10-7 Cândida Bernardina Teixeira, 10 anos pouco mais ou menos. Aos 04-02-1856 casou com Carlos Rodrigues da Cunha, filho de Francisco da Cunha e Maria Josefa

Certidão inserida no inventário paterno:

Certifico que no dia quatro de Fevereiro de mil oitocentos e cinquenta e seis, com licença do Vigário do Cajuru, recebi em matrimônio os contraentes Carlos Rodrigues da Cunha, filho legítimo de Francisco da Cunha e Maria Josefa; e Cândida Bernardina Teixeira, filha legítima de Jerônimo Ribeiro do Valle e Francisca Bernardina Teixeira, por receber licença do Vigário da Vara para se receberem em casa de Francisca Bernardina Teixeira. Foram testemunhas Custódio Camillo Ribeiro e Josefa de Resende e para constar faço o presente.São João del Rei, 15 de Agosto de 1850 - Vigário Francisco Ribeiro Teixeira

 

2-3-7-11 Luiz Ribeiro do Valle, 3º testamenteiro paterno. Casou com Maria Joaquina das Dores, filha de Matias da Costa Guimarães e Rita Joaquina, família “Domingos da Costa Guimarães”.

 

2-3-7-12 Francisco Ribeiro do Valle, 1º testamenteiro paterno, casou duas vezes. Aos 22-11-1813 com sua sobrinha Madalena Maria 2-3-7-3-1. Segunda vez aos 05-09-1814 com Ana Umbelina da Conceição, filha de Manoel Antonio de Araújo e Maria Justina da Silva. Geração destas nupcias na família “Antonio Vieira de Moraes” Cap. 1º, § 3º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, aos 22 nov 1813 - capela Sta Ana do Garambeu, filial da matriz da vila de Barbacena; disp. impedimento cons. 2º grau da linha transversal, mixto ao 1º. Francisco Ribeiro do Valle, f.l. de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria da Conceição; c/ Magdalena Maria, f.l. de Jose Francisco Gonçalves e Maria Ribeira. Ns. bts e moradores nesta freguesia.

 

Arquivo da Cúria da Diocese de Campanha - MG - AIU-LPM 03

Processos de Dispensa de Impedimentos Matrimoniais -

Aiuruoca- MG 1810 a 1814

Oradores: Francisco Ribeiro do Valle e Madalena Maria

Ano: 1813

Transcrito e disponibilizado por: Moacyr Villela

Ele, filho legitimo de Joaquim Jose Ribeiro e Antonia Maria da Conceição, já falecida. 22 anos, esta sob pátrio poder.

Ela, filha legitima de J...(?) Francisco Gonçalves e Maria Ribeira, já falecida.16 anos de idade

Ambos naturais e batizados no Turvo.

Impedimento de consangüinidade - O orador é irmão da mãe da oradora

O orador é irmão inteiro de Maria Ribeira, mãe da oradora.

A oradora é órfã de mãe e o pai tem mais de 70 anos..

Assento - No livro 6 de batizados fl.22 esta o assento seguinte - a 2 de Junho de 1792 na Capela da Piedade de São João Del Rei o Reverendo Antonio Miz Saldanha, batizou a FRANCISCO inocente, filho legitimo de Jose Ribeiro do Valle e Antonia Maria. Foi madrinha Ana Ribeira, irmã do batizando - assina o vigário Gabriel da Costa Resende.

Assento - No livro 6 de batizados fl.95 esta o assento seguinte - a primeiro de abril de 1797 na Capela da Piedade, filial de São João Del Rei o padre Antonio Miz Saldanha batizou a MADALENA, filha legitima de Jose Francisco Gonçalves e Maria Laureana Ribeiro. Padrinhos Francisco de Souza Barbosa e ...Maria casada. Assina o vigário Francisco de Abreu e Silva.

Testemunha - Capitão Aleixo Ribeiro do Valle, 50 anos.

2-3-7-13 Vicente Ribeiro do Valle aos 17-11-1813 com Ana Maria das Neves, filha de Francisco Vieira da Fonseca e Mariana Garcia, familia “Antonio Gracia” I-Cap. 1º, 5-1.

B7: Casamentos - SJDRei, aos 17-11-1813 Cap. S. Ana do Garambeu, filial da freguesia de Barbacena, Vicente Ribeiro do Valle, f.l. Joaquim Ribeiro do Valle e Antonia Maria, n/b na freguesia de ---; = cc. Ana Maria das Neves, f.l. Francisco Vieira da Fonceca e Mariana Garcia, n/b nesta sobredita freguesia de SJDR.

 

         Vicente faleceu em Caconde aos 21-06-1851 com testamento de 28-12-1850, reproduzido em inteiro teor por José Ribeiro do Valle, in “E Eles também cresceram e se multiplicaram” fls 29/30. Seu inventário guardado no Cartório de 2º Oficio de Casa Branca, cx 55-20 está parcialamente publicado em fac-simile na mesma obra. Resumindo os documentos:

Testamento:

Eu Vicente Ribeiro do Valle, filho legitimo de Joaquim José Ribeiro do Valle e Anntonia Maria da Conceiçãp, nascido e batizado na Freguesia do Turvo-MG e morador em Caconde(....) Declaro que fui casado com Ana Maria das Neves e tivemos onze filhos: Francisco, Joaquim, Mariana, Ana , Maria, Luiz, Francisca, Geraldo, Rita, Jesuína e Estevão. Declaro que me acho casado segunda vez com Maria Januaria, sem filhos deste consorcio.

Deixou partes da terça para as filhas Rita e Jesuína para seus casamentos cinco mil reis para o filho Estevão. Deixou 600$000 para a esposa, no caso dela não poder ser meeira. Não tinha certeza se ainda devia algo ao irmão José Ribeiro. Deixou missas por sua alma, às dos pais e irmãos e também da primeira esposa.. Testamenteiros pela ordem, os filhos Joaquim Norberto do Valle, Francisco Ribeiro do Valle e o genro Antonio José de Souza.

Inventário-ano 1851

Titulo dos herdeiros na ordem em que foram arrolados:

1- Francisco Vieira do Valle, 34 anos

2- Marianna de Souza, 30 anos, casada com José de Souza

3- Anna Bárbara Vieira, 28 anos, casada com Fabrício Venâncio da Silva

4- Joaquim Norberto do Valle, 32 annos

5- Luiza Cândida de Jesus, 22 anos, casada com Joaquim da Costa Monteiro

6- Maria Honoria de Jesus 23 anos casada com João Pinheiro da Fonseca

7- Francisca Vieira da Fonseca, 21 anos, casada com Manoel Ribeiro de Paiva

8- Geraldo Ribeiro do Valle, 19 anos, solteiro

9- Rita Vieira da Fonseca, 15 anos, solteira

10- Jesuína Vieira da Fonseca 15 anos, solteira

11- Estevão Riveiro do Valle, 12 anos, solteiro

Entre os bens: terras compradas aos 29-11-1849 nas Fazendas Conceição e Bom Jesus em Caconde, depois de viúvo da primeira mulher.Partilhas se deram aos 03-04-1852 e cada herdeiro recebeu bens no valor de pouco mais de um conto de reis. Em 1854 o herdeiro Geraldo Ribeiro do Valle declarou ter recebido a herança de seu pai e mãe e em 1856 José Maria Ribeiro passou o recibo da herança de sua mulher Rita Vieira da Fonseca.

 

Nota: Na mesma obra consta também o termo de batismo de Estevão, em Caconde aos 03-11-1839 e seu casamento na Matriz de Guaxupé aos 15-09-1858 com sua prima Candida Sena da Conceição, filha de Francisco Ribeiro do Valle e Ana Umbelina.

 

 

2-3-8 Felisberto Ribeiro do Valle, 30 anos em 1783. Casado aos 11-02-1781 com Ana Custódia de Paula, filha de Domingos da Costa Guimarães e Rita de Souza do Nascimento. Geração na família “Domingos da Costa Guimarães”.

Aiuruoca, MG Igreja N Sra da Conceição aos 11-02-1781 na capela da Sra Madre de Deus filial da freguesia de S. João del Rei e as testemunhas Cap. João de Mendonça Coelho e Manoel Ferreira de Brito se casaram Felisberto Ribeiro do Valle, f.l. de Antonio do Valle Ribeiro e Rosa Maria de Jesus, nat/bat na capela da Piedade = cc Ana Custodia de Paula, f.l. do Alf. Domingos da Costa e Rita de Souza do Nascimento.

2-3-9 Ana Ribeira do Valle com 28 anos em 1783. Casou no oratório da capela de Manoel Marinho de Moura em 16-12-1771 com João Correa da Cunha, natural da Freguezia de Santa Maria de Palmeira Arc. Braga, filho de Pedro Correa e Ana Francisca.

Livro de casamentos Aiuruoc-MG – Aos 16 de 7bro de 1771 no oratório de Manoel Marinho de Moura foram recebidos em matrimônio João Correa da Cunha filho legitimo de Pedro Correa e Ana Francisca batizado na freguesia de Nossa Senhora da Palmeira Arcebispado de Braga com Ana Ribeira filha legitima de Antonio do Valle Ribeiro e Rosa Maria batizada nesta freguesia de Aiuruoca. Testemunhas Mel. Marinho de Moura, Mel. Frr.ª de Britto (pesq. Silvia Buttros).

          João Correa da Cunha faleceu com testamento ditado aos 15-01-1792 na fazenda Cachoeira Grande do Rio Grande aplicação da capela de Nossa Senhora da Conceição de Ibitipoca, no termo da Vila de Barbacena

Livro de testamentos numero 10 - Museu Regional de São João Del Rei fl. 63- Anotações - Registro de testamento com que faleceu João Correa da Cunha ditado aos 15-01-1792 – primeiro testamenteiro Domingos José de Novais, segundo Joaquim Ferreira da Cunha, terceiro a mulher Ana Ribeira do Valle. Declara ser natural e batizado da freguesia de Santa Maria da Palmeira termo da Cidade de Braga filho legítimo de Pedro Correa e Ana Francisca já falecidos. Casado com Ana Ribeira do Valle com quem tem três filhos

João Correa da Cunha, Joaquina Esmeria e Ana Hipolita Ribeira. Todos os quais têm sido dotados.

Declara ser possuidor de uma fazenda na paragem chamada Cachoeira Grande onde mora, com campos e capoeiras. Algumas matas nos Gerais da Ibitipoca - Ribeirão de São João/ Deve ainda a Pedro Barbosa da Costa restos de pagamentos da fazenda/12 escravos de serviço mais 3 menores de idade. Pede para ser sepultado na capela de Santa Ana do Garambéu aonde é aplicado

          Tiveram três filhos, todos dotados:

- José, batizado em 12-10-1777. Não é citado no testamento paterno.

(pesquisa de Ana Emília Carvalho) Paróquias de Barbacena, Batismos 3 – Tomo III, 1776 a 1780- Vigário Feliciano Pitta de Castro. IBITIPOCA – Aos 12 de outubro de 1777, na Capela de Nossa Senhora da Conceição da Ibitipoca, filial desta Matriz de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, o Pe. Agostinho Machado dos Santos batizou a Jozé, filho de João Correia da Cunha, natural e batizado na Freguezia de Santa Maria de Palmeira, Arcebispado de Braga, e Anna Ribeira do Valle, natural e batizada na Freguezia de Nossa Senhora Conceição de Iurioca, Bispado de Marianna, neto por parte paterna de Pedro Correia e Anna Francisca da dita freguezia de Palmeira, e pela materna de Antonio do Valle Ribeiro, natural da Freguezia de Sto. Antonio da Casa Branca, Bispado de Marianna, e Rosa Maria de Jesus, natural do Bispado de Angra. Padrinhos: Francisco Xavier Ribeiro, solteiro, e Anna Ferreira, solteira, filha de Simão Ferreira. (Batismos 3, pág. 445)

2-3-9-1 João Correa da Cunha. Muito provavelmente o casado com Ana Joaquina e pais de, q.d.:

2-3-9-1-1 Antonio batizado em 21-11-1793.

Barbacena, MG - Ibitipoca aos 21-11-1793 Antonio, f.l. de João Correa da Cunha e Anna Joaquina, padr.: Martinho da Costa Barboza por pp q apr. Joaquim Ferr.ª e Ana do Val. V.ª.

2-3-9-1-2 Ana em 22-03-1797.

Barbacena, MG - Lacerda aos 22 de Março de 1797 Ermida do Bom Jesus de Lacerda, filial de Barbacena, ANNA, f.l. de João Correa da Cunha e Anna Joaquina, padr.: Manoel Teixeira Marinho e Joaquina Esmeria Ribr.ª

2-3-9-1-3 Mariana Policena de Jesus casou com João Garcia de Souza, filho de José Garcia de Souza e Joaquina Maria do Espirito Santo. Geração na família “Antonio Gracia e João Garcia Duarte” I- Cap. 1º, entre eles:

2-3-9-1-3-1 Antonio Teodoro de Souza com 22 anos em 30-10-1848, dispensados do impedimento de consanguinidade em 4º grau, casou com Maria Rosa de Almeida, filha de José Marcelino de Almeida (ou José Marcelino Ribeiro ou do Valle) e Inácia Maria. Neta paterna de José Marcelino do Valle casado com Rosa Bezerra de Sá (ou Rosa de Lima de Almeida) 2-3-5-3-2-1 supra.

Processo Matrimonial AEAM 81831 Andrelândia-MG

(pesq. Moacyr Villela)

Orador -Antonio Teodoro de Sousa 22 anos filho de João Garcia de Sousa e Mariana Policena vive com os pais que tem numerosa família.

Oradora- Maria Rosa de Almeida 20 anos filha de Jose Marcelino de Almeida e Inácia Maria. Vive com os pais.

Testemunhos:

1- João Luis Correa de Lacerda, branco, casado, natural da freguesia do Turvo, vive de lavoura 45 anos consangüíneo da oradora. Diz que João Correia da Cunha e Jose Marcelino do Valle são primos co-irmãos. Deste procede Jose Marcelino de Almeida e deste a oradora. Daquele procede Mariana Policena de Jesus e desta o orador

2- Tenente David Bezerra de Almeida, branco, casado, natural da freguesia, vive de lavoura, 54 anos consangüíneo com a oradora. Repete o mesmo testemunho anterior

3- Beraldo Jose Chaves, branco, casado sem parentesco com os oradores repete o mesmo depoimento

 

Livro de casamentos de Andrelândia-MG– Aos 30-10-1848 na igreja do Rosário Antonio Teodoro de Souza e Maria Rosa de Almeida ambos desta freguesia. Aquele branco de idade 22 anos filho de João Garcia de Souza e Mariana Policena de Jesus e esta branca da idade de 20 anos filha legitima de Jose Marcelino do Valle e Inácia Maria dispensados do impedimento de consangüinidade em quarto grau (pesq. Moacyr Villela)

2-3-9-2 Joaquina Esmeria. Muito provavelmente a Joaquina Esmeria Ribeira casada com Joaquim Ferreira da Cunha, moradores em Bom Jardim em 1831.

Censo Bom Jardim 1831, quarteirão 2, fogo 6

JOAQUIM FERREIRA DA CUNHA, chefe do fogo, branco, 78

JOAQUINA ESMERIA RIBEIRA, cônjuge, branco, 58

JOAQUIM MARIA FERREIRA, dependente, branco, 16

ANTONIA ESMERIA, dependente, branco, 13

FRANCISCA ESMERIA, dependente, branco, 18

JOAQUINA INGYTADA, dependente, branco, 11

BELIZARIA INGYTA, dependente branco, 2

ANNA Y COSTA, dependente, branco, 8

15 escravos

         Pais de, q.d.:

2-3-9-2-1 Maria, batizada em 18-06-1793.

Barbacena, MG - Ibitipoca aos 18-06-1793 MARIA, f.l. de Joaquim Fer.ª da Cunha e s/m Joaquina Esmeria Ribeira. Padr.: Joam Correya da Cunha e s/m digo e Anna Ribeira do Valle. Declaro que foi batizada ba Capela do Bom Jesus no sitio do Lacerda desta freguesia.

2-3-9-2-2 Pedro em 11-05-1809.

Barbacena, MG - Ibitipoca aos 11-05-1809 Pedro, f.l. de Joaquim Ferr.ª da Cunha e de Joaq.na Esmeria, padr.: Manoel Ribr.º de Carv.º e Maria Per.ª.

2-3-9-3 Ana Hipolita Ribeira. Muito provavelmente a Ana Hipolita do Valle casada com José Rodrigues de Aguiar, filho de Maria Emerenciana de Santana e seu segundo marido Domingos Rodrigues Carneiro. Geração na família “Pascoal Correa de Aguiar”.

2-3-10 Cecília Maria da Conceição, 26 anos, casada com João de Mendonça Coelho, filho de Amaro de Mendonça Coelho e Maria da Assunção. Geração na família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 5º.

          Cecília em 1816 já estava casada em segundas núpcias com o Capitão Joaquim Pereira de Souza.

inventário 26-07-1816 de Francisca de Paula de Jesus: Terras na paragem denominada "Bahia dos Dois Irmãos" na aplicação de Nossa Senhora do Turvo que havia comprado de Dona Cecília Maria da Conceição viúva do falecido Capitão João de Mendonça Coelho e a seu segundo marido o Capitão Joaquim Pereira de Souza , por escritura publica e aos mais herdeiros filhos dela pela quantia constante na mesma ( fl 16); - 542$500.

          Capitão Joaquim Pereira, natural da freguesia de Santa Maria de Gundao do Arcebispado de Braga, era filho de João Pereira de Souza e Luiza Maria Nogueira, já falecidos em Novembro de 1832. Joaquim fez seu testamento em 25-11-1836 e Cecília em 22-05-1837. Ambos faleceram em 31-05-1837 e tiveram inventário conjunto aberto em 30-08-1837 na Fazenda da Barra, Freguesia de Nossa Senhora do Monte do Carmo Termo da vila de Santa Maria de Baependi-MG. Não tiveram geração (inventário neste site colaboração de Cristiano Corte Restitutti)

Sem herdeiros forçados, Capitão Joaquim instituiu universais herdeiros a:

- José da Silva Gorgulho Junior, maior, sobrinho do Capitão Joaquim.

- Anna Mathildes de Mendonça, casada com Antonio Pinto de Castilho

Em 1839 Ana Matildes de Mendonça e Antonio Pinto de Castilho comparecem no censo de Carmo do Baependi:

censo Carmo de Baependi 12-02-1839, fogo 343

Antonio Pinto de Castilho; branco; 53; casado; lavrador; le e escreve

Ana Matildes de Mendonça; branco; 41; casada

Antonio Francisco Ribeiro; branco; 21; solteiro; administrador; le e escreve

Maria Luzia das Dores; branco; 21; solteira; exposta; le e escreve

34 escravos

 

2-3-11 Aleixo Ribeiro do Valle, batizado aos 25-04-1762 em Aiuruoca onde aos 07-06-1785 casou com Ângela Joaquina, filha de Bento Ribeiro Salgado e Ângela Ferreira Soares. Geração na família “Bento Ribeiro Salgado” § 8º.

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG - batismos- aos 25 abril 1762 Madre Deus - Aleixo, f.l. de Antonio do Valle Ribeiro e Rosa Maria, padr.: Luiz Correa Lourenço e s/m Maria Theresa.

 

B7: Igreja N.Sra. da Conceição, Aiuruoca, MG, cas. - Porto do Turvo, aos 07 junho 1785,  - Alexo Ribeiro do Vale e Angela Joaquina. Ele f.l. de Antonio Ribeiro do Valle e Rosa Maria. Ela f.l. de Bento Ribeiro Salgado e Angela Ferreira.

 

2-4 Luzia da Cruz, batizada em 17-11-1714 na capela de S. Miguel em S. João del Rei. Aos 10-10-1731 casou com Antonio Martins Saldanha, batizado em 1689 em Braga, filho de Antonio Martins de Aguiar e Senhorinha Gonçalves. Geração na família “Antonio Martins Saldanha”.

 

2-5 Ângela, com 2 anos em 1720. Ângela Ribeira de Moraes aos 09-02-1733 casou com José Gomes Branquinho, filho de Manoel Gomes Branquinho e Francisca de Assunção.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, cap. S. Miguel do Cajuru aos 09-02-1733 Jose Gomes Branquinho, f.l. Manoel Gomes Branquinho e Francisca de Assunção = cc Angela -----, f.l. Cap. Andre Valle Ribeiro e Teresa de Moraes.

          Viúva, ditou seu testamento em 14-10-1755 e faleceu em 09-06-1763. Foi inventariada pelo filho único (inventário neste site):

2-5-1 José Joaquim Gomes Branquinho batizado em 27-04-1740 em S. João del Rei ou em 06-03-1742 na capela de Santo Antonio da Lagoa Dourada filial da matriz dos Prados. Em 1763 com 23 anos, pouco mais ou menos.

Matriz de Nossa Senhora do Pilar e Capelas Filiadas, aos 27-04-1740 Jose Joaquim, f.l. Jose Gomes Branquinho e Angela Ribeiro de Moraes, padr.: Padre Manoel da Costa Faro.

 

Prados, MG aos 06-03-1742 na capela do Senhor Santo Antonio da Lagoa Dourada bat a Jose Joaquim, f de Jose Gomes Branquinho e de s/m Angela Ribeira de Moraes, foram padrinhos o Licenciado Jose Pereira de Castro e Luzia da Cruz mulher de Antonio Martins Saldanha fregueses da vila de S. João del Rei e os mais desta freguesia.

 

Duplicata

Prados, MG aos 06-03-1742 na capela do Senhor Santo Antonio da Lagoa Dourada bat a Jose Joaquim, f de Jose Gomes Branquinho e de s/m Angela Ribeira de Moraes, foram padrinhos o Licenciado Jose Pereira de Castro e Luzia da Cruz mulher de Antonio Martins Saldanha fregueses da vila de S. João del Rei e os mais desta freguesia,

 

          Aos 16-06-1776 casou com Maria Vitória dos Reis, filha do Cap. Domingos dos Reis e Silva e Andreza Dias de Carvalho. Geração na família “Domingos dos Reis e Silva” § 4.

RMMJ: Matriz de Nossa Senhora do Pilar SJDR, aos 16-06-1776 - Capela de Santo Antonio da Bertioga, filial da Freguesia da Borda do Campo. José Joaquim Gomes Branquinho, filho de João Gomes Branquinho e Ângela Ribeira de Moraes. C.c. Maria Vitória dos Reis, filha do Capitam Domingos dos Reis e Silva e de Donna Andreza Dias de Carvalho. Ambos naturais da Freguesia de N Sra do Pilar

 

2-6 André, faleceu depois do pai.

 

2-7 Quitéria, idem.

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Ancestrais de

ANTÔNIO DE BRITO PEIXOTO

Gráfico Ahnentafel

 

 

Sílvia R. do Prado Mendes Buttros

Pesquisa nas Freguesias dos Concelhos de Fafe, Braga, Guimarães, e Vila Nova de Famalicão.

 

 

Antônio de Brito Peixoto foi batizado na freguesia da Cividade, em Braga, aos 19/02/1696, sendo filho de Inácio de Andrade, mercador, e de Helena de Brito, da Rua dos Pelames.

Batismo Igreja da Cividade, Braga. Aos 19/02/1696, Antonio, f.o de Inacio de Andrade, mercador, e de sua mulher Illena de Brito, da Rua dos Pelames, foram padrinhos Domingos da Costa, e madrinha Isabel de Matos, mulher de João Fernandes, mercador. Todos da Rua do Souto. O Vigr.o de S. Tiago Thome Gomes Villaça.

 

PAIS

 

2- INÁCIO DE ANDRADE PEIXOTO e 3- HELENA DE BRITO

Inácio de Andrade Peixoto nasceu na freguesia de Santa Comba de Fornelos, Concelho de Fafe, Distrito de Braga, em 1648.

Extrato do processo de habilitação sacerdotal de seu filho Eusébio de Brito Peixoto:

Inácio nasceu no mesmo dia em que nasceu Catarina do Vale, mulher da testemunha Antônio de Castro fls. 65v. Foi batizado em 1648, pelo padre João da Costa Peixoto, e seu padrinho foi Pedro Gonçalves morador no lugar de Quintam. fls. 6

Já na idade adulta, foi para a cidade de Braga, e em casa de Margarida Paiz, viúva da Rua do Souto, aprendeu o ofício de sirgueiro e mercador (fls. 58v), e onde, aos 26/12/1686, casou com Helena de Brito, natural de Salvador de Joane, Concelho de Vila Nova de Famalicão, Distrito de Braga, sendo ele, filho do Padre Francisco da Costa Peixoto, e de Angela do Vale, solteira, ambos já falecidos naquela data, da freguesia de Fornelos, e ela, filha do Padre Tomás de Brito, natural de Braga, e de Domingas Gonçalves, solteira, natural de Salvador de Joane.

Arquivo Distrital de Braga, Livro de Casamentos da freguesia de São Vitor, Concelho de Braga. Aos vinte e seis de Dezembro de seiscentos e oitenta e seis na p.ra oitava de Natal na Capela de N. Srª a Branca, na forma do Sagrado Conc. Trid. se receberão de l.ça do R.do .....Gomes Vigr° de S. Tiago da Cividade se receberão em minha prezença Ignacio de Andrade Peixoto f° de Fr.co da Costa Peixoto presbitero já defunto da fregª de Santa Comba de Fornelos de Monte Longo e de Angela de Andrade soltrª já defunta da mesma fregª; com Illena de Brito fª de Thomas de Brito presbitero da fregª de S. Tiago da Cividade, e de D.as Glz. soltrª da fregª de S. Salvador de Joane, termo de Barcelos, Test.as P° Prª da Sylva em lugar de P° Pinto da Sylva e João Fragozo em lugar de Bras Pachequo tezoureiro da Mezericordia, e João Trancozo, e por verdade fiz e asinei Hera ut supra. Adriano Duarte.

 

O casal morou em Braga, na Rua do Souto e na Rua dos Pelames, onde ambos faleceram, Inácio aos 09/04/1696, e Helena aos 11/01/1725, deixando, pelo menos, 4 filhos além de Antônio:

Arquivo Distrital de Braga, Óbito Cividade, Braga. Aos 09/04/1696, Ignacio de Andrade, morador na Rua dos Pelames. Não fez testamento. Foi amortalhado com o hábito de S. Francisco, e foi sepultado nesta igreja com a tumba da Irmandade de N.S. do O do Hospital. 12 missas em S. Pedro de Rates.

 

Arquivo Distrital de Braga Livro de Óbitos da Cividade. Aos 11/01/1725 faleceu com todos os sacramentos Illena de Britto viúva, moradora em Horjães. Com testamento aberto, amortalhada em hábito de S.Francisco com de o viúva por cima. Foi sepultada na Igreja dos Religiosos da Conceição. Ofício de trinta padres.

 

2-1 Luísa, batizada aos 16-05-1688.

ADB- Livro de Batismos S. João do Souto, Braga, Luisa, fª de Ignacio de Andrade sirgr° e de sua m.er Illena de Britto mor.es na rua do Soutto desta frgª foi baptizada de minha lcª pello Rd° P.e João de Britto Belozo tio da baptizada aos dezaceis dias do mes de Mayo de mil e seiscentos e outenta e outo annos forão pdr.os o Rd° Thomas de Brito m.or em Orgães frgª de S. Victor, e Luzia de Araujo m.er de M.el de Carv° sirgr° m.or na rua do Soutto e por verdade fis no mesmo dia mes e ano ut s.ra. O Abb.e João Correa de Araujo.

2-2 Josefa, batizada em 1º-10-1690.

ADB- Livro de Batismos S. João do Souto, Braga. Josepha, fª de Ignacio de Andrade sirgr° e de sua m.er Illena de Britto mo.rs na rua do Soutto foi baptizada pello P.e Christovão Soares de S. Pajo coadjutor desta fgrª ao primeiro dia do mes de Outubro de mil e seis centos e noventa forão P.P. o Rd° João de Britto tio da baptizada, e Inocencia Ribrª m.er de Sanctos de Olivrª mercador da dita rua e por verdade fis dia ut s.ra. O Abb.e João Correa de Araujo.

2-3 Eusébio de Brito Peixoto, batizado aos 30-12-1691, habilitou-se às ordens sacras em 1714:

ADB-Livro de Batismos S. João do Souto, Eusebio, f° de Ignacio de Andrade, sirgr° e de sua m.er Illena de Britto, mor.es na rua do Soutto foi baptizado de minha licª pello Rd° João de Britto Bellozo, meu vesinho, tio do baptizado aos trinta de Dezembro de mil e seiscentos e noventa e hum anos, foram P.P. o Rd° Thomas de Britto avo do baptizado, e Vicencia Rebella m.er de Franc° João, sirgr° da dita rua do Soutto e por verdade fis dia ut s.ra. João Correa de araujo Abb.e desta Igrª.

 

Processo Habilitação Sacerdotal 27925, de 1714.

Filho de Ignacio de Andrade já defunto e de Illena de Brito, neto pela parte paterna de Francisco da Costa Peixoto de angela do Valle moradores que foram em a freg.a de Santa Comba de Fornellos, Concelho de Monte Longo Termo de G.es; e neto pela parte materna do Padre Thomas de Brito, e de D.as Gonçalves, da freg.a do Salvador de Joanne lugar de Bayro, termo de Barcellos, elle dito P.e Thomas de Britto natural que foi desta Cidade da Rua de Jannes freg.a de S.João de Souto, e morador em Urjais freg.a de Sam Tiago da Cividade extra muros desta Cidade.

 

2-4 Natália, batizada aos 07-01-1694.

ADB- Batismos S. João do Souto, São João do Souto-Braga, Natália, fª de Ignacio de Andrade mercador, e de sua m.er Illena de Britto, mo.res na rua do Soutto desta freg.a, foi baptizada de minha licença pello P.e João de araujo Velloso, tio da baptizada aos sete dias do mes de Janeiro de mil seis centos e noventa e quatro anos. Foram P.P. o Rd° Antonio Barbosa Olivrª Conigo da See desta, e Natalia de Saa, m.er de antonio Ribeiro ... m.or na Rua do Soutto, e por verdade fis e assinei era ut supra.

 

 

AVÓS PATERNOS

 

4- PADRE FRANCISCO DA COSTA PEIXOTO e 5- ANGELA DO VALE E ANDRADE.

Francisco da Costa Peixoto, Padre, cuja data de ordenação não conseguimos obter, nasceu em Santa Comba de Fornelos, Concelho de Fafe, e ali foi batizado aos 23/12/1626, sendo filho de Gonçalo da Costa e de Maria Nogueira.

Arquivo Distrital de Braga, Santa Comba de Fornelos. Aos 23/12/1626, Francisco, filho de Gonçalo da Costa do Outeiro, e de sua mulher Maria Nogueira. Foram padrinhos Miguel da Costa clérigo de ordens sacras e Maria da Costa. Todos desta freg.a de S. Comba de Fornelos. O P.e João da Costa Peixoto.

 

Foi vigário na Igreja da Conceição em Guimarães, e na Igreja de Santa Eulália de Fermentões. Enquanto vigário de Santa Eulália de Fermentões, o último assento assinado por Padre Francisco foi em 1676.

Conforme processo de habilitação de seu neto Eusébio de Brito Peixoto, fls. 7v, Francisco da Costa Peixoto era filho de Gonçalo da Costa e de Maria Nogueira. (fls.7v) Francisco foi vigário da Conceição abaixo de Guimarães. (fls. 54v).

Faleceu na casa de seu irmão Padre Gil da Costa Peixoto, em junho de 1680. Deixou dois filhos com Angela do Vale.

Arquivo Distrital de Braga, Óbitos de S. Comba de Fornelos. Faleceu o Vig.ro de Santa Eulália de Fermentões Fran.co da Costa Peixoto, meu irmão, desta freg.a, em junho de seiscentos e oitenta annos, com todos os sacramentos, e fez testamento em que sou testamenteiro, fiz meo officio de junho de 680. Gil da Costa Peixoto.

 

Angela do Vale, ou Angela do Vale e Andrade (assim citada no processo de habilitação do neto), solteira, do lugar de Sima de Vila, foi batizada aos 05/03/1629, na freguesia de Santa Comba de Fornelos, era filha de André Gonçalves e de Catarina Vaz, a mãe por dedução, conforme os assentos pesquisados naquela freguesia.

Arquivo Distrital de Braga, Santa Comba de Fornelos Batismos. Aos 05/03/1629, Angella, filha de André Gls. de Sima de Vila. Forão padrinhos G.lo Fran.co de Ribeiros e C.na filha de Joam L.ço de Sima de Vila. Ambos desta freg.a de S. Comba de Fornelos. Joam da Costa Peixoto.

 

Angela do Vale foi ama do Padre Inácio da Costa Peixoto, vigário na freguesia de Longos Vales, na vila de Monção, onde faleceu antes de 1686.

Faleceu na freguesia de Longos Vales, na vila de Monção. Era ama do P.e Inácio da Costa, irmão do Padre Francisco da Costa e do Abade Gil da Costa Peixoto. (fls. 55v).

Tinha uma irmã Ana do Vale que casou na fazenda que ficou de seus pais. (fls. 56)

 

Inácio teve outro irmão, Antônio, batizado em 24-07-1653, que foi para o Brasil, falecido moço. (fls. 55v) Inácio e Antônio eram pastores de gado no monte (fls. 57v).

ADB, Fornelos, Batismos. Aos 24/071653, Antonio, filho de Angela solteira, de Sima de vila, filha de André Gonçalves. Foi padrinho Antonio Gomes. O P.e João da Costa Peixoto

 

AVÓS MATERNOS

 

6- PADRE TOMÁS DE BRITO e 7- DOMINGAS GONÇALVES

Tomás de Brito, Padre, também chamado de Tomás de Brito e Costa, era natural de Braga, tendo sido batizado na freguesia de Balazar, Concelho de Guimarães, aos 26/12/1637, sendo filho do Padre Miguel de Brito Eirado, reitor de Joane, e de Isabel da Costa, solteira, supostamente natural de Arcos de Valdevez.

Arquivo Distrital de Braga, Batismo Igreja de Salvador de Balazar, 26/12/1637, certidão no processo de Eusébio de Brito Peixoto. Aos 26/12/1637, Thomas, filho de Isabel solteira, dizem ser natural dos Arcos de Val de Vez, deram-lhe por pai ao Rv.do Miguel de Brito Eyrado natural da Cidade de Braga. Padrinhos: o P.e J...de almeida da Sé de Braga, e Francisca solteira desta freguesia. P.e Pedro da Silva. Certificado pelo Vigário Hieronimo da Silva.

 

Tomás viveu em Joane, com seu pai, e também em Braga, na Rua dos Janes e na rua dos Pelames. Teve terras no lugar de Urjães, na Cangosta dos Prados, onde criava cavalos, e onde o encontraram morto, aos 06/04/1705, supostamente, assassinado.

Arquivo Distrital de Braga, Óbitos Cividade, Braga. Aos 06/04/1705 amanheceu morto na Cangosta dos Prados o P.e Thomas de Brito. Tinha feito seu tt° em q. deixou hú ...que se lhe fez e 20 missas de prez.te q. se lhe disseram, deixou mais 3 dias de missas gerais e q. tudo ...f.to. O Vigr° Ag.° de Barb.a e Lima.

 

Segundo uma testemunha  do processo de seu neto Eusébio, " tratava em cavalos e foi dito que o mataram". (fls. 58v).

 

O Padre Tomás de Brito teve, pelo menos, 3 filhos com Domingas Gonçalves.

 

Domingas Gonçalves foi batizada na freguesia de Salvador de Joane, aos 23/09/1635, sendo seus pais Antônio Gonçalves e Maria Antônia, moradores no lugar de Bairros.

Arquivo Distrital de Braga, Batismo de Salvador de Joane, Concelho de Vila Nova de Famalicão. Aos 23/09/1635, Domingas, filha de Ant.o Gls. de Bairos e de sua mulher. Padrinhos: M.el solt.o e C.na sua irmã da freg.a de Vermoim. E por verdade fiz e assinei oie era ut supra. P.o Gls.

Domingas morava em casa de sua filha Maria de Brito, casada com Domingos Teixeira, na freguesia de São João de Gondar, Concelho de Guimarães, onde faleceu aos 30/01/1721.

Arquivo Distrital de Braga, Óbito S. João de Gondar, Guimarães. Aos 30/01/1721, Domingas Gonçalves, moradora em casa de Domingos Teixeira, seu genro, e de Maria de Britto, sua filha. Com todos os sacramentos, foi sepultada dentro da igreja, defronte de N.S. do Rosário. Não fez testamento, mas seu filho Hieronimo de Brito lhe deixou em testamento 50 missas para o bem de sua alma.

6-1 Helena de Brito casada com Inácio de Andrade Peixoto

6-2 Maria de Brito, batizada em 30-07-1668. Casou em Gondar aos 15-11-1705 com Domingos Teixeira, viúvo de Ana Fernandes, filho de Gaspar Teixeira e Angela da Silva.

Batismos em Joane. Aos 30/07/1668, Maria, filha de Domingas solteira, do lugar de Bairros. Foram padrinhos M.el Frz. do lugar de Bairros e Ant.a Als. mulher de P.o de Mattos, do dito lugar. Todos desta freguesia. Era ut supra. Pedro de Araujo.

 

 

Casamentos Gondar. Aos 15-11-1705 nesta Igreja de São João de Gondar, D.os Teix.a, veuvo que ficou por falecimento de Anna Frz., e filho legitimo de Gaspar Teixeira, e de Angela da Sylva, moradores que foram na Rua de Gattos, da Villa de Guimarães, já defuntos, com M.a de Brito, filha de Thomas de Brito, presbítero da Cidade de Braga, e já defunto, e de D.as Gls. Solteira do lugar de Bairros da freguesia do Salvador de Joane, termo de Barcelos, deste Arcebispado de Braga. Estando presentes F.co Carn.ro, Fr.co. Frz, An.to de Andrade.

 

6-3 Jerônimo de Brito e Costa, falecido solteiro, aos 28/07/1720, em S. João de Gondar, Concelho de Guimarães

Arquivo Distrital de Braga, Livro de Óbitos, São João de Gondar, Concelho de Guimarães. Aos 28/07/1720 faleceu da vida presente Hyeronimo de Brito e Costa, homem solteiro, filho do P.e Thomas de Brito e Costa, já defunto, e de Domingas Gls. solteira, freguês desta Igr.a com todos os sacram.tos; fez testam.to na maneira seguinte: Em nome da Santíssima Trindade (...) Declaro que sou filho do R.do P.e Thomas de Brito e Costa, já defunto, da Cid.e de Braga, e de D.as Gls. assistente em minha companhia, e que tudo quanto tenho adquiri nas partes do Brazil, sem de cá levar nada; é suposto minha Máy não seja minha Erdr.a pellas razões acima, contudo pello respeito que lhe devo de Máy lhe pedi licença para dispor de meus bens na forma seg.te: Prim.a m.te instituo por minha universal herdeira de todos os meus bens moveis, e d.ro, e peças, a minha alma; e ordeno que meus bens se gastem em sufrágios della, e em obras pias na forma que adiante declaro o qual d.ro deixo nomeado por um rol junto a este meu testam.to; e peço de m.da a meu Am.o o Sr. Gaspar Ribr.o, mercador, e m.or na Villa de Guim.es seja meu testamenteiro, ao qual nomeo e quero por serviço de Deus aceite, e que faça dar inteira satisfação a todos os meus legados, e deixas neste por mim ao diante declarados. (...) Deixo a meu cunhado e comp.e D.os Teixr.a toda a roupa de cor de meu uso. Deixo a minha sobrinha Jozepha Maria a minha cama aparelhada assim como nella durmo; e duzentos mil reis em dinheiro p.a ajuda de tomar seu estado. Deixo a minha afilhada e sobrinha Maria hua caixa, em que tenho a minha roupa, e tres garfos e tres colheres de prata, e duzentos mil reis para tomar seu estado. Deixo a meu sobrinho Thomas a minha espada com seu punho de prata e a minha espingarda, e duzentos mil reis em dinheiro; e declaro que estes seiscentos mil reis acima que deixo a estes meus tres sobrinhos filhos de D.os Teixr.a rendam os jutos delles para alim.tos de minha Máy enq.to for viva; e por seu falecimento rendam os duzentos mil reis de cada hum delles para mais abreventam.to de seus estados, os quais meu testamentr.o não tirará da p.te adonde lhe parecer estam seguros nas pessoas adonde os tenho, nem seu Pay, nem Maý, poderão entender no d.to d.ro se não p. a ocasião de seus estados, e dando caso que algum delles faleça sem q. tome estado, quero se reparta pellos outros dois que ficam. Deixo a minha Irmãa Maria de Brito sinq.ta mil reis. Deixo a minha Máy alem do rendim.to p.a seus alim.tos que acima declaro sinq.ta mil reis em dinheiro para a occasião de seu falecim.to p.a bens de sua alma, ou deixar a quem lhe parecer. Deixo a minha Irmãa Elena de Brito, v.a m.ra na Cid.e de Braga cem mil reis em d.ro. Deixo a sua filha e minha sobrinha Natalia de Brito quatrocentos mil reis em cuja conta entrará hú cordam de ouro, que tenho, que pesa sinq.ta e nove mil reis que mando se lhe dê, e o demais em d.ro p.a enteirar os quatrocentos mil reis, que acima lhe deixo para tomar seu estado. Deixo a minha sobr.a Luiza de Brito aleijada duzentos mil reis para se ir alimentando com os juros delles ou dispor delles lhe parecer. Deixo a meu sobr.o o P.e Euzebio de Britto Px.to duzentos mil reis em d.ro, e um baú coberto de moscovia com duas fechaduras com algua roupa branca que achar dentro. Deixo a minha afilhada filha de João de Madureira 4.800 reis em d.ro. Deixo a meu testament.ro Gaspar Ribr.o pello trabalho que há de ter em me dar cumprim.to a meus legados acima e abaixo declarados cem mil reis em d.ro. Deixo mais, q. meu testamtr.o dará vinte mil reis a quem elle sabe lhe deixo encarregado de q. se não lhe pedirá quitação. Deixo a m.a prima Domingas Simões de Berredo de Mogege sinco mil reis, e a sua filha que mora em sua comp.a outros sinco mil reis em d.ro. Deixo a meu vizinho Hyeronimo da Costa dous mil reis pella boa vontade com que me serviu no que lhe encomendei. Deixo q. meu testamtr.o me mandará dizer cem missas gerais pella alma de meu Pay q. tem com esmola de seis vinténs. Deixo mais q. meu testamentr.o me mandará dizer cem missas gerais pellas almas que estam no purgatório por quem Nosso Sr. Sabe a quem mais obrigação tenho com esmola de cento e vinte reis. Deixo mais q. meu testamentr.o dará de esmolla aos pobres do Hospital da Villa de Guimarães trinta mil reis em dinheiro. Deixo mais q. meu testamentr.o dará ao Santissimo Sacramento desta freg.a de São João de Gondar vinte mil reis em dinheiro (...) Deixo q. meu testamentr.o dará a Roza negra do Olival hum manto que custe até dois mil reis feito e acabado. Deixo aos moços que se acharem servindo nesta caza no tempo de meu falecim.to se lhe de uma moeda nova a cada hum. (...) E por verdade pedi a Fran.co de Araujo m.or no Sabugal da V.a de Guim.es que este me fizesse o qual eu sobredito a seu rogo fiz e o asignei com o testador, e em nome de sua Máy D.as Gls. em como deu li.ça para seu f.o dispor de seus bens do que lhe parecer que tudo há por bem firme e valiozo ao q. serão test.as pres.tes estavão D.os de Abreu, Miguel Ribr.o desta freg.a, q. todos aqui asignarão co' o testador e comigo a pedido de D.as Gls. hoje 29 de julho de 1718 annos. = Hymo de Brito Costa testador=D.os de Abreu=Miguel Ribr.o=Por mim e a rogo de D.as Gls. May do testador Franco de Araújo. E não se continha mais no dito testam.to. Foi sepultado dentro desta Igr.a defronte do Altar de Nossa Sr.a do Rozario, e para constar fiz este termo que aignei aos nove de julho da era acima. O Abb.e Mel da silva.

 

BISAVÓS

 

8- GONÇALO DA COSTA e 9- MARIA NOGUEIRA

Gonçalo da Costa era natural da freguesia de Santa Comba de Fornelos, Concelho de Fafe, sendo filho de Miguel Martins e de Catarina da Costa Peixoto (Ancestrais de Gonçalo da Costa no Processo de Habilitação sacerdotal de Inácio da Costa Peixoto. Proc. 11417).

 

Casou-se, por volta de 1619, com Maria Nogueira, batizada aos 30/07/1595 na freguesia de Santa Eulália de Fafe, ou Santa Eulália Antiga, do mesmo concelho de Fafe, que outrora se chamava Monte Longo, filha de Bartolomeu Nogueira e de Francisca Pires.

Arquivo Distrital de Braga, Santa Eulália de Fafe, Batismo. Aos 30/07/1595, Maria, filha de Bartholomeu Nogr.a e de sua mulher Fr.ca Piz. de Fafe. Padrinhos: Jerônimo Soares, de Fafe, e Catarina, filha de Afonso Lopes da Quintam de Santa Comba.

 

O casal morou no lugar do Outeiro, na freguesia de Fornelos. Gonçalo da Costa faleceu em 1°/04/1647 e Maria Nogueira em outubro de 1671, na freguesia de Fornelos.

Arquivo Distrital de Braga, Fafe, Santa Comba de Fornelos. No mês de Abril de 1647, faleceu G.lo da Costa do Outeiro, com todos os sacramentos, está sepultado dentro da Igreja de S.a Comba. Deixou a sua mulher M.a Nogueira seis bens a qual lhe deu de oferta no dia da sepultura, oferta que valeria um cruzado e lhe mandou dizer um off.o de 8 lições de doze padres, e outro de nove lições de quinze padres e oferta de ano. Joam da Costa Peixoto.

 

Arquivo Distrital de Braga, Fafe, Fornelos, Livro de Óbitos. Faleceu Maria Nug.ra , v.a, minha mai, deixou por herd.ro do q. podia testar a seu f.o D.os da Costa, e que fizesse pela sua alma tudo que bem lhe parecesse tendo lhe mandado fazer coatro off.os de nove lições de trinta e cinco clerigos cada hú, e doze missas privilegiadas em S. P° de Rates, faleceu em 8.bro de setenta e hum. Tem satisfeito tudo aos domingos. Gil da Costa Peixoto.

 

Gonçalo e Maria tiveram, pelo menos, 9 filhos, dos quais 3 se ordenaram padres: Inácio, Gil e Francisco. Todos batizados em Santa Comba de Fornelos, Concelho de Fafe:

8-1 Inácio, batizado aos 20-06-1620.

8-2 Antônio, batizado aos 13-06-1621.

8-3 Padre Inácio da Costa Peixoto, batizado aos 12-03-1623.Habilitou-se as ordens sacerdotais em 1685.

Arquivo Distrital de Braga - Processo de Habilitação Sacerdotal n° 11417

Inquirição de genere a favor de Ignacio da Costa Peixoto, 

da freguesia de Santa Comba de Fornelos. 1685.

Câmara Eclesiástica.

Ano de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil seiscentos e oitenta e cinco anos, nesta Cidade Braga, na Rua Nova de Souza, pousadas da morada de mim escrivão.

Venha informação particular do Reverendo Comissionário.

Comissão de genere. O Doutor Manuel Nunes Baldaya, Provisor Geral e Juiz das justificações de genere nesta Corte & Arcebispado de Braga, pelo Rm° Senhor Dom Luís Lescura, Arcebispo e Senhor de Braga, e Primaz das Hespanhas, etc. Faço saber ao Reverendo José Pereira Leite, Abade e Comis.° que por sua petição me enviou a dizer o Padre Ignacio da Costa Peixoto, vigário ad nutum da Igreja de São João de Longos Vales, Comarca de Valença, filho legítimo de Gonçalo da Costa, e de sua mulher Maria Nogueira, moradores que foram na freguesia de Santa Comba de Fornelos, Concelho de Monte Longo, neto pela parte paterna de Miguel Martins e de Catarina da Costa Peixoto, moradores que foram na freguesia de Santa Comba de Fornelos; e neto pela parte materna de Bartolomeu Nogueira, e sua mulher Francisca Pires, moradores que foram no lugar de Fafe, freguesia de Santa Eulália Antiga do sobredito Concelho, que lhe era necessário habilitar-se de genere e mostrar a limpeza de seu sangue.

 

8-4 Gil, batizados aos 07-03-1625, Padre Gil da Costa Peixoto.

8-5 Francisco, batizado aos 23-12-1626. Padre Francisco da Costa Peixoto.

8-6 Domingos, batizado aos 15-02-1629.

8-7 Catarina, batizada aos 11-04-1630.

8-8 Bento, batizado aos 25-07-1633.

8-9 João, batizado em 1º-05-1637.

 

10 ANDRÉ GONÇALVES e 11 CATARINA VAZ. Catarina faleceu em outubro de 1646 e André em 15-09-1661.

Arquivo Distrital de Braga, Fafe, Fornelos - Faleceu Andre Gls. de Sima de Villa, aos quinze de 7.bro de secenta e  hu co' todos os sacramentos mandou lhe fazer sua f.a e genro hu off.o de dos clerigos e de ......, fizeram tambem off.o do mes, e o do anno, e oferta para os domingos do anno. Gil da Costa Peixoto.

 

Arquivo Distrital de Braga, Fafe. Fornelos -  No mês de outubro de 1646 faleceu C.na Vas mulher de Andre Gls. de Sima de Villa com todos os sacramentos valeria a offerta do dia cinco tostois, e lhe fizeram dous off.os de dez clerigos cada hu, e offertas hu anno. Por verdade fiz esta em 7 de dezembro de 1646. Joam da Costa Peixoto.

 

12 MIGUEL DE BRITO EIRADO e 13 ISABEL DA COSTA

Miguel foi batizado em 14-05-1607 e faleceu em 06-01-1664.

Batismos da Sé de Braga - Aos 14/05/1607, Miguel, filho de Guaspar de Brito e de sua mulher Marta Gomes. Foi compadre o Conego Gonçalo Antunes, e Margarida André, mulher de João Roiz. E por verdade assinei oie o mesmo dia. O Cura Antonio Fran.co.

 

Óbitos de Salvador de Joane - Aos 06/01/1664, o Rev.do Reitor Miguel de Britto Eyrado, reitor que foi desta igreja, com os sacramentos da penitencia e eucaristia. Fez testamento. Bens da alma. O Vig.ro encomendado João de Britto.

 

Conforme processo de habilitação sacerdotal de Eusébio de Brito Peixoto, o Padre Tomás de Brito era filho do Padre Miguel de Brito, e de Isabel da Costa. Fls. 35v. Depoimento da testemunha Padre Antônio Rodrigues, morador no lugar do Telhado desta freguesia de Salvador de Joanes. (...) Disse mais que o dito justificante é neto pela parte paterna do Padre Thomas de Brito, morador que foi muitos anos nesta freguesia, em casa de seu pai o Padre Miguel de Brito, Reitor que foi nesta dita igreja e freguesia. E depois foi o dito Padre Thomas de Brito morar nas suas casas de Urjais extramuros da Cidade de Braga, e entende esta testemunha que da dita cidade é natural, porém não sabe em que parte dela ele nasceu, mas bem conheceu a mãe do dito Padre Thomas de Brito que ao parecer dele testemunha se chamava Isabel da Costa, e morava na Rua Nova da mesma cidade, a qual ele testemunha viu muitas vezes em sua casa na mesma cidade na ocasião que a ela ia; e é neto de Domingas Gonçalves, moradora e natural que foi desta freguesia no lugar do Bairro, e agora moradora na freguesia de São João de Gondar, em casa de uma filha que também lá é casada (...)

Reitor em Joane.

 

Isabel da Costa era noradora na Rua Nova, em Braga. Processo de Eusébio fls. 35v.

 

 

14 ANTÔNIO GONÇALVES e 15 MARIA ANTÔNIA

 

TRISAVÓS

 

16 Miguel Martins e 17 Catarina da Costa Peixoto, faleceu em 20-11-1619 e Miguel em 10-01-1641.

Arquivo Distrital de Braga, Fafe, Fornelos - Aos 10/01/1641 faleceo Migel Martins do Oiteiro com todos os sacramentos disserão lhe trinta missas e o bradarão com dois carneiros os mais ordinario que se costuma dar aos que sam cabeceiras, e offertarão hu anno, o que tudo importaria tres mil reis afora as missas. João da Costa Peixoto. 

 

Arquivo Distrital de Braga, Fafe, Fornelos - Em 20/11/1619, faleceo Caterina da Costa mulher de Migel Miz. do Oiteiro não fez testamento. No dia de sua enterração oje disserão dez missas com suas offertas. M.el Rib.ro.

 

18 Bartolomeu Nogueira e 19 Francisca Pires casaram em 03-10-1594. Bartolomeu faleceu em 26-05-1642.

Arquivo Distrital de Braga, Santa Eulália de Fafe, Casamentos -  Aos 03/10/1594, recebi a Bartholomeu Nogeira co' Fr.ca Piz. de Fafe. Testemunhas Jeronimo Soares e Domingos Gls. e Pero Gonçalves de Bouças, e Afonso Lopes de Sancta Comba, e Gonçalo Andre de Saa, e Afonso Lopes o neto de Sancta Comba, e Fernão Rebelo. P.o Vaaz Caueira.

 

Arquivo Distrital de Braga, Fafe -. Aos 26/05/1642 faleceu Bartholomeu Nogueira de Fafe, co' todos os sacramentos, fez testamento. E por verdade, fiz e assinei. Era ut supra. Hieronimo Dias.

 

24 Gaspar de Brito e 25 Marta Gomes casaram aos 09-01-1602, ela filha dos falecidos Pero Gonçalves e Isabel Gomes,

Livro da Sé de Braga - Aos 09/01/1602, Gaspar de Brito, da cidade da Garda, freguesia de N.S. do Mercado, com Marta Gomes, filha de Pero Gls. e Isabel Gomes já defuntos, testemunhas o Reverendo Conego Francisco de Magalhães Mascarenhas, e Pero André. E por verdade assinei ut supra. Antonio Francisco.

 

Marta faleceu em 30-09-1623 e Gaspar em 14-07-1658.

Livro de Óbitos Sé de Braga - Aos 30-09-1623, Marta Gomes, mulher de Gaspar de Brito, fez manda por escrito, foi sepultada na Sé pela Irmandade de N.S dos Prazeres.

 

Óbito Livro de S. João do Souto -

Aos 14-07-1658, Gaspar de Brito, notario apostolico e morador na Rua do Janes, não me consta q. fizesse testamento, seus filhos o Rev.do Miguel de Brito Reytor de Joane, e João de Brito o mandarão amortalhar no hábito de S. Fran.co e sepultar dentro nesta Igreja acima das primeiras grades aonde foi trazido na tumba da Irmandade de S. Francisco da See, e com vinte Padres. E lhe mandarão fazer hu officio de corpo prezente co' os mesmos padres de tres lições que todos disserão missa, e de oferta mandarão oferecer hu cruzado em hua nella e pagarão a covage e lhe mandarão fazer mais dous oficios de tres lições com quinze padres cada um delles na dita igreja de Joana de minha l.ça e alguas na See. (...). Falcão