PROJETO COMPARTILHAR

Coordenação: Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira

www.projetocompartilhar.org

 

 

ANTONIO RIBEIRO DE MATTOS, capitão

Adenda à Genealogia Paulistana

(atualizado em 26-novembro-2012)

 

 

SL. 7, 345, § 4º, 2-2 Manoel Pires Cabral casou-se 1.º em 1733 em Mogi das Cruzes com Margarida da Cunha Portes, † em 1735, f.ª de Manoel da Cunha Lobo e Izabel de Pontes, 2.ª vez 1737 em Guaratinguetá com Catharina Vaz dos Reis. Teve da 1.ª f.º único:

 

 

Bartyra Sette

Plinio U. M. de Carvalho

 

 

 

Antonio Ribeiro de Mattos nasceu em Taubaté-SP, filho de Manoel Pires Cabral e sua segunda mulher Catarina Vaz dos Reis, citados em SL. 7, 345, § 4º, 2-2 sem a geração.

 

Casou em  Baependi-MG aos 01-03-1772, com Genoveva Maria de Jesus, natural do Pouso Alto-MG, filha de João Correa de Macedo e Ana Maria Angélica.

B7: Baependi-MG aos 01 março 1772 - Antonio Ribeiro de Mattos cc Genoveva Maria de Jesus.

Ele n. e b. na vila de Taubaté, SP, f.l. de Manoel Pires Cabral e Catarina Vaz dos Reis.

Ela n. e b. na freg. de N. Sra. da Conceição de Pouso Alto, f.l. de João Correa de Macedo e de D. Anna Maria Angelica.

Test.: Mathias da S.a Ag.ar (Silva Aguiar) e Jacintho Teixeira de Magalhães.

 

Cap. Antonio, viúvo, em 1801/1803 requereu dispensa do 3º grau de consanguinidade por linha transversal para se casar com Rosa Flora Ribeira, natural de Baependi, filha de Manoel Antonio da Motta e Luiza Francisca de S. Paio, esta filha de Francisca Ribeira irmã de Catarina Vaz dos Reis. Autos conclusos em 17-05-1803.

 

Em 22-02-1816, inventário materno, Rosa Flora estava casada com Lucindo Silvério Teixeira, família “Motta-Sampaio”, neste site.

(indicação de Joaquim dos Santos Neto)

LDS Baependi, MG Igreja N. Sra do Monserrate Livro Misto 1801-1809

Oradores: Cap. Antonio Ribeiro de Mattos e Rosa Flora Ribeira - 02-10-1801

 (...) o orador [cortado] uma irmã da oradora e esta com um filho do orador e que a oradora é órfã de pai e vive pobre sem digo com bastante escandalo ocasionado pela ilicita amizade que tem com o orador.

O orador possui um sitio de cultura, varios escravos, duas moradas de casas, gado vacum o que tudo avaliado pelo inventário que se procedeu da falecida mulher do orador; e que a oradora possue (...) que ao todo poderiam valer 200$000 rs. A oradora não foi raptada e vive em casa de sua mãe.

 

Diz o Cap. Antonio Ribeiro de Mattos morador na freg. de Baependi que para o fim de ser dispensado do impedimento constante da suplica junta, requereu a S. Exca. Revda. q o assistio, e remeteo a V. S. e p.r q não pode alcançar a m.ma dispensa nesta Bispado quer procurar o recurso da Santa Sé Apostolica e não pode fazer senão alcançando a suplica ou negativa por esta Provisoria, para o q requer a V. S. se digne mandar-lhe passar mandado de comissão (...)

 

Dizem: Antonio Ribeiro de Mattos, f.l. de Manoel Pires Cabral e Catarina Vaz dos Reis, natural e batizado na freguesia da vila de Taubaté do Bispado de S. Paulo = e Rosa Flora Ribeira, f.l. de Manoel Antonio Motta e Luiza Francisca de S. Paio, natural e batizada na fregusia de Baependi deste Bispado de Mariana e nesta freguesia ambos moradores - impedimento em 3º grau de consanguinidade e no 1º grau de afinidade por linha transversal, e por copula ilicita.

- Q Francisca Ribeira e Catarina Vaz dos Reis eram irmãs, por serem filhas dos mesmos pais.

- Q de Francisca Ribeira nasceu Luiza Francisca de S.Paio e desta a oradora Rosa Flora Ribeira= e de Catarina Vaz dos Reis nasceu o orador Antonio Ribeiro de Mattos - 3º grau de consanguinidade por linha transversal.

- Q o orador teve copula ilicita com uma irmã da oradora; e esta teve copula ilicita com um filho do orador.

- Q a oradora é orfã de pai

 

- Assentada aos 19-04-1803 neste arraial de Baependi.

Testemunhas, entre elas:

-Alferes Jose Caetano Antunes, homem branco,. casado, n/b na freguesia de Santo estevão Bispado de Pena [imagem 45} Penafiel e de presente morador nesta freguesia de N Sra do Monserrate de Baependi aonde vive de sua lavoura, de idade 47 anos. (...) que o orador teve copula ilicita com uma irmã da oradora (...)

- Jose Joaquim de Miranda, homem branco, casado, n/b na vila de Pindamonhangaba do Bispado de S. Paulo e de presente morador nesta freguesia de Baependi deste bispado de Mariana, de idade 36 anos

- Cap. João Peres de Gusmão, homem branco, casado, n/b na vila de Santo Antonio de Guaratingueta do Bispado de S. Paulo e de presente morador nesta freguesia de Baependi onde vive de sua agricultura, de idade de 71 anos

 

Depoimento dos oradores Cap. Antonio Ribeiro de Mattos e Ana(sic) Flora Ribeira

Autos conclusos aos 17-05-1803 nesta Leal cidade de Mariana cartorio da Curia Episcopal - penitencias com separação e multa de 20$000 rs.

 

 

Encontramos os seguintes filhos do Capitão Antonio e Genoveva Maria de Jesus:

 

1- Joaquim Ribeiro de Matos, natural de Baependi. Com 22 anos em 06-11-1803 casou com Quitéria Maria da Luz, com 18 anos, filha de Inácio Xavier dos Santos e Francisca Quitéria da Luz. Geração na família “Francisca Quitéria da Luz”.

Baependi - MG, cas - aos 06 novembro 1803 Joaquim Ribeiro de Mattos e Quiteria Maria da Luz.

Ele com 22 anos, f.l. do cap. Antonio Ribeiro de Mattos e Dona Genoveva Maria de Jesus; n. e b. na freg. de Baependi.

Ela com 18 anos, f.l. de Ignacio Xavier dos Santos e Francisca Quiteria da Luz; n. e b. na nobre e leal vila da comarca da Sra. Princesa e moradora desta de Baependi.

 

2- Maria Jacinta Ribeira, com 18 anos em 28-11-1800 casou com Francisco Pereira de Carvalho, filho de Domingos Pereira de Carvalho e Escolástica Maria do Bom Sucesso, neto paterno de João Pereira de Carvalho e Ana Maria do Nascimento, neto materno de Bernardo Gonçalves Chaves e Francisca Maria de Mendonça. Geração na família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 3º

B7: Baependi, aos 20 novembro 1800 Francisco Pereira de Carvalho e D. Maria Jacinta Ribeira.

Ele 28 anos, f.l. de Domingos Pereira de Carvalho e Escolastica Maria; n. e b. em Lavras do Funil.

Ela com 18 anos, f. l. do cap. Antonio Ribeiro de Mattos e D. Genoveva Maria; n. e b. na freg. de Baependi.

 

3- Antonia Maria Ribeira. Em 20-11-1800 casou com Diogo (José) Garcia Pereira de Carvalho, natural de Lavras, então com 24 anos, filho de Escolastica Maria do Bom Sucesso e seu segundo marido Domingos Pereira de Carvalho, neto paterno de João Pereira de Carvalho e Ana Maria do Nascimento; família “Diogo Garcia”, neto materno de Bernardo Gonçalves Chaves e Francisca Maria de Mendonça, família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 3º.

B7: Baependi aos 20 novembro 1800 Diogo Garcia de Carvalho e Antonia Maria Ribeira.

Ele com 24 anos, f.l. de Domingos Pereira de Carvalho e D. Escolastica Maria; n. em Lavras do Funil.

Ela 19 (?) anos, f.l. do cap. Antonio Ribeiro de Mattos e d. Genoveva Maria; n. e b. na freg. de Baependy.

          Diogo faleceu em Barra Mansa-RJ aos 16-07-1831 e foi inventariado no mesmo ano por Antonia. Compareceram no inventário onze filhos do casal.

Forum de Barra Mansa - RJ

Inventário - de  20.08.1831

Inventariado : Diogo Garcia Pereira de Carvalho - fal. 16.07.1831 - s/ test°.

Inventariante : Antonia Maria de Jesús

Transcrito por Plinio U. M. de Carvalho

A Inventariante declarou que: o Inventariado só foi casado com ella.

Que de seu legitimo Matrimonio ficaram 11 filhos :

1 - Claudina - cc// Gabriel  Antonio  de Carvalho

2 - Bárbara - cc/ Antonio  Pereira de Carvalho

3 - Domiciano - solteiro - 26 anos de idade

4 - Elias - 24 anos de idade

5 -Maria - 20 anos de idade

6 - Lucinda - 18 anos de idade

7 -Genoveva - 12 anos de idade

8 - Linda - 11 anos de idade

9 - Anna - 10 anos de idade

10 - Antonia - 8 anos de idade

11 - José - 3 anos de idade

 

3-1 Claudina Maria de Jesus, batizada em Lavras-MG.

(Plinio U.M.Carvalho) Lavras-MG, Igreja de Santa Ana. No anno de mil oito centos e hum - com pouca differença - nesta  Matriz o Reverendo Vigário, José da Costa Oliveira - baptizou e poz os  Santos Óleos á Claudina - filha legitima de Diogo Garcia de Carvalho e sua mulher. Do que fiz este assento por informação de pessoas fidedignas que comigo assignarão e que ignoram o nome da mãe da baptizada e quem foram os  padrinhos. Por não ter sido feito em tempo competente.

 O Vigário Manoel (.....) (......) de Lacerda

 Thomé Ignácio Botelho

 Antonio Pereira de Carvalho

 

          Em Resende-RJ em Abril de 1819 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 3º grau da linha lateral para se casar com Gabriel Antonio de Carvalho, batizado em 1786 em Lavras, filho eo Tenente Gabriel Antonio de Carvalho e Monica Pereira de Santo Agostinho, neto paterno de Antonio Pereira de Carvalho e Ana Branca de Toledo, neto materno de Amaro Pereira de Araújo e Maria Gonçalves Chaves; famílias “Diogo Garcia” e “Amaro Pereira de Araújo”.

 (Plinio U.M.Carvalho) Arquivo da Cúria do RJ - Notação HM 25865  - Gabriel Antonio Carvalho e Claudina Maria, ano de 1819 -

PROCESSO  DE  BANHOS: IMPEDIMENTO  DE  3°. GRAU  EM  LINHA  LATERAL

ORADORES: Gabriel Antonio de Carvalho  e  D. Claudina Maria de Jesús

Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesús Christo de mil oito centos e dezenove annos, aos dezenove de junho do ditto anno, nesta Corte do Rio de Janeiro em caza da Câmara Eclesiástica, sendo ahi me forão entregues estes autos dos dois oradores acima, da Villa de Resende.

 

Ilmo. Sr. Vigr°. da Vara

 

Dizem os Oradores : Gabriel Antonio de Carvalho, filho legitimo do Tte. Gabriel Antonio de Carvalho e de Mônica Pereira de Santo Agostinho, nascido e baptizado na Freguezia de Santa Anna de Lavras do Funil, do Bispado de Marianna, que elle suplicante se acha justo e contratado para cazar com Claudina Maria de Jesús, filha legitima de Diogo Garcia de Carvalho e de s/mulher Antonia Maria de Jesús, nascida e baptizada na mesma Freguezia  e moradora nesta Freguezia de Rezende e como não podem fazer sem que primeiro sejam dispensados por Sua Excia. Rvma. do impedimento de consangüinidade em 3°. Grão de linha lateral.

Disse Gabriel Antonio de Carvalho, pai do Orador é primo irmão do pai da oradora Diogo Garcia de Carvalho, digo,  que Antonio Pereira de Carvalho é legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho, pai da oradora.

Que os Oradores nada possuem por serem filhos famila, mas seus pais são ricos.

Que o Orador em razão do parentesco se tem introduzido na Caza do Pai da Oradora e sujeito a mizeria humana, por cauza da fragilidade de seu sexo. Que o Orador e a Oradora são das principais famílias e que não acharão neste lugar pessoas com quem pela estreiteza do lugar, ..............

 

ACENTADA: Aos vinte ceis dias do mez de Abril, nesta Villa de Rezende, em casa de morada do muito Rvdo. Ministro José Antonio Martins da Silva, onde eu Escrivão do seu cargo me achava e sendo ahi o ditto Ministro para effeito de inquirir as Testemunhas que por parte dos Oradores, Gabriel Antonio de Carvalho e de Claudina Maria de Jesús foram apresentadas, cujo nomes, cognomes, naturalidade, officio dittas e costumes são como.........

Do que para constar fiz este termo.

Eu, o Pe. Domicianno Pereira Leite, Escrivão que o escrevi.

 

1ª. TESTEMUNHA: Capitan Joaquim José Pereira de Carvalho, homem cazado, natural da Freguezia de Santa Anna de Lavras do Funil, do Bispado de Marianna e de presente morador nesta Freguezia  de Rezende, onde vive de s/ lavoura, de idade de trinte e sette annos. Testemunha e jura aos Santos Evangelhos em hum livro delle em que pos sua mão direita em ...... dizer a verdade do que ....... E perguntado do costume dice ser seu primo e perguntado pelo contehudo em o requerimento dos Oradores, dice que o Capitan Antonio Pereira de Carvalho, he legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho e deste, digo Pai da Oradora. Que he certo que os Oradores Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesús, nada possuem, por serem filhos famillia, mas seos paes são ricos. Seguindo que he certo que o Orador em razão do parentesco se tem introduzido em Caza do Pae da Oradora, sujeito as mizérias humanas, por cauza da fragilidade humana.......

3°. Que o Orador e a Oradora sam das principais famillias e que não acharão com quem cazar pela estreiteza do lugar. Que de ter residido na sua Pátria e nesta Villa, e sem outra alguma rezidencia fora desta. O que tudo sabe por ver e presenciar e ter verdadeiro conhecimento. E lido se assignou com o Rvdo. Ministro. Eu, o Pe. Domicianno Pereira Leite. Escrião que o escrevi

Joaquim José Pereira de Carvalho

 

2ª. TESTEMUNHA: Joaquim José Pereira, homem cazado, natural de Baipendi do Bispado de Marianna e morador mesmo Bispado, onde vive de sua tropa, de idade de quarenta e dous annos. Testemunha jurada aos Santos Evangelhos, em hum livro delle, debaixo do qual se encarregou dizer a verdade do que soubesse e perguntado do costume, disse nada e perguntado pelo conttehudo em requerimento dos Oradores..... lhe foi lido e declarado pelo Rvdo. Ministro, dice que; Gabriel Antonio de Carvalho, pai do Orador, digo que o Capitan Antonio Pereira de Carvalho he legitimo irmão do Alferes Domingos de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho, Pae da Oradora. Dice mais que o Orador, Gabriel Antonio de Carvalho e D. Claudina Maria de Jesús, nada possuem por serem filhos famillia, mas seus paes são ricos. Que o Orador em razão do parentesco se tem introduzido na Caza do Pae do Orador e sujeito a mizéria humana por cauza da fragilidade do seu sexo........e que terá o Orador vinte e ceis annos e a Oradora dezessette e que lhe consta ter morado mais tempo fora de sua Pátria e nesta Villa. O que tudo sabe por ver e presenciar e lido se assignou e em Cruz, por não saber ler nem escrever, junto com o Rvdo. Ministro. Eu, o Pe. Domicianno Pereira Leite, Escrivão que o escrevi.

Sinal em (cruz) de Joaquim José Pereira

 

3ª. TESTEMUNHA: Antonio Bueno Freire, homem cazado, natural da Freguezia de Jeruóca, Bispado de Marianna, e presentemente morador nesta Villa de Rezende, aonde vive de sua lavoura, de idade de vinte e nove annos pouco mais ou menos. Testemunha jurada aos Santos Evangelhos em hum livro delle em que pos sua mão direita de baixo da qual se encarregou de dizer a verdade do que soubesse e lhe fosse perguntado. Dos costumes, dice nada e perguntado pelo conttehudo em requerimento do Orador, Gabriel Antonio de Carvalho e da Oradora Claudina Maria de Jesús, que tudo lhe foi lido e declarado pelo Rvdo. Ministro, e perguntado dice que o Capitan Antonio Pereira de Carvalho he legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho, Pae da Oradora. Que sabe que os Oradores nada possuem por serem filhos famillia, mas segundo dizem os seos Paes são ricos e que o Orador em razão de parentesco se tem .........

Que o Orador e a Oradora são de famillias ilustrres e não acharão neste lugar........Que o Orador tem vinte e ceis annos e a Oradora tem dezessette annos, pouco mais ou menos. Que consta que não moram em outro lugar senão na sua Pátria e nesta Villa. Que tudo sabe por ouvir dizer de pessoas de capacidade e o que affirma debaixo de seu juramento. E lido se assignou com o Rvdo. Ministro. Eu o Pe. Domicianno Pereira Leite . Escrivão que o escrevi.

Antonio Bueno Freire

 

DEPOIMENTO DO ORADOR: Aos vinte e ceis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove, nesta Villa de Rezende, em caza de morada do muito Rvdo. Ministro José Antonio Martins da Silva, onde Eu Escrivão do seu cargo, me achava e sendo ahi, compareceu presente o Orador, Gabriel Antonio de Carvalho, a quem foi defferido o juramento na forma devida lhe foi encarregado de dizer a verdade do que soubesse. E perguntado, dice que he o próprio Orador, Gabriel Antonio de Carvalho. Que elle Orador, digo que o Capitan Antonio  Pereira de Carvalho he legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho, Pae da Oradora. Que elle Orador nada possue mas os seos Paes são ricos. Que o Orador em razão do parentesco se tem introduzido........... e teme cair em ruína espiritual e temendo isto deseja cazar-se com a Oradora, e pela familiaridade de que a muito tempo tem tido com a Oradora prometeu que não se cazaria com outra, mas sim com ella Oradora.

Gabriel Antonio de Carvalho

 

DEPOIMENTO DA ORADORA: Aos vinte e ceis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove, nesta Villa de Rezende, em caza de morada do muito Rvdo. Ministro José Antonio Martins da Silva, onde Eu Escrivão do seu cargo, me achava e sendo ahi, compareceu presente a Oradora Claudina Maria de Jesús, a quem foi defferido o juramento na forma devida e lhe foi encarregado de dizer a verdade do que soubesse. Dice que he a própria Claudina Maria de Jesús, Dice que o Capitan Antonio Pereira de Carvalho, he legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia, Pae da Oradora. Que a Oradora ...............

 

CONCLUSÃO: Aos vinte e ceis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove, nesta Villa de Rezende, no Cartório de mim Escrivão, adiante nomeado e sendo ahi, fiz estes autos conclusos ao Muito Rvdo. Ministro José Antonio Martins da Silva, para nelles defferir com justicia.

Do que para constar fiz este termo, Eu, Pe. Domicianno Pereira Leite. Escrivão que o escrevi

 

TERMO DE ENCERRAMENTO: E, logo no mesmo dia, mez e anno, nesta Villa de Rezende em Cartório de mim Escrivão adiante nomeado e send ahi, fiz este termo remessa ao Muito Rvdo. Escrivão da Câmara Episcopal, Francisco dos Santos Pinto. Do que para constar fiz este termo. Eu Pe. Domicianno Pereira Leite . Escrivão que o escrevi

 

Claudina foi sepultada em 23-12-1859 e Gabriel em 03-12-1866 ambos em Santa Isabel do Rio Preto (pesquisa Plinio U.M.Carvalho).

Santa Izabel do Rio Preto-RJ, Igreja Santa Izabel. No dia 23 de dezembro de 1859, foi sepultada solemnemente no Cemitério desta Parochia, Claudina Maria de Jesús, mulher de Gabriel Antonio de Carvalho - idade 30(sic) e tantos annos - branca - foi confessada, sacramentada e ungida - E, para constar lavrei o presente, que assigno. Vigário Custódio Gomes Carneiro –

 

Santa Izabel do Rio Preto-RJ, Igreja Santa Izabel. Aos 3.12.1866 - foi sepultado no Cemitério desta Freguezia de Santa Izabel do Rio Preto - Valença / RJ - Gabriel Antonio de Carvalho - c/ 80 anos de idade - viúvo - falleceu de herizepela - Era ut supra, do que para constar lavrei este termo que assigno. O Vigário Custódio Gomes Carneiro

 

Gabriel e Claudina tiveram os filhos, q.d.:

3-1-1 João Pereira de Carvalho casou com Floriana Alexandrina Leite Ribeiro, filha de José Leite Ribeiro de Almeida e Maria Claudina de Jesus, famílias “Antonio Vieira de Moraes” Cap. 1º, § 3 e “Manoel Francisco da Silva” Cap. 15º e “Alves Carrijo” § 8º.

Cartorio de Registro Civil São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. C-2, Fls. 86 nº 67 aos 27 novembro de 1897 declarante Luiz Rodrigues de Faria como parente.

Faleceu aos 26 do corrente, de tuberculose pulmonar, João Pereira de Carvalho, branco, 75 anos natural deste estado, agente e morador neste distrito. Filho de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesus já falecidos e moradores que foram neste distrito.

Casado com Floriana Alexandrina Leite Ribeiro deixa o filho Jose Leite Ribeiro de Carvalho, maior. Cemiterio público.

 

João faleceu em S. Joaquim aos 26-11-1897. Deixou filho único de seu casal: José Leite Ribeiro de Carvalho.

- João, batizado em 31-05-1846.

(Plinio U.M.Carvalho) L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 59 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa 31.05.1846 - João - n. há 21 dias - fl. de João Pereira de Carvalho e s/m. Floriana Alexandrinha de Almeida - np. De Gabriel Antonio de Carvalho e de Claudina Maria de Jesús - nm. de José Leite Ribeiro de Almeida e de Maria Claudina de Jesús - fp. José Pereira de Carvalho e Maria Jacintha.

- Antonio, em 18-11-1849

(Plinio U.M.Carvalho) L. 1 - Batizados - fl. 94 - Igreja de São Joaquim - São Joaquim / RJ 18.11.1849 - Igreja Matriz de São Joaquim - Antonio - fl. João Pereira de Carvalho e Floriana Alexandrina - fp. Joaquim Leite Ribeiro de Almeida e Claudina Maria de Jesús

3-1-1-1 José Leite Ribeiro de Carvalho, único filho citado no termo do óbito paterno.

 

3-1-2 José Joaquim de Carvalho casou Maria José de Castro. José foi sepultado em S. Carlos-SP em 15-03-1898. Maria José aos 11-06-1912 no cemitério do Araçá em S. Paulo.

(Plinio U.M.Carvalho) Do oficial do Registro Civil ao Zelador dos Cemiterios Municipais, guia 93, S. Carlos do Pinhal, SP, aos 15 março 1898, a sepultura é na quadra 517 - Epidemico.

Registrei hoje o óbito de Jose Joaquim de Carvalho, com 75 anos, trabalhador, bras., cas., causa mortis: gastroenterite aguda.

 

(Plinio U.M.Carvalho) Cemiterio do Araça: Mª - Aos onze de Junho de 1912 - sep. na Q. Geral 143 - septima - nº 150, o cadaver de Mª Jose de Carvalho, bras., com 85 anos de idade, fallecida hontem às 10 hs. d noite victima de fripe, attestado p/ Dr. Duarte de Miranda. Certificou o escrivão de Sta. Ephigenia Dr. João Baptista Reimão.

Averbação.: Exumado em 27/06/1917 e transladada para o Cemiterio da Consolação.

 

Entre os filhos do casal, batizados em S. Joaquim-RJ (pesquisa Plinio U.M. Carvalho):

3-1-2-1 Amélia, em 24-06-1850.

Lv. 1, fls. 97, AMELIA - aos 24 jun 1850 bat. solenemente a inocente, f.l. de Jose Joaquim de Carvalho e Maria Jose de Castro; padr.: Gabriel Antonio de Carvalho e Marianna Justina de Castro. O cura Jose Agostinho d'Oliveira - cópia de 26 anbil 1877.

 

3-1-2-2 Antonio de Carvalho, em Santa Isabel do Rio Preto aos 24-07-1880 ,casou com Eleusina Marcondes dos Santos, aí batizada em 29-01-1865, filha de Isaac Marcondes dos Santos e Ana (Idalina) Marcondes da Conceição. Com geração

Sta Izabel do Rio Preto-RJ Matrimônios aos 24-07-1880 nesta freguesia de Santa Isabel do Rio Preto, Antonio de Carvalho, f.l. Jose Joaquim de Carvalho e Maria Jose de Carvalho, n/b na freguesia de S. Joaquim da Barra Manswa = cc D. Eleusina Marcondes dos Santos, f.l. Isaac Marcondes dos Santos e Ana Marcondes dos Santos, n/b nesta fregusia de Santa Isabel do Rio Preto. Test.: Jose Paulino da Silva Peres e Theodoro Marcondes dos Santos

 

Lº  2 - pg. 7 - termo n º 22 - Santa Isabel do Rio Preto. Aos vinte e nove dias do mez de  Janeiro de mil oitocentos e sessenta e cinco, foi solennemente baptizada pelo Pe. Benedicto com a imposição dos Santos Oleos a innocente Eleusina nascida a 15 de dezembro 1864, filha legitima de Izaac Marcondes dos Santos e Anna Idalina da Conceição. Forão padrinhos : Francisco Marcondes dos Santos e Honoria Honorina Barbosa.E para constar mandei fazer este assento. Era ut supra.O Vigario Custodio Gomes Carneiro

 

3-1-2-3 José Clemente de Carvalho, batizado em 25-10-1857 em Santa Isabel. Em Resende-RJ aos 27-11-1885 casou com Custódia Augusta de Assis Almeida, com 17 anos, filha de Francisco de Assis Almeida e Carolina Maria da Conceição e Silveira. Com geração.

L. 1 - 1852 / 1864 - Batizados - fl. 45  - n. 479 - Igreja de Santa Izabel do Rio Preto - Valença / RJ 25.10.1857 - José - fl. de José Joaquim de Carvalho e Maria José de Castro - fp. Bazilio José de Carvalho e Maria Constancia do Bom Sucesso

 

- Igreja de Nossa Senhora da Conceição - Resende / RJ 27.11.1885 - Igreja de Nossa Senhora da Conceição - Resende / RJ - sem impedimentos - test. Francisco de Castro Galvão e Manoel  Pinto Nogueira - comigo abaixo assignado - p/palavras de presente, recebi em matrimonio a José Clemente de Carvalho e D. Custódia Augusta de Assis Almeida - brancos - lavradores - desta Freguezia  - elle, 28 anos de idade - nascido e baptizado na Freguezia  de Santa Izabel do Rio Preto, deste Bispado - fl. José Joaquim  de Carvalho e Maria José de Carvalho - ella, 17 anos de idade - nascida e baptizada em Resende / RJ - fl. Francisco de Assis Almeida e Carolina Maria da Conceição e Silveira - Do que para constar faço este assento.

José Clemente de Carvalho

Francisco de Castro Galvão

Manoel  Pinto Nogueira

 

3-1-2-4 João Atahualpa de Carvalho, batizado em 15-02-1864. Aos 15-07-1890 casou com Ana Campos, com 19 anos natural de de São Martinho de Cavalões Arc. Braga, filha natural de Teresa de Campos

L. 2 - 1864  / 1888 - Batizados - fl. 1 - n. 10 - Ig. de Sta. Izabel do Rio Preto - S.I.R.P. - Valença / RJ 15.02.1864 - João - fl. de José Joaquim de Carvalho e D. Maria José de Castro - fp. José de Castro Lima e s/m. D. Marianna.

 

L. B-1 - Casamentos - fl. 59 - n. 5 - C.R.C. de 1o. Distrito de Resende - Resende / RJ Aos quinze dias do mês de julho de mil oitocentos e noventa, ás trez horas da tarde, em casa de residencia do cidadão Antonio Campos de Oliveira, presentes o primeiro Juiz de Paz, Doutor Joaquim d' Azevedo Carneiro Maia e as testemunhas, José Velloso de Carvalho e Francisco de Castro Galvão, commigo Antonio  Marques, official do Registro Civil, receberam-se em Matrimonio, João Atahualpa de Carvalho, solteiro, filho legitimo de José Joaquim de Carvalho e Maria José de Castro, brazileiro, com vinte e seis annos de idade, residente no Estado de São Paulo, e Anna Campos, solteira, filha natural de Theresa de Campos, portuguesa, com dezenove annos de idade, residente nesta cidade de Resende, declarando ambos que não havia impedimento entre elles.

Em firmeza do que eu, Antonio Marques, lavrei este termo que vai por todos assignado. Eu, Antonio Marques, official do Registro Civil.

Joaquim d'Azevedo Carneiro Maia

João Atahualpa de Carvalho

Anna Campos

José Velloso de Carvalho Sá

Francisco de Castro Galvão

 

CASAMENTO L. 1888 / 1893 - Casamentos - fl. 115 v. - Igreja de Nossa Senhora da Conceição - Resende / RJ

Aos quinze dias do mês de julho do anno de mil oito centos e noventa, nesta Igreja de Resende, com papeis correntes, na forma do Sagrado Concilio Tridentino, sem impedimento algum, em minha presença e na das testemunhas, Francisco de Castro Galvão e José Velloso de Carvalho Sá, comigo abaixo assignado, por palavras de presente, pelas 4 horas e meia da tarde, receberam-se em Matrimonio, João Atahualpa de Carvalho e D. Anna Campos, brancos, moradores nesta Freguezia ;

elle, com vinte e seis annos de idade, nascido e baptizado na  Freguezia de Santa Izabel do Rio Preto, deste Bispado e filho legitimo de José Joaquim de Carvalho e D. Maria José de Castro ; ella, com dezeseis annos de idade, nascida e baptizada na Freguezia de São Martinho de Cavalões -  do Arcebispado de Braga, no Reino de Portugal e filha natural de Thereza de Campos e para constar faço este termo que assigno.

O Vigário João Matta Tarlé

Francisco de Castro Galvão

Jozé Vellozo de Carvalho Sá

 

João Atahualpa faleceu aos 28-06-1892 em S. Carlos-SP.

L. 6 - Óbitos - fl. 11 v. - n. 1809 - C.R.C. de São Carlos / SP 28.06.1892 - Atesto que, hoje ás onze e meia horas da manhã, falleceu de febre remittente, biliosa, typhoidea, João Atahualpa de Carvalho, branco, negociante, de vinte oito anos de edade, natural do Estado do Rio de Janeiro, casado com D. Anna Campos de Carvalho.

São Carlos, 28 de Junho de 1892. Antonio Roiz Cajado

 

Ana Campos aos 14-04-1894 casou segunda vez com José Marcondes, de 22 anos, filho de Isaac Marcondes dos Santos e Dona Ana Marcondes dos Santos, já citados, e faleceu com 34 anos aos 20-01-1908 em São Joaquim de Barra Mansa-RJ. Deixou o filho Rubens Marcondes, então com 11 anos de idade. Em 1928 Rubem casou em Campinas com Bianca Maria Binelli.

Cartorio de Registro Civil São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. B-1, Fls. 122 aos 14 abril 1894 em casa de propriedade do comendador Manoel Vicente de Figueiredo no Falcão, com o 2º juiz deste distrito, cidadão Nestor de Paula Coutinho, no impedimento do 1º.

Jose Marcondes e Anna Campos de Carvalho.

Ele solteiro, 22 anos, empregado no comercio e residente neste lugar, filho de Isaac Marcondes dos Santos e Dona Anna Marcondes dos Santos.

Ela 20 anos, natural de Portugal, viuva de João Atahualpo de Carvalho, filha natural de Thereza Campos.

Testemunhas: Ascanio Pedro Monteiro negociante, 30 anos, e Antonio Carvalho negociante 42 anos.

 

L 2 - 1864 / 1915 - Casamentos - Ig de São Joaquim de Barra Mansa - Barra Mansa / RJ No dia 14 de Abril de mil oitocentos e noventa e quatro assisti ao Matrimonio celebrado na forma do Ritual Romano supra, os contraentes José Marcondes, filho legitimo de Izaac Marcondes dos Santos natural de Sta.Izabel do Rio Preto e D. Anna Campos natural do Portugal e filha natural de Thereza Campos - todos moradores nesta freguezia.E para constar fiz este assento que assigno.Foram testemunhas  Antonio Carvalho e Ascanio Pedro Monteiro.

São Joaquim de Barra Mansa, 22 de Abril de 189quatro.

Vigario Pe. José Maria Arena.

 

Cart. do Reg. Civil de São Joaquim de Barra Mansa - Estado do Rio de Janeiro N. 3. Aos dias vinte de Janeiro de mil novecentos e oito neste districto de São Joaquim da Barra Mansa, Estado do Rio de Janeiro no cartorio compareceu Architriclino Augusto Koenigkan exhibindo attestado passado por José Maria da Silva e Julio Francisco de Barcellos e declarou : Que a dezessete do corrente as 11 e 1/2 horas da manhã, em seu domicilio neste districto no lugar denominado Falcão, falleceo victimado de suicidio originado de forte dose de laudano em liquido, Anna de Campos Marcondes, branca com trinta e quatro annos de idade, natural de Portugal, casada com José Marcondes, deixando um filho por nome Rubens, de onze e meio annos de idade, filha natural de Thereza Campos, o seu cadaver foi sepultado no cemiterio publico de Falcão, segundo a requisição do commissario de policia Joaquim Luiz da Silva, e para constar lavrei o presente que lido e achado conforme assigno com o declarante, Eu Narbal de Paula Coutinho, escrivão que o escrevi. Architriclino Augto. Koenigkan.

 

Campinas-SP casamentos lv. 4 - 07 jan 1921 a 14 jun 1928 - fls. 126, nº 51: Igreja de Sousas: Rubem Marcondes e Bianca Maria Binelli; aos 12 outubro 1925; testemunhas: Joaquim Canuto (ou Camuto) de Oliveira e Maria Binelli.

Ele filho de Jose Marcondes e Anna de Campos Marcondes, natural de Barra Mansa, RJ com 28 anos e fregues desta parochia.

Ela filha de Guilherme Binelli e Anna Graziani Binelli,  natural desta parochia, com 18 anos, freguesa desta parochia. Pe. Francisco Machado.

 

3-1-3 Maximiana Maria de Jesus aos 25-07-1846, dispensados dos impedimentos de consanguinidade em em 2º grau de consanguinidade dobrado, casou com Antonio Jose Pereira dos Santos. Geração em 3-2-2- abaixo

(Plinio U.M. de Carvalho) Igreja de São Joaquim de Barra Mansa lv. 1, fls. 12 aos 25 julho 1846 em casa de Gabriel Antonio de Carvalho, pelas 5 horas da tarde - Antonio Jose Pereira dos Santos c/ Maximiana Maria de Jesus.

Ele, f.l. de Antonio Pereira de Carvalho e de Barbara Antonia de Jesus; e a contraente f.l. de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesus. Estes foram dispensados em 2º grau de consanguinidade dobrado e, em 4º grau de consanguinidade tambem dobrado e obtiverão provisão para se casarem em casa, que me apresentarão. Testemunhas: Braz Jose de Vasconcellos e Antonio Martins da Costa.

 

3-1-4 Joaquina Maria, batizada em 01-09-1831. Casou com Joaquim Alves de Souza Soares, citado tambem como Joaquim Ribeiro de Brito no inventário paterno, batizado em 25-04-1824 em S. João del Rei-MG, filho do Tenente João Lourenço Ribeiro Brito e Dona Sancha Úrsula Alves de Souza, família “Ribeiro de Brito”.

         Joaquina, viúva, faleceu aos 13-05-1897. Deixou a filha Gabriela.

Igreja de São Joaquim de Barra Mansa.  lv. 1 de batizados: Folha 2 - 01/09/1831 Joaquina, filha de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesus. Padrinhos: Pe. Antonio Gomes Coelho e Dona Antonia Maria Ribeiro de Jesus

 

Cartorio de Registro Civil São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. C-2, Fls. 74 nº 32 aos 15 maio 1897 declarante Antonio de Carvalho.

Faleceu aos 13 do corrente em sua casa no Falcão onde atualmente residia, de febre amarela, sua tia Joaquina Maria Soares, branca, 65 anos, lavradora, filha de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesus falecidos.Viúva de Joaquim Alves de Sousa Soares deixa a filha Gabriela, maior. Cemiterio publico do Falcão.

 

3-1-5 Gabriel, batizado em 13-06-1833.

Igreja de São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. 1, Folha 8v - 13/06/1833 Gabriel, filho de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesus. Padrinhos: Manoel Francisco de Oliveira e Maria Thereza Novaes

 

3-1-6 Emerenciana (Antonia ou Maria) Ribeiro, batizada em 30-10-1834. Aos 21-04-1851, dispensados do impedimento de consanguinidade, casou com Joaquim Alves Carrijo, filho de Joaquim Alves Carrijo e Mariana Claudina de Jesus- família “Alves Carrijo”. Joaquim era viúvo de Rita Maria de Mendonça com geração na família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 3º.

L 1 - 1830 / 1862 - fl.16 - São Joaquim da Barra Mansa 30.10.1834 - Emerencianna - fl. de Gabriel Antonio Pereira e Claudina Maria de Jesús - fp. José Leite Ribeiro de Almeida e sm. Maria Claudina de Jesús.

 

Igreja de São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. 1, fls. 17 aos 21 abril 1851 dispensados  do impedimeno de consanguinidade por S. Excia Revdo; testemunhas: Luis Pereira de Castro e Domiciano de Tal. Joaquim Alves Carrijo, viuvo, natural deste Bispado e Curato, com Emerencianna Ribeiro, f.l. de Gabriel Antonio de Carvalho e D. Claudina, natural e bat. neste Curato.

 

Entre os filhos de Emerenciana e Joaquim:

3-1-6-1 Antonio, batizado em 01-08-1852.

Santa Izabel do Rio Preto-RJ - Santa Izabel, Batismos - Antonio, branco: no dia 01-08-1852 bat. Antonio, f.l. de Joaquim Alves Carrijo e D. Emerencianna Antonia Ribeiro. Padr.: Domiciano Jose Alz e D. Mariana Carolina Alves

3-1-6-2 Joaquim, em 02-11-1856

Santa Izabel do Rio Preto-RJ - Santa Izabel, Batismos Joaquim: no mesmo dia (02-11-1856) bat. Joaquim n. 20-09, f.l. Joaquim Alves Carrijo e Emerencianna Maria de Jesus, np. de Joaquim Alves Carrijo e Marianna de Jesús - nm. de Gabriel Antonio de Carvalho e D. Claudina Maria de Jesus. Padr.: Basilio José de Carvalho e D. Claudina Maria de Jesus,

 

3-1-7 Maria Constancia de Jesus, batizada em 23-09-1838. Aos 17-08-1854 casou com Basilio José de Carvalho, batizado em 20-05-1838, filho de Maximiano José de Carvalho e Teodora Maria de Jesus (ou Mendonça).

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 22 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa Aos vinte e tres dias do mes de septembro do anno de mil oito centos e trinta e oito - MARIA - filha legitima de Gabriel Antonio de Carvalho e D. Claudina Maria de Jesús - foram padrinhos : O Cap. Joaquim Pereira de Carvalho e sua mulher Dona Umbelina Pereira de Mendonça.

O Cura Joaquim José Lobo.

 

L. 1 - 21.10.1831 / 24.07.1863 - Casamentos - fl. 28 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa A dez e sette dias do mez de Agosto do anno de mil oito centos e cinquenta e quatro, satisfeitas as formalidades do Trid.  e Constituição do Bispado..... e em presença das testemunhas abaixo assignadas, in facia eclesia, assisti ao Matrimonio de Basilio José de Carvalho, filho legitimo de Maximiano José de Carvalho e Theodora Maria de Mendonça, natural e baptizado na Freguezia de São Joaquim e Maria Constancia de Jesús, filha legitima de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesús, natural e baptizada nesta mesma freguezia. E para constar fiz o presente assento.

O Vigário José Agostinho de Oliveira Cansado.

test.: Candido Jose Alves e Antonio Jacintho de Carvalho.

 

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 20 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa Aos vinte dias do mez de Maio do anno de mil oito centos e trinta e oito, neste Curato de São Joaquim - BASILIO - filho legitimo de Maximiano José de Carvalho e sua mulher Theodora Maria de Jesús - foram padrinhos : Joaquim Gonçalves Pereira e d. Felisbina Maria de Jesús. O Cura Joaquim José Lobo.

3-1-8 Pedro, batizado em 24-06-1840.

Registro Paroquial São Joaquim, Barra Mansa, RJ, lv. 1, Folha 29 - 24/06/1840 -Pedro, filho de Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesus. Padrinhos: Capitão Francisco Antonio de Moraes e Nossa Senhora da Conceição

 

3-2 Bárbara Antonia de Jesus, batizada em Lavras-MG. Em abril de 1819 requereu dispensa do impedimento de consanguinidade em 3º grau para se casar com Antonio  Pereira de Carvalho, irmão inteiro de Gabriel Antonio de Carvalho, filhos de Gabriel Antonio de Carvalho e Monica Pereira de Santo Agostinho, famílias “Diogo Garcia” e “Amaro Pereira de Araújo”.

Lavras-MG, Igreja de Santa Ana.No anno de mil oito centos e quatro - com pouca differença -  nesta Matriz o Reverendo Vigário, José da Costa Oliveira - baptizou e poz os Santos Óleos á Bárbara, filha legitima de Diogo Garcia de Carvalho e sua mulher. Do que fiz este assento por informação de pessoas fidedignas que  comigo assignarão e que ignoram o nome da mãe da baptizada e quem foram os  padrinhos. Por não ter sido feito em tempo competente.

 O Vigário Manoel (.....) (......) de Lacerda

 Thomé Ignácio Botelho

 Antonio Pereira de Carvalho

 

(pesq. Plinio U. M. de Carvalho) Arquivo da Cúria do RJ - Notação HM 62642 - ano de 1819 - 

PROCESSO  DE  BANHOS -  IMPEDIMENTO  DE  3°. GRAU  EM  LINHA  LATERAL

ORADORES: Antonio Pereira de Carvalho  e  D. Bárbara Antonia de Jesús

Ilmo. Srs. Vigr°. da Vara

 Dizem os Oradores, Antonio Pereira de Carvalho, filho legitimo de Gabriel Antonio de Carvalho e de Monica Pereira de Santo Agostinho, nascido e baptizado na Freguezia de Santa Anna de Lavras do Funil, Bispado de Marianna, que elle suple. se acha justo e contratado para cazar com D. Bárbara Antonia de Jesús, filha legitima de Diogo Garcia de Carvalho e de s/mulher D. Antonia Maria de Jesús, nascida e baptizada na mesma Freguezia e moradores na Freguezia  de Rezende e como não poder fazer sem que primeiro sejam dispensados por Sua Excia. Rvdma. do impedimento de consangüinidade em 3°. Grão de linha lateral, para o que....

 

Que o Capitão Antonio Pereira de Carvalho he legitimo irmão do Alferes Domingos de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho pai da Oradora.

Que os Oradores nada possuem por serem filhos família mas seus pais são ricos Que em razão do parentesco se tem introduzido na Casa do Pai da Oradora sujeito a miséria humana por causa da fragilidade do sexo.

Que a Oradora e o Orador são das principais famílias e não acharão neste lugar pessoas com quem casar pela estreiteza do lugar para o que ......

 

ACENTADA: Aos vinte e seis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove annos nesta Villa de Rezende em casa de morada do Muito Reverendo Ministro José Antonio  Martins honde eu Escrivão do seu cargo me achava e tendo ahi encontrar o ditto Reverendo Ministro para inquirir as Testemunhas que por parte dos Oradores Antonia Pereira  de Carvalho e D. Bárbara Antonia Maria, digo, Bárbara Antonia de Jesús serem apresentados cujos nomes,cognomes, naturalidade, ofícios delles e costumes são como adiante se segue. Do que para constar fiz este termo. Eu, o Pe. Domicianno Pereira Leite. Escrivão que o escrevi.

 

1ª  TESTEMUNHA: Joaquim José Pereira, homem cazado, natural da Freguezia de Maipendi do Bispado de Marianna onde vive de sua tropa de idade de 42 annos. Testemunha jurada aos Santos Evangelhos em hum livro delles em que poz sua mão direita de baixo do qual se encarregou dizer a verdade do que souber e lhe for perguntado do costume disse nada. E perguntado pelo contehudo em o requerimento dos Oradores Antonio Pereira de Carvalho e de D. Bárbara Antonia de Jesús disse que os Oradores nada possuem por serem filhos família mas seus Pais são ricos. Terceiro que o Orador em razão de parentesco se tem introduzido em casa do Pai da Oradora e sujeito a miséria humana por causa do seu sexo. Que o Orador e a Oradora são de famílias principais e não acharão neste lugar pessoa igual a sua com quem casar pela estreitez do lugar. Que o Orador terá de idade vinte e oito annos e que a Oradora terá de idade quinze annos pouco mais ou menos sem outra residência mais do que a sua Pátria e nesta Villa o que tudo sabe por ter verdadeiro conhecimento de suas pessoas e de seus Pais e o que tudo afirma de tudo seu juramento. Elle se assigna com huma cruz por não saber ler nem escrever com o Reverendo Ministro. Eu, Pe. Domicianno Pereira  Leite, Escrivão que o escrevi.

 

2ª  TESTEMUNHA: O Capitão Joaquim José Pereira de Carvalho, homem cazado, natural de Santa Anna das Lavras do Funil, Bispado de Marianna e morador nesta Villa onde vive de suas lavouras de idade trinta e sette annos...... Testemunha jurada aos Santos Evangelhos em hum livro delles em que poz sua mão direita de baixo do qual se encarregou dizer a verdade do que souber e lhe for perguntado. Eperguntado do costume disse ser primo do Orador Antonio Pereira de Carvalho e tio da Oradora Bárbara Antonia de Jesús. E, perguntado pelo contehudo em requerimento dos Oradores que todo lhe foi lido e declarado pelo Reverendo Ministro, do costume disse nada Que os Oradores nada possuem por serem filhos família mas seus Pais são ricos. E, que o Orador em razão de parentesco se tem introduzido em casa do Pai da Oradora e sujeito a miséria humana por causa do seu sexo. E que tudo sabe por ver e presenciar. E lido se assignou com o Reverendo Ministro. Eu, Pe. Domicianno Pereira  Leite. Escrivão que o escrevi.

 

3ª   TESTEMUNHA: Antonio Bueno Freire, homem cazado, natural da Freguezia (......) do Bispado de Marianna e presentemente morador nesta Villa de Rezende onde vive de suas lavouras, de idade de vinte e nove annos pouco mais ou menos. Testemunha jurada aos Santos Evangelhos  em hum livro delles em que poz sua mão direita de baixo do qual se encarregou dizer a verdade do que souber e lhe for perguntado, do costume disse nada e perguntado pelo contehudo em requerimento dos Oradores Antonio Pereira de Carvalho e a Oradora Bárbara Antonia de Jesús que tudo lhe foi lido e declarado pelo Reverendo Ministro. E, perguntado disse que o Capitão Antonio  Pereira  de Carvalho, he legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira  de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho pai da Oradora Bárbara Antonia de Jesús. Que os Oradores nada possuem por serem filhos família mas seus Pais são ricos. E, que o Orador em razão de parentesco se tem introduzido em casa do Pai da Oradora e sujeito a miséria humana por causa do seu sexo. Que o Orador e a Oradora são de famílias principais e não acharão neste lugar pessoa igual a sua com quem casar pela estreiteza do lugar. Que consta que o Orador tem vinte e tantos annos e que a Oradora tem quinze para quatorze annos.

 

DEPOIMENTO  DO  ORADOR: Aos vinte e seis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove annos, nesta Villa de Rezende em casa de morada do Muito Reverendo Ministro José Antonio  Martins, honde eu Escrivão do seu cargo, me achava e sendo ahi appareceu presente o Orador Antonio Pereira de Carvalho a quem defferido o juramento na forma devida lhe foi encarregado dizer a verdade do que souber e lhe fosse perguntado. Disse que he o próprio contehudo Antonio Pereira de Carvalho. Que o Capitão Antonio Pereira de Carvalho he legitimo irmão do Alferes Domingos Pereira  de Carvalho e deste emanou Diogo Garcia de Carvalho, Pai da Oradora. Que os Oradores nada possuem por serem filhos família mas seus Pais são ricos. Que o Orador em razão de parentesco se tem introduzido em casa do Pai da Oradora e sujeito a miséria humanapor causa do seu sexo. Que terá vinte e oito annos de idade......

 

DEPOIMENTO  DA  ORADORA: Aos vinte e seis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove annos, nesta Villa de Rezendeem casa de morada do Muito Reverendo Ministro José Antonio  Martins, honde Eu, Escrivão do seu cargo me achava e sendo ahi appareceu presente a Oradora. Disse que é a própira Oradora, D. Bárbara Antonia de Jesús. Disse mais que para haver de casar com o Orador Antonio Pereira de Carvalho, se lhe foi preciso implorar a dispensa de Sua Excia. Reverendíssima  por quanto o Capitão Antonio Pereira de Carvalho he legitimo Avô do Orador e irmão legitimo do Alferes Domingos Pereira  de Carvalho, Avô da Oradora e deste Domingos emanou Diogo Garcia de Carvalho, Pai da Oradora. Disse a Oradora não possuir nada, por ser filhos família mas seus Pais são ricos.

 

CONCLUSÃO: Aos vinte e seis dias do mez de Abril de mil oito centos e dezenove annos, nesta Villa de Rezende, em o Cartório de mim Escrivão adiante nomeado e sendo ahi fiz estes autos conclusos ao Muito Reverendo Ministro José Antonio Martins de Sá,para nelles defferir com justiça. Do que para constar fiz este termo. Eu, o Pe. Domicianno Pereira Leite Escrivão que o escrevi.

 

Entre os filhos de Bárbara e Antonio (pesq. Plinio U. M. Carvalho):

3-2-1 Francisco Pereira de Carvalho casou com Cândida Ludovina de Azevedo, filha de Antonio Joaquim Azevedo e Maria Bernarda. Pais de, q.d.:

2-2-1-1 Maria, batizada em 02-06-1851

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 102 v. - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa 2.06.1851 - Maria - fl. Francisco Pereira de Carvalho e Cândida Ludovina de Azevedo - np. Antonio Pereira de Carvalho e Bárbara Maria da Conceição - nm. De Antonio Joaquim Azevedo e Maria Bernarda - fp. Joaquim Leite Ribeiro e Francisca Maria de Jesús.

 

3-2-2 Antonio José Pereira dos Santos, aos 25-07-1846, dispensados dos impedimentos de consanguinidade em 2º grau dobrado, casou com Maximiana Maria de Jesus, 3-1-3 supra.

Arquivo da Cúria do RJ - Processsos de Banhos - 1846

Oradores: Antonio José Pereira Dos Santos e Maximianna Maria de Jesús

Pesquisa Plinio U. Marcondes de Carvalho

Obs. a letra do processo é muito pequena e está muito apagada, dificultando a leitura.

 

Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesús Christo, de mil oito centos e quarenta e seis annos, aos três dias do mez de Julho do ditto anno, nesta Corte do Rio de Janeiro, em a Câmara Eclessiastica, sendo ahi pela parte do Escrivão do Auditório Eclesiástico da Comarca de Barra Mansa, me forão entregues estes autos a favor dos Oradores acima declarados, os quais aceitei e autorizei, do que eu fiz este termo. Eu, José Antonio de Araújo,

ajudante da Câmara Eclesiástica, o escrevi,

 

Dizem os Oradores, Antonio José Pereira  dos Santos e Maximianna Maria de Jesús, que elles se acham justos e contratados para se receberem em Matrimonio e que não podem fazer por se acharem ligados com o parentesco de 2°. Grau de consanguinidade em linha collteral igual e para alcançarem de sua Excia. Reverendíssima, a graça da dispensa querem justificar perante V. Reverendíssima.

 

1°. Que Gabriel Antonio de Carvalho. he Pai de Antonio Pereira de Carvalho e este Antonio Pereira de Carvalho, he Pai do Orador, Antonio José Pereira dos Santos.

2°. Que Gabriel Antonio de Carvalho. he Pai de Gabriel Antonio de Carvalho e este Gabriel Antonio de Carvalho, he Pai da Oradora, Maximianna Maria de Jesús.

3°. Que pelos motivos que ficam dittos, se acham os Oradores ligados com o parentesco de 2°. Grau de consanguinidade em linha collateral igual.

4°. Que elles Oradores pela freqüência.............

5°. Que no lugar de suas moradias, são quasi todos parentes e por este motivo, não tem com quem cazar com igualdade.

6°. Que elles Oradores, são pobres porem o Orador he ágil para seu trabalho de bem tratar da Oradora.

7°. Que não casando o Orador com a Oradora.............

 

Assentada: Aos vinte dias do mez de Julho de mil oito centos e quarenta e seis, em a casa de residência do Reverendo Vigário da Vara, Francisco José Chrisóstomo Barreto, onde eu Escrivão do seu cargo, fui vindo e sendo ahi passei.......... de ser por elle ditto Vigário, inquiridas e juramentadas as testemunhas para a presente justificação e dar em .............

 

Testemunha 1ª. Theodósio Martins da Costa, homem branco, cazado, natural de Minas, de idade de cincoenta e hum annos, residente em São Joaquim, deste termo, do costume disse nada, testemunha a quem o ditto Vigário da Vara defferiu o juramento dos Santos Evangelhos, em hum livro delles em que pos sua mão direita, na forma da Lei e lhe foi encarregado jurar se a verdade do souber e perguntado lhe fosse e sendo por elle recebido o juramento, assim o prometeu cumprir e sendo lhe perguntado pelo contehudo da petição, Item dos Oradores, que todo lhe foi lido e declarado pelo ditto Vigário........... e que são parentes no 2°. Grau. Theodósio Martins  da Costa

 

Testemunha  2ª. Simão José Ferreira, homem branco, cazado, natural de Minas, idade cincoenta annos, vive de lavouras, residente em São Joaquim, deste Municipio...........testemunha a quem o Reverendo Vigário da Vara, defferiu o juramento dos Santos Evangelhos em hum livro..............

 

Pais de, q.d.:

3-2-2-1 Olimpia, batizada em 25-01-1852.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 107 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa 25.01.1852 - Olímpia - fl. Antonio José Pereira dos Santos e sm. Maximianna Maria de Jesús - np. De Antonio Pereira de Carvalho e Bárbara Antonia de Jesús - nm. De Gabriel Antonio de Carvalho e Claudina Maria de Jesús - fp. Antonio Jacintho de Carvalho e Maria Jacintha Ribeiro de Jesús.

 

3-2-3 Maria, batizada em 24-08-1834.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 11 v. -  São Joaquim da Barra Mansa 24.08.1834 - Maria - fl. de Antonio Pereira de Carvalho e sm. Bárbara Maria de Jesús - fp. o mesmo baptizante e Francisco Teixeira Pinto.

3-2-4 Francisca, em 20-12-1838

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 24 v. - Igrega de São Joaquim de Barra Mansa 20.12.1838 - Francisca - fl. de Antonio Pereira de Carvalho e D. Bárbara Antonia de Jesús - fp. o Cura Joaquim José Lobo e D. Umbelina Pereira de Mendonça.

3-2-5 Gabriel, em 26-05-1839.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 26 - Igrega de São Joaquim de Barra Mansa 26.05.1839 - Gabriel - fl. de Antonio Pereira de Carvalho e s/m. D. Bárbara Antonia de Jesús - fp. Manoel Francisco de Oliveira e D. Maria Thereza de Novais.

3-2-6 Inocencio em 09-08-1840.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 29 v. -  Igreja de São Joaquim da Barra Mansa 9.08.1840 - Inocêncio - fl. de Antonio Pereira de Carvalho e de s/m. Bárbara - fp. Cap. Francisco Antonio de Morais e D. Maria Claudina de Jesús.

3-3 Domiciano, solteiro com 26 anos em 1831. Domiciano Pereira de Carvalho casou com Maria Claudina de Nazaré, filha de João Teixeira Pinto e Maria Severina.

          Pais de, q.d (pesquisa Plinio U. Marcondes de Carvalho):

3-3-1 Messias Teixeira, em S. Joaquim-RJ aos 09-09-1857 casou com Joaquim de Almeida e Silva, natural da freguesia de Miguinhos Bispado de Lamego, filho de Casimiro de Almeida e Silva e Maria do Carmo

L. 1- 21.10.1831 / 24.07.1863 - Casamentos - fl. 37 - Igreja de São Joaquim da Barra Mansa 9.09.1857 - test. Manoel Leite do Prado e José Francisco Rodrigues - pelas 3 horas da tarde - nub. Joaquim de Almeida e Silva  com Messias Teixeira - elle, nat. e bap. na Freguezia de Miguinhos - anexada à Freguezia de Lazarem - Bispado de Lamego - Reino de Portugal - fl. de Casimiro de Almeida e Silva e Maria do Carmo - ella, fl de Domicianno Pereira de Carvalho e de Maria de Nazareth, nat. e bap. em São Joaquim

3-3-2 Honória Teixeira, aos 24-11-1858 casou com Custódio José de Meirelles, natural de Arrozal-RJ, filho de Luis José de Meirelles e Francisca Esméria da Conceição

L. 1 - 21.10.1831 / 24.07.1863 - Casamentos - fl. 43 v. -  São Joaquim da Barra Mansa 24.11.1858 - test. Antonio Teixeira Pinto e Custódio Domingues de Miranda - nub. Custódio José de Meirelles - fl. de Luis José de Meirelles e Francisca Esméria da Conceição - n. e bap. na Freg. de Arrozal - cc/ Honória Teixeira  - fl. de Domicianno R. Pereira de Carvalho e Maria Nazareth - n. e bap. em S. Joaquim.

3-3-3 Rita, batizada em 19-08-1838.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 21 v. - Igreja de São Joaquim da Barra Mansa - Barra Mansa / RJ 19.08.1838 - Ritta - fl. De Domicianno Pereira de Carvalho e D. Maria Nazareth - fp. Gabriel Antonio de Carvalho e D. Claudina Maria de Jesús.

3-3-4 Antonio, batizado em 14-02-1848.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 80 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa 14.02.1848 - Antonio n. 19.01.1848 - fl. de Domicianno Pereira de Carvalho e Maria Claudina de Nazareth - np. de Diogo Garcia de Carvalho e de Antonia Maria de Jesús - nm. de João Teixeira Pinto e Maria Severina - fp. José Teixeira de Mendonça e Francisca Clara.

3-3-5 Isabel, em 25-09-1857.

L. 1 - 1830 / 1862 - Batizados - fl. 172 - Igreja de São Joaquim de Barra Mansa - São Joaquim / RJ 25.09.1857 - Isabel - fl. Domicianno Pereira de Carvalho e Maria Nazareth - fp. Joaquim de Almeida e Silva e Florinda de Freitas.

 

3-4 Elias com 24 anos.

3-5 Maria, com 20 anos em 1831. Maria Olinda de Jesus casou com Inácio Ribeiro de Mendonça, filho de Felix Ribeiro de Mendonça Coelho e Josefa Emerenciana Ribeiro. Geração na família “Amaro de Mendonça Coelho” Cap. 5º

Carrancas, MG igreja N. Sra da Conceição no ano de 1810 bat. Maria, f.l. Alf. Diogo Pereira de Carvalho e D. Antonia Ribeira de Mattos, padr.: Joaquim Inacio de Carvalho e D. Joaquina. E por não ter sido feito este assento em tempo competente o lansei aqui depois de bem informado.

3-6 Lucinda com 18 anos em 1831.

Carrancas, MG igreja N. Sra da Conceição no ano de 1812 bat. a Lucinda, f.l. Alf. Diogo Pereira de Carvalho e D. Antonia Ribeira de Mattos, padr. Fidelis Inacio Botelho e D. Maria Candida de Andrade. E por não ter sido feito este assento em tempo competente o lansei aqui depois de bem informado.

3-7 Genoveva com 12 anos .

Carrancas, MG igreja N. Sra da Conceição no ano de 1817 na capela de N. Sra da Conceição do Porto filial desta matriz, bat. Genovefa, f.l. Alf. Diogo Pereira de Carvalho e D. Antonia Ribeira de Mattos, padr.: Alf. Jeronimo Pereira de Carvalho e D. Escolastica Maria do Bom Sucesso. E por não ter sido feito este assento em tempo competente o lansei aqui depois de bem informado.

3-8 Linda com 11 anos.

3-9 Ana com 10 anos.

3-10 Antonia com 8 anos.

3-11 José com 3 anos em 1831.